1 de ago de 2015

Cautela e caldo de galinha...

• PT reagiu ao ataque à sede do Instituto Lula, que ocorreu na noite de quinta (30); um bomba foi jogada no local; diversos políticos petistas criticaram a ação; o presidente nacional do PT, Rui Falcão, repudiou o atentado; Inaceitável essa escalada de ódio contra o PT. Consequência da criminalização proporcionada por alguns setores da sociedade, afirmou; em nota, o diretório estadual do PT, presidido por Emidio de Souza, afirmou que esse ato e outros que ocorreram em São Paulo (ataques contra os diretórios do partido em Jundiaí e na capital paulista) refletem a escalada da intolerância e do ódio que alguns setores da sociedade e da mídia têm amplificado nos últimos meses; vice-presidente do partido, Alberto Cantalice, disse que ataque demonstra o quanto é maléfica para a democracia o insidioso processo de demonização em curso e cobrou punição dos responsáveis e elucidação dos fatos. 
• A Corregedoria do Conselho Nacional do Ministério Público arquivou nesta sexta (31) a reclamação disciplinar apresentada pelo ex-presidente Lula contra o procurador da República no Distrito Federal, Valtan Timbó Mendes Furtado; de acordo com o corregedor nacional do MP, Alessandro Tramujas, o procurador agiu dentro de suas atribuições e apenas decidiu aprofundar as investigações; a defesa do ex-presidente pode recorrer ao plenário do Conselho do MP contra a decisão. 
• Maioria da população diz ter medo da PM. De acordo com pesquisa realizada pelo Datafolha, 62% relataram o temor. 
• Projeto de lei quer o fim do anonimato na internet. A Câmara dos Deputados debaterá um projeto de lei que pretende acabar com o anonimato na internet brasileira. O PL 1879/2015 quer alterar o Marco Civil da Internet para incluir a exigência de guarda do nome completo e número CPF dos internautas que quiserem publicar alguma coisa na rede. 
• Governo busca uma forma de tributar a internet. A internet está na rota de tributação do Governo. O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, argumentou na última terça-feira, 28, que este é um dos temas globais. A ideia, segundo informa o Estadão Conteúdo, é compensar as dificuldades em aumentar as receitas e a queda na arrecadação. O ministro lembrou que alguns provedores estão no exterior, então o governo precisa encontrar uma forma de tributar o setor. Cada vez que a economia vai para uma direção, temos que discutir uma maneira correta de tributar essa direção. O tamanho e distribuição da carga tributária são importantes para o dinamismo da economia, ressaltou Levy. 
• AGU cobra empreiteiras por prejuízos na Petrobras. Órgão entrou na Justiça por ressarcimento de danos aos cofres públicos. 
• Entidade ligada a ministro do TCU é suspeita de fraudes. ONG firmou contrato de R$ 2,9 milhões para treinar petroleiros. 
• Cameron diz que deportará enxame vindo do Eurotúnel. Segundo premiê, Reino Unido não abrigará imigrantes que cruzam o canal. 
• Diversionismo perigoso. Maduro reacende disputa territorial com a Guiana para desviar debate de problemas da Venezuela. Forças Armadas da Venezuela ocupam armazéns privados. Principal alvo é fábrica de alimentos Polar, maior empresa do país. 
Só sei quem é o Lulinha por foto na internet, diz dono da Friboi. Aqui

Lula remexendo fezes de gato. . Para tomar essa decisão desastrada, o esperto devia estar de porre. A VEJA, em várias edições passadas, publicou reportagens bem mais cabeludas, e o cara não deu um pio, porque sabe que fezes de gato fedem mais quando remexidas. Agora, quando finalmente entrou na mira do MPF e sabe que está enrascado, vem com essa onda de santo ofendido, pra ver se tumultua um pouco o ambiente, para ver se isso o ajuda. Um sonho de bebum.
. O seu filhote, Fábio Lulinha, que passou de limpador de celas de animais no zoo a empresário milionário, tentou a mesma proeza e deu-se mal. Perdeu a causa e ainda teve que pagar as custas do processo. (AC) Aqui
• Personagem de manchete da Veja, Lula recorre à Justiça contra jornalistas. Aqui
• Zimbábue pede extradição de americano que matou leão símbolo do país. Dentista Walter Palmer pagou o equivalente a R$ 170 mil para caçar leão Cecil.

Notórios e famigerados. 
. Um colega narrou-me como verídico o fato que resumo a seguir.
. O provimento de cátedra na Faculdade de Medicina exigiu do professor Chinaglia a elaboração de uma tese sobre assunto da sua especialidade. Incluiu nela citações de um cientista de fama internacional, atribuindo-lhe o qualificativo famigerado. Este adjetivo constava no Pequeno Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa, predecessor do Aurélio, como significando famoso, dotado de fama, notável, célebre; mas não mencionava o sentido pejorativo - mal afamado, infame - apesar de ser esta a acepção mais usada na linguagem corrente, talvez a única conhecida pela maioria das pessoas.
. A inclusão do adjetivo na tese era uma casca de banana proposital, e coube a um dos examinadores, catedrático baiano, protestar enfaticamente contra essa referência pejorativa ao tão renomado cientista. Em sua defesa, Chinaglia declarou-se surpreso com a censura do examinador, em seguida leu todo o verbete no dicionário, que tivera o cuidado de levar consigo. Conquistou a cátedra, mas o troco veio no banquete em sua homenagem. O loquaz professor baiano encerrou sua saudação com estas palavras: - ... E quando eu chegar à Bahia, vou dizer aos meus amigos que tive a grande honra de examinar e aprovar o famigerado professor Chinaglia.
. Por ter dado azo a esse episódio, e principalmente aos comentários que circularam rapidamente, o dicionarista Aurélio julgou conveniente defender-se na edição atualizada, embora sem reconhecer a falha. Se tiver tempo e curiosidade, procure o verbete famigerado e veja a forma habilidosa como ele o fez.
. Os significados mais elogiosos ou pejorativos convivem tacitamente numa mesma palavra ou expressão, e muitas vezes só se distingue o sentido intencional observando o tom com que foi usada. O mais ofensivo e infamante xingamento da nossa língua (no inglês, seria bastard) pode gerar uma briga feroz, ou então uma boa gargalhada dos dois interlocutores, dependendo do modo como é dito. E creio que o mesmo acontece em outros países, talvez todos.
. Li em um escritor (não me pergunte o nome) que os americanos têm dificuldade para distinguir entre fama e notoriedade. De fato, em dicionários de inglês o verbete notorious inclui significados pejorativos, como também neutros que podem ser tidos como elogiosos: notório, público, evidente, manifesto; desacreditado, de má fama, de má reputação; famigerado (eis a casca de banana do Prof. Chinaglia). Nessa miscelânea de significados, Al Capone e Frank Sinatra seriam igualmente notorious.
. Logo depois do atentado contra o presidente Ronald Reagan, noticiou-se que a intenção do criminoso era causar boa impressão a uma famosa atriz de cinema. Qual seria, na imaginação dele, o caminho para esse crime chegar a impressioná-la? Que grosseira distorção mental teria vinculado na cabeça dele uma coisa com a outra? É certo que ele se tornaria notorious, como de fato aconteceu. Mas bastaria esse tipo de notoriedade para ele ser aceito pela atriz? Nunca se sabe, a julgar pelo que afirma o tal escritor. E é bem possível que haja motivações desse gênero entre os serial killers e outros criminosos.
. Fama e notoriedade se misturam também na calçada da fama, em Hollywood, onde milhares de lajotas com características especiais exibem depressões, gravadas cada uma pelo pé de um figurão cinematográfico. Famigerados de todos os quilates celebrizaram assim os seus pés. Homenagem estranha, que eu só conceberia para alguém como o Pelé, ou até o Maradona, talvez o governador Pezão. Mas prefiro não discutir se os idealizadores dessa homenagem dão mais valor à cabeça ou à pata...
. Se as coisas são assim por lá, não espanta que em Pindorama a confusão de sentidos seja tão generalizada, a ponto de muitos já estarem considerando famigerados todos os políticos, por exemplo. O noticiário dos últimos meses dá ampla base para esse conceito, mas acho muito arriscado generalizar, especialmente quando os famigerados estão no poder.
. Diante desse risco, apresso-me em declarar que todos os políticos são famigerados em um sentido, mas nem todos o são também no outro. Deixo assim em paz minha aljava com as flechas, e ao mesmo tempo me protejo contra eventuais aborrecimentos futuros. (Jacinto Flecha) 

O messias e a travessia! 
. Essa tal da paciência que a presidente prega de que é preciso ter com o governo, eu não tenho mais.
. A presidente Dilma Rousseff resolveu gravar no último fim de semana cinco vídeos, com duração entre 30 segundos e um minuto, que serão divulgados nas redes sociais a partir desta semana. Se alguém vê nisso uma estratégia, parabéns, pois é mesmo. Até porque assim ela não corre risco de haver um novo panelaço ao vivo e porque quem hoje aguenta mais que um minuto ouvir a presidente falar? E com certeza ela não quer atrasar o começo de Babilônia.
. Em um dos vídeos, Dilma aborda a crise política e econômica, fala da necessidade do ajuste fiscal e diz que o momento que vivemos é apenas uma travessia para dias melhores. Só faltou ela se intitular o messias que nos conduzirá para a terra prometida. Sim, Dilma prometeu uma terra com empregos, menos analfabetos, fartura, mesa cheia, folhas de pagamento nas empresas desoneradas, um combate forte contra a corrupção, punição sem medo e sem distinção de credo, cor e partido. Prometeu uma Pátria Educadora, mais escolas, creches, mais PAC´s, uma Olimpíada no Rio de Janeiro padrão FIFA, transparência e várias outras coisas.
. Na verdade Dilma e Lula, principalmente, sempre se consideraram os escolhidos por Deus para libertar o povo brasileiro do obscurantismo. Mas o problema foi que eles resolveram fazer o caminho da cabeça deles, preferiram pegar um atalho e deu no que ainda está dando e que pelo visto não tem prazo para acabar.
. Será, então, que vamos levar os mesmos 40 anos - ou até mais no nosso caso - que Moisés levou quando conduziu o povo hebreu pelo deserto a caminho da tal Terra Prometida da qual já falei anteriormente, para perceber que Lula durante oito anos e Dilma durante (ainda) cinco anos, estão sim levando o povo brasileiro cada vez mais para perto das trevas? Por quanto tempo então mais vamos esperar? Será que ainda não deu para perceber que com esses condutores o trem está desgovernado?
. Essa tal da paciência que a presidente prega que é preciso ter com o governo, eu não tenho mais. Na verdade, ela passou a não existir a partir do momento em que Lula subiu a rampa do Planalto.
Com Dilma não existe mea-culpa!
. É fato. Com Dilma - e também com Lula - nunca existiu essa tal de mea-culpa. Imagina se Lula ou Dilma iriam admitir alguma culpa no que quer que seja.
. A mais nova não é minha mea-culpa foi imposta por Dilma à investigação Lava-Jato. Com a economia em frangalhos e para ter quem culpar, Dilma afirmou que a queda no PIB é de inteira responsabilidade da Lava Jato, ou talvez em outras palavras do juiz Sérgio Moro.
. Em nenhum momento Dilma culpou a corrupção na Petrobras como a culpada pela queda do PIB. A culpa recaiu justamente em quem investiga e não nos investigados.
. E depois temos que escutar que esse é um governo sério. Fala sério né?
Metástase!
. A Operação Lava Jato a cada novo passo que dá mostra, sem vergonha nenhuma, que o câncer chamado corrupção não se restringe a um órgão somente, no qual fosse possível tirar as células cancerígenas para que o resto do corpo Brasil ficasse debilitado, mas não morto. Mas com a possibilidade do presidente licenciado da Eletronuclear, Othon Luiz Pinheiro da Silva, preso na última terça-feira, 28, numa nova fase da Lava-Jato, pela possibilidade de ter recebido R$ 4,5 milhões em propina pagas pela Andrade Gutierrez e Engevix, mostra sem sombra de dúvida que o câncer corrupção se espalhou de forma que não existe mais controle sobre ele.
. A cada nova ressonância feita pela Polícia Federal vai se tomando conhecimento de novos órgãos do corpo Brasil que estão comprometidos. E pelo que vimos até agora, parece que o corpo Brasil está 100% comprometido. Tudo é questão de tempo e da revelação desses exames.
. Chegamos ao ponto onde quimioterapia e radioterapia não são mais eficazes nem eficientes. Chegamos ao ponto onde somente um transplante pleno poderá frear o avanço do câncer. Mas para que esse processo possa começar é necessário que a célula mãe e a célula pai cancerígenas sejam extirpadas da face de Brasília para nunca mais voltar. (Claudio Schamis)

Nenhum comentário: