31 de jul de 2017

Bruxas à solta...

• BC reduz seus juros a 9,25% e indica disposição de manter o corte, o que mostra percepção correta da economia.
• Vai pesar no bolso? BB, Itaú, Santander e Bradesco voltam atrás e cancelam conta digital grátis. Novos bancos trocam agências por app e são opção para fugir de tarifa. 


• Mesmo com desemprego menor, Brasil perdeu mais de 1 milhão de vagas com carteira assinada. Segundo o IBGE, o contingente de trabalhadores formais está no patamar mais baixo da série histórica. 
• Graças! Conta de luz fica mais cara a partir desta terça-feira. Terão bandeira vermelha, diz Aneel. Tarifa de energia terá cobrança adicional de R$ 3 a cada 100 kWh consumidos.
• Queda de PIS/Cofins sobre etanol deve ficar em R$ 0,08 por litro. Ministro da Fazenda foi alertado pelo setor que a mudança na alíquota teria extrapolado os limites. 
• Conta não fecha. Custo Brasil subiu 120%, mas funcionários só 10%. Apesar da elevação no gasto, número de servidores subiu só 10%. 
• Estados cobram R$ 19 bi da Petrobrás e de Mato Grosso do Sul na Justiça. Disputa é relativa à incidência de ICMS sobre a importação de gás natural da Bolívia. 
• Prefeitura diz que decreto que criou o Rio Ainda Mais Fácil não instituiu Alvará de Autorização Especial. A Prefeitura do Rio diz que o decreto que criou, que, segundo a OAB/RJ, fere o direito de reunião, não instituiu o Alvará de Autorização Especial. O Riamfe prevê o Alvará de Autorização Transitória, uma prática utilizada desde o ano 2000 pelo poder municipal. Diz ainda a prefeitura que a autorização não é exigida para reuniões em espaços públicos, sendo necessário apenas o aviso prévio. É. Pode ser. (Ancelmo Gois) 
• Requião será investigado por gasto irregular do dinheiro do PMDB. Jucá o acusa de torrar fundo partidário na campanha do filho. 
• Como garante? Temer não descarta presença do Exército no RJ até o fim de 2018. O presidente se reuniu com Pezão e Crivella em viagem para supervisionar a atuação das Forças Armadas no estado; Governo vai gastar R$ 1,5 milhão por dia com Exército no Rio de Janeiro. Custo da segurança momentânea chegará a R$ 225 milhões, por baixo. 
• Morre o bebê que foi baleado no útero da mãe no Rio de Janeiro. 
• Relaxamento ou incapacidade? Sem dinheiro, estado do Rio perde reforço de 4 mil policiais. • Balão? Incêndio causa danos ao Velódromo do Parque Olímpico. No Rio, PF investiga incidente em equipamento que custou R$ 138 milhões. 
• Denunciado, Temer sofre pressão para encaminhar pauta conservadora. 
Bancada BBB usa denúncia para pressionar Temer; as principais frentes parlamentares da Câmara aproveitaram a pressão sobre o presidente Michel Temer para reforçar seus interesses no governo federal. A investida coincide com a delação do grupo J&F, que levou ao pedido de denúncia por corrupção passiva contra o presidente; Entre os 213 parlamentares que ainda não declararam voto, 80% pertencem à chamada bancada BBB (Boi, Bala e Bíblia), que defende temas ligados ao agronegócio, à segurança pública e à religião. 
• Para angariar apoio para enterrar a investigação, Temer distribuiu emendas e recebeu mais de uma centena de deputados. Ele também sancionou uma medida provisória que permite a legalização em massa de áreas públicas invadidas, chamada de MP da Grilagem por ambientalistas, e encaminhou um projeto que altera limites da Floresta Nacional do Jamanxim, agradando aos ruralistas; Presidente se reúne com aliados para contagem realista
• Temer quer contagem dos votos para tentar derrubar denúncia na Câmara. 
• Aécio retoma PSDB e tenta conter saída do governo. Senador se encontrou com Temer e procura reverter votos a favor de denúncia; É perfeitamente possível governar sem o PSDB, diz Padilha. Para ministro da Casa Civil, governo Temer tem que se preparar para baixas; Presidente Temer libera R$ 19 milhões de emendas de ministros tucanos. 
• ‘A Odebrecht não vai acabar’, diz novo presidente do grupo. Odebrecht demite 100 mil desde deflagração da Lava Jato em 2014.
• A bancada evangélica, por sua vez, conseguiu a retirada de circulação de 90 mil livros didáticos considerados impróprios pelos religiosos. E os deputados da bala avançam na negociação para revogar o Estatuto do Desarmamento. 
• O Planalto nega que esteja cedendo à pressão em troca de apoio contra a denúncia, que deve ser apreciada pelos deputados nesta quarta-feira, 2. 
• Polícia Federal identifica falhas nas delações da Odebrecht. De acordo com órgão, problemas comprometem as investigações dos crimes. 
• O Estadão diz que pelo menos dois parlamentares já procuraram Bolsonaro para se colocar à disposição para formar chapa com o ex-militar. São eles: O deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP) e o senador Magno Malta (PR-ES). 
• Disputa no TCU barra licitação para biometria na Caixa. Aquisição evitaria gastos e perdas de R$ 150 milhões por ano.

• Para acertar as contas com a Justiça, a Odebrecht vem se desfazendo do patrimônio e, para manter a atividade, busca um sócio e cogita abrir o capital da construtora, ainda a maior do País. Desde a eclosão da Lava Jato, há 3 anos, a empresa viu sua receita cair 13% e demitiu 100 mil funcionários. 
• Com fuga de planos de saúde, clínica popular ganha espaço. Com desemprego e alto reajuste de planos, clínicas de baixo custo atraem clientes pelo bolso e pela praticidade. 
• Na escuta da lei. Relatório da PF sobre gravações que o ex-senador Sérgio Machado fez de conversas com políticos manifesta um bom senso cada vez mais raro na aplicação da lei penal. 
• Juro menor força queda de taxa de fundo de renda fixa. Com redução, investidores podem migrar para aplicações com retorno maior; aposta em ações aguenta tranco após delação da JBS. Fundos procuram papéis menos conhecidos para impulsionar rentabilidade. 

• A votação para a Assembleia Constituinte na Venezuela foi marcada por protestos e ao menos dez mortes. A abstenção foi alta, mesmo em redutos chavistas, e pesquisas de opinião mostram que 70% são contra intenção de Nicolás Maduro de trocar o Parlamento e, segundo a oposição, se perpetuar no poder. Venezuela: oposição denuncia 14 mortos durante a votação. Polícia venezuelana agiu diante de explosão em Caracas; protestos e mortes marcaram eleição da Constituinte que, segundo órgão eleitoral, atraiu 8 milhões de pessoas neste domingo (30); Brasil e EUA repudiam Constituinte na Venezuela. Para Itamaraty, a eleição agrava impasse institucional que paralisa o país
• Putin expulsará 755 diplomatas americanos da Rússia.
• A chilena Michelle Bachelet, uma das três mulheres que exerceram a presidência ao mesmo tempo na América do Sul, deixará o cargo no ano que vem. Chilena é a última mulher que resta no cargo. Com a queda de Dilma Rousseff e a saída de Cristina Kirchner, Michelle Bachellet é a única mulher chefe de Estado a permanecer na América do Sul. Avançamos três passos, mas em seguida recuamos seis, diz vice-diretora da ONU Mulheres sobre presença das mulheres na política latina. 
• Show de Simone e Simaria nos EUA é abreviado pela polícia. Brigas na plateia criaram cenário de confusão em casa noturna de Miami, onde dupla se apresentou neste sábado e de onde saiu sem se despedir. 
• Procura faz maconha sumir de farmácias do Uruguai. Em dez dias de venda legalizada, governo não consegue atender à demanda. 
• Uma tribo pode ter a cura para o mal de Alzheimer. Grupo indígena boliviano tem as artérias mais limpas do que qualquer população já estudada e, agora, novos estudos mostram que seus integrantes têm um gene que protege contra a demência. 

Expulsamos Deus e nos surpreendemos com quem chega...
Nossa Constituição foi feita para um povo moral e religioso. Ela é totalmente inadequada para qualquer outro. John Adam (2º presidente dos EUA).
Sempre é bom lembrar que alguns anos antes dessa significativa afirmação, ao declarem a independência das colônias, os Founding Fathers, afirmaram sua crença em que os homens, criados iguais, foram dotados pelo Criador de certos direitos inalienáveis e explicitaram entre esses direitos a vida, a liberdade e a busca da felicidade. Afirmaram, também, a supremacia da sociedade sobre o Estado, porque os governos são instituídos entre os homens, derivando seus poderes do consentimento dos governados. Boa parte da solidez institucional dos Estados Unidos se deve a esses elevados consensos e perdurará enquanto eles resistirem ao severo ataque interno a que estão submetidos.
E nossa Constituição? Para que povo foi ela feita? Tão solenes princípios de nada nos acusam nestes turbulentos dias? Com eles, certamente, teríamos evitado a atual alienação da nação ao Estado e a dupla apropriação que nele ocorre - a apropriação desde o topo pelo patrimonialismo casado com a corrupção e a apropriação interna promovida pelos corporativismos. Na conjugação de ambas, a soberania popular se converte em servidão.
Alguém não sabia o que havia no fim dessa estrada? Pode o dependente químico queixar-se da droga ou denunciar o traficante com base no Código de Defesa do Consumidor? Pois é algo muito parecido o que está acontecendo com a sociedade brasileira em relação à sua representação política. Todos os pilantras, picaretas e negocistas que infestaram a política nacional de modo crescente ao longo dos últimos anos prosperaram na carreira criminosa tapados de votos populares. Fizeram suas mal havidas fortunas a olhos vistos. Muitos, aliás, chegaram em Brasília de ônibus, vindos dos grotões, pés encardidos, calçando sandálias. E foram protagonistas da mais vertiginosa ascensão social de que se tem notícia. Em cada uma de suas páginas, os jornais trazem exemplos dessa produtiva combinação de desmazelo social, irresponsabilidade cívica e enriquecimento criminoso.
De tanto brincarmos com tudo que é sério, o Brasil virou uma grande zorra. Fazemos piada de Lula. E o elegemos. Fazemos piada de Dilma. E a elegemos. Assistimos as tropelias do MST e tratamos com deferência seus protetores nos poderes do Estado. Consideramos charmosamente moderna a fabricação de conflitos étnicos, de sexo, de classe, de cor da pele, de gerações. Acreditamos quando alguns vigaristas intelectuais nos dizem que é feio ser liberal ou conservador. Silenciamos, constrangidos, quando políticos e comunicadores são benevolentes com a criminalidade e severos com a polícia. Delegamos a educação de nossas crianças às escolas e aceitamos que estas sejam entregues a militantes políticos. Assinamos, assistimos e prestigiamos veículos de comunicação que influenciam negativamente a sociedade. Estamos vendo o PT apoiar ditaduras de esquerda em Cuba e Venezuela e permanecemos passivos quando nos lecionam sobre golpismo, Estado de Direito e democracia... Somos tolerantes com as imposições e os achaques de minorias locais organizadas. Achamos decente endividar-se o país e indecente o pagamento dessa dívida. Afastamos Deus de tudo que seja público e nos espantamos com quem chega, operoso, para ocupar o espaço. Dá ou não vontade de dizer bem feito? (Percival Puggina, arquiteto, empresário e escritor) 

Falsos mitos da fome: o Brasil está alimentando mais de um bilhão de pessoas.
A produção de grãos do Brasil é superior a uma tonelada por habitante.
A produção de grãos do Brasil é superior a uma tonelada por habitante (dados finais de 2015), sendo que um resultado abaixo de 250 kg/pessoa/ano significa insegurança alimentar que conduz a importar alimentos.
Em 2014, um país altamente industrializado como a Coreia do Sul importou US$ 27 bilhões em alimentos, o Japão US$ 68,9 bilhões e a China US$ 105,2 bilhões.
Estes e outros dados impressionantes foram reunidos por Evaristo de Miranda, pesquisador e dirigente da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), em artigo publicado na Revista Agro DBO
Eles desfazem os mitos catastrofistas e miserabilistas do movimento ambientalista-comunista sobre um falso esgotamento dos recursos do planeta, um fantasioso excesso de habitantes e uma pregação eclesiástica comunistoide pela redistribuição da terra e aos recursos naturais.
Já se pode definir a missão do Brasil como sendo a de saciar a fome do planeta, diz Evaristo de Miranda com os aplausos dos nutricionistas. A fome será um problema, mas não do Brasil.
Só a nossa produção de grãos é suficiente para alimentar quatro vezes a população brasileira ou mais de 850 milhões de pessoas. 
Mais de 40 milhões de toneladas de frutas por ano. Além de grãos, o Brasil produz anualmente cerca de 35 milhões de toneladas de tubérculos e raízes (mandioca, batata, inhame, batata-doce, cará, etc.). Comida básica para mais de 100 milhões de pessoas.
Acrescentem-se mais de 40 milhões de toneladas de frutas, entre as quais 7 milhões de toneladas de banana, ou uma banana/habitante/dia. A laranja e outros citros totalizam 19 milhões de toneladas/ano. E cresce todo ano a produção de uva, abacate, goiaba, abacaxi, melancia, maçã, coco…
Hortaliças?: 10 milhões de toneladas por ano, com uma diversidade impressionante, resultado do encontro da biodiversidade nativa com os aportes de verduras, legumes e temperos trazidos por portugueses, espanhóis, italianos, árabes, japoneses, teutônicos. E por aí vai longe.
Cerca de um milhão de toneladas de castanhas, amêndoas, pinhões e nozes, além dos óleos comestíveis, da palma ao girassol, e de uma grande diversidade de palmitos. E se não bastar, 34 milhões de toneladas de açúcar/ano.
Por isso, o especialista conclui que a produção vegetal do Brasil já alimenta mais de um bilhão de pessoas em todo o mundo, usando apenas 8% do território nacional.
E depois vem a produção animal. Em 2015, o País abateu 30,6 milhões bovinos, 39,3 milhões de suínos e quase 6 bilhões de frangos. Quer dizer, produziu cerca de 25 milhões de toneladas de carnes!
 35,2 bilhões de litros por ano.
O consumo médio de carne dos brasileiros é da ordem de 120 kg/habitante/ano ou 2,5 kg por pessoa por semana. 
Desses, 42 kg/habitante/ano são de carne bovina; 45 kg de frango e 17 kg de suínos, além do consumo de ovinos e caprinos (muito expressivo no Nordeste e no Sul), de coelhos, de outras aves (perus, angolas, codornas…).
 Há ainda os peixes, camarões e crustáceos (cada vez mais produzidos em fazendas), além de outros animais.
Em matéria de leite, o Brasil produziu 35,2 bilhões de litros (contra 31 bilhões de litros de etanol); 4,1 bilhões de dúzias de ovos e 38,5 milhões de toneladas de mel em 2015.
Em 50 anos, observa Evaristo de Miranda, de importador de alimentos o Brasil se tornou uma potência agrícola, o preço dos alimentos caiu pela metade, permitindo à grande maioria da população o acesso a uma alimentação saudável e diversificada, e a erradicação da fome.
CNBB, MST e verdes contra a verdade conhecida enquanto tal. Essas realizações são também fruto da modernização agrícola.
O que teria ocorrido na sociedade sem esse desenvolvimento da agricultura? Certamente, uma sucessão de crises intermináveis. 
Portanto, devemos agradecer todos os dias aos agricultores pelo seu esforço de modernização e por tudo que fazem pelo País. 
A Nação e suas lideranças devem assumir a promoção e a defesa da agricultura e dos agricultores, com racionalidade e visando ao interesse nacional.
Mas, acrescentamos nós, não é isso o que fazem os ativistas embandeirados de vermelho e símbolos socialistas, ou os pretensos arautos verdes
Nem sequer aqueles órgãos da CNBB criados para subverter a vida nos campos e nas cidades. (Luis Dufaur, escritor, jornalista) 
É a imaginação que dá forma ao universo. (Barry Lopez)

Nenhum comentário: