21 de set de 2014

O PT se repartilha e vai fundo. O povo ó....

Declaração de voto 

Teoricamente adequada e bem colocada a Declaração de Voto abaixo, do colega Eugênio Mancini. No fundo, é mais ou menos por aí: a corrupção não é um privilégio do PT e está disseminada em todos os partidos políticos, inclusive em seu núcleos menores, nos Estados e nas Prefeituras!

Digo teoricamente porque, como assinala o Manfredo, o PT realizou um salto qualitativo de corrupção e de degradação da Ética, praticamente institucionalizando e tornando oficial, aquilo que sempre ocorreu em nosso País, de modo furtivo e velado!

Além do mais, como sempre deixo bem claro, existem no Brasil de hoje, dois PT`s, distintos e separados: o PT legítimo e o PT apóstata, dominado e conduzido por sua chamada ala majoritária, que é quem governa o País!

Esse PT apóstata e essa ala majoritária, além de corruptos - no que se igualam a todos os demais Partidos! - é composta basicamente por criminosos da pior espécie, aí incluídos indivíduos desclassificados como Lulla, DIImáh, Gilberto Carvalho, Franklin Martins, Marco Aurélio toc toc, Paulo Vanucci (e vários de seus parceiros prioritários, como Sarney, Calheiros, Collor, Barbalho), e outros desse quilate, autores do PNH-3 e do Decreto 8.243 que, basicamente, tentam levar o nosso País para caminhos que, certamente, não são aqueles que a maioria da população deseja.

Esse tipo de governo do PT apóstata não tem nada a ver com os avanços que foram conseguidos pela alma daquele PT legítimo, como destacado pelo Mancini: ...políticas públicas voltadas para a inclusão econômica e social, que promoveu uma maior distribuição da renda nacional, reduziu a miséria, valorizou o salário mínimo, elevou o nível de emprego e melhorou a vida das camadas mais necessitadas da população... 

Para mim, essa é a questão básica que, de certo modo, invalida na prática, a bem fundamentada exposição de motivos do colega Mancini.

Por essas e outras é que, igualmente, usando o meu direito de escolha e de pensar diferente, faço também minha Declaração de Voto: Meu voto é contra o PT apóstata, hoje e sempre! (Márcio Dayrell Batitucci) 

As estatísticas apresentadas são adequadas? Talvez não se possa dizer mesmo só do PT, mas sim, de todos os partidos. O que há de novo é que o PT comandou um salto qualitativo (negativamente, á claro) na secular endemia de corrupção brasileira. (Manfredo Rosa) 

ooo0ooo 

Declaração de voto

Cada pessoa tem o direito de pensar diferente e proceder de acordo com as suas convicções, desde que respeite o igual direito dos demais indivíduos. Essa é a base da liberdade e do convívio democrático. Nos últimos tempos, tenho notado uma atitude de patrulhamento contra aqueles que, de alguma forma, manifestem simpatia pelo governo atual. As críticas vêm acompanhadas, quase sempre, de um sentimento de rancor, frustração e revanchismo contra o PT e, muitas vezes, associa o apoio ao governo à aceitação ou tolerância dos atos de corrupção que vêm sendo denunciados. Baseada em emoções e preconceitos, essa atitude carece de racionalidade e afasta o debate inteligente e produtivo.

O Fantástico de domingo passado apresentou uma reportagem sobre a inundação do Rio Mundaú, que arrasou dezenas de municípios em Alagoas e Pernambuco. Embora o Governo Federal tenha transferido R$3 bilhões para os estados e municípios atingidos, os recursos foram em grande parte desviados por esquemas de corrupção locais e os equipamentos sociais (escolas, postos de saúde, hospitais e outros) não foram, até hoje, completamente recuperados. Os prefeitos que foram denunciados pelo MP e estão sendo processados são, em Pernambuco, do PSB e, em Alagoas, do PSD, todos eles ligados aos respectivos governos de estado. Essa revelação fez lembrar o fato de que o Governo Federal também transferiu R$320 milhões para recuperar os estragos causados pelas tragédias de Teresópolis e Nova Friburgo, em áreas políticas dominadas pelo PMDB, com resultados semelhantes.

Ainda hoje repercute, no Rio de Janeiro, o desbaratamento de duas quadrilhas de policiais, com participação do alto escalão da PM, ligado a um governo do PMDB. Ninguém desconhece, também, o que ocorreu em governos do PSDB em São Paulo, com os trens urbanos e o Metrô. Em Brasília, foi o mensalão do DEM e, em Minas, o mensalão tucano. Se corrermos o Brasil inteiro, vamos encontrar um grande número de casos similares.

Pois bem, em nenhum desses casos escabrosos, da mais deslavada corrupção, ocorreu qualquer influência ou participação do PT. Isso não significa que falcatruas não ocorram onde o PT tem comando e longe de mim isentar qualquer partido político de culpa neste cartório, porém, é necessário ressaltar o fato de que, em todo o Brasil, o Partido dos Trabalhadores comanda apenas 5 dos 27 estados (AC, BA, DF, SE e RS), 4 capitais (Goiânia, João Pessoa, Rio Branco e São Paulo) e 18 cidades dentre as 100 maiores do País, excetuadas as capitais.

Sabemos que os problemas que mais afligem a população brasileira estão relacionados com a prestação de serviços nas áreas da saúde, educação, segurança e mobilidade urbana. Esses serviços são, em sua quase totalidade, oferecidos à população pelos estados e municípios, a partir de recursos gerados internamente - ICMS, ISS, IPVA, IPTU - e de recursos transferidos pela União via FPEM, royalties do petróleo, verbas específicas e de outras origens. Portanto, se existem atos de corrupção, falcatruas e malfeitos nessas áreas, devemos orientar a nossa indignação para os respectivos governos estaduais e municipais, sejam de quais partidos forem.

Diante dessa realidade, a crítica uníssona e virulenta que se assiste hoje, na imprensa e nas redes sociais, contra o PT e o Governo Dilma perde todo o sentido e racionalidade. Mesmo quando o malfeito ocorre no nível do governo federal, é preciso lembrar que o Partido dos Trabalhadores não governa sozinho e que os partidos ditos aliados - PMDB, PP, PTB, PL, PR, PDT, e outros - exercem, na prática, poder ainda maior que o do próprio PT. Com certeza, esses serão partidos aliados de qualquer presidente que venha a ser eleito este ano.

A grande diferença entre as candidaturas postas hoje é que um segundo mandato para Dilma será a única forma capaz de garantir a continuidade e a complementação de tudo o que de bom aconteceu no Brasil nos últimos tempos. Refiro-me, especificamente, à efetiva execução de políticas públicas voltadas para a inclusão econômica e social, que promoveu uma maior distribuição da renda nacional, reduziu a miséria, valorizou o salário mínimo, elevou o nível de emprego e melhorou a vida das camadas mais necessitadas da população. Quanto à cruzada moralista contra a corrupção, em tudo semelhante às de 1964 e 1989, lembro que foi nos governos do PT que se estabeleceram os mecanismos mais eficientes de combate a essa doença endêmica da sociedade, mediante a reestruturação, o fortalecimento e a liberdade de ação da Polícia Federal e do Ministério Público e da edição da Lei Anti-Corrupção. Nada disso funcionava em governos anteriores e é por isso que, hoje, tomamos conhecimento das falcatruas, podemos nos indignar contra os atos de corrupção praticados pela classe política e pelo setor privado e exigir a punição dos responsáveis.

Sabemos dos males que a aliança tucana pode causar ao País. Marina, em meu julgamento, acabará cooptada pelo ideário liberal/ conservador/internacionalista, na tentativa de conseguir um mínimo de governabilidade. O meu voto será, portanto, pela reeleição de Dilma Roussef. (Eugênio Mancini)




A n o s o g n o s i a 

Que alívio ter conhecimento disto! (e que nome mais estranho...)

Já faz algum tempo que andava preocupado porque: 

• Às vezes não me recordo de alguns nomes próprios; 
• Às vezes esqueço onde deixo algumas coisas; 
• Quando tenho que interromper o pensamento numa conversa, sinto dificuldades em continuar no ponto em que fui interrompido; Enfim, creio que começava a pensar que tinha um inimigo dentro da minha cabeça, cujo nome começa por Alz...

Hoje li um artigo que me deixou bem mais tranquilo, por isso passo a transcrever a parte mais interessante: Se tu tens consciência dos teus problemas de memória, então é porque ainda não tens problemas.

Existe um termo médico que se chama anosognosia, que é a situação em que não se recorda temporariamente de alguma coisa. Metade dos maiores de 50 anos, apresenta algumas falhas deste tipo, mas é mais um fato relacionado com a idade do que com a doença.

Queixar-se de falhas de memória, é uma situação muito comum em pessoas com 50 ou mais anos de idade. Se traduz por não recordar um nome próprio, entrar numa divisão da casa e esquecer-se do que ia fazer ou buscar, esquecer o título de um filme, ator, canção, não se lembrar onde deixou os óculos, etc.

Muitas pessoas preocupam-se, muitas vezes em excesso, por este tipo de esquecimento. Daí uma informação importante: Quem tem consciência de ter este tipo de esquecimento, é todo aquele que não tem problema sério de memória. Todos aqueles que padecem de doença de memória, com o inevitável fantasma de Alzheimer, são todos aqueles que não tem registro do que efetivamente se passa.

B. Dubois, professor de neurologia de CHU Pitié-Salpêtrière , encontrou uma engraçada, mas didática explicação, válida para a maioria dos casos de pessoas que estão preocupadas com seus esquecimentos: Quanto mais se queixam dos seus problemas de memória, menos possibilidades têm de sofrer de uma doença de memória.

Este texto é dedicado a todos os esquecidos que me recordo. Se esquecerem de compartilha-lo, não se preocupem porque não será Alzheimer... e sim os muitos anos que pesam dentro das suas cabeças.

Nenhum comentário: