20 de mai de 2017

A desmoralização consentida dos Poderes.

 photo horror17_zpsuyxxsmuu.jpg
• JBS: 28 partidos receberam propina nas eleições de 2014. Partidos buscam uma saída negociada. 
• Temer embolsou R$ 1 milhão em propina, diz diretor da JBS. Ricardo Saud disse em delação premiada que o atual presidente teria recebido R$ 15 milhões em propina do PT nas eleições presidenciais de 2014. 
• Políticos não vão se aquietar e rumam como se nada tivesse ocorrido.
• Suborno anti-impeachment. Joesley pagou a 5 deputados para votarem contra saída de Dilma. 
• Aécio ignora STF e faz contato com investigado José Serra (PSDB-SP).
•  Empresário relata R$ 20 milhões a Kassab em sete anos de mesada.
• Parlamentares petistas já traçam estratégia para eleição indireta. 
• Mantega usava empresário para negociar propinas, diz Joesley. 
• Abaixo toda e qualquer igrejinha!
• Deputado diz que Temer tentou comprar seu apoio por R$10 milhões. Áudio será periciado. 
• Perícia da PF vai mostrar se houve edição no áudio de Joesley. 
 • O pastor Silas Malafaia acusou um advogado da JBS de querer salvar a própria pele citando uma pessoa muito conhecida - ele, no caso. Manda este ladrão, vagabundo, bandido provar o que fala, disse à reportagem. Francisco de Assis e Silva, que defende o grupo dos irmãos Joesley e Wesley Batista, envolveu o líder evangélico em sua delação premiada. Segundo Silva, outro advogado da JBS, Willer Tomaz, afirmou que o pastor pediu um encontro com um juiz (identificado como dr. Ricardo) de Brasília. 
• Marqueteiro de Temer foi pago pelos serviços para o irmão de Joesley. 
• Lobista da JBS aproveita delação para se vingar de jornalista que o denunciou. 
• Aécio recebeu R$ 80 milhões, mas pedia mais, diz delator. 
• Delação calou Renan, após amigo advogado não conseguir calar a JBS. 
• Andrea Neves queria R$ 40 milhões para apartamento. 
• Lula e Dilma teriam lucrado mais de R$500 milhões em dinheiro sujo. 
• PGR diz que Aécio Neves e Michel Temer agem para barrar a Lava Jato. 
• Cid Gomes recebeu da JBS R$ 20 milhões em troca de créditos de ICMS. 
• A lista é grande. JBS distribuiu R$ 400 milhões em propinas nos últimos anos, diz Joesley. 
• Maia começa a fazer consultas sobre regras para eleições indiretas.

O País de m......!
Os acontecimentos que foram ontem expostos aos brasileiros e ao mundo, mais uma vez, mostraram que o Brasil não é um País minimamente sério! Na realidade, é um País de m.....!
Nada aqui funciona como deveria, nada aqui tem um mínimo de consistência, nada aqui acontece em direção à melhoria de nossas Instituições e de nossa frágil Democracia! Somos governados por um bando de criminosos, todos eles praticamente no mesmo nível, sejam eles de qual Partido for! Saem criminosos, entram outros criminosos, enfim, nossas Instituições estão jogadas em um saco de m......., que lambuza e põe a feder, a tudo e a todos! 
Essa sujeira encravada nos políticos brasileiros, todos nós já a conhecíamos, em seus mínimos detalhes! Agora, a sujeira encravada no empresariado brasileiro, teve a sua formal confirmação, a partir desses episódios, pelas mãos desse senhor Joesley Batista, com seu império corporativo, suas 300 empresas espalhadas por todo o mundo, seus 270.000 empregados...
A cretinice desse senhor é de figurar no Livro dos Records! Depois de mamar durante anos nas tetas do Governo PTista, depois de comprar com seus dólares a quase totalidade dos políticos e dos agentes públicos, depois de aprontar o que aprontou com a mais alta autoridade do País, de modo sorrelfo, desleal e indigno, vem à público pedir desculpas aos brasileiros, jurando que, a partir de agora, ele e suas Empresas, se transformarão no exemplo vivo da Ética, na Moralidade e do correto agir! Qual a credibilidade de um criminoso desse jaez para falar em Valores, em Ética e em Moralidade, ao mesmo tempo em que, na armação de sua arapuca, confessa crimes e mais crimes diante da maior autoridade do País, tendo a total certeza de sua impunidade e de seu status acima da Lei? 
 Sem entrar no mérito de suas revelações, é estarrecedor como a quase totalidade dos políticos brasileiros foi corrompida e se aliou a esses empresários criminosos, como ficou escancarado hoje na revelação dessas delações e como já havia sido mostrado nas delações da OAS, da Odebrecht, dos marqueteiros PTistas e de tantas outras Empresas e Corporações! Mas esse sr. Joesley bate o Record da desfaçatez e da cretinice, com suas ações corrompidas e seu cândido pedido de desculpas
Constatam os entendidos e analistas que, além de não ser preso, além de não levar tornozeleiras em seus calcanhares, esse senhor arquitetou uma jogada de mestre em seu favor: enrolou os rígidos Procuradores e conseguiu a benção da PF para o flagrante que faria jorrar bilhões em seus bolsos! Bateu as asas para o Central Park em Nova York, jogou uma bomba atômica no cenário brasileiro, mas, antes que ela estourasse, espertamente, ele e seus familiares, compraram 1 bilhões do baixo dólar tupiniquim. Que, após o estouro de sua bomba, subiu vários pontos percentuais, proporcionando-lhes um lucro fabuloso em apenas um dia de especulação! O que ganhou nessa jogada, dará para ele quitar, com sobras e mais sobras, a pífia multa de 250 milhões, que lhe foi aplicada pelos ingênuos Procuradores!.....
Esse é o cara! E esse é o País onde essas coisas acontecem à luz do dia!
Feitas as contas, tirados os noves foras, podemos fazer o balanço das tramoias e jogadas desse senhor:
1 - De açougueiro e capiau, foi se arrumando aos poucos e, em dez anos, no ano 2.000, já tinha uma razoável estrutura de negócios, em torno das carnes brasileiras... Mas nada ainda extraordinário!
2 - A partir de 2003, o milagre e as amizades PTistas, junto com sua determinação de trabalho, efetivamente a abriram-lhe as comportas para a implantação de seu império mundial, tornando-o o maior Empresário mundial de proteínas animais! Que o diga o BNDES!....
3 - Rico, bilionário, sempre chegado ao Poder, abriu seus cofres, em valores monumentais, como acabamos de conhecer hoje, para a compra de políticos de todas as matizes e tamanhos! Que o digam o Temer, o Aécio, o Lula, a Dilma, o Serra, o Renan, o Barbalho, o Delcídio, o Pimentel e toda essa corja de políticos que conhecemos bem!
4 - Para o senhor Temer, independente do que foi gravado ou não gravado, o sr. Joesley conseguiu destruí-lo com um simples toque em seu gravador! Merecidamente pois, independente do que foi gravado ou não gravado, não se pode admitir que um Presidente da República receba um criminoso investigado pela Polícia, na calada da noite, pelo portão do anonimato, ouça de sua boca os crimes perpetrados por ele e não tome qualquer providência em relação a isso! Sem falar dos $$$$$$$$$ recebidos, do mesmo modo que seus antecessores!.....
5 - Assim, sr. Temer, assuma um gesto de dignidade final, vá para casa e esteja certo que o País não irá esquecer de sua ajuda para ficar livre do PTismo e de seus também criminosos, os grandes responsáveis pela criminalidade institucional implantada no País!....
6 - E os empresários? Com seus gestos, esse sr. Joesley confirmou e sacramentou o que todo o País também já sabia: como os políticos, os empresários se constituem como um corja de criminosos, com raríssimas exceções e fazem um mal tremendo ao País.
7 - Assim, srs. Empresários: tomem vergonha, mudem o padrão de sua ética, de seus valores, de suas ações! Ao lado dos milhares de empregos que os srs. geram com seus empreendimentos, deem um mínimo de dignidade e de correção às suas ações! Se existem por aqui políticos corruptos, em sua quase totalidade, certamente é porque, na outra ponta, existem também, em sua quase totalidade, empresários corruptores!
Nosso País e os brasileiros merecem viver uma existência mais digna e altiva! Depende de todos os senhores! (Márcio Dayrell Batitucci) 

Carta aberta do empresário Joesley Batista.
"Erramos e pedimos desculpas.
Não honramos nossos valores quando tivemos que interagir, em diversos momentos, com o Poder Público brasileiro. E não nos orgulhamos disso.
Nosso espírito empreendedor e a imensa vontade de realizar, quando deparados com um sistema brasileiro que muitas vezes cria dificuldades para vender facilidades, nos levaram a optar por pagamentos indevidos a agentes públicos.
Ainda que nós possamos ter explicações para o que fizemos, não temos justificativas.
Em outros países fora do Brasil, fomos capazes de expandir nossos negócios sem transgredir valores éticos.
Assim construímos um grupo empresarial gerador de mais de 270 mil empregos diretos, com times extraordinários e competentes, que operam 300 fábricas em cinco continentes e oferecem mundialmente produtos de qualidade.
O Brasil mudou, e nós mudamos com ele. Por isso estamos indo além do pedido de desculpas. Assumimos aqui um Compromisso Público de sermos intolerantes e intransigentes com a corrupção.
Assinamos acordos com o Ministério Público. Concordamos em participar de alguns dos mais incisivos mecanismos de investigação existentes e nos colocamos à disposição da Justiça para expor, com clareza, a corrupção das estruturas do Estado brasileiro.
Pedimos desculpas a todos os brasileiros e a todos que decepcionamos, que acreditam e torcem por nós."

Fachin deveria ter refletido mais.
O estrago já está feito.
Faz um pouco mais de um ano que estamos na expectativa de algo viesse a sinalizar uma melhora na economia. Isto veio em passos lentos, veio e foi-se, assim, num voo de pássaro.
Os fatos.
O áudio que se dimensionou exacerbado, a julgar pela denominação da operação, Patmos - apocalipse - enfim, é passível de ampla contestação, refutação integral, a julgar o contexto de sua realização.
O Presidente da República foi incisivo: Não renunciarei.
Claro, já disse alhures, que uma primeira consequência seria a renúncia ao foro privilegiado e por consequência a assunção de seu suposto ilícito. Resistir é a regra, já vimos isto muito recentemente. A outra experiência no mesmo sentido, a renúncia de Collor, creio eu, deva ele imaginar ter sido um erro.
Mas o que se ouviu, pelo menos não assusta ninguém, mormente um cidadão versado na política, jurista, advogado, professor, experiente e que já não pode almejar algo mais além do que já conquistou, mais pela sua idade do que pela sua vaidade. Não é crível imaginar que se deixasse sucumbir por uma conversa que se revelou desde o seu início, pelo menos no trecho que se publicou até agora, temerária, rançosa, enfadonha, como que se se buscasse mais confirmações do que revelações e neste sentido se viu respostas evasivas, tangenciadas, sem afirmações peremptórias. Sim, era isso que se esperava de alguém com este cabedal de qualificações. É evidente que não se pode atribuir inocência a esta mesma pessoa, não; absolutamente. Deixar-se ludibriar por um empresário, envolvido em pelo menos três fases da Lava Jato, cujo mérito foi beneficiar-se de um esquema sórdido de corrupção, capitaneado por um bando de corruptos, como se demonstra escancaradamente e diuturnamente, tão somente na expectativa de calar um presidiário que ameaça delatar fatos outros a fim de vingar-se e mais, livrar-se de penas mais rigorosas, é duvidar da capacidade intelectual daquele que já se provou não ser ignorante a tal ponto.
O turbilhão em que se envolveu o Presidente da República atingiu o Brasil. É certo que o Senador e o Deputado, aquele, sobretudo, pelo que se sabe concretamente, já está mais do que encalacrado também nas mais diversas fases da Lava Jato e seu comportamento revelou-se compatível com a sua prática. Aliás, a inércia do Judiciário foi o que proporcionou continuasse o Senador a agir como sempre agiu, promovendo o ilícito imaginando nunca pudesse ser descoberto, rememore-se que ele é indiciado em pelo menos sete inquéritos naquele sodalício.
Causa-me estranheza neste fato, as ilações acerca das relações entre os envolvidos, o encadeamento, a profusão e o emaranhado de vinculações que tratam todos do mesmo modo, no mesmo patamar. Não neste caso haveria de ser, parece-me. O açodamento do Ministério Público em adiantar-se no sentido de que o alvo não tem partido deixou-me intrigado. Seria como uma resposta a pressão das ruas, haja vista a iminência de condenação do líder das marchas vermelhas, como um alento, na expectativa vã de proclamar a realização de eleições diretas em afronta, mais uma vez, ao texto constitucional. O resultado foi o que se viu logo imediatamente: o povo na rua, a julgar sem processo, sem defesa, sem contraditório, quando há um rito próprio para tal mister, procedimento exaustivamente explorado pelos declarados corruptos extirpados do poder. Afinal, é o que querem mesmo os desavisados, os iludidos, os ignaros. Parece-me, com a vênia que se faz assente, que o Ministro do STF, relator da Lava Jato, deixou-se sucumbir aos arroubos da força tarefa da Lava Jato, mais prudente seria o tratamento em módulos distintos, num caso, o Senador, o Deputado; noutro, se efetivamente convencido de tal ilícito, o Presidente. Assim não foi, todos sabemos, o que não sabemos é onde isto vai parar. O Presidente será investigado, os demais, que deveriam ser presos não serão, o que pretende o Ministro do STF? Sangrar mais ainda esta Nação já combalida? Penso que Sua Excelência precisaria ter refletido mais, sobretudo em semana de alento para todos os brasileiros, incluído o exército vermelho, com a expectativa de melhores dias, que por ora, não virão. Vamos aos próximos capítulos que já tem data marcada no TSE. (André Braga)

Nenhum comentário: