30 de abr de 2015

Quem briga pelo que e por quem...

• Prazo para entrega do Imposto de Renda acaba hoje. 
• Após confronto, professores marcam reunião para definir rumo da greve. Projeto que propõe mudanças na Previdência foi aprovado na quarta (29). Houve confronto durante a votação e mais de 200 pessoas ficaram feridas.
• Governo vai prorrogar o Cadastro Ambiental Rural. Há estados avançados nos registros, como DF, MT, AC, AM e TO, e outros muito atrasados, como na região Nordeste, entre eles AL, CE e PE. 
• O Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) de abril acelerou de 0,98% em março para 1,17% em abril, segundo revelou hoje a FGV. Com isso, o indicador acumula alta de 3,22% no ano e o acumulado em doze meses acelerou de 3,16% em março para 3,55%. E a meta? 
• Vale tem prejuízo de R$ 9,5 bi no 1º tri com alta do dólar. No 1º trimestre de 2014, mineradora teve lucro de quase R$ 6 bilhões. Embraer tem prejuízo de R$ 196 milhões 1º tri. 
• Brasil mata mais jovens negros da periferia. Segundo dados do Mapa da Violência de 2014, a principal vítima é a juventude pobre e de baixa escolaridade; os homicídios de pessoas na faixa entre 15 e 29 anos de idade custaram ao Brasil cerca de R$ 88 bilhões em perdas no ano passado, ou 1,6% do Produto Interno Bruto (PIB), mais que os R$ 82 bilhões estimados em 2013, conforme cálculo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). 
• Em laudo preliminar, pá de helicóptero que caiu em SP estava quebrada, aponta perícia. Acidente matou 5, incluindo o filho de Alckmin. 
• Contas do país registram pior superávit para o 1º trimestre em 17 anos. Governo acumulou superávit primário de R$4,7 bilhões nos primeiros três meses do ano, o pior resultado para o período desde 1998. 
• Lava Jato - Calote de investigadas pode quebrar 200 empresas. 
• Gilmar amplia pressão sobre campanha de Dilma. Relator das contas da campanha de Dilma Rousseff no TSE, o ministro Gilmar Mendes prorrogou por um ano a abertura dos arquivos eletrônicos da prestação de contas da presidente e do comitê financeiro do PT em 2014; segundo a colunista Vera Magalhães, ele justifica no despacho que a revelação de fatos gravíssimos relacionados à campanha evidenciam a imperiosidade de manter franco acesso aos documentos
• Marta Suplicy: presta um relevante serviço ao País ao denunciar os desmandos do PT no poder, com a credibilidade de fundadora do partido que ocupou postos importantes na vida pública; é mais um prego cravado na urna mortuária da reputação da legenda que há mais de 12 anos chegou ao poder com a ambiciosa pretensão de reinventar o País, mas acabou se rendendo à tentação de, em benefício próprio, transformar esse poder num fim em si mesmo
• Aneel impõe derrota a Belo Monte e usinas do Rio Madeira. A Agência Nacional de Energia Elétrica rejeitou os argumentos das usinas hidrelétricas de Santo Antônio, Jirau e Belo Monte. E agora o futuro desses projetos está em questão. 
• Novo atraso ameaça operação de rival do Ibope. Instituto alemão GfK, contratado por Record, Band, RedeTV e SBT para medir a audiência da televisão brasileira, adiou mais uma vez o início de suas operações no Brasil; desta vez, o motivo alegado foi a dificuldade para instalar medidores em favelas, o que já gera desconforto entre os clientes, que investiram US$ 130 milhões para tentar ampliar seu naco na publicidade, num momento de grande crise na mídia. 
• Réu na Operação Lava Jato, o policial federal afastado Jayme Alves de Oliveira Filho, o Careca, que revelou em delação ter repassado R$ 1 milhão ao ex-governador de Minas Antonio Anastasia (PSDB) segue desaparecido; o juiz Sérgio Moro mandou soltá-lo e agora ele é considerado fugitivo; a PF estuda colocá-lo na lista da Interpol; a investigação do caso foi prejudicada porque depende do depoimento da testemunha. 
• Dilma retoma modelo de concessões adotado no governo FHC. Na nova etapa do seu programa de privatização, o governo resolveu reabilitar a ideia de cobrar pagamentos pelas concessões de serviços públicos ao setor privado. 
• Nigéria diz que resgatou centenas de mulheres de provável território do Boko Haram. No entanto, as centenas de estudantes, que foram sequestradas no Chibok há mais de um ano, não estão entre as resgatadas. 
• Estado Islâmico executou mais de 2 mil pessoas na Síria. O grupo terrorista Estado Islâmico executou ao menos 2.154 pessoas desde que começou a criar o seu califado na Síria, em junho do ano passado.

O STF e a Indonésia.
Investigações prejudicadas - Enquanto o juiz Sérgio Moro faz o que está ao seu alcance para obter provas e informações para esclarecer o assalto que o PT patrocinou aos cofres da Petrobras, já considerado como o maior roubo da história mundial, a Corte Suprema, instituição que deveria ser a guardiã da Justiça e da honestidade, de forma descarada trata de prejudicar as investigações. Pode?
Já pra casa! - Ontem, infelizmente, como está sendo amplamente noticiado, sem dar a mínima para a sociedade que grita desesperadamente pelo fim da corrupção, três ministros do STF, constituído maioria para decidir, simplesmente mandaram para casa aqueles que poderiam contribuir para apontar os reais responsáveis pelos crimes praticados contra a Petrobras.
Comprometimento - Queiram ou não, o fato é que os votos dados, principalmente pelos ministros Teori Zavascki e Dias Tófoli, que de antemão não escondem o comprometimento que têm para com o governo do PT, partido para o qual morrem de paixão, foram decisivos para o Habeas Corpus em favor dos investigados. 
Justiça - Confesso que tão logo li a triste notícia o meu pensamento se deslocou para a figura incansável do juiz Sérgio Moro, como que em busca de alguma reação a respeito da falta de respeito. Até porque faço parte dos mais de 70% dos brasileiros (como dizem as pesquisas) que mostram grande admiração pelo trabalho desenvolvido pelo incansável e correto representante daquilo que entendo como Justiça.
Paixão por bandidos - Pois, enquanto o governo brasileiro se esforçava de todas as formas para tentar evitar o fuzilamento do brasileiro traficante de drogas na Indonésia, o STF julgava o Habeas Corpus que decidia a soltura de vários investigados na Operação Lava Jato. Ou seja, o governo brasileiro-petista (não é de hoje) gosta mesmo é de bandidos.
Suicídio - A propósito: mesmo sendo um tema controverso, no meu entendimento o fuzilamento do brasileiro se resume em um suicídio. Sim, porque ele e todos que entram na Indonésia sabem muito bem que a pena para quem trafica drogas é de morte. Ou seja, quem não dá a mínima para o castigo age da mesma forma como, por exemplo, um fumante inveterado: sabe que está se matando.
Pena de morte - Finalizando: se o governo brasileiro se voltasse para controlar a corrupção, a violência, a inflação e dar maior liberdade para fazer a economia crescer, bem antes de ficar desferindo críticas à IGP-M de abril. 
. A soberania da Indonésia, é provável que a nossa situação estivesse menos ruim. Mais: no Brasil a pena de morte existe. Sem julgamento. Os números dos homicídios atestam esta verdade. (GSPires) 

As negociações falaciosas com as FARC. 
1. Enquanto o mundo oficial celebra o acordo de Obama com Raul Castro, através do qual os EUA fornecem um balão de oxigênio ao regime comunista para que este possa sobreviver e fortalecer-se, os sanguinários líderes das FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), reunidos em local privilegiado daquela ilha de miséria e opressão, continuam a mandar seus sequazes assassinarem os colombianos. Desta feita foram apenas onze militares, surpreendidos covardemente numa emboscada no Cauca (sudoeste do país) na noite de 14 para 15 de abril.
2. Este crime, que deveria ser objeto dos maiores protestos das autoridades civis, militares e religiosas do mundo civilizado, bem como das organizações dos direitos humanos, mostra mais uma vez quão falaciosas são as atuais negociações do governo colombiano com a narcoguerrilha marxista em Havana. Desgastados no seu longo intento de assenhorear-se do país através das armas, seus atuais líderes esperam o momento de o fazer guindados pelos atuais governantes a posições-chave do cenário nacional.
3. Assim, à mesa das negociações que se realizam em Cuba com o apoio do episcopado colombiano e de inúmeros governos, encontram-se, de um lado incansáveis partidários da política de concessões e do diálogo, que acreditam na boa-vontade e na sinceridade de mentirosos celerados, e acham que cantando preparem uma mesa para mim bem na face do inimigo e sorrindo-lhes os conquistam. E, do outro lado, esses adversários sanguinários, soezes e totalmente determinados, que não hesitarão um só instante em recorrer a não importa que método for, com tal de alcançarem seus objetivos.
4. Não passa de medida político-militar sem maior alcance a ordem do presidente Juan Manuel Santos de voltar a bombardear objetivos das FARC. Ela parte de alguém de espírito desarmado, que adotou o lema a paz a qualquer preço diante um inimigo irredutível. O que é preciso bombardear antes de tudo são as conversações suicidas de Havana e a mentalidade entreguista do governo que as preside. Mas o presidente colombiano parece não disposto a tal, pois já anunciou que elas continuarão.
5. Numa atmosfera de falsa normalidade, com mais de 12 mil militares de todas as patentes presos nos cárceres colombianos enquanto líderes narcoguerrilheiros negociam com o governo e impõem condições, ou os colombianos abandonam o seu letargo e voltam a se manifestar maciçamente nas ruas exigindo uma total mudança de rumo, ou correm o sério risco de verem seu país ser entregue a inimigos inveterados, inescrupulosos e brutais. (Hélio Dias Viana)
Todo mundo conhece a lei do retorno, mas só os brasileiros conhecem a lei do desvio.

Nenhum comentário: