16 de jul de 2016

Homens brincando com vidas no governar o mundo.

 photo opetroleoeacutenosso_zpsgnpgjnne.jpg • Governo já debate novo corte no Orçamento; Governo prevê R$ 8 bi em aumento de impostos. Novo cenário de receitas apresentado pela equipe econômica para 2017 não traz a recriação da CPMF; Governo Temer prevê R$ 9,5 bi com impostos em 2017. Estimativa consta da LDO enviada ao Congresso, que não detalha ações; Governo estuda fazer novo corte no orçamento de 2016 para cumprir meta. Fonte da equipe econômica diz que arrecadação está abaixo da expectativa e é necessário cortar despesas. 
• Sérgio Moro vê omissão do congresso e do executivo no combate à corrupção. Juiz da Lava Jato afirmou, durante palestra nos EUA, que o País enfrenta corrupção sistêmica; Moro defende no STF validade de áudios entre lula e autoridades. Juiz diz que as investigações sobre o ex-presidente respeitam a decisão do relator da Lava Jato no Supremo.
• Pauta mais conservadora ficará em 2º plano, diz Rodrigo Maia. Novo presidente da Câmara diz que evitará temas que radicalizem confrontos. 
• Justiça do Rio mantém condenação do prefeito Eduardo Paes por bancar baile de carnaval. Evento Bailes do Rio, realizado durante o carnaval de 2012, entre 16 e 21 de fevereiro, foi alvo de ação da Promotoria. Segundo ação, evento gerou prejuízo de R$ 3,4 milhões aos cofres da cidade do Rio de Janeiro; Paes diz que Rio será cidade mais segura do mundo. Anteriormente, prefeito havia dito que o trabalho de segurança pública do Rio vivia um momento horrível
• Rio-2016 revisará segurança após atentado na França. Ministro diz que preocupação com evento em agosto subiu de patamar
• Em recuperação judicial, Oi vai à Justiça para não pagar dívida com Anatel; 
• Fábio Cleto disse em sua delação que, em 2014, Eduardo Cunha lhe contou que tratava de assuntos de seu interesse no Ministério da Fazenda com Dyogo de Oliveira, então secretário-executivo adjunto do Planejamento e, hoje, interino da pasta. Segundo a coluna de Lauro Jardim, ainda não há detalhes sobre os tais interesses
• Recesso vai ajudar a cicatrizar ranhuras na Câmara, diz Temer. Em entrevista exclusiva, presidente em exercício avalia vitória de Rodrigo Maia, aliado do governo na Câmara, e fala sobre situação de Eduardo Cunha. 
• Rio 2016: Problemas com Força Nacional ainda comprometem segurança dos Jogos. Chefe do sindicato que representa os profissionais disse que as medidas anunciadas na sexta-feira pelo Ministério da Justiça amenizam, mas não resolvem 100% os problemas; Soldados da Força Nacional que estão no Rio de Janeiro para realizar a segurança das instalações olímpicas foram proibidos por milicianos de instalar internet no condomínio onde estão alojados, no Largo do Anil, em Jacarepaguá. Assim, não bastassem as diárias atrasadas e as más condições de moradia, os cerca de 3.500 agentes que já estão na cidade são obrigados a utilizar os celulares para se conectarem à rede. Para completar, sem eletrodomésticos básicos nos apartamentos, compram produtos em comércio informal da região, cuja procedência tem origem incerta. O Estado apurou que a instalação de qualquer serviço de internet no condomínio foi vetada pela milícia que atua na região do Anil e da Gardênia Azul, favela que fica ao lado do empreendimento. Os milicianos lucram com o fornecimento de sinal e impõem monopólio no serviço, até mesmo para os agentes deslocados para o Rio. 
• Ministério da justiça deporta professor da UFRJ acusado de terror. Adlène Hicheur já esteve preso na França, após ser condenado sob a acusação de planejar atentados. 
 • Em só 6 meses, partidos levam R$368,8 milhões. É quanto os partidos já embolsaram pelo fundo partidário em 2016. 
• Fies: governo quer poupar R$ 400 mi com mudança. MP determinou que despesas do programa, antes cobertas pelo Tesouro, serão custeadas pelas faculdades. 
• Nem dentista quer pagar. Dilma vai ao Planalto outra vez para tratar dos dentes; Mordomia da família Dilma: Família de Dilma usa ilegalmente oito carros oficiais em Porto Alegre. 'Istoé' revela farra ilegal de carros oficiais em Porto Alegre. Mais... 
• Greve na receita pode trazer problemas para a olimpíada, diz sindicato. Sem cumprimento do acordo de reajuste salarial para os auditores, paralisação deve aumentar. 
• Esquema de propinas na PF operava há cinco anos. Segundo procuradora, policiais cobravam quantias em dinheiro para que certas investigações não andassem. O Ministério Público Federal informou nesta sexta-feira, 15, que há cinco anos operava suposto esquema de propinas no âmbito da Delegacia de Combate a Crimes Previdenciários (Deleprev), unidade da Polícia Federal em São Paulo alvo da Operação Inversão que culminou na prisão de três delegados federais na quinta-feira, 14. Segundo a procuradora da República Ryanna Pala Veras, que integra a força-tarefa da Inversão, os delegados cobravam quantias em dinheiro de investigados (por fraudes à Previdência)
• A Coluna do Estadão registrou um eloquente discurso de Eliseu Padilha a empresários: Não se pense que na Previdência tem remédio a curto prazo. O que vamos ter é falência a curto prazo, se não fizermos nada. Em 2024, perdemos o bônus demográfico: a população economicamente ativa vai ser menor do que as crianças e os idosos que recebem da Previdência. Temos que ter medidas agora e que terão efeitos a longo prazo, com prazo de transição, mas temos que pelo menos projetar 40 anos no que formos fazer. É preciso cair na real a curtíssimo prazo. 
• Farmácia popular terá que fornecer fraldas para pessoas com deficiência. Decisão finaliza processo contra o Estado, que não queria fornecer material para o programa Farmácia Popular; ministro Lewandowski considerou a atitude uma ocorrência grave
• Crise dos Correios pode deixar cartas mais caras. Estatal, que elevou preço do serviço em junho, quer novo aumento neste ano. 
• Galeão tem a pior avaliação entre os grandes aeroportos. Porta de entrada da Rio-16 fica em 13º entre os 15 do ranking geral do país. 
• Restrição a voo sobre regiões dos Jogos começa no dia 24. Espaço aéreo será controlado pela Aeronáutica em raio de 100 km das arenas. 
• Governo vai insistir em 100% de capital estrangeiro em aéreas. Ministro dos Transportes disse que o governo deve vetar elevação, mas discussão será retomada. 
• Epidemia de zika pode acabar em três anos. Estudo se baseia nos dados obtidos de transmissibilidade e de ciclo da doença.
• Para fugir de Moro, Cláudia quer processo no Rio. Mulher de Eduardo Cunha é ré em ação penal por lavagem de dinheiro e acusada de evasão de divisas.

• França presta homenagem às vítimas de Nice. Torre Eiffel foi iluminada nas cores da bandeira e que representam os ideais da revolução francesa; Estado islâmico reivindica autoria de atentado que matou 84 na França. Na quinta, franco-tunisiano avançou contra multidão com um caminhão; há mais de 200 feridos; Polícia prende mulher do motorista que atropelou centenas em Nice. Esposa de Mohamed Bouhlel foi detida menos de 24 horas após o marido ter causado a morte de pelo menos 84 pessoas. Presidente francês diz que 50 feridos correm risco de morrer após ataque em Nice. Mais de 100 pessoas estão internadas e número de mortes causadas pelo ataque pode aumentar nos próximos dias; Polícia detém cinco pessoas ligadas a autor de ataque em Nice. O objetivo das detenções é tentar entender como Lahouaiej preparou o ataque e se atuou sob instruções de alguma organização criminosa. 
• Tentativa de golpe na Turquia fracassou, afirma premiê. Primeiro-ministro turco anunciou que responsáveis por ação militar em Ancara e em Istambul foram presos; ao menos 17 policiais morreram; Militares turcos tomam pontos de Ancara e Istambul e governo denuncia golpe. O Exército turco divulgou comunicado no qual afirmou ter tomado o controle do país; Tentativa de golpe na Turquia mata 161 e leva 2.800 militares à prisão. Militares prometiam respeitar liberdades e direitos humanos; O Ministério de Interior da Turquia, Efkan Ala, ordenou a demissão e prisão de cinco generais e 29 coronéis.declarou o primeiro-ministro Binali Yildirim. Mais de 2.800 militares foram presos; Na Turquia, militares tentam golpe; presidente pede reação. Tropas fecham acesso à capital Ancara e a Istambul; milhares vão às ruas; Turcos tentam impedir a passagem de tanque em Ancara, capital da Turquia; brasileiros reportam medo e dificuldade de comunicação após tentativa de golpe de Estado; Situação está sob controle, diz governo turco após tentativa de golpe militar. Durante confronto, cerca de 190 pessoas foram mortas e há mais de mil feridos; autoridades anunciam que 2.800 militares foram presos. Movimento afeta Turquia, país-chave para EUA e Europa. País tem 2º maior exército da Otan e uma das principais forças na guerra ao EI. 
• Trump anuncia governador de Indiana como vice. Mike Pence é aposta de virtual candidato para conquistar evangélicos. 
• Europeus reagem a gabinete de Theresa May. Johnson na Chancelaria irrita França e Alemanha; premiê dá cargo a ex-rival. É um dos maiores gabinetes de direita da era moderna. O líder do SNP (Partido Nacional Escocês) no Parlamento em Londres, Angus Robertson, não exagera. O primeiro escalão da premiê britânica, Theresa May, revela quão eurocética e conservadora deve ser a gestão dela. É um gabinete muito mais à direita do que previam analistas. 
• Justiça argentina manda abrir cofres de filha de Cristina Kirchner. Dois cofres que a filha mais nova da ex-presidente da Argentina Cristina Kirchner, Florencia Kirchner, mantém em um banco em Buenos Aires foram abertos, na tarde desta quinta (14), por ordem da Justiça. Foram encontrados US$ 4,6 milhões no local, segundo o jornal Clarín. 
• Segundo programa da ONU, epidemia de Aids não está sob controle. 

Alerta Petrobras! A privatização desta vez está vindo a galope.
Em palestra realizada em Washington, o juiz Sérgio Moro declarou que nos contratos celebrados pela Petrobras, o pagamento de subornos era a regra, não a exceção. Será possível que nenhum governo, de Dilma Rousseff para trás, tivesse conhecimento dessa ladroagem? Não se trata de acertar contas com o passado. Fosse essa a necessidade e estaríamos na obrigação de rever as contas de Tomé de Souza. O que não dá para aceitar é saber que Dilma Rousseff teve a Petrobras a seus cuidados, foi ministra de Minas e Energia, chefe da Casa Civil e presidente da República.
O caso não é de bater em quem se encontra exangue, derrotada e prestes a sumir da História. Mas de examinar nos mínimos detalhes a performance da petroleira, ao menos nos últimos dez anos. O prejuízo dado pela Petrobras aos cofres públicos serviria para equilibrar qualquer crise econômica porventura registrada entre nós.
Por que a referência à maior das empresas nacionais? Porque lá nos escaninhos mais escuros do governo Michel Temer, prepara-se o maior dos golpes contra a Petrobras. Dentro da diretriz de entregar tudo o que é público ao capital privado, de preferência estrangeiro, a atual quadrilha que administra o país determinou como climax de sua atuação a cessão da Petrobras aos Estados Unidos, Inglaterra, China e outros parceiros.
No governo Fernando Henrique isso quase aconteceu, mas agora o ímpeto surge bem maior. O novo argumento é o velho: que a empresa dá prejuízo. E tudo o que dá prejuízo deve ser lançado ao mar. Não se dão conta de que os bebês dão prejuízo. É preciso gastar com eles leite, mamadeiras, fraldas e tudo o mais…
É bom tomar cuidado antes que tamanha barbaridade aconteça, pois já está em desenvolvimento. A primeira fase é desmoralizar a Petrobras, o que já vem sendo feito. Para evitar reações, mesmo em tempos de crise, aumentaram sua verba publicitária, distribuindo dinheiro farto para jornais, revistas, emissoras de televisão, rádio e demais veículos de comunicação. Até jornalistas amigos e amestrados são objeto de doações. Logo, alegando o alto custo das operações de produção de petróleo, começarão a demolição. Alerta, Petrobras! (Carlos Chagas) 

Elias, o mercador.
Michel Miguel Elias Temer Lulia - talvez por sua ascendência libanesa - vem se provando um excelente negociante.
Enquanto outros preferiam aglutinar um varejo volátil, o novo presidente atua no atacado.
Cada enxadada é uma minhoca.
Negociando em bloco, Temer obtém margens de lucro maiores.
Foi assim para a eleição de Rodrigo Maia.
E assim será, principalmente, daqui até janeiro.
Em sete meses presidindo a Câmara, Maia terá a chance de aprovar medidas econômicas urgentes e estruturais.
Política é momento; quem está bem joga a Copa e sete meses valem sete anos.
O teto de gastos passará por suas mãos, assim como a reforma da Previdência.
O Antagonista bem lembrou que Rodrigo Maia é o melhor interlocutor para Henrique Meirelles, pois seu eleitorado apoia o ajuste fiscal.
O mercado está feliz, comemora.
A Bolsa brasileira subiu em 9 dos últimos 10 dias, sempre se amparando em novos motivos, políticos ou econômicos.
As melhores novidades, porém, serão reveladas no próximo bloco. (Rodolfo Amstalden) 

Nice, a narrativa e a Lava Jato.
O ataque em Nice é mais uma prova de que o governo francês é uma porcaria, assim como a polícia e os serviços de informação. Como jornalista, no entanto, eu não posso deixar de admirar o ritual narrativo que segue cada atentado.
Depois de descoberta a identidade do terrorista, ou terroristas, e esclarecidos o número de vítimas e as circunstâncias gerais do ataque, o procurador de Paris chama a imprensa para descrever tudo aquilo que as autoridades sabem a respeito do assunto até aquele momento, bem como o que não sabem.
O texto é cristalino e lido no tom certo - nem emotivo, nem monocórdio. A gramática também escapa completamente ilesa, como sói acontecer nestas latitudes. Tradição literária ajuda nessas horas.
A descrição do procurador de Paris confere sentido ao que parece não ter o menor sentido. Organiza a investigação policial que ganhará mais detalhes nas semanas seguintes, serve de ponto de partida para as interpretações políticas que tomarão o noticiário e esboça outro capítulo da história do país. Não menos relevante, dá início ao luto nacional e aos lutos individuais de quem perdeu familiares e amigos. De certa forma, é como o epílogo de uma tragédia grega.
Tudo é o exato contrário do que costuma ocorrer no Brasil. Quase não temos narrativas e, quando tecidas, elas pecam pela obscuridade ou mentira deslavada.
É na falta de tradição narrativa que Lula e os seus aliados apostam para deturpar o que a Lava Jato vem contando de maneira ainda demasiado técnica. Talvez seja o caso de a República de Curitiba contratar o procurador de Paris para lhe dar mais clareza. O nome dele é François Molins. (Mario Sabino) 

Alento político.
Respirando melhor - Vejo a eleição de Rodrigo Maia como presidente da Câmara de Deputados com algum entusiasmo. Até porque permite, de imediato, que o paciente Brasil consiga respirar um pouco melhor, mesmo que se mantenha ligado por aparelhos.
Na UTI - Como o Brasil apresenta um terrível quadro de falência múltipla de órgãos, a eleição de Maia pode representar, quem sabe, a grande possibilidade do Legislativo vir a produzir os remédios necessários para que o Executivo consiga tirá-lo da UTI, onde foi colocado, em estado gravíssimo, pelas mentes, mãos e pés da dupla Lula/Dilma Petistas. 
Doses cavalares - Confesso que continuo, com absoluta razão, muito desesperançoso com o Brasil e, notadamente com o Rio Grande do Sul. Principalmente porque os Legisladores, de forma criminosa, só têm olhos e ouvidos voltados para aprovar e impor doses cavalares de despesas públicas (leia-se pessoal de primeira classe), que implicam em agravar ainda mais a vida da sociedade que pertence a segunda classe.
Tratamento desigual - O que mais impressiona e me faz indignado é o interesse que os governos federal e estaduais mostram para produzir injustiça social. Ao invés de unificar as classes, para que todos os brasileiros sejam iguais em termos de tratamento, como manda a Constituição, o que se vê é um contínuo aumento, de forma aberta, descarada e injusta, de vantagens e privilégios para a turma de cima, ou primeira classe
Doses mais fortes - Uma coisa é certa: pelo estado deplorável que o Brasil e o RS apresentam, as medidas que poderiam contribuir para uma melhora substancial de suas saúdes financeiras, caso tivessem sido tomadas anos atrás, já não são capazes de dar boa resposta. Como as doenças foram agravadas de forma ainda mais preocupantes, além de precisar de doses mais fortes, o tratamento agora precisa ser bem mais intensivo e doloroso.
Combate à corrupção - Entretanto, ainda que esteja dominado pela incredulidade devo dizer que ontem fiquei mais animado. Além da eleição de Rodrigo Maia, para presidente da Câmara, fiquei satisfeito com a escolha do deputado Onyx Lorenzoni como relator de Comissão Especial que estabelece as dez medidas de combate à corrupção
Pilares - Onyx garantiu que a Comissão será um marco na busca desses pilares para construir uma firme legislação que combate aos crimes de corrupção. Ao final de nosso trabalho na comissão, que será árduo, vamos entregar ao país um conjunto de regras e leis que façam que esse país fique cada vez melhor e mais digno. E que os que detêm o poder no Brasil saibam que tem que respeitar a vida, a existência e o direito do mais simples cidadão desse país, acrescentou. (GSPires) 
A opinião que uma pessoa expressa sobre o mundo é também uma confissão do seu caráter. (Emerson)

Nenhum comentário: