29 de fev de 2016

A demora de justiça contra ladrões...

• Após 8 altas seguidas, analistas reduzem previsão para inflação. Taxa deve ficar em 7,57%; projeção para o PIB recua a -3,45% Cotado a R$ 3,98, dólar opera em baixa nesta segunda. 
• Datafolha: 76% dos brasileiros defendem a renúncia de Cunha e maioria dos brasileiros acredita que Lula foi beneficiado por construtoras. 
• MPF pede nova condenação de ex-tesoureiro do PT por lavagem. Vaccari ficará quieto em depoimento. 
• 51% dos brasileiros desaprovam aborto mesmo com microcefalia. 
• Nova Marina da Glória será aberta ao público em abril. Espaço está em obras para as provas de vela dos Jogos. 
• Produção da Petrobras despenca em janeiro com paradas em importantes plataforma. 
• Bilhete do metrô sobe para R$ 4,10 em abril. 
• Todos contra ela: Facções do PT já aceitam demonizar Dilma. Plano de blindar Lula passa por afastamento e oposição à Dilma. 
• Os cinco maiores bancos brasileiros controlam 76% de todos os ativos bancários do País. O relatório de dados de entidades supervisionadas pelo Banco Central mostra que ativos do Banco do Brasil, Itaú, Caixa, Bradesco e Santander somam mais de R$ 5,4 bilhões, enquanto as outras 130 instituições bancárias somadas, incluindo bancos estatais, têm apenas 24% do sistema financeiro nacional, ou R$ 1,72 bilhão. 
• Planos de saúde têm reajuste 3 vezes maior do que inflação. 
• Ministro da Justiça decide deixar governo. José Eduardo Cardozo deve deixar pasta nesta semana, segundo Monica Bergamo. Ministro pode ir para a Advocacia-Geral da União; procurador assumiria a Justiça. Análise: saída de Cardozo isola Dilma e marca o fim do 'trio vencedor de 2010'. 
• Novo megatemplo ilustra disputa de igrejas em SP para mostrar poder. Caminhões passam o dia tirando terra de um terreno de 29 mil m² - o equivalente a três campos de futebol - na marginal Tietê, uma das principais artérias do trânsito de São Paulo. As dimensões da obra lembram a construção de um estádio de futebol, mas trata-se de mais um templo religioso de grandes dimensões na capital paulista. O Templo da Graça, da Igreja Internacional da Graça de Deus, no Bom Retiro (na região central), terá capacidade para 10 mil pessoas sentadas, a mesma do Templo de Salomão, inaugurado pela igreja Universal em 2014 no Brás, também no centro. A igreja da Graça é liderada por Romildo Ribeiro Soares, conhecido como Missionário RR Soares, e cunhado do bispo Edir Macedo - líder da Universal. 

• Justiça ordena prisão preventiva de ex-namorada de Morales por corrupção. Uma juíza da Bolívia ordenou neste domingo a prisão preventiva de Gabriela Zapata Montaño, ex-namorada do presidente Evo Morales, a quem o governo acusou de suposta legitimação de lucros ilícitos, enriquecimento ilícito e tráfico de influência. A juíza Margot Pérez ordenou a detenção preventiva de Zapata na prisão para mulheres de Obrajes, em La Paz, em uma audiência cautelar realizada hoje nesta cidade, sede do governo. A procuradoria pediu que a empresária seja presa devido a um possível risco de fuga, argumento aceito por Pérez. 
• Israel investirá R$ 1,2 milhão no apoio a imigrante brasileiro. 
• Refugiados tentam derrubar barreira em fronteira grega. 
• Autoridade da oposição síria diz que trégua caminha para anulação, segundo TV. 
• BC da China volta a agir para tentar estimular economia. Premier diz que país intensificará políticas fiscais. Ações chinesas recuam e atingem mínima de um mês.

Ao investir contra Cardozo, Lula rebaixa Dilma. Lula e a cúpula do PT, finalmente, conseguiram transformar o ministro petista José Eduardo Cardozo (Justiça) em boi de piranha, aquele animal que é jogado no rio para ser comido, enquanto o resto da manada escapa. Se não for revertida, a saída do ministro deixará Dilma muito parecida com a personagem de uma história do escritor Josué Guimarães -uma mulher que diminuía diariamente de tamanho.
Compungidos, os familiares da mulher todos os dias reduziam as dimensões dos móveis, serravam os pés de mesas e cadeiras. Tudo para que ela não percebesse o próprio encolhimento. Confirmando-se a saída do superior hierárquico da Polícia Federal num instante em que a Lava Jato perscruta os calcanhares de vidro de Lula, Dilma passaria a dormir numa caixa de fósforos, preocupada com a doença que transforma seus companheiros de partido em gigantes.
O recurso à fantasia não substitui a realidade. Mas divide as atenções do noticiário político, hoje monopolizado pelas manchetes sobre a incapacidade de Lula de prover explicações críveis sobre os episódios inacreditáveis em que se meteu. Dependendo do nome que Dilma indicar para a provável vaga de ministro da Justiça, a autoridade presidencial ficará menor do que a cabeça de um alfinete. (Josias de Souza) 

As peripécias do óbvio.
O governo assaltou e arruinou a Petrobras. A tese mais elementar era esta: parte do dinheiro roubado foi desviada para as campanhas de Lula, Dilma e tutti quanti.
No Brasil, o elementar nem sempre se impõe. Almas generosas dizem: não há provas de que os milhões roubados da Petrobrás foram usados em campanha. Todo o dinheiro foi registrado no TRE: contribuições legais. As empresas que doaram são as mesmas do escândalo. O dinheiro da propina foi simplesmente lavado. As almas delicadas não acreditam que tenha havido dinheiro sujo na campanha e não fazem a mínima ideia de para onde voaram milhões de dólares. E consideram que está tudo bem com a lavagem de dinheiro, embora isso seja um crime punido por lei.
Agora a casa caiu. A prisão do marqueteiro João Santana mostra que ele recebeu dinheiro do escândalo do petróleo como pagamento pela sórdida campanha de 2014.
Fechou-se o quadro. Ele já estava desenhado no celular de Marcelo Odebrecht. Numa das anotações falava que as contas na Suíça poderiam atingir a campanha dela. Quem é ela? Se afirmar que é Dilma, as almas generosas vão dizer: há milhões de outras mulheres no Brasil.
Delcídio Amaral já havia advertido Dilma de que a prisão de Marcelo Odebrecht atingiria sua campanha, porque a empresa pagou a João Santana no exterior. Mercadante teria dito: a Odebrecht é problema do Lula.
Solidariedade zero entre eles.
Agora, vão dizer que o dinheiro de Santana foi ganho em campanhas no exterior. Ele fez algumas, no universo da esquerda latino-americana. Todas pagas regiamente. Acontece que ele enviou o dinheiro do Brasil. Por que as campanhas lhe pagariam aqui? Acontece que recebeu durante a campanha de Dilma. Por que as campanhas de fora pagariam fora do tempo?
E como se não bastasse: que outras campanhas levaram dinheiro de propina de Keppel Fels, que tem um estaleiro no Brasil, opera com a Petrobrás, e seu lobista Zwi Skornicki, destinatário de um bilhete da mulher de João Santana, Mônica, orientando-o a depositar os dólares no exterior?
As descobertas da Lava Jato apenas demonstram com provas uma tese cristalina: roubaram para permanecer no poder e acumular fortunas. Mas, sobretudo, para prosseguir no governo, entupindo as campanhas de dinheiro sujo.
Tecnicamente, a Lava Jato seguiu o caminho real: o dinheiro. É em torno da grana que eles giram como mariposas.
Além da cooperação suíça, as autoridades norte-americanas foram rápidas em enviar seus dados. Os suíços mantiveram sua disposição de colaborar.
Enfim, o cerco se fechou, uma parte considerável do mundo se alia ao povo brasileiro no esforço não só de punir os responsáveis, mas também de recuperar o dinheiro roubado.
E o governo, os políticos, os brasileiros, em tudo isso? O que era apenas uma tese que já balançava Dilma se tornou um fato comprovado com documentos. Aliás, mais documentos do que em outros casos da Lava Jato.
Se fosse uma partida de xadrez, diria que o governo levou um xeque-mate. Antes apenas se falava que a campanha de Dilma foi feita com dinheiro roubado. Agora todos sabem.
Mas o PT não é um jogador de xadrez comum, e não só porque atropela regras. Ele se distancia da própria realidade. Xadrez? Não estou vendo o tabuleiro. Antena no sítio de Atibaia? Lula não usa celular. Prisão do marqueteiro? O PT não tem marqueteiro, é apenas um senhor que nos ajuda.
De qualquer forma, será difícil acordar todas as manhãs, num país mergulhado em crise econômica, e pensarmos que ele está nas mãos de um grupo que roubou para vencer.
E não será apenas uma certeza política. Estarão lá, diante de nós, as contas no exterior, os dólares enviados, as transferências, conversões - enfim, toda a trajetória do fio condutor a que eles estão ligados: a grana.
De qualquer forma, o episódio é um momento de otimismo, na medida em que precipita a queda de Dilma.
Como as crises estão entrelaçadas, uma solução política poderia dar algum alento à economia e se um projeto de transição sério fosse levado até 2018.
O PSDB voltou do recesso dizendo que votaria os projetos de interesse do País ao lado do governo. Isso me parece correto, pois sempre fui contra as pautas-bomba que explodem no bolso dos contribuintes. No entanto, não se deve acreditar ser esse o grande problema da oposição. Seu problema é não focar na saída da crise: o impeachment. E não trabalhar com uma ideia mais clara da transição.
Olhando para o futuro próximo, não faz sentido dizer que vota a reforma da Previdência só se o PT votar também. É um tema inescapável na transição.
Orientar-se pela posição do PT é, de uma certa forma, antecipar uma disputa em 2018. Não sabemos direito como será 2018 nem se haverá PT. O problema é achar um rumo para a transição e fazê-la acontecer com a queda de Dilma.
Os acontecimentos da semana mostram que o jogo de empurrar com a barriga é apenas um esforço para levar Dilma até 2018, tudo bonitinho, faixa passada. A realidade, por meio de uma investigação competente, com apoio internacional, mostrou mais uma vez que é preciso pegar o touro à unha.
Os que esperam 2018 deveriam considerar apenas como ele será muito pior se nada for feito. Com que cara o Brasil chegará lá, dirigido por um governo corrupto, incompetente, politicamente nulo?
Quem sabe faz a hora ou espera acontecer? Ao contrário da canção, às vezes, acho melhor esperar acontecer. Mas, no caso específico, há um sentido de urgência.
Continuar com esse governo vai desintegrar o País. Uma terrível animação de Hong Kong já mostra a Baía de Guanabara poluída, atletas vomitando, a estátua do Cristo Redentor fazendo toneladas de cocô. É uma peça de humor.
Mas se parece muito com o pesadelo que vivemos no Brasil. (Fernando Gabeira, escritor, jornalista) 

Destrinchando a “Quebrando o tabu”.
Não existe outro espaço na internet brasileira em que o conceito de imbecil coletivo - um conjunto de pessoas com uma inteligência normal ou superior que se reúnem com a finalidade única de imbecilizarem-se umas as outras - se encaixe tão perfeitamente, como uma peça em um quebra-cabeça, do que a página Quebrando o Tabu. É impossível ler os seus posts e não terminar a leitura com alguns neurônios a menos ou com a capacidade cognitiva reduzida por um curto espaço de tempo.
Essa página é uma obra de arte marcusiana, onde revoltados e odientos que nasceram em berço de ouro, cheios de certezas sobre o mundo e ávidos de vontade de controlar a vida dos outros saem dizendo o que as pessoas deveriam fazer, como deveriam se relacionar, amar, gastar o seu dinheiro e pensar. Não existe um articulista ou post naquela página que não tente empurrar para o leitor as suas perversões ideológicas que vão desde o ódio virulento a polícia militar, passando pelo sexo livre desde a mais tenra idade, por um feminismo radical e misândrico e culminando com uma apologética descarada as drogas. São os frustrados da geração Z e Y, mimados e solitários, pois ninguém os aguenta, e que tentam fazer revolução enquanto não lêem, não estudam, não querem crescer como pessoas e não se comprometem em arrumar o próprio quarto.
A Quebrando o Tabu é, sem sombra de dúvidas, uma das páginas mais preconceituosas, seletivas e virulentas da internet, e eles, abusando de cinismo, adoram falar em amor enquanto acusam de fascista qualquer um que discorde das suas toscas visões de mundo. Se você não vê drogas com bons olhos, acha que os homens não devem agir como menininhas ultrassensíveis, se pensa que as pessoas devem se amar e se casar, enriquecer, progredir na vida, arcar com as consequências de suas escolhas e consumir o que bem entendem, a turba de leitores vai te rotular de centenas de -istas. Um fenômeno bem interessante de se observar é que os comentaristas dos posts e os articulistas da página só conseguem pensar por chavões e rótulos, o que denota a superficialidade e a fraqueza argumentativa dos super antenados quebradores de tabu. Esse é um dos efeitos colaterais da leitura daquela página por um tempo prolongado.
A página segue direitinho os tópicos da agenda anti-ocidente e da esquerda mundial. Atacam virulentamente as religiões, o casamento, bem como jogam negros contra brancos, homens contra mulheres, heterossexuais contra gays, veganos contra carnívoros e ricos contra pobres. Estamos falando de uma página com mais de três milhões de curtidas e cujo conteúdo tóxico tem um amplo alcance. O que é um perigo e deve ser devidamente combatido com seriedade e prudência. Demonstrando passo a passo a maneira repugnante de agir da página e desconstruindo as suas bizarras posições.
O nome da página deriva de um filme produzido em 2011 que trata sobre a questão das drogas, onde participaram figuras como Jimmy Carter, amigo de Fidel Castro, o pior e mais frouxo presidente americano antes de Obama; FHC, membro do diálogo interamericano, que é um Foro de São Paulo que usa perfume, bem como um ferrenho socialista Fabiano; e, é claro, o megainvestidor George Soros, pai da subversão mundial contra a civilização judaico-cristã, presidente de facto dos Estados Unidos neste momento e notório financiador e promotor de todas as ideias que a página defende.
Enquanto os milhões de leitores daquela página, aqueles que se deixam levar pelas suas perversões (obviamente, não são todos) estão fumando maconha, escrevendo textões contra o papai que paga o NETFLIX, ou ainda repetindo chavões na faculdade contra religiões e o sistema, xingando os homens disso e daquilo, defendendo o assassinato de indivíduos no útero, sem possibilidade de defesa e fazendo sexo com qualquer pessoa que veem pela frente, FHC, Soros e Carter estão confortavelmente instalados em suas casas com suas sólidas famílias, não estão usando drogas e vivem a vida de uma maneira regrada e ordeira, manipulando os idiotas que caíram em sua conversa-fiada pensando em se libertar, enquanto só se tornaram mais infelizes, burros, amargurados e, com isso, aumentaram suas chances de se tornarem dependentes do Estado e retroalimentaram sua revolta contra as instituições tradicionais da civilização judaico-cristã.
Existe uma vasta literatura que versa sobre essas pessoas que pensaram estar se libertando ou quebrando tabus, como diz o nome da página e, quando já era tarde demais, se arrependeram e nunca mais conseguiram consertar suas vidas. Basta ler os livros de Theodore Dalrymple: nossa cultura ou o que restou dela, Podres de mimados e a vida na sarjeta para saber o que vai acontecer com a sua vida se você agir conforme os ditames que a página prega.
Então, sempre que você ver alguém querendo quebrar tabus desconfie. Saiba que certos tabus são fruto de uma ordem espontânea, portanto, necessários para que possa existir uma civilização e uma convivência harmônica entre as pessoas. Saiba o casamento para formação de uma família é uma das maneiras mais efetivas de se proteger contra tiranias e que mais estado na sua vida só vai te deixar mais pobre; insultar sem motivo os homens simulando sentimentos, mesmo que você tente se persuadir que os sente, só te fará mais solitária e infeliz; consumir coisas de qualidade é maravilhoso e moralmente correto, desde que você tenha gerado o seu valor; e, principalmente, que a busca por enriquecer e a ascender pessoalmente são direitos inalienáveis e ninguém pode retirar isso de você.
Isso é tudo o que você precisa saber para perceber que os quebradores de tabu são uns tarados ideológicos que desejam exercer controle sobre a sua vida criando uma ilusão na sua mente de que você está se libertando quando, na verdade, está se tornando uma cobaia das perversões desse pessoal. O que você está esperando para deixar de lê-los? (Rafael Hollanda é estudante de direito do Ibmec-Rj) 
Quem quer que reivindique o direito de redistribuir a riqueza produzida pelos outros, está reivindicando o direito de tratar seres humanos como escravos. (Ayn Rand)

Nenhum comentário: