9 de mai de 2017

O que não falta é corrupção. Arre!...

• Janot pede que STF declare Gilmar impedido de atuar em processo de Eike. Mulher de ministro, Guiomar Mendes, integraria escritório que prestou serviços para empresário; Janot quer Eike de volta à prisão e Gilmar Mendes afastado do caso. Procurador-geral argumenta que mulher de ministro é sócia de escritório que atende ao empresário. 
Perigosíssimo precedente, diz defesa de Temer sobre sua cassação. Advogados pedem que depoimentos de delatores da Odebrecht e de marqueteiros sejam anulados do processo que julga a chapa formada com Dilma. 
• Lava Jato procura apoio fazendo reféns, diz Gilmar Mendes. Para ministro do STF, prisão provisória prolongada é parte de jogo midiático
• A Lava Jato quer ampliar a pena imposta pelo juiz federal Sérgio Moro ao ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB/RJ) - 15 anos e quatro meses de prisão. Em apelação, onze procuradores da República que integram a força-tarefa da maior operação já realizada no País contra a corrupção pedem ao juiz que condene o peemedebista também por mais um crime de lavagem de dinheiro e por mais um de evasão de divisas. Também querem que o ex-deputado seja condenado a restituir o equivalente a US$ 77,5 milhões, a título de reparação de danos. 
• PGR denuncia deputado petista José Mentor na Lava Jato. 
• Cerco à Funai. Demissão de presidente da fundação escancara conflito que se desenrola na política em defesa dos índios. 
• Meirelles diz que governo quer evitar surpresas. Ministro da Fazenda afirma que mesmo após mudanças feitas na comissão especial, texto ainda assegura ajuste fiscal. 
• Governo busca mais apoio por mudanças. Por reforma na Previdência, MP ampliará prazo de parcelamento de dívidas de municípios com INSS; Marun diz que proposta pode sofrer alterações. Presidente da comissão especial da reforma da Previdência admitiu que detalhes podem ser modificados no plenário. 
• Para acelerar economia, governo quer mudar lei de recuperação judicial. Proposta que será enviada ao Congresso prevê mais garantias aos bancos para concederem financiamentos. 
• Em busca da liderança perdida. Liderança política não é dom messiânico. A sociedade deverá distinguir os capazes de apontar caminhos e inspirar engajamento. 
• Deputado vai corrigir proposta de trabalho rural escravagista. Projeto prevê descontar até 45% do salário para pagar alimentação e moradia dentro da fazenda. 
• A expectativa quanto ao cara a cara Lula-Moro virou sucessão de nãos. Personagem central da Lava Jato e adorado por seguidores, Lula passará muito tempo dizendo não. 
• Moro vê propósitos político-partidários e proíbe Lula de gravar interrogatório. Juiz da Lava Jato indefere pedido dos advogados do ex-presidente que queriam fazer filmagem autônoma da audiência marcada para quarta-feira; Moro: Não sou um dos times em campo, sou o juiz. Em evento, juiz diz que interrogatório de Lula é ato absolutamente normal e que processo não é confronto; Por que partidos não expulsam quem se envolveu?. Moro defende apurações internas das agremiações políticas e da Comissão de Ética do Congresso contra parlamentares que pegaram propinas. 
• Encontro de Lula e Moro pode definir futuro da Lava Jato, do PT e da eleição. 
• Pronto, falei! Stédile está exercitando a exploração indevida da boa-fé, diz Álvaro Dias. Stédile está convocando sem-terra para irem a Curitiba, exercitando a exploração indevida da boa-fé de pessoas, disse o senador Álvaro Dias (PV-PR) sobre a convocação para defender Lula. 
Reforma virou uma corrida por privilégios. Para presidente do IBGE, há uma confusão no País entre o que é Previdência e o que é assistencialismo. 
• Escritório de Adriana defende construtora em ação no STJ. Carvalho Hosken pede indenização bilionária da prefeitura do Rio por área desapropriada na década de 1960. 
• Governo vai realocar R$ 2,54 bi para crédito a imóvel de até R$ 950 mil. Plano é reativar linha pró-cotista da Caixa, com juros de 8,61% ao ano para correntistas. 
• Chegada de índios da Venezuela faz Manaus decretar emergência. Cerca de 150 índios venezuelanos acampam ao lado da rodoviária de Manaus; cidade decretou estado de emergência depois da chegada de centenas deles, que fogem da crise em seu país. 
• Cientistas da USP desenvolvem plástico 100% biodegradável. 

Este País não é sério!...
Tive a oportunidade de acompanhar a Audiência Pública e o testemunho do Presidente do Sindicato dos Profissionais da Fazenda (Sinprofaz), sr. Achilles Frias. É de estarrecer a pantomima praticada por esse governo do sr. Temer, que faz um tremendo discurso de economia, de austeridade e de sacrifícios inomináveis jogados em cima da população mais pobre, principalmente através dessas reformas trabalhista e da previdência, como elas estão colocadas!... E, em outras ações, simplesmente privilegiam e lambem os poderosos de plantão!
A citada Audiência Pública se propunha a discutir e esclarecer o Projeto de Lei em tramitação no Congresso, que praticamente anistia e perdoa as dívidas dos parlamentares e poderosos, para com a Receita Federal!
Segundo o sr. Achilles, enquanto estavam ali discutindo essa falcatrua, na sala ao lado, a comissão que tratava do assunto, acabava de aprovar por unanimidade, o texto e o Parecer do Relator, colocando uma pá de cal nessas dívidas dos poderosos! Essas dívidas dos parlamentares para com a Receita Federal, ultrapassam os 3 bilhões!... 
E observem o detalhe: o Relator dessa maracutaia, é o Deputado Newton Cardoso Junior do PMDB-MG, filho do famoso e antológico pmdebista, sr. Newton Cardoso, de MG. O Newtinho Junior, só ele, legislando em causa própria, tem uma dívida para com a Receita, de 67 milhões, em suas Empresas!
Para quem não conhece essa estirpe dos Cardosos mineiros, o Newtão pai teve a seguinte trajetória: simples escriturário da Magnesita S/A, nos anos 60, ganhou a sorte grande de ir assessorar o não menos famoso ex-Deputado Antônio Luciano Pereira, - casado com minha prima, Clara Dayrell - um dos empresários mais ricos de Minas Gerais, dono de hotéis, de metade das terras de Belo Horizonte e de Indústrias de açúcar pelo interior do Estado e, por acaso, dono de todos os Cinemas de rua de Belo Horizonte, que ficavam sob a gestão do então jovem Newton Cardoso...Que, já pensando em sua futura carreira de político, presenteava a todos nós da Escola Superior de Cinema da PUC, com carteiras permanentes em seus cinemas, dando-nos o direito de assistir a quantos filmes quiséssemos, de graça!
O ex-Deputado Antônio Luciano Pereira, cassado pela Revolução, além de milionário e tremendamente esperto, teve mais de 30 filhos fabricados em seu bunker especial localizado no Hotel Financial, todos eles também transformados em milionários depois de sua morte, pela repartição judicial de sua fabulosa herança. Foi ele o grande mestre e guru do Sr. Newton Cardoso que, logo, virou político, foi prefeito de Contagem por algumas vezes, exerceu mandato de Deputado por três vezes, o mesmo número de mandatos de sua esposa Maria Lúcia, foi governador de Minas e, com tão excelente mestre, tornou-se também um dos homens mais ricos de Minas Gerais!...Tão rico que, no Processo de Separação Judicial movido por sua esposa, veio à público com uma pomposa Declaração, afirmando que ...seus bens haviam sido listados por baixo, pois não incluíram suas 140 Fazendas e outros bens!.... Diziam meus amigos empresários que tinham negócios com o Estado de Minas que, ao contrário da Lava-Jato, a comissão-propina exigida pelo governador Newtão, não era de 1%, mas, sim, de 15%, em dinheiro vivo!... 
Com essa genética e com esses mestres, o Deputado Newton Cardoso Junior, com o beneplácito do Planalto, virou relator da matéria que praticamente anistia políticos e Empresários, de suas dívidas para com a Receita! Descaradamente legislando em causa própria...
Enquanto nós mortais, se deixarmos de pagar um real à Receita, provavelmente iremos passar nossos dias atrás das grades! 
Realmente, este não é um País minimamente sério! (Márcio Dayrell Batitucci) 
ooo0ooo
Parlamentares legislam em causa própria para escapar de dívidas com a União.
Programa de refinanciamento concede descontos, parcelamentos e prazos alongados e acaba com garantias anteriormente exigidas. Deputados e senadores devem cerca de R$ 3 bi em impostos federais.
Newton Cardoso Jr., devedor de R$ 67 milhões ao Estado, foi relator da MP que concedeu perdão aos grandes devedores: legislação em causa própria, com recursos públicos.
São Paulo - Uma comissão mista do Congresso Nacional aprovou na quarta-feira (3) a Medida Provisória (MP) 766/17, sobre o Programa de Regularização Tributária (PRT), conhecido como Refis. A MP aprovada concede descontos de até 99% em multas, juros e encargos da Dívida Ativa da União. 
Relator da proposta, o deputado Newton Cardoso Júnior (PMDB-MG), tem contra si dívida com o Estado, em nome de suas empresas, de mais de R$ 67 milhões. Ao todo, são 291 deputados federais que, somados, devem à União mais de R$ 1 bilhão em impostos, segundo o Sindicato Nacional dos Procuradores da Fazenda Nacional (Sinprofaz). Já no Senado, são 46 parlamentares que, juntos, devem cerca de R$ 2 bilhões, diz a entidade. 
A MP da renegociação concede desconto em multas e nos juros das dívidas parceladas, dobra o prazo máximo de parcelamento, de 120 meses (10 anos) para 240 meses (20 anos) e permite que empresas já em recuperação judicial também participem do programa. 
Na quinta-feira (4) o Sinprofaz distribuiu uma lista dos parlamentares em débito com a União, publicada pela Procuradoria Geral da Fazenda Nacional. A lista, antes disponível no site do sindicato, foi retirada por pressão política, mas a RBA teve acesso ao documento. (Redação RBA publicado 05/05/2017 11h31, última modificação 05/05/2017 12h10, Nota Dividas Parlamentares Federais by redebrasilatual on Scribd) 

Lula roubou o meu inconsciente e talvez o seu.
Há doze anos o meu destino está entrelaçado ao do PT. Não por vontade minha, mas porque os bucaneiros petistas me colocaram na linha de tiro como o principal responsável pela linha editorial da antiga revista Veja. Acho que, naquele momento, contribuí com essa impressão - falsa - ao editar uma reportagem que, na versão original, dizia que José Dirceu, então em queda livre por causa de Waldomiro Diniz, se recuperaria. O repórter havia ouvido principalmente amigos de Dirceu, não sei se a mando do então chefe da sucursal. Como era uma distorção da realidade, reapurei a história e saiu o contrário. Depois de Dirceu, veio o mensalão e, claro, Lula. Desde então o meu dia a dia se resume a atirar para sobreviver.
Sobreviverei? Sobreviveremos a Lula, ao PT, a essa destruição institucional que homem e partido continuam a perpetrar? Oscilo entre o sim e o não, muitas vezes no intervalo de poucos minutos. A minha única certeza é que eu gostaria que Lula e PT se tornassem logo passado, para que eu pudesse desprezá-los enquanto a minha velhice não se manifesta na sua inteireza.
As pessoas riem quando digo que, além de roubar o país e o meu cotidiano, ambos roubaram o meu inconsciente. Mas é verdade e natural que seja assim. Lula e o PT aparecem nos meus sonhos e nos meus lapsos, substituindo os conteúdos que habitam esse oceano subterrâneo do qual podem emergir significados para a minha existência e, quem sabe, algum material criativo para os livros de ficção que, infelizmente apenas para mim, passaram a ser improváveis. O meu inconsciente virou um pré-sal com sondas superfaturadas que extraem planilhas de propina, delações premiadas e golpes contra a Justiça. Cheguei a sonhar que era ministro do STF. Da Segunda Turma, mais precisamente. No meu sonho, era bem esquisito ser ministro da Segunda Turma.
Ao falar de mim, tento falar de você. Há quanto tempo você perde tempo se preocupando com Lula e o PT? E eu nem estou me referindo às aflições econômicas que causaram. Talvez eles também tenham roubado o seu inconsciente, como ocorre comigo. Na minha opinião, o roubo do dia a dia e do inconsciente é tão danoso quanto o do petrolão. Ainda vamos rir disso tudo? Oscilo entre o sim e o não, muitas vezes no intervalo de poucos minutos. (Mario Sabino) 

Eike prepara delação.
No mês passado contei aqui, que estava tratando do assunto. Cuidava dos detalhes. Tentando equilibrar informações e recompensas em liberdade. Assim que o advogado verdadeiro soube, conseguiu demovê-lo, garantindo que a liberdade não demoraria. Realmente não demorou. Mas precariamente. A situação voltou a se complicar. Surgem protestos das mais diversas procedências. A argumentação de sempre: Se um criminoso múltiplo como Eike ficar em liberdade, então todos os outros presos serão injustiçados. Até Sergio Cabral e Eduardo Cunha.
E lembram oportunamente: a maior parte do dinheiro arrebanhado ou arrecadado pelo ex-governador, no cargo, foi pago por Eike, em troca de vantagens oficiais. É impossível desmentir ou negar estes fatos. Seria desmoralização ainda maior do que se imagina.
Palocci assustado e assustador.
São os dois últimos, (por enquanto) personagens dessa extraordinária Lava-Jato. Renato Duque e Antonio Palocci. O primeiro, aparentemente terminou seu acordo, entrega 70 milhões, como prometeu e garantiu, não sabe a recompensa. Como surgiu muito depois de ter sido condenado duas vezes, não há muita informação. Aparentemente pode oferecer mais do que os 70 milhões. Uma pergunta fica no ar, até que surja esclarecimento: por que apareceu só agora, e quem é o seu protetor ou patrocinador?
O ex-ministro é inteiramente diferente: pra começo, nem ele mesmo se fixou na delação, nem garantiu quem seria o delatado. Garantiu a Moro: Se o senhor me ouvir, terá trabalho para mais de 1 ano, mas ajudará o país. Os que tentam adivinhar, apostavam em Lula. Não era.
Informaram que arruinaria o mercado financeiro, frágil, mas sempre protegido: bancos, corretoras, Bolsa, os que movimentam fabulas de dinheiro e não produzem nada. Ele mesmo, permitira a especulação, mas tentara desmenti-la. Ninguém tem acesso a ele. Daí o perigo ou a incógnita. Perdeu o advogado, desmarcou o depoimento. Mas tem que depor, o que aumenta a angustia e a ansiedade de todos os lados. Melhor repetir o título: assustado e assustador.
A fiança do Eike.
Com 5 dias de antecedência, o juiz Marcelo Brettas determinou: o corrupto Eike, para ficar em liberdade, terá que depositar fiança. Coisa a mais normal. Muita gente se surpreendeu com o valor, 52 milhões. Quantia irrisória, diante do que ele roubou.
Pois este repórter se surpreendeu com os fatos estranhos que acontecem, seguidamente. Acompanhei atentamente a questão. No sábado, me disseram: por causa do fim de semana, o prazo passou para segunda feira. Não entendi nem aceitei, mas o que posso fazer? Ontem à tarde, num esforço, soube que o prazo foi prorrogado. Nem deram informação oficial. O que é ou o que significa esse prorrogado? Acordo entre o ladrão e a polícia. A comunidade não merece informação.
Gilmar Mendes desvendado.
Todos os elogios ao Procurador Geral da República. Motivo: pediu ao Supremo, que proíba o Ministro de atuar em qualquer processo, ação, recurso, em que Eike Batista seja parte. Elevaria ainda mais os aplausos ao Procurador Janot se estendesse o pedido não só contra a atuação sobre Eike, mas também contra qualquer acusado com mais de 29 anos de idade.
Anda a pouco conversava com um personagem importante sobre a prorrogação do depósito da fiança do Eike. Expliquei que não sabia a razão da prorrogação. Agora estou desconfiado que na questão, Janot sabe mais do que eu. Nenhuma surpresa. (Helio Fernandes) 

Despreparado para governar, Crivella sai atropelando; quem é o boçal-mór da rede globo?
O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella está fazendo o que quer no cargo que ocupa. Atropela a todos e a tudo que vê em seu caminho. Nomeou seu filhinho para secretário, nomeou também um bandido de carteirinha para outra secretaria, desfaz o que seus secretários fazem em suas pastas, causando constrangimentos e até renúncias dos cargos (a mais recente foi a do Luiz Alfredo Salomão).
O prefeito viajou para a África e, chegando lá não agiu como prefeito em visita oficial era o bispo, sobrinho do bispão-rabino, dono da Igreja Universal. Em lá chegando foi a um culto da IURD e, anunciado como bispo celebrou. E pode? O prefeito ausentar-se do Brasil, sem missão oficial... Quem autorizou? Quem pagou as despesas? Foram nossos impostos?
Ontem, dia 07 de abril, o prefeito visitando uma festa comemorativa judaica, ofendeu a Nação Palestina acusando-a de praticar atos criminosos, sangrentos contra Israel. Aliás, as vestimentas exóticas de seu titio como líder da Universal, onde inclui até um quipar, dão a impressão de que o bispão-rabino está fantasiado para um baile à fantasia. Crivella atropelou o BNDES acusando o órgão por não atender seu pedido financeiro para a prefeitura. Peça ao titio, prefeito, ele pode pagar todas as suas contas à vista, sem dificuldade nenhuma. Nenhuma mesmo... (Mirson Murad)

Nenhum comentário: