23 de fev de 2016

Samarco perde longe da lama no Brasil...

 photo apaacutescoa_zpsq3xjmcne.jpg • Moeda americana opera em alta e está acima de R$ 3,95. 
• Prévia da inflação oficial bate 1,42%; a maior para fevereiro desde 2003. (IBGE) 
• Um grande panelaço está previsto para esta noite, 20h30min, em todo o País, porque será o horário de apresentação do programa político do PT. Os programas já foram gravados, inclusive com manifestações de apoio ao governo Dilma e ao ex-presidente Lula. Serão 10 minutos em rede nacional de TV. Este tipo de programa é garantido a Partidos com representação na Câmara dos Deputados. A convocatória pelas redes sociais é muito grande. 
• PF pega 4º maior financiador individual de Dilma: Alvo de mandado da Operação Acarajé, 23ª fase da Lava Jato, o gerente executivo de Responsabilidade Social da Petrobras, Armando Ramos Tripodi, foi um dos maiores doadores individuais da campanha presidencial de Dilma. A PF levou Tripodi para depor sob vara (ou condução coercitiva) sobre a reforma em seu apartamento. A suspeita é que foi bancada por offshores ligadas à empresa Odebrecht; Bolso cheio: Tripodi divide o pódio de top doadores com figuras como Eraí Maggi, o rei da soja, e Antônio Carlos Brandão Resende, sócio da Localiza; Tutti buona gente: Tripodi foi chefe de gabinete do ex-presidente da Petrobras José Sergio Gabrielli e citado na delação de Paulo Roberto Costa ex-diretor da BR; Rolex de aniversário: A PF apreendeu na OAS, no fim do ano passado, uma lista de presentes com a anotação Armando Tripodi - Relógio - R$10.619,00; Tem mais gente: Tripodi ainda deu dinheiro às campanhas do governador da Bahia, Rui Costa (PT), e Robson Leite (PT-RJ), candidato a deputado estadual.ram para afastar conselheira. (DiáriodoPoder) 
• João Santana, o marqueteiro de Dilma, desembarca e vai para a cadeia. Chegaram João Santana e sua mulher, Mônica. O marqueteiro da campanha de Dilma Roussef desceu do ônibus que o trouxe do avião para o aeroporto e foi preso de imediato. Tudo ao vivo e a cores na TV. Ele está na cadeia. Dilma já se segura na cadeira. João e a mulher desembarcaram em Guarulhos, SP. Em seguida foram presos e conduzidos para Curitiba, onde ficarão na carceragem da PF em prisão temporária de 5 dias, que poderá ser convertida em prisão temporária. Ambos serão ouvidos nesta sexta-feira pelo juiz Sérgio Moro. 
• João Santana teve prisão decretada na Lava Jato. Ex-marqueteiro de Dilma e do PT é um dos alvos da 23ª fase da operação, que também mira a Odebrecht e engenheiro. Investigadores apontam repasse não declarado de R$ 7 milhões a Santana no exterior; João Santana garante volta ao Brasil para contestar acusações infundadas. Em carta endereçada ao Partido de La Liberacion Dominicana, para o qual fazia campanha, marqueteiro do PT diz ser vítima do clima de perseguição em curso no país; PF: não há indício de ilegalidades em pagamentos do PT a João Santana. Sérgio Moro decretou prisão de marqueteiro pelo fato de ele não ter registrado recebimento de valores no exterior. Repasses do partido durante campanhas foram declarados, ressalva juiz; Justiça bloqueia R$ 25 milhões de João Santana. Valor do bloqueio é padrão e foi solicitado pelo Ministério Público. Foram atingidas as contas de duas empresas do publicitário responsável pelas campanhas eleitorais de Lula e Dilma; Pedido de prisão contra Santana complica Dilma no TSE, diz oposição. Para líderes oposicionistas, decretação da prisão de marqueteiro de Dilma e Lula agrava situação de Dilma nos processos de cassação por abuso do poder político e econômico no TSE. Parlamentares se reúnem para discutir nova fase da Lava Jato nesta terça-feira. 
• Delcídio ameaça entregar colegas de Congresso caso seja cassado. Se perder mandato, ex-líder do governo no Senado fica sem foro privilegiado. 
• Projeto que altera exploração do pré-sal é passo importante para desmontar os equívocos do modelo. 
• Sem uso, aeroporto no Piauí é exposição didática dos vícios do investimento público nacional. 
• Crise encolhe dinheiro em circulação e faz faltar troco. Número de notas de R$ 5, R$ 10 e R$ 20 cai até 9%; BC administra estoques. 
• Ex-líder do PT cobra freio em Moro: É um show de malabarismo. Sibá Machado afirma o fato de o publicitário ter se disponibilizado para prestar esclarecimentos à Justiça demonstra que denúncias não passam de armação contra o partido. 
• Dilma pede ao STF rejeição de recurso da Câmara no processo de impeachment. Manifestação foi solicitada por ministro do STF para julgar o recurso em que o presidente da Câmara tenta modificar o julgamento no qual a Corte decidiu invalidar a eleição da chapa avulsa para formação da comissão especial que conduzirá o processo de impeachment. 
• Arrecadação de heranças sobe 39% após fiscalização. Fazenda aperta cerco contra sonegadores; tributo gera R$ 2,4 bi em 2015. 
• Crise econômica pode atrasar metas para educação. Currículo e inclusão de crianças e jovens em escolas devem ser afetados. 
• Samarco na lona - Anotem aí: o governo Dilma e seus diletos seguidores não descansarão enquanto não levarem a Samarco à falência. Exigir indenização de 20 bilhões é decretar o fechamento definitivo da empresa. Nada de novo, pois o foco petista é a destruição de tudo que ainda funciona.

 • ONU alerta sobre caos na Europa devido a fechamentos de fronteiras. 
Pacto com Farc não seria fim de problemas da Colômbia. Negociador do governo diz que acordo com guerrilha não elimina ameaça. 
• Ataques do Estado Islâmico na Síria matam mais de 140. Alvos de atentados têm ligação com Bashar al-Assad, em possível retaliação. 
• Evo se vê ameaçado em busca por 4º mandato via referendo. Apuração inicial e pesquisas de boca de urna indicam vitória do não na Bolívia. 

 O dr. Ulysses encontrou um táxi.
Vindo de São Paulo, toda segunda-feira pela manhã o dr. Ulysses chegava a Brasília. No aeroporto, esperava-o o fiel motorista, para o ritual de todas a semanas: boa viagem, deputado? Dê-me sua valise. Vamos para onde? 
Uma gravação não responderia melhor, ainda que com o passar dos anos o endereço variasse: o apartamento simples de deputado, a mansão de presidente da Câmara e eventualmente o palácio do Planalto, quando substituía o presidente José Sarney durante suas viagens ao exterior. Numa temporada morou no apartamento oficial do senador Nelson Carneiro, seu colega do PSD, que havia sido acometido de uma isquemia cerebral transitória. Estava solteiro e não podia dormir sozinho. Seus amigos do antigo partido tiraram no chapéu e no papelzinho a sorte para saber quem moraria com ele no imóvel para saber quem tomaria conta de sua saúde.
Em todas as viagens a vetusta resposta era a mesma: vamos para casa, meu caro.. De lá, após trocar de roupa, a semana não mudava: seguia para a Câmara, onde ocupava a presidência da Casa, a presidência da Assembleia Nacional Constituinte e a presidência do PMDB. Almoçava e jantava no restaurante Piantella, com grupos de amigos, sem dispensar o poire, seu aperitivo preferido.
Certa segunda-feira, o velho chegou adiantado ou atrasado, não encontrando o motorista. Esperou cinco minutos e, apressado como era, pegou um táxi. Para onde, dr. Ulysses? Ora, para casa, meu caro.
O profissional tomou o caminho do Plano Piloto mas perdeu-se nas entradas das vias, pois não sabia a que superquadra dirigir-se. Nem o dr. Ulysses, que de Brasília entendia muito pouco. Várias voltas foram dadas e ele acabou mandando rumarem para a Câmara.
A historinha se conta a propósito de situações onde os improvisos substituem as necessidades, desde que naturalmente ordenada com as contingências.
A presidente Dilma anda desarvorada, e não apenas em Brasília, que conhece menos do que o dr. Ulysses, mas no Brasil. Não sabe para onde dirigir-se, se é para combater o desemprego. No Palácio do Planalto, quem convocará para traçar um programa de pleno emprego? O tal Congressão deu em nada, sem que Madame apresentasse um roteiro de obras públicas ou recebesse um elenco de iniciativas do empresariado, dos sindicatos, das regiões, dos partidos políticos ou das universidades. Câmara e Senado dão-se as costas. Os militares aguardam um chamado que felizmente não virá.
Enquanto isso, sobem impostos, taxas e tarifas, multiplica-se o custo de vida, saúde e educação públicas caem no despenhadeiro e as esperanças de melhoria ganham o espaço. Falta o dr. Ulysses, que mesmo sem ter sido presidente, encontrou um táxi... (Carlos Chagas)

Ei! O brasil não é um sítio em Atibaia!
Ontem à noite assisti a um vídeo exibido há pouco mais de um ano, durante a última campanha eleitoral. Nele, Lula e Dilma conversam, em um jardim, sobre as maravilhas do país que ambos estão construindo. Lula afirma não haver no mundo lugar de oportunidades tão esplêndidas quanto o Brasil. Dilma se exclama ante a conduta da oposição, descrente, pessimista e incapaz de reconhecer tudo que o pré-sal, já no curto prazo, significaria para o desenvolvimento social e econômico do país. Postei o vídeo no meu site (Vídeos).
O caráter dos dois mandatários que o PT vendeu como bons à carente e inculta sociedade brasileira já é objeto de uma certificação histórica. Dá para levar a ficha ao cartório, receber carimbo e colocar um selo. Nada que digam merece credibilidade porque todos os seus atos funcionam como jogo de cena ou cortina de fumaça. Visam a iludir ou a dissimular. Têm uma utopia para vender e uma realidade, bem diferente, para ocultar. Têm malfeitos a refutar, adversários a quem os atribuir e delatores a delatar.
O Brasil foi ingerido e metabolizado - talvez devesse dizer colonizado - pelo Partido dos Trabalhadores, que o vê como coisa sua. A organização considera nosso país uma espécie de sítio em Atibaia, onde outros pagam para que os seus se regalem. Não importa que o Brasil se dê mal, contanto que os companheiros se deem bem. Um dia, sabe-se lá quando, nossa pátria será apenas um osso roído e sugado para quem dele ainda quiser se ocupar. Como não lidamos com um governo, no conceito político dessa palavra, os ocupantes só cuidam de seus próprios interesses, de suas defesas, de lidar com seus advogados e, como sempre, de comprar apoios. Tudo para manter a posse e a pose. E os brasileiros? Ora, os brasileiros que se danem.
São duras estas palavras? Minha pergunta é outra: quais seriam então as palavras, diante do que vemos? Vocábulos gentis seriam compatíveis com a realidade nacional? O partido governante acabou com a política! Promoveu mutretas e agora apela às tretas, às milícias, com o objetivo de atemorizar a nação. Lembra, leitor, do espetáculo do crescimento? Estamos pagando a conta do roteirista, da iluminação, do som, dos fogos de artifício, da publicidade e dos efeitos visuais. Os atores do desastrado espetáculo, para não serem vaiados, só aparecem em ambiente cercado, para distribuir algum presente e dar a mão a beijar.
Em 1967, no III Festival da MPB, o cantor Sérgio Ricardo, após vários minutos de ininterruptas vaias, quebrou o violão e jogou-o ao público (ou no público). E foi embora. O governo brasileiro vive o apogeu do fracasso. Vaia sobre vaia. Tudo deu errado na Economia, na Educação, na Segurança, na Saúde. Em muitos indicadores, estamos recuando aos anos 90. Perdemos 13 anos em 13. E já não resta ao governo aquele fragmento de dignidade que lhe imporia o dever moral de pedir desculpas, pegar o boné e tomar o rumo da porta. (Percival Puggina, arquiteto, empresário e escritor)

Uma tênue esperança.
Boa luz - Ainda que em velocidade muito abaixo do que o povo (pensante) brasileiro gostaria, como informam as pesquisas de opinião pública, o fato é que uma tênue luz de esperança já aparece no túnel da falida América Latina, notadamente nos países administrados sob a égide do Foro de São Paulo. 
Paraguai - O primeiro país que pediu o boné e caiu fora da Rede Comunista Latino-Americana, para quem não lembra, foi o Paraguai. O povo (Congresso) cassou o mandato do ex-presidente Lugo. Sob nova administração, que está a cargo de Horacio Cartes, no Paraguai a Matriz Econômica Bolivariana foi para o lixo. 
Argentina - O segundo país que caiu fora do Foro de São Paulo foi a nossa vizinha Argentina. Graças ao presidente Mauricio Macri, recém eleito, a economia Argentina, ainda que esteja enfrentando muitas dificuldades causadas durante os mandatos da família Kirchner, já exala um forte sentimento de confiança. Um bom começo, certamente.
Bolívia - Ontem, o povo boliviano também deu um passo importante, ainda que não seja definitivo: o ditador Evo Morales perdeu o direito de se candidatar a presidência. Se a oposição fizer um bom trabalho, dentro de alguns anos os bolivianos vão poder respirar um ar econômico e social bem mais puro. 
Brasil - Por aqui, como se vê, ouve e lê, mesmo que a nossa economia vá de mal a pior, por exclusiva vontade e determinação do governo Dilma-Petista-Zika-Rousseff, o papel que vem desempenhando o extraordinário juiz Sérgio Moro nos leva a ser mais esperançosos.
Guerra contra a corrupção - Mesmo que Sérgio Moro, assim como 90% do povo brasileiro, esteja enfrentando forças poderosas a serviço de Lula, Dilma e caterva, a guerra contra a Corrupção segue acirrada, mas com algum viés de vitória para a justiça. Não a Justiça do STF, que é duvidosa, certamente. 
Dez medidas contra a corrupção - Se você, leitor, assim como eu exige um efetivo combate à corrupção, coisa que segundo as pesquisas de opinião pública lidera em termos de preocupação do povo brasileiro, trate de assinar, ou mesmo pedir que outros assinem, o Manifesto que trata das dez medidas contra a corrupção, campanha promovida pelo Ministério Público Federal. 
Lembro que ao atingir o número de 1,5 milhão de assinaturas, as Dez Medidas, através de uma Lei de Iniciativa Popular, se transformam em Lei, independente da vontade da Câmara, Senado e da Presidência do País.
Horror previdenciário - Em estudo inédito do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), que será publicado em breve, mostra um diagnóstico sobre a situação da Previdência dos Servidores Públicos do País (federal, estaduais e municipais. De acordo com o levantamento, o déficit atuarial (necessidade de financiamento para pagar todos os benefícios presentes e futuros) dos estados alcançou R$ 2,4 trilhões em 2014 - o equivalente a 43,9% do PIB e um custo per capita (por servidor ou pensionista) de R$ 543 mil. Somando a União, o rombo pula para R$ 3,6 trilhões ou 65,8% do PIB. Um horror! 
Atenção: o Assinômetro que aparece no site do MPF (assine aqui) informa que ainda faltam 67.654 assinaturas (até ontem à noite). Vamos nessa, meus caros. Só depende de nós!!! (GSPires) 
A razão escraviza todas as mentes que não são suficientemente fortes para a dominarem. (George Bernard Shaw)

Nenhum comentário: