24 de out de 2015

Enem, à procura de melhorias...

• Começa hoje o Enem 2015 com 7,7 milhões de inscritos; Alunos devem ficar atentos à hora de abertura e fechamento de portões. Em todos os estados os portões serão abertos às 12h e fechados às 13h, seguindo o horário de verão. A um dia das provas, 6 milhões e 600 mil alunos acessaram cartão de confirmação. 963 mil ainda não viram local de prova e mais de 1 milhão ainda não consultaram o site do Inep. 
• Tarifa da integração ônibus-trem no Bilhete Único do Rio sobe 25% hoje. 
• Lagoa, Aterro e Méier terão policiais pagos pela Fecomércio. Inspirado no Lapa Presente, projeto vai empregar PMs da reserva e jovens militares. 
• Alta do dólar leva brasileiros a reduzir quase à metade gastos no exterior. Contas externas têm saldo negativo de US$ 3,076 bilhões em setembro. 
• Repatriação de capitais ilegais pode gerar US$ 150 bi aos cofres públicos. Congresso vai definir como as contas secretas de brasileiros no exterior serão legalizadas. Cerca de US$ 450 bilhões estão guardados ilegalmente em países estrangeiros, segundo o mercado financeiro.
• Lava Jato freia contratação de Lula para eventos. Em pouco mais de um ano, ex-presidente foi contratado para apenas seis palestras. O ex-presidente Lula afirmou nesta sexta (23), durante evento do PT em Salvador, que o Brasil vive um quase Estado de exceção com as delações premiadas feitas no âmbito da operação Lava Jato; Peço que fiquem atentos porque estamos vivendo um momento excepcional em que um cidadão é preso e tem a promessa de ser solto se ele delatar alguém. Aí ele passa a delatar até a mãe, se for o caso; o ex-presidente ainda afirmou que não dá pra viver numa sociedade onde o que vale é a suspeição, onde as pessoas são condenadas sem serem julgadas
• PGR vai cobrar de Pizzolato R$ 700 mil de gasto com extradição. 
• Membro da CPI da Petrobras, a deputada Eliziane Gama (Rede-MA) protocolou uma representação na Procuradoria-Geral da República (PGR) para que a empresa de espionagem Kroll, contratada pela Câmara, sob comando de Eduardo Cunha (PMDB), para investigar 12 personagens da Operação Lava Jato, devolva o R$ 1,18 milhão que recebeu; a empresa, que deveria encontrar ativos dos investigados no exterior, entregou à CPI apenas um relatório com colagens de reportagens e informações sigilosas dos investigados repassadas pela CPI; no texto, a parlamentar aponta para a lesividade dos atos das autoridades do Poder Legislativo Federal responsáveis direta ou indiretamente pelo possível prejuízo ao erário
• Levy nega que tenha havido atraso de repasses no Orçamento de 2015. Governo vai informar deficit parcial (pedaladas fiscais) na próxima semana. Meta será de rombo de até R$ 57 bilhões, com possibilidade de chegar a R$ 99 bilhões. 
• RBS pagou R$ 11,7 milhões para conselheiro do Carf. Documentos sigilosos vazados nesta quinta (22) comprovam que o conglomerado de mídia do Rio Grande do Sul e Santa Catarina e afiliada da Rede Globo repassou o dinheiro à SGR Consultoria Empresarial, uma das empresas de fachada apontadas pela Operação Zelotes como responsáveis por operar o esquema; empresa pertence ao advogado e ex-conselheiro do Carf José Ricardo da Silva, apontado pela PF como o principal mentor da venda de decisões do órgão que pode ter causado um prejuízo de R$ 19,6 bilhões aos cofres públicos. 
• Palocci é o personagem misterioso do caso Itaúsa. Todo mercado sabia que houve rolo para que o fundo Petros, dos funcionários da Petrobras, comprasse por R$ 3 bilhões algo que ninguém queria: a participação na Camargo Corrêa na Itaúsa, holding do banco Itaú. Agora se sabe o nome da fera que armou a operação, segundo acredita a CPI dos Fundos de Pensão: Antônio Palocci, ex-ministro de Lula e Dilma. O negócio foi desastroso para o Petros. A manipulação dos recursos, no negócio do Itaúsa, causou grandes prejuízos aos segurados do Petros, no período de 2003 a 2015. Atuando fortemente, inclusive no Instituto Lula, Palocci é conhecido no mercado como parceiro de negócios e soluções do ex-presidente Lula. A compra da participação da Camargo na Itaúsa foi fechada à revelia do Comitê de Investimentos da Petros, com prejuízo para os fundos. O deputado Raul Jungmann (PPS-PE) descobriu o papel de Palocci no caso Itaúsa, e o convocou para depor na CPI dos Fundos de Pensão. (Diário do Poder) 
• Em denúncia enviada ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra o deputado federal Nelson Meurer (PP-PR), o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou que o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa e o Partido Progressista (PP) desviaram R$ 357,9 milhões em contratos da Petrobras; Costa atuava como operador do partido na Petrobras; além de Meurer, o procurador também denunciou os dois filhos dele, por intermediarem o recebimento dos valores indevidos.
• Furacão Patricia começa a perder força no México. Patricia perde força e cai para categoria 1. Furacão mais forte da história se enfraqueceu ao migrar para o interior do México. A tempestade trazia ventos de 265 km/h quando atingiu a costa do país, agora chegam a 120 jm/h. Ainda em alerta. 
• Para FMI, Brasil só retoma crescimento em 2017. Segundo previsão do Fundo Monetário Internacional (FMI), presidido por Christine Lagarde, a economia brasileira deverá encolher 3% até o final deste ano e, em 2016, terá uma queda de 1%; segundo o chefe do grupo de análises regionais do FMI, Marcello Estevão, o Brasil está no meio de uma recessão e é necessário que o país dê prosseguimento ao ajuste fiscal e implante uma política monetária que reduza a inflação. 
• Brasil usou Itaipu para ajudar Venezuela a entrar no Mercosul. Dilma disse a Chávez que acordo elevando valor de energia serviria para persuadir Paraguai. 
• Após 12 anos, casal Kirchner deixa legado controverso na Argentina. Novo presidente terá de lidar com o deficit deixado por Cristina, cujo futuro ainda é enigma.

Quase ninguém mais chama Lula, o milionário, para dar palestras! 
. Depois da Lava-Jato, convites minguaram. Por que será? Entre 2011 e 2014, o homem faturou R$ 27 milhões.
. Ah… A Lava-Jato, como se sabe, não pegou Lula - e acho que nem vai pegar. Também não vai importunar Dilma. Tudo leva a crer que vai consolidar a farsa de que o petrolão foi uma tramoia unindo empreiteiros maus e políticos de segunda linha. Mas causou ao menos uma dificuldade para Lula - e, por óbvio, expõe a natureza do que ele fazia.
. Suas palestras minguaram. Na verdade, elas praticamente acabaram, até porque 38,57% da sua parolagem remunerada foi paga por empreiteiras investigadas na operação.
. Segundo informa reportagem da Folha, de março do ano passado, quando começou a Lava-Jato, até junho deste ano, o Apedeuta concedeu apenas seis palestras pagas - uma a cada 75 dias. Nos cinco primeiros meses deste ano, houve apenas um convite. Comparem: de 2011 até o início da operação, foram nada menos de 64 eventos Brasil e mundo afora - um a cada 18 dias.
. Por que será que as empresas e os negociantes começaram a ficar com medo de Lula? Desde que os empreiteiros começaram a ser presos, o Babalorixá de Banânia não recebeu mais nenhum convite desse setor para falar.
. Já escrevi e reitero aqui: não há mal nenhum em um presidente da República, no exercício de sua função, defender empresas brasileiras no exterior. Os governos da Suécia, dos EUA e da França fizeram no Brasil a defesa dos caças de seus respectivos países.
. É preciso distinguir essa atividade, que é parte das atribuições de um governante, do lobby vicioso, que é aquele exercido por uma figura poderosa da República, com amplo acesso aos negócios do Estado.
. Indagada sobre os números, a direção do Instituto Lula deu uma resposta grosseira: o foco do ex-presidente não é o lucro, diferente de uma empresa privada como o Grupo Folha, que publica a Folha de S.Paulo, mas sim trabalhar pelo Brasil, sempre dentro da lei. E emendou: Fazer palestras é apenas o exercício legal e legítimo que ele tem de ter um trabalho e uma fonte de renda.
. Opa! Lula tem fonte de renda. Recebe duas aposentadorias que somam perto de R$ 10 mil - por invalidez e como perseguido político (acreditem!). Tem ainda à sua disposição, como ex-presidente, dois carros de luxo, sem limite de gasolina, e oito funcionários. Nota: até Collor, que foi cassado, conserva essas regalias.
. Mais: a empresa que edita a Folha, privada que é, também busca o lucro, é claro! E, até onde se sabe, o faz dentro da lei. E, como se sabe, lucro não é pecado nem é crime. Inaceitável é um político usar as regalias que lhe garante o cargo que ocupou ou ocupa para fazer negócios escusos ou obscuros.
. Entre 2011 e 2014, segundo revelou a VEJA, A LILS, empresa de palestras do ex-presidente, recebeu a bagatela de… R$ 27 milhões. Para ficar nos termos do Instituto Lula, isso é que é fonte de renda!!!
. Lula poderia doar ao menos a aposentadoria de perseguido pela ditadura para as criancinhas pobres, né? Em vez disso, como a gente sabe, as suas ex-criancinhas também enriqueceram. (Reinaldo Azevedo) 

Só o convencimento não basta.  
Enfim, convencidos - Se até pouco tempo algumas pessoas ainda se mostravam resistentes e/ou pouco convencidas de que a atual crise econômica, que atinge o Brasil e, com força redobrada o RS, só poderia ser vencida com mudanças sérias, firmes e decisivas, neste momento, por tudo que tenho ouvido e lido, esta percepção já é uma unanimidade nacional. E internacional. 
Distância longa - Este convencimento, no entanto, significa que todos concordam apenas com o diagnóstico. Daí para aceitar o tratamento rigoroso que a situação exige, infelizmente, a distância ainda é muito longa. Até porque, quando se fala em perda de vantagens, privilégios e outros tantos direitos adquiridos, aí nem pensar.
Despesas obrigatórias - Vejam que as despesas obrigatórias, que por lei os governos são obrigados a honrar, chegaram a um nível tal onde não há recursos suficientes para serem pagos. Isto tudo independente da altíssima carga tributária que os pagadores de impostos se veem obrigados a pagar.
Aceitação pacífica - Ora, por mais que alguém goste, queira ou exija, qualquer despesa só pode ser paga desde que haja recurso para tanto. A partir daí, portanto, é preciso que todos entendam, definitivamente, que a aceitação pacífica quanto ao pagamento de privilégios e vantagens, absolutamente injustas, precisa ser revista. Com urgência.
Falta coragem e interesse - Em sociedades dotadas de alguma inteligência, o caixa não precisa chegar ao ponto de saturamento para que decisões corretas sejam tomadas. No Brasil e no RS, infelizmente, onde falta educação, mas sobra muito populismo, os governos não tem coragem, nem interesse, em cortar despesas obrigatórias indecentes.
Única saída - Até agora, como se sabe, a saída encontrada pelos governantes, para enfrentar as tais despesas obrigatórias, travestidas de privilégios adquiridos tem sido uma só: aumentar a carga tributária.
O problema está no caixa - Pois, dentro da mesma lógica com que praticamente 100% dos brasileiros estão em campanha aberta por menos impostos, principalmente com relação a volta da CPMF, é preciso que, de forma desesperada, lutem pelo fim dos direitos e privilégios adquiridos. Desta vez até eventuais problemas de consciência deixam de existir. O problema está, exclusivamente, no caixa.
Dois mil e crise - Como nada vai acontecer por milagre, mas por vontade de mudar, a hora é esta. É preciso, portanto, aproveitar a aceitação e o convencimento de que o diagnóstico é correto e partir, definitivamente, para o tratamento. Quanto mais cedo, menor será a presença da crise
Em tempo: este foi apenas o ano de dois mil e crise. O próximo já assegura que será o ano de dois mil e catástrofe... (GSPires)

Nenhum comentário: