19 de set de 2016

A Olimpíada agora se chama Brasil.

 photo lulareaccedilao_zpszylzuwqj.jpg • Antes restrito, metrô até a Barra no Rio abre para todos nesta segunda. BRT também estreia hoje duas novas linhas expressas na Barra da Tijuca. 
 • Em Nova York, Temer tenta atrair investidores. Após reunião da ONU, presidente tem encontros marcados em bancos como Goldman Sachs e Citigroup. 
• Movimento de congressistas trama lei para anistiar caixa 2. 
• Crise dos Estados vem após 10 anos de bonança. Estudo mostra que, de 2004 a 2015, receita extra dos Estados do Norte, Nordeste e Centro-Oeste cresceu 41% acima da inflação e chegou a R$ 170 bi, mas ineficiência nos gastos ajudou a agravar efeitos da recessão. 
• Siderúrgicas tentam barrar usina chinesa no MA. Grupo chinês CBSteel anunciou que pretende investir US$ 3,5 bilhões em uma unidade na cidade de Bacabeira; companhias nacionais dizem que causa estranheza interesse chinês no mercado local. 
• A colunista com crachá disse que os procuradores da Lava Jato voltaram a ser alvo de críticas entre ministros do STF. Em conversas internas, magistrados criticaram a apresentação da denúncia feita pelo procurador Deltan Dallagnol, entre outros, contra Lula. Consideraram o comportamento dos investigadores espetaculoso. O Antagonista se pergunta se a mulher de um desses ministros citados pela colunista com crachá foi contratada por empreiteiras investigadas na Lava Jato. 
• Os traficantes do ouro da Petrobras. Aqui
• A Petrobras, pontua o Valor, deve reduzir sua meta de produção de petróleo no Brasil para 2020, no plano de negócios que será discutido hoje pelo conselho de administração. A meta atual é de extrair 2,7 milhões de barris ao dia. A redução na meta deverá ser pequena, uma vez que grande parte dos projetos de produção para o período já está contratada.
• Acordos com empreiteiras investigadas estão emperrados. Pelo menos dez empresas tentam acordos, mas o único que avançou foi suspenso pelo MP. 
• Se fechar a sua delação, Renato Duque pode complicar a situação de Dilma.O ex-diretor da Petrobras vai detalhar à Lava- Jato um encontro com a ex-presidente. Na ocasião, ele queria se demitir da empresa, mas ela insistiu para que permanecesse em razão da campanha de 2010. Duque levantou 4,5 milhões de dólares para aquela eleição. 
• Receita cobrará 10 bi por sonegação na Lava Jato. Auditores trabalham em 480 ações para cobrar montante de 28 empreiteiras. 
• Federal do Rio passa USP no ranking universitário. Estadual paulista liderava havia cinco anos. 
• TCU aponta falhas na fiscalização das teles e pede rigor. Para Tribunal de Contas, Anatel falha em monitorar a qualidade do serviço. 
• Fundo Partidário bancou festa de entidade do PMDB. Braço da sigla, Fundação Ulysses Guimarães é financiada por verba pública. 
Não é possível abafar a Lava Jato, diz titular da AGU. Grace Mendonça, ministra da Advocacia-Geral da União, se diz 'surpreendida' com acusações feitas por antecessor.

• Não, não é terrorismo islâmico. Os chefes do Partido Democrata negaram que a bomba que explodiu em Nova York, ferindo 29 pessoas, fosse um ato de terrorismo. Agora o FBI deu a ficha do suspeito de ter cometido o atentado: trata-se de Ahmad Khan Rahami, um afegão de 28 anos. Cinco de seus familiares foram presos ontem à noite; FBI divulga foto de suspeito de realizar ataque em Nova York. O homem morava em Elizabeth, Nova Jersey, onde uma outra bolsa com cinco bombas foi encontrada e desarmada na madrugada desta segunda-feira (19). 
• Autoridades apuram ligação entre bombas de Nova York e Nova Jersey; Três ataques em 24 horas deixam EUA em alerta. Às vésperas do início da Assembleia Geral da ONU, explosão fere 29 em NY. Bomba explode próximo a estação de trem nos Estados Unidos; FBI inicia busca por responsável por explosão em Nova York. 
• Polícia encontra quatro brasileiros esquartejados em Madrid, na Espanha. Corpos de dois adultos e duas crianças foram encontrados na manhã deste domingo; prefeito diz que família de brasileiros vivia na residência, em Madrid. 
• Farc estrearão em maio de 2017 como partido político. Em conferência, guerrilha define data que remete à fundação do movimento. 
• Mais de 90 civis morrem em áreas de aplicação do cessar-fogo na Síria. 
• Movimento dos Não-Alinhados apoia Maduro. Documento aprovado pelos países invoca direito à paz do povo venezuelano

Ameaça de prisão de Lula antecipa o processo sucessório.
Agita-se o PT. A ordem, além de disputar as eleições municipais de outubro, é fixar desde já a candidatura do Lula para 2018. Expô-lo o mais possível, agora e depois de encerradas as campanhas para prefeito e vereador. Os companheiros pretendem criar uma parede de proteção ao ex-presidente, de modo a evitar que venha a ser processado por Sérgio Moro ou qualquer outro juiz, muito menos nas instâncias seguintes, fator que o afastaria da corrida. Essa estratégia não demora a contagiar os demais partidos, antecipando-se o debate sucessório.
O mais prejudicado será o PSDB, que esperava atravessar o ano que vem sem ser obrigado a escolher entre Aécio Neves, Geraldo Alckmin e José Serra. Apesar de o ex-governador de Minas julgar-se no direito de ser escolhido por haver disputado as eleições passadas, será sempre bom lembrar que os outros dois também concorreram ao palácio do Planalto, ambos também derrotados.
O PMDB, além de o maior partido, ocupa a presidência da República. Reivindicaria a pole-position não fosse uma inusitada razão: carece de nomes para lançar. Michel Temer poderia reivindicar a reeleição, mas não anda bem de popularidade, muito pelo contrário. O atual presidente já jurou três vezes que não disputará, mas na falta de alguém, quem sabe? Falou-se dias atrás em Henrique Meirelles, mas além de não deter popularidade, precisaria de uma cartola de mágico para recuperar a economia, acabar com o desemprego e tornar-se conhecido.
O PDT abriu as portas para Ciro Gomes, ainda que o polêmico candidato também tenha perdido uma eleição presidencial. Estar melhor preparado para o exercício do cargo não é suficiente chega para ajudá-lo.
Marina Silva será fatalmente candidata pela Rede, dispõe de apoio junto à massas, mas apresenta contradições difíceis de superar. Não é mais a mesma, como demonstraram as eleições passadas.
A antecipação do processo eleitoral favorece Ronaldo Caiado, pelo DEM, partido que também abriga outro embrião de candidato, no caso Rodrigo Maia, presidente da Câmara. Álvaro Dias abandonou o ninho dos tucanos à procura de uma legenda capaz de hospedá-lo, ainda que pequena. Outras hipóteses e aventuras se agitam, como Jair Bolsonaro, Joaquim Barbosa e mais aquela legião de desconhecidos atrás de quinze minutos de glória televisiva.
Em suma, haverá que aguardar. (Carlos Chagas) 

Se Dallagnol e seus bravos continuarem a fazer besteira, além de não ser preso, Lula será absolvido.
Denúncia traz trecho do pré-acordo de delação premiada de Léo Pinheiro, que procurador-geral mandou triturar e que coordenador da força-tarefa diz ser imprestável.
Levante a mão quem tem alguma dúvida, à esquerda, à direita e ao centro, de que Luiz Inácio Lula da Silva sempre soube de tudo. Sobre mensalão, aloprados, petrolão, o diabo… - aquele diabo que Dilma admitiu, certa feita, que se faz em campanha. Mas é preciso que os órgãos encarregados da investigação, da denúncia e do julgamento atuem com a devida prudência - e sua prudência necessária e suficiente é o que está na lei. Já escrevi aqui: faço jornalismo opinativo, mas não caminho nas nuvens dos meus desejos, anseios e convicções ideológicas apenas. Ou isso tudo vem ancorado em fatos, ou eu sou desnecessário para o leitor. Afinal, todos levantaríamos igualmente a mão se fosse só para dizer o que a gente acha. Entre as minhas atribuições de jornalista, está apontar erros de órgãos e entes oficiais e de seus representantes.
E foi o que eu fiz com a denúncia apresentada por Deltan Dallagnol na quarta. Os esquerdistas se saíram com o famoso até Reinaldo Azevedo criticou os procuradores… - como se o natural fosse eu me calar diante do que considero errado. Ora, os companheiros só me odeiam porque, afinal, aponto seus erros e suas escolhas, não? Os antilulistas resolveram me espancar nas redes sociais, estimulados por delinquentes e oportunistas que passaram a ver no antipetismo de ocasião um jeito de ganhar a vida. São tão desprezíveis como os blogs sujos, que atuaram e atuam a serviço do PT. É realmente uma ousadia da estupidez achar que eu condescenderia com o erro. No quinto dia depois daquele evento desastrado, os problemas se avolumam. O açodamento de Deltan Dallagnol e seus parceiros jogou uma batata quente no colo do juiz Sergio Moro. Ainda que este seja dado a uma interpretação hipertrofiada das leis, dizem-me vozes abalizadas que não bateu ainda de frente com elas - ou tribunais que lhe são superiores o teriam contido. Já aconteceu no Supremo, mas, vamos convir, poucas vezes. Agora, os rapazes da força-tarefa podem, como se diz por aí, ter forçado a amizade.
No domingo, a Folha publicou uma reportagem de Mario Cesar Carvalho que pode render uma boa dor de cabeça à força-tarefa. E não estamos diante de uma matéria de opinião, mas de um fato. A denúncia de corrupção e lavagem de dinheiro contra Lula, no caso do tríplex do Guarujá, usa informação do pré-acordo de delação premiada de Léo Pinheiro que foi simplesmente triturada, considerada sem efeito, descartada. Segundo Dallagnol, aquilo era imprestável.
Informa reportagem: Apesar de não se referir à tentativa de delação de Pinheiro, a denúncia menciona a informação que ele deu a procuradores em pelo menos sete trechos para sustentar a acusação contra Lula, sem que a fonte seja indicada. A OAS possuía um caixa geral de propinas com o Partido dos Trabalhadores, […] [que] visava quitar os gastos de campanha dos integrantes do partido e também viabilizar o enriquecimento ilícito de membros da agremiação, dentre os quais Lula’, diz um dos trechos. Pois é… Ocorre que isso não está em lugar nenhum. A não ser na delação que não houve de Léo Pinheiro. E aí há a máxima: O que não está nos autos não está no mundo. Isso é bom ou é ruim? Ora, assim é em todo o mundo democrático.
Ah, só para lembrar: este colunista censurou severamente o senhor Rodrigo Janot por ter condenado ao triturador a delação de Léo Pinheiro. (Reinaldo Azevedo) 
O fanatismo é a única forma de força de vontade acessível aos fracos. (Nietzsche)

Nenhum comentário: