2 de jul de 2018

“Direitos Humanos”: o que é isso?


           Nos últimos tempos,   ao que parece,  tem havido uma  significativa  confusão em nosso País, sobre essa questão  chamada  de  “Direitos Humanos” !

          Afinal,  na realidade concreta de  nossa ambiência  social  e de nossas vidas, o que é mesmo  “Direitos Humanos” ?

          O tema  tem  sido fortemente  impactado  por  posturas  e  vieses  político-partidários,  colocando-se  em  um mesmo saco,  múltiplas realidades  que não deveriam  conviver!...Há uma tendência ideológica  de  se enquadrar como violação dos chamados  “Direitos Humanos”,   punições promovidas pela Justiça e pelo Estado,  contra  crimes cometidos  por políticos,  por figurões de colarinho branco,  por criminosos violentos que matam e roubam, por bandidos que  andam à solta pelo País...

          Até alguns segmentos de nossa Justiça, como p. ex.,  a banda  podre  do STF,  se acha no direito de, em “nome dos Direitos Humanos”,  soltar  criminosos e bandidos  já condenados  pela  mesma Justiça...E essas posturas  são  acompanhadas e defendidas  por  “especialistas”, “profissionais”  e  “catedráticos”  de todas as cores e matizes,  que bradam  aos  céus  contra o rigor das punições que são aplicadas à  criminosos!  De  repente,  as forças  de  manutenção da ordem mínima  que  deveria  existir  em  uma sociedade democrática,  se tornam  os  criminosos  e  culpados da vez,  enquanto  os  verdadeiros  facínoras  que  matam e roubam  pelas  ruas,  são as pobres vítimas  de  um regime  que  viola  os “direitos  humanos” !...

      Somente  2%   dos  crimes  e  criminosos  que  circulam  pelos País,  são  efetivamente  enquadrados  e  punidos  com ações corretivas.  E  por  pouquíssimo  tempo,  passando logo  para regimes  brandos e alternativos  de penas... A  IMPUNIDADE   grassa  pelo  País  e, certamente,  incentiva  e  estimula  a  ocorrência  de delitos  que  não  serão  punidos!

         Essa triste  realidade, essas absurdas  distorções  e  todas essas  questões  relativas  a  crimes  e  punições,   você  pode  conferir  no  vídeo  anexo,  pela  cristalina  exposição  do  Procurador  da Justiça,  Marcelo Monteiro.

         “Violação dos Direitos Humanos”  é  a  população brasileira  não ter  segurança  para viver normalmente,  não  ter  sistema de saúde  que cubra suas necessidades,  não  ter  emprego  que  lhe  dê  meios  para  sustentar  dignamente  sua família, enfim, não ter  a  qualidade  mínima de vida  que  seria  de se esperar  para  qualquer  ser  humano...

         “Violação dos Direitos Humanos”   é  ter  no  País  brasileiros  cobertos  pelo Estado  em  seus  três  Poderes  e  tratados  de  modo  diferente  e  privilegiado  em relação  a  outros  brasileiros  que  são os responsáveis  diretos  pela  produção  das  riquezas e que  são  escravizados  em  suas  necessidades  vitais  básicas e em suas realidades  de  vítimas  de  criminosos  de  toda ordem...    

           “Violação dos Direitos Humanos”  é  ter  bandidos e criminosos  defendidos  e  relativizados  em  seus  crimes,  por  teóricos  privilegiados,  que  se escondem  atrás  de  ideologias  político-partidárias, sem jamais  terem  vivido a realidade  nua e crua  de  violência e de abusos  que  cercam  a  maioria  de  nossa população...

           O País  precisa  urgentemente  de  rever  sua  relação  com  o  crime e com os  criminosos,  endurecendo   suas  Leis  e  Dispositivos  Penais! (Márcio Dayrell Batitucci)
ooo0ooo
o -  Defesa de Lula entrou com 78 recursos no caso tríplex. A grande maioria dos requerimentos foi indeferida ou não reconhecida pelos magistrados.
o - Donald Trump parabeniza Andrés Manuel López Obrador por vitória no México. 
o - Governo da Turquia propõe castração química para quem estuprar menores..

Um comentário:

Monteiro disse...

O Coletivo Advogadas e Advogadas pela Democracia pediu hoje (8) ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região a prisão do juiz federal Sérgio Moro e do delegado da Polícia Federal no Paraná Roberval Drex pelos crimes de desobediência e contra a administração da Justiça.