9 de out de 2014

O pouco restante é o será, ufa...

Começou a guerra de frames: Dilma já lança seus primeiros ataques contra Aécio. 

Hora de rebater com facilidade. É vital que você tenha plena noção de como rebater os ataques sujos do PT a partir de agora, especialmente se for atuar nas redes sociais. Nem bem o PT viu que iria para o segundo turno com Aécio Neves, ao invés de Marina, que já começaram as baixarias do lado deles.

De acordo com o Globo Dilma começou sua campanha atacando o PSDB com mentiras: Dilma afirmou que os brasileiros não querem mais os fantasmas do passado e que o PSDB governou para um terço da população, abandonando os que mais precisam. Segundo ela, os governos do PSDB, viraram as costas para o povo nos setores de educação e de previdência. O povo brasileiro não quer de volta aqueles que viraram as costas para o povo, que acabaram com as escolas técnicas, esvaziaram o crédito educativo e elitizaram as nossas universidades federais, sucateando-as. O povo brasileiro não quer de volta os que chamavam os aposentados - com o perdão da palavra - de vagabundos e agora têm fórmulas mágicas para a Previdência, declarou.

Eis os frames a serem utilizados, que neutralizam este tipo de discurso:

• O brasileiro não quer mais um governo mentiroso que inventa fantasmas no passado para esconder os monstros do presente, que tem devastado o estado e massacrado a população.

• O PSDB governou para todo o povo brasileiro, não para a companheirada que mama nas estatais, como comprova o aparelhamento estatal inacreditável que tem sido noticiado pela mídia.

• Por aparelhar o estado, permitindo seu saqueamento, o governo petista abandonou os que mais precisam.

• Por decisões deliberadas como essa, o PT recusou-se a deixar o Brasil crescer no mesmo ritmo dos principais países emergentes, e é por isso que hoje em dia o governo precisa maquiar a realidade, divulgando um número de desemprego falso, que é metade do que realmente existe. O verdadeiro indicador é o do DIEESE, com mais de 10% de desemprego.

• O governo petista mente ao usar chantagem dizendo que só aceita escolas técnicas se forem federais. O projeto do PSDB valorizava a parceria com estados e municípios para que as necessidades do povo fossem realmente atendidas. Como sempre, o PSDB foca no povo, enquanto o PT no aparelhamento estatatal. (Reparem o jogo deles: só queremos se for federal).

• Dito isto, os resultados do IDEB mostram que a educação do governo petista é uma lástima. Não basta gastar mais, mas oferecer mais resultados, coisa que o PT não consegue.

• Um pouco sobre o Bolsa Família: o economista Arturo Porzecanski nos mostra que não dá para aceitar as mentiras do governo dizendo que o Brasil só vai mal por que o mundo está mal. Na verdade, o Brasil está em desempenho bem pior. Ele também diz que o sucesso do Bolsa Família só poderá ser avaliado quando menos gente precisar dele.

• É inacreditável, portanto, que o governo se orgulhe de aumentar o número de dependentes, o que significa que a ação deliberada do governo em prol de afugentar investidores e fazer os empregos sumirem infelizmente tem funcionado.

• Já passou da hora do PT parar de mentir para os beneficiários do Bolsa Família com terrorismo ideológico. Qualquer partido com uma proposta decente só pode manter o benefício (criado nos tempos de FHC, com o nome Bolsa Escola, junto a demais programas assistenciais), mas também garantir ao povo a chance de não precisar depender mais dele, a partir do surgimento de empregos. Por isso é preciso urgentemente tirar o PT do poder.

• Por fim, preciso falar dos aposentados: o PT também mostra cara de pau e cretinice ao mentir dizendo que o PSDB chamou os desempregados de vagabundos. A Sra. candidata está desafiada a levar a debate público (nos canais de televisão) qualquer afirmação textual nesse sentido.

• Na verdade, FHC beneficiou os aposentados que realmente necessitam ao limitar a aposentadoria de pessoas jovens demais, em plena idade de trabalho. Como sempre, o PSDB pensou no povo, enquanto o PT pensou na companheirada que não gosta de trabalhar. Nem todos os que se aposentavam com menos de 50 anos eram da companheirada do PT, mas a maioria sim. Por isso o PT se revolta tanto com um projeto que ajude os aposentados que realmente necessitem, nutrindo ódio pelo programa de FHC, que salvou a previdência e os aposentados.

• Concluindo em estilo MAV (para ser usado só em momentos mais extremos nas redes sociais): É, petistas, vão ter sempre que aturar o fato de que FHC salvou a previdência e os aposentados, enquanto suas ideias iriam destruir a previdência. Chora. Late. Grita. E vai descer rasgando!

Enfim, é isso aí: começou o segundo turno. E todos os dias teremos fornecimento de munição para a guerra. (Luciano Ayan) 

Nenhuma novidade! Tudo já fartamente dito e conhecido. Faz-se tarde! Eles já estão em nossos jardins, em nossos quintais, aguardando o sinal para entrar em nossas casas.

Amigos e amigas,

O temores expostos no presente texto lembram-me e, certamente, àqueles que vivenciaram os momentos vividos nos dias que precederam abril/64, as iniciativas que mudaram e/ou marcaram, para sempre, a história do Brasil.

Prepara-te Minas Gerais e Brasil

Nascedouro da nacionalidade, berço da liberdade e sacrário dos valores eternos, minha Minas Gerais não ficará silente nem deserdará seus filhos neste momento tenebroso por que passa o Brasil.

Nuvens negras já despontam no horizonte da Pátria com vistas a turvar e demolir a nossa democracia penosamente construída.

Homens inescrupulosos, impatrióticos e vendilhões se apoderaram do poder em todos os níveis e nele pretendem se perpetuar, impondo-nos ideologia e regime político alienígenas, incompatíveis com nossa tradição, nossas aspirações e com a nossa história.

Estes se espelham no decadente facínora Fidel Castro, nos inconcebíveis regimes ditos bolivariano, da Venezuela, e nos mais sanguinários ditadores do mundo.

Aspiram se eternizarem no poder mediante o covarde silêncio do Congresso Nacional e da recente decisão do STF no escandaloso caso de corrupção denominado mensalão.

O povo, em boa parte analfabeta, carente e dependente das tais bolsas compra votos (bolsa família, bolsa gás, bolsa escola, bolsa prostituta, etc...) não vislumbra, por absoluta incapacidade de discernir, o perigo que se avizinha.

Já perdemos nossa identidade cívica, social e moral e, não demorará perderemos a liberdade caso prossigamos nesta trilha maldita de corrupção e cinismo implantada pelo PT comandado por Lula.

É revoltante assistir a presidente empunhando entusiasticamente a bandeira cubana ao lado do ditador ilhéu; congressistas ostentando nas paredes de seus gabinetes a foto do sanguinário Che Guevara e o presidente da Câmara a afrontar em momento solene o Ministro Joaquim Barbosa, Presidente do STF.

Avulta-se, com desenvoltura nunca vista, o aparelhamento do Estado, a compra de parlamentares, o sucateamento das Forças Armadas, o manietar da Polícia Federal e pior, o silêncio complacente das instituições, especialmente dos Ministérios Público Federal e Estaduais e a leniência de boa parte do Judiciário além do andar paquidérmico dos processos.

Os políticos, por seu turno, perderam a hombridade e se quedam em covarde passividade diante destes descalabros. Não há oposição para combater tantos desmandos; nenhuma voz se alteia contra este estado de coisas, no Congresso submisso.

Empréstimos secretos são feitos a ditaduras; dívidas de países governados por ditadores são perdoadas sem que a opinião pública brasileira seja consultada; investimentos milionários são feitos em Cuba sob o suspeito crivo de secretos; igualmente secretos e suspeitos são os gastos com cartões corporativos, as viagens da secretária do ex-presidente e as despesas com viagens internacionais, enquanto ministérios inúteis foram criados para arrebanhar cúmplices neste nefasto aparelhamento do estado petista.

Não há uma ação sequer do governo petista que seja clara e induvidosa. Sobre todas pairam suspeitas e inexplicável silêncio dos governantes.

O Supremo Tribunal Federal, salvo as notórias exceções, hoje mais ainda realçadas, resvalou para o julgamento de conveniência e já não há um cidadão que lhe renda o devido respeito.

As Forças Armadas - silentes por enquanto- se submetem a inaceitável e proposital sucateamento e ainda são humilhadas pela unilateral Comissão da Verdade.

Nossas fronteiras, deliberadamente escancaradas ao narcotráfico, ao contrabando e ao descaminho, às FARC e aos médicos cubanos, são indícios de que estamos perdendo nossa soberania e o controle do que se passa em nosso território.

Adicionem-se a este quadro nebuloso da nacionalidade as suspeitas demarcações de terras indígenas, a desenvoltura do MST, (este claramente estimulado e financiado pelo Planalto) e tem-se o caldo da desobediência civil, do atrito entre irmãos e do caos social.

A violência urbana, já incontrolável, domina todas as comunidades do país; as drogas já escravizam milhões de brasileiros e, segundo consta, já passa de um milhão a coorte de menores zumbis que vaga pelas cidades, dependentes que são do crak.

Saúde pública vergonhosa, ensino público sofrível, segurança pública nenhuma./ Direitos humanos só para transgressores da lei em inaceitável inversão de valores.

No malsinado governo Goulart, no qual as ameaças foram muito mais tímidas Minas Gerais se levantou e espantou o fantasma que nos rondava.

Na verdade, o Brasil é hoje, apesar da sua grandiosidade, país satélite das diminutas (em todos os sentidos) republiquetas sul-americanas.

Pergunto então: 

Onde está a Maçonaria?

Onde estão as comunidades religiosas?

Onde estão os Clubes de Serviço apologistas das liberdades?

Onde estão os homens de bem deste país? 

Onde estão as forças vivas da comunidade brasileira?

Onde está a imprensa?

Estão fingindo nada ver e nada ouvir e fazendo cara de paisagem diante da borrasca político/social que se avizinha.

Creio e espero que agora, se necessário for, Minas novamente se levantará contra o caudilhismo e o comunismo que aí estão à vista e já avizinhados, para honrar a tradição de liberdade que naquelas montanhas é cultuada desde os primórdios da colônia.

Se assim for, estimarei ser convocado e serei um entusiasmado voluntário.

Se o outro nome de Minas é Liberdade como acentuou Tancredo Neves, ela, a Liberdade, daquelas montanhas jamais se arredará.

Tenho fé. (Mozart Hamilton Bueno, Juiz de Direito aposentado e Professor)

PPS declara apoio a Aécio 

A sociedade deu um recado muito claro nas urnas contra o governo. Defendemos a união das oposições para derrotar o lulopetismo, afirmando a questão democrática e os princípios republicanos, diz Roberto Freire.

O PPS anunciou hoje (terça, 7), depois de reunião de sua executiva nacional em Brasília, apoio à candidatura do tucano Aécio Neves no segundo turno da sucessão presidencial. Integrante da coligação Unidos pelo Brasil, o partido oposicionista faz um chamado aos eleitores de Marina Silva (PSB), terceira colocada no primeiro turno, para promover a unidade em torno da candidatura do senador do PSDB.

Segundo o presidente nacional do PPS, o deputado Roberto Freire (SP), a decisão será levada a Marina, seus apoiadores e, obviamente, ao próprio Aécio. Precisamos nos lembrar do que disse Eduardo Campos: o Brasil não aguenta mais quatro anos de governo Dilma. Não fazemos política em proveito próprio, mas sim com perspectivas que interessam ao país, disse o parlamentar.

Por meio de nota em que defende a democracia e os valores republicanos, o desenvolvimento sustentável, a inclusão social, a reforma política e a retomada do crescimento, Freire diz que Aécio não terá dificuldades em incorporar à sua campanha as condições estudadas por Marina para apoiá-lo, como abrir mão do direito de tentar se reeleger daqui a quatro anos.

A sociedade deu um recado muito claro nas urnas contra o governo. Defendemos a união das oposições para derrotar o lulopetismo, afirmando a questão democrática e os princípios republicanos, observou o parlamentar durante a reunião da cúpula partidária. 


Basta de PT 

Dilma foi a terceira pior presidente em termos de crescimento econômico. Só perdeu para Floriano Peixoto e Fernando Collor.

Estamos vivendo um momento histórico. A eleição presidencial de 2014 decidirá a sorte do Brasil por 12 anos. Como é sabido, o projeto petista é se perpetuar no poder. Segundo imaginam os marginais do poder - feliz expressão cunhada pelo ministro Celso de Mello quando do julgamento do mensalão -, a vitória de Dilma Rousseff abrirá caminho para que Lula volte em 2018 e, claro, com a perspectiva de permanecer por mais 8 anos no poder. Em um eventual segundo governo Dilma, o presidente de fato será Lula. Esperto como é, o nosso Pedro Malasartes da política vai preparar o terreno para voltar, como um Dom Sebastião do século XXI, mesmo que parecendo mais um personagem de samba-enredo ao estilo daquele imortalizado por Sérgio Porto.

Diferentemente de 2006 e 2010, o PT está fragilizado. Dilma é a candidata que segue para tentar a reeleição com a menor votação obtida no primeiro turno desde a eleição de 1994. Seu criador foi derrotado fragorosamente em São Paulo, principal colégio eleitoral do país. Imaginou que elegeria mais um poste. Não só o eleitorado disse não, como não reelegeu o performático e inepto senador Eduardo Suplicy, e a bancada petista na Assembleia Legislativa perdeu oito deputados e seis na Câmara dos Deputados.

A resistência e a recuperação de Aécio Neves foram épicas. Em certo momento da campanha, parecia que o jogo eleitoral estava decidido. Marina Silva tinha disparado e venceria - segundo as malfadadas pesquisas. Ele manteve a calma até quando um dos seus coordenadores de campanha estava querendo saltar para o barco da ex-senadora.

E, neste instante, a ação das lideranças paulistas do PSDB foi decisiva. Geraldo Alckmin poderia ter lavado as mãos e fritado Aécio. Mas não o fez, assim como José Serra, o senador mais votado do país com 11 milhões de votos. Foi em São Paulo que começou a reação democrática que o levou ao segundo turno com uma vitória consagradora no estado onde nasceu o PT.

Esta campanha eleitoral tem desafiado os analistas. As interpretações tradicionais foram desmoralizadas. A determinação econômica - tal qual como no marxismo - acabou não se sustentando. É recorrente a referência à campanha americana de 1992 de Bill Clinton e a expressão é a economia, estúpido. Com a economia crescendo próximo a zero, como explicar que Dilma liderou a votação no primeiro turno? Se as alianças regionais são indispensáveis, como explicar a votação de Marina? E o tal efeito bumerangue quando um candidato ataca o outro e acaba caindo nas intenções de voto? Como explicar que Dilma caluniou Marina durante três semanas, destruiu a adversária e obteve um crescimento nas pesquisas?

Se Lula é o réu oculto do mensalão, o que dizer do doleiro petista Alberto Youssef? Imagine o leitor quando o depoimento - já aceito pela Justiça Federal - for divulgado ou vazar? De acordo com o ministro Teori Zavascki, o envolvimento de altas figuras da República faz com que o processo tenha de ir para o STF. E, basta lembrar, segundo o doleiro, que só ele lavou R$ 1 bilhão de corrupção da Refinaria Abreu e Lima. Basta supor o que foi desviado da Petrobras, de outras empresas e bancos estatais e dos ministérios para entender o significado dos 12 anos de petismo no poder. É o maior saque de recursos públicos da História do Brasil.

Nesta conjuntura, Aécio tem de estar preparado para um enorme bombardeio de calúnias que irá receber. Marina Silva aprendeu na prática o que é o PT. Em uma quinzena foi alvo de um volume nunca visto de mentiras numa campanha presidencial que acabou destruindo a sua candidatura. Não soube responder porque, apesar de ter saído do PT, o PT ainda não tinha saído dela. Ingenuamente, imaginou que tudo aquilo poderia ser resolvido biblicamente, simplesmente virando a face para outra agressão. Constatou que o PT tem como princípio destruir reputações. E ela foi mais uma vítima desta terrível máquina.

O arsenal petista de dossiês contra Aécio já está pronto. Os aloprados não têm princípios, simplesmente cumprem ordens. Sabem que não sobrevivem longe da máquina de Estado. Contarão com o apoio entusiástico de artistas, intelectuais e jornalistas. Todos eles fracassados e que imputam sua insignificância a uma conspiração das elites. E são milhares espalhados por todo o Brasil.

Teremos o mais violento segundo turno de uma eleição presidencial. O que Marina sofreu, Aécio sofrerá em dobro. Basta sinalizar que ameaça o projeto criminoso de poder do petismo. O senador tucano vai encontrar pelo caminho várias armadilhas. A maior delas é no campo econômico. O governo do PT gestou uma grave crise. Dilma foi a terceira pior presidente da história do Brasil republicano em termos de crescimento econômico. Só perdeu para Floriano Peixoto - que teve no seu triênio presidencial duas guerras civis - e Fernando Collor - que recebeu a verdadeira herança maldita: uma inflação anual de quatro dígitos. O PT deve imputar a Aécio uma agenda econômica impopular que enfrente radicalmente as mazelas criadas pelo petismo. Daí a necessidade imperiosa de o candidato oposicionista deixar claro - muito claro - que quem fala sobre como será o seu governo é ele - somente ele.

Aécio Neves tem todas as condições para vencer a eleição mais difícil da nossa história. Se Tancredo Neves foi o instrumento para que o Brasil se livrasse de 21 anos de arbítrio, o neto poderá ser aquele que livrará o país do projeto criminoso de poder representado pelo PT. E poderemos, finalmente, virar esta triste página da nossa história. (Marco Antonio Villa, historiador) 

Bloqueio de bens da família 

Receita Federal está sendo impedida Lula quer impedir a Receita Federal de avaliar o patrimônio que ele e Lulinha montaram com evidências de mutretas, cambalachos, trancos e barrancos!

Até que enfim sai alguma coisa sobre o assunto. Todo mundo sabe, mas não pode provar.

Vindo de dentro da Receita Federal a suspeita se concretiza.

Espero que os funcionários concursados da RF, realmente, resolvam cumprir a Lei. Vai ser uma festa..... Uma bomba!

Exclusivo - Embora assuma o discurso globalitário do combate à corrupção, a Presidenta Dilma Rousseff anda hiper preocupada com o risco de rebeldia entre servidores do alto escalão da Receita Federal.

Dilma recebeu preocupantes informações de que alguns funcionários de carreira do órgão, à revelia do Governo, promovem um acompanhamento pente fino da veloz evolução patrimonial do empresário Fábio Luís da Silva, filho do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que a mídia chama popular e pejorativamente de Lulinha (apelido que Fábio nunca usa, na vida pessoal).

Lula já teria pedido a Dilma para interceder no caso. Ela já avisou que nada pode fazer. O ex-presidente tentou, inclusive, contatos com a cúpula da Super Receita.

Recebeu a mesma mensagem de que nada pode ser feito.

Foi-lhe lembrado que o acompanhamento patrimonial dos contribuintes, dentro da Lei e respeitando sigilos, há um dever funcional dos servidores concursados da Receita.

Lula teme que vazem informações também eventuais sobre seu patrimônio pessoal (bilhões de dólares). Trata-se da oitava fortuna do Brasil, segundo a revista americana Forbes...

E como sabe muito bem que o movimento de combate à corrupção é uma ordem de fora para dentro do Brasil, se apavora com o risco de retaliações promovidas por inimigos ligados à oposição.

Além do medo de surpresas super desagradáveis com servidores sérios e independentes da Super Receita, Dilma encara outra guerra institucional.

A Presidente e seus ministros são cada dia mais mal vistos pelo Fórum Nacional da Advocacia Pública Federal - integrado por sete entidades de procuradores da Fazenda, Previdência Social, do Banco Central e de procuradores lotados em autarquias e ministérios.

A entidade enxerga uma intenção do governo em submeter às vontades de militantes petistas, todos os setores jurídicos da área federal, o que seria um desastre para o Brasil, se já não bastassem as muitas autarquias dirigidas por QI político do PT.

O primeiro alvo do aparelhamento petista é a Advocacia-Geral da União.

Luís Inácio Adams, chefe do órgão, elaborou um projeto de lei complementar que prevê a nomeação, como advogados federais, de pessoas de fora da carreira e sem concurso (tá na cara que serão os cumpanheiros).

O projeto de Adams considera infração funcional o parecer do advogado público que contrariar as ordens de seus superiores hierárquicos.

O Fórum Nacional da Advocacia Pública Federal define o plano como um atentado ao Estado Democrático de Direito e põe em risco a existência da própria AGU (Advocacia Geral da União). Estão petizando a Justiça.

Há tempos isso já está ocorrendo; Luís Inácio Adams é mais um do governo Dilma na corda bamba.

Cotado para assumir a Casa Civil do Palácio do Planalto na reforma ministerial que Dilma Rousseff iria promover no começo do ano 2014, não emplacou no cargo.

Também pode ver naufragar seu objetivo maior de ser indicado para o Supremo Tribunal Federal, tal qual seu antecessor José Dias Toffoli, apadrinhado do Dirceu.

Alvos de processos pesados, como o do Mensalão e seus desdobramentos, os petistas definiram como prioridade o aparelhamento da máquina Judiciária.

Além de indicar ministros aliados para o Supremo Tribunal Federal e para o Superior Tribunal de Justiça, o partido também quer ter um controle maior sobre a Advocacia Geral de União, para impedir que o órgão crie problemas para os negócios escusos feitos entre a União e os empresários parceiros.

É a intervenção petista nos órgãos de fiscalização da Receita Federal e Advocacia Geral da União.

Essa é a máscara do PT e dos cumpanheros do Lula que é o Chefe de todo o esquema de corrupção do PT.

O bando vermelho, grande quadrilha desembestada que emporcalha o país há mais de dez anos no poder.

Um país à beira do precipício 

Já estamos em recessão, apesar de uma inflação bastante elevada. Não obstante, Dilma ainda é a líder nas pesquisas. Como?

Como ainda ter esperanças no eterno país do futuro quando vemos que a presidente Dilma, depois dos novos escândalos da Petrobras, continua como favorita na corrida eleitoral? Não só isso: a delação premiada do importante ex-diretor Paulo Roberto Costa, chamado de Paulinho por Lula, não fez um único arranhão na candidatura da presidente. É um espanto! 

Quando estourou o escândalo do mensalão em 2005, muitos acharam que era o fim de Lula e do PT. Os tucanos julgaram melhor deixá-lo sangrando até as eleições em vez de partir para um pedido legítimo de impeachment. Lula foi reeleito. A economia ia bem, graças principalmente ao crescimento chinês. 

Em 2010, Lula decidiu iluminar seu poste, e Dilma, sem jamais ter vencido uma eleição na vida, foi alçada diretamente ao posto máximo de nossa política. Havia vários escândalos de corrupção divulgados pela imprensa, mas nada disso adiantou. A economia estava bombando, no auge da euforia com o Brasil. E, como sabemos, é a economia que importa, certo? 

Mas o que dizer de 2014, então? Os escândalos só aumentaram, a imagem de faxineira ética virou piada de mau gosto, e até a economia mudou o curso, derrubando o mito de gerentona eficiente. Já estamos em recessão, apesar de uma inflação bastante elevada. Não obstante, Dilma ainda é a líder nas pesquisas. Como?

É inevitável concluir que o povo brasileiro ou é extremamente alienado, ou não dá a mínima para a roubalheira. Quem aplaude o atual governo ou não sabe o que está acontecendo, ou está ganhando dinheiro com o que está acontecendo. O PT conseguiu banalizar a corrupção. Muitos repetem por aí que todos os partidos são corruptos mesmo, então tanto faz: ao menos o PT ajudou os mais pobres. Vivem em Marte? 

Esses que adotam tal discurso são coniventes com o butim, são cúmplices dos infindáveis esquemas de desvio de recursos públicos. Querem apenas preservar sua parcela na pilhagem. E isso vai desde os mais pobres e ignorantes, que dependem de esmolas, até os funcionários públicos, os artistas engajados que mamam nas tetas estatais, os empresários que vivem de subsídios do governo.

Desde que a máfia respingue algum em suas contas bancárias, tudo bem: faz-se vista grossa aos malfeitos. Uma campanha sórdida, de baixo nível, mentirosa como nunca antes na história deste país se viu, difamando, apelando para um sensacionalismo grosseiro, nada disso parece incomodar uma grande parcela do eleitorado. Ao contrário: a tática pérfida surtiu efeito e Dilma subiu, enquanto Marina Silva caiu. A falsidade compensa. 

Vários chegaram a apontar a vantagem de Argentina e Venezuela terem mergulhado no caos com o bolivarianismo, pois ao menos a desgraça alheia serviria de alerta aos brasileiros. Afinal, o PT vive elogiando tais regimes e os trata como companheiros próximos, aliados ideológicos. Ledo engano. 

Nem mesmo a tragédia de ambos os países despertou o povo brasileiro de sua sonolência profunda. 

O brasileiro é como aquele urso polar que passa meses hibernando. A ignorância é uma bênção, dizem, mas só se for para os corruptos populistas. E pensar que uma turma chegou a se empolgar com as manifestações de junho de 2013, quando o gigante supostamente havia acordado. Só se for para pedir mais Estado, mais do veneno que assola nossa nação. O gigante é um bobalhão... 

Não pensem que culpo apenas ou principalmente o povão, os mais pobres e ignorantes que, sem dúvida, compõem a maioria do eleitorado petista.

Não! Nossa elite também é culpada. Nossos formadores de opinião ajudaram muito a trazer o Brasil até esse precipício, sempre enaltecendo o metalúrgico de origem humilde ou a primeira mulher presidenta

Ou então delegando ao Estado a capacidade de solucionar todos os nossos males, muitos deles criados pelo próprio excesso de intervenção estatal. Temos uma elite culpada, que adora odiar o capitalismo enquanto usufrui de todas as benesses que só o capitalismo pode oferecer. 

Com uma elite dessas, realmente não precisamos de inimigos externos ou de desgraças naturais. O que é a ameaça islâmica ou um simples furacão perto do estrago causado por uma mentalidade tão equivocada assim por parte daqueles que deveriam liderar a nação? Nossa elite idolatra o fracasso. 

Roberto Campos foi certeiro ao constatar que, no Brasil, a burrice tem um passado glorioso e um futuro promissor. Quer maior prova disso do que todos esses anos de PT no poder? Mas parece que ainda não foi o suficiente. O brasileiro quer mais! Quer dar um passo adiante nesse precipício... (Rodrigo Constantino, economista e presidente do Instituto Liberal) 

De Israel - Boas notícias chegando...

Nestes tempos em que estão sendo comemoradas as conquistas do povo de Israel, em seus curtos 66 anos de vida independente, vale relacionar este decálogo de conquistas científicas que beneficiarão, não somente aos israelenses, mas a toda Humanidade.

• A Universidade de Tel Aviv está perto de alcançar uma vacina nasal que proteja tanto da doença de Alzheimer quanto dos derrames. As primeiras experiências são muito encorajadoras. 

• O Technion de Haifa, instituto dedicado à pesquisa de tecnologia médica, desenvolveu um teste de sangue simples que pode detectar várias doenças (incluindo câncer).

• O Centro Ichilov de Tel Aviv isolou uma proteína que vai substituir a colonoscopia na detecção do câncer de cólon. Basta um simples exame de sangue . O câncer do cólon mata cerca de 500.000 pessoas por ano. Muitas dessas mortes podem ser evitadas se detectadas a tempo.

• A acne não mata ninguém, mas gera grande ansiedade e insatisfação a milhões de adolescentes. O laboratório CureLight criou uma maneira de curá-la, emitindo raios ultravioleta de alta intensidade sobre as bactérias que produzem acne, sem causar mais complicações.

• O laboratório Given Imaging desenvolveu uma pequena câmera na forma de comprimidos que são engolidos e passam milhares de fotos do aparelho digestivo. Estas imagens, de alta qualidade (dois por segundo, durante oito horas), podem detectar pólipos, câncer e fontes de sangramento. Elas são enviados a um chip que armazena e, em seguida, descarregadas em um computador para o médico examinar. O paciente expele a câmera através do reto.

• A Universidade Hebraica desenvolveu um estimulador elétrico por baterias que são implantados no peito dos pacientes com Parkinson, bem como marca-passos. As emissões destes sinais nervosos bloqueiam as unidades que causam os tremores.

• O odor da respiração de um paciente pode ser usado para detectar se ele tem câncer de pulmão. O Instituto de Nanotecnologia Russell Berrie criou sensores capazes de perceber e registrar 42 biomarcadores que indicam a presença de câncer de pulmão sem a necessidade das invasivas biópsias.

• É possível fazer sem cateterismo, em muitos casos, exames que visam clarificar o estatuto das artérias coronárias. O EndoPAT é um dispositivo colocado nas pontas dos dedos indicadores, que pode medir o estado das artérias e prever as chances de um ataque cardíaco ocorrer nos próximos sete anos.

• A Universidade Bar Ilan está estudando um novo medicamento para combater vírus transmitidos pelo sangue. Eles chamam a armadilha de Vecoy, que engana o vírus para alcançar a sua autodestruição. É muito útil para combater a hepatite, o temido Ebola e AIDS.

• Os cientistas israelenses do Hadassah Medical Center podem ter curado o primeiro caso de esclerose lateral amiotrófica, conhecida como doença de Lou Gehrig. O tratamento foi desenvolvido com base em células-tronco e curou um rabino ortodoxo. 

A humildade é tão prudente quanto valiosa 

Aqui no Brasil, não podemos ser ingênuos a ponto de acharmos que temos a solução mágica para um conflito histórico regional. Você já viu fotos, ou mesmo algum selfie, de autoridades brasileiras sentadas à mesa com líderes do tráfico de drogas? Possui imagem ou vídeo do Obama negociando com o Bin Laden? Acredita realmente que a Europa vai promover um produtivo debate com decapitadores de jornalistas?

Mesmo se este tipo de diplomacia fosse possível, quem teria força política e ilibada credibilidade para ser o interlocutor de Israel? O moderado Mahmoud Abbas, presidente da Autoridade Palestina, que foi expulso violentamente de Gaza pelo Hamas em 2007, ou o líder do próprio grupo terrorista, Khaled Meshaal, que dá ordens a partir do Qatar, onde dorme tranquilamente com uma fortuna de US$ 2,6 bilhões?

Coincidentemente, o relatório (2010) da Global Humanitarian Assistence aponta Gaza como o terceiro destino do mundo que mais recebeu ajuda humanitária, porém, nenhuma escola ou hospital foi construído nos últimos anos na região. O valor recebido é mais elevado do que o encaminhado ao Haiti, abalado por um terrível terremoto; e também supera o dos países africanos, que passaram por genocídios, epidemias e secas e enfrentam constante miséria. E considere que o dinheiro cresce exponencialmente a cada ano à medida que o marketing do sangue faz o seu papel.

Portanto, se concordamos que o acordo pacífico é utópico e a intervenção bélica paliativa, talvez o desafio para degolar o ódio e eliminar a intolerância desta ideologia primitiva seja secar todas as fontes de financiamento do terror. Neste caso, precisamos ter a decência de substituir a hipocrisia pela vontade política e estarmos conscientes de que a retórica só funciona se for desvencilhada de interesses eleitoreiros e acompanhada de ações conscientes e efetivas. (Mauro Wainstock, jornalista e palestrante) 
Ele é o Cara!... Papa Francisco e o repórter
Para refletir...
Encanta-me a lucidez desse homem!
Se não o calarem, ele ainda tem muito a fazer e a dizer!
Confesso que esta foi a melhor e mais coerente entrevista que alguém já deu sobre o assunto.
Agora entendemos melhor porque este cardeal argentino foi escolhido para papa. Ele tem ideias firmes e nunca foge (e nunca fugiu) de uma resposta polêmica.
O mundo se acostumou à hipocrisia da política que diz o que o povo quer ouvir e faz o que eles bem entendem.
Com este papa não é assim, como podemos ver nesta entrevista com um repórter comunista, antes de ser papa.
A entrevista começou quando o jornalista, tentando embaraçar o Cardeal, perguntou-lhe o que ele pensava sobre a pobreza no mundo.
O cardeal respondeu:
- Primeiro na Europa e agora nas Américas, alguns políticos têm se dedicado a endividar as pessoas, fazendo com que fiquem dependentes.
- E para quê? Para aumentar o seu poder. Eles são grandes especialistas em criação de pobreza e isso ninguém questiona. Eu me esforço para lutar contra esta pobreza.
- A pobreza tornou-se algo natural e isso é ruim. Minha tarefa é evitar o agravamento de tal condição. As ideologias que produzem a pobreza devem ser denunciadas. A educação é a grande solução para o problema.
- Devemos ensinar as pessoas como salvar sua alma, mas ensinar-lhes também a evitar a pobreza e a não permitir que o governo os conduza a esse estado lastimável "
Mathews ofendido pergunta: - O senhor culpa o governo?
- Eu culpo os políticos que buscam seus próprios interesses. Você e seus amigos são socialistas. Vocês (socialistas) e suas políticas, são a causa de 70 anos de miséria, e são culpados de levar muitos países à beira do colapso. Vocês acreditam na redistribuição, que é uma das razões para a pobreza. Vocês querem nacionalizar o universo para poder controlar todas as atividades humanas. Vocês destroem o incentivo do homem, até mesmo para cuidar de sua família, o que é um crime contra a natureza e contra Deus. Esta vossa ideologia cria mais pobres do que todas as empresas que vocês classificam de diabólicas.
Replica Mathews: - Eu nunca tinha ouvido nada parecido de um cardeal.
- As pessoas dominadas pelos socialistas precisam saber não têm que ser pobres.
Ataca Mathews: - E a América Latina? O senhor quer negar o progresso conseguido?
- O império da dependência foi criado na Venezuela por Hugo Chávez, com falsas promessas e mentindo para que se ajoelhem diante de seu governo. Dando peixe ao povo, sem lhes permitir pescar. Se na América Latina alguém aprende a pescar é punido e seus peixes são confiscados pelos socialistas. A liberdade é castigada.
- Você fala de progresso e eu falo de pobreza. Temo pela América Latina. Toda a região está controlada por um bloco de regimes socialistas, como Cuba, Argentina, Equador, Bolívia, Venezuela, Nicarágua. Quem vai salvá-los (a América Latina) dessa tirania?
Acusa Mathews: - O senhor é um capitalista.
- Se pensarmos que o capital é necessário para construir fábricas, escolas, hospitais, igrejas, talvez eu seja capitalista. Você se opõe a este raciocínio?
- Claro que não, mas o senhor não acha que o capital é retirado do povo pelas corporações abusivas?
- Não, eu acho que as pessoas, através de suas escolhas econômicas, devem decidir que parte do seu capital vai para esses projetos. O uso do capital deve ser voluntário. Só quando os políticos se apropriam (confiscam) esse capital para construir obras públicas e para alimentar a burocracia é que surge um problema grave. O capital investido voluntariamente é legítimo, mas o que é investido com base na coerção é ilegítimo.
- Suas ideias são radicais, diz o jornalista.
- Não. Há anos Khrushchev advertiu: Não devemos esperar que os americanos abracem o comunismo, mas podemos ajudar os seus líderes com injeções de socialismo, até que, ao acordar, eles percebam que abraçaram o comunismo. Isto está acontecendo agora mesmo no antigo bastião da liberdade. Como os EUA poderão salvar a América Latina, se eles próprios se tornarem escravos de seu governo?
Mathews diz: - Eu não consigo digerir (aceitar) tal pensamento.
O cardeal respondeu: - Você está muito irritado porque a verdade pode ser dolorosa. Vocês (os socialistas) criaram o estado de bem-estar que consiste apenas em atender às necessidades dos pobres, pobres esses que foram criados por vocês mesmos, com a vossa política. O estado interventor retira da sociedade, a sua responsabilidade. Graças ao estado assistencialista, as famílias deixam de cumprir seus deveres para obterem o seu bem-estar, incluindo as igrejas. As pessoas já não praticam mais a caridade e vêem os pobres como um problema de governo. Para a igreja já não há pobres a ajudar, porque foram empobrecidos permanentemente e agora são propriedade dos políticos. E algo que me irrita profundamente, é o fato dos meios de comunicação observarem o problema sem conseguir analisar o que o causa. O povo empobrece e logo em seguida, vota em quem os afundou na pobreza. 
O Socialismo dura até terminar o dinheiro dos outros. (Margareth Thatcher, ex primeira ministra britânica)

Nenhum comentário: