28 de mar de 2016

País caminha as cegas...

• Dívida pública aumenta e chega a R$ 2,8 trilhões em fevereiro. Dívida pública total do Brasil avança 2,53% em fevereiro, diz Tesouro. 
• Estado não paga, e número de PMs extras nas ruas do Rio cai 99%. 
• Impeachment: governo encara próximos dias como decisivos. 
• Câmara trava projeto que regulamenta atividade de profissionais do sexo. Sob o comando de Eduardo Cunha, Casa sequer iniciou procedimentos de composição do colegiado temporário exigido para analisar a matéria.
• Estádio de Brasília entra na mira da Lava Jato. Estádio Nacional Mané Garrincha, no Distrito Federal, foi o mais caro dos 12 construídos para a Copa do Mundo de 2014. Investigações apontam que o custo da obra envolveu pagamento de subornos. 
• Moro manda soltar nove presos da Lava Jato. Os acusados foram presos na 26ª etapa da operação, intitulada de Xepa. Os pedidos de prisão preventiva venceram nesse sábado (26). 
• Ex-funcionária diz que propina era prática antiga na Odebrecht. Conceição Andrade, que atuou durante 11 anos no departamento financeiro da Odebrecht, afirmou em entrevista ao Fantástico, da TV Globo, ter uma lista, referente ao ano de 1988, com mais de 500 nomes, entre eles os de ex-ministros, ex-governadores, ex-prefeitos, senadores e deputados, relacionados a obras em que supostamente houve pagamento de propina; em setembro de 2015, ela entregou o documento ao deputado federal Jorge Solla (PT-BA), que o repassou à CPI da Petrobras. 
• Teori autoriza investigação sobre pagamento de propina a Renan. Denúncia consta de delação sobre operações da Petrobras na Argentina. Senador Jader Barbalho e deputado Aníbal Gomes, ambos do PMDB, são investigados no mesmo inquérito. 
• O fim do consenso Cardoso-Lula. Timothy Power certamente deve estar espantado com a rapidez com que isso que ele chama de consenso interpartidário implícito veio a se dissipar inteiramente, no vácuo do que surgiu uma polarização raramente vista em toda nossa história política
• Vendedoras de seguros anticalote temem 2016 sombrio. Recessão que atinge o Brasil deve afetar, por tabela, as seguradoras.

• Israel desistiu finalmente de nomear Danny Dayan, um conhecido defensor das colônias nos territórios na Cisjordânia, como embaixador no Brasil, após uma disputa diplomática de vários meses com Brasília. 
• Cuba e Argentina aproveitam era Obama. Castro e Macri esbanjaram hospitalidade ao recepcionar americano. 
Reconquista de Palmira mostra sucesso de estratégia. Presidente sírio Bashar al-Assad falou após a expulsão do Estado Islâmico. 
• Terrorismo já afeta operadoras da Europa. Reservas para a Turquia caíram 32%, depois de terem avançado 11% em 2015. 
• Enquanto o Brasil se afunda em recessões, a Argentina não perde tempo e sai do isolamento. 
• Agência da ONU condena violência sexista contra Dilma. Em nota, a ONU Mulheres, entidade das Nações Unidas, reprovou a violência política de ordem sexista contra a presidente Dilma Rousseff. 
• Grupo de extrema direita fez saudação nazista em praça de Bruxelas em meio a multidão que homenageava vítimas do ataque; no mesmo dia, quatro foram detidos em ação contra terror. 
• Ataque mata 72 e fere mais de 300 no Paquistão. Maioria das vítimas é de mulheres e crianças; explosão aconteceu em parque. Paquistão inicia caçada a responsáveis por ataque que matou aos menos 72.  
"O felix culpa".
"Se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa fé." A frase é de São Paulo, o convertido da estrada de Damasco, que alguns exegetas consideram o fundador do cristianismo, ou seja, o homem que fez o "blended" do judaísmo, de parte do helenismo e dele próprio. Contrariando os apóstolos reunidos em Jerusalém em torno de Pedro, levou aos gentios a mensagem que modificaria o Ocidente.
Há contestações sobre a ressurreição do galileu recém crucificado. Autores como Renan e outros atribuíram o milagre a duas mulheres que espalharam a notícia. O próprio Cristo apareceu a seus discípulos em várias ocasiões. E recriminou um deles que só acreditou quando viu e tocou as chagas do seu Mestre.
Séculos depois, um dominicano fez um poema que considera "feliz" a culpa de Adão e Eva, expulsos do Paraíso terrestre por um pecado que se tornou "original". O poema de São Tomás de Aquino faz parte da liturgia canônica. E, ao longo do tempo, é uma das leituras das missas católicas, musicada por compositores clássicos: "O felix culpa, quae talem ac tantum habere meruit Redemptorem" (Oh, feliz culpa que mereceu tal e tão grande redentor).
A Páscoa é o ponto mais alto do calendário cristão, de certo modo, é a continuação de uma das mais importantes festas do judaísmo, o Pessach, que o próprio Cristo comemorou pouco antes de ser traído e morrer no calvário.
Enquanto a Páscoa cristã celebra a ressurreição de seu fundador, o Pessach relembra a noite em que os judeus se libertaram do jugo egípcio.
É uma festa de liberdade em que um povo inteiro prefere passar 40 anos no deserto, mas se liberta do cativeiro.
Agnóstico por convicção, gosto de comemorar as duas páscoas. Evito o terrível cativeiro de me tornar refém de Dilma e Lula. Desejo que ambos se f... (Carlos Heitor Cony)

Nenhum comentário: