15 de jun de 2014

O ópio do povo narcotiza...

 photo _a110.jpg
Manifestantes fazem protesto em Brasília contra gastos da Copa.

Governo estadual do Rio fecha acordo para reabrir, em 45 dias, 250 dos cerca de 700 leitos da Santa Casa de Misericórdia.

Procura-se: Opositores e aliados esvaziam CPI da Petrobras.

Clientes de planos de saúde vão à Justiça por internação domiciliar. Beneficiários de empresas do setor recorrem aos tribunais para garantir serviço. Êxito nas decisões judiciais chega a 90%.

Após 65 anos de vida pública e 32 de Senado, a se aposentar e desiludido com o Legislativo: Não esperem nada do Congresso. Nossa maior conquista em quase 30 anos de democracia não foi do Congresso, mas sim uma proposta de emenda popular, diz ele sobre a Lei da Ficha Limpa. (Pedro Simon, Senador)

Professores da rede pública do Rio protestam. Eles estão em greve desde 12 de maio.

Eduardo Campos diz que o país piorou com Dilma Rousseff. Em discurso na convenção do PSB de Brasília, o candidato do PSB à Presidência não poupou críticas.

Sérgio Reis é internado em hospital de São Carlos. Cantor de 73 anos estava em São Carlos, no interior do estado de São Paulo, e foi levado para a Unidade de Tratamento Intensivo.

Essa coisa pega: Governador do DF e presidente da Fifa são vaiados antes da partida entre Equador e Suíça, no estádio Mané Garrincha, um protesto reuniu cerca de 150 pessoas neste domingo.

Queremos o futebol sem o controle da FIFA, diz jornalista alemão - Christian Russau, jornalista e ativista de direitos humanos, recorda que, de acordo com cientistas do Instituto Alemão para Ciências Econômicas, a Copa na Alemanha, em 2006, não gerou nenhum impulso conjuntural relevante e os efeitos econômicos não tiveram dimensão perceptível na economia.

Evento para lançar Padilha vira ato de desagravo a Dilma. Presidente participaria de evento do lançamento da candidatura do ex-ministro, mas cancelou ida a São Paulo e criou mal-estar entre petistas. Embora anunciasse estar presente de corpo, alma e coração, Dilma fica em Brasília por chanceler alemã.

Casos de dengue na cidade de São Paulo sobem 19% e chegam a 10.124.

Extremistas dizem ter matado 1.700 soldados iraquianos. Militantes do Isis divulgaram fotos na internet de suposta execução em massa, porém, autenticidade das imagens não foi comprovada. Presidente do Irã diz que está pronto para ajudar Iraque. EUA enviam porta-aviões ao Golfo caso decidam lançar ação militar no Iraque.

Snake GIF photo tumblr_mvqtvyd5mj1r4zr2vo2_r1_500.gif Lula radicaliza discurso e preocupa o setor empresarial Aliado do ex-presidente Lula, o empresariado já começa a ficar preocupado com o tom mais radical do discurso do petista, nos últimos eventos, em defesa da presidente Dilma Rousseff.

Lula tem criticado empresários, atacado a mídia e até defendido medidas econômicas que destoam do receituário adotado em seus dois mandatos na Presidência.

Em recente reunião, empresários fizeram a avaliação de que o ex-presidente pode colocar em risco seu patrimônio político ao voltar a entoar o discurso mais radical do nós contra eles.

A Folha ouviu, de dois interlocutores do mundo empresarial, que Lula fez um bom governo ao se firmar como político com bom trânsito em todas as camadas da sociedade. Agora, dizem, ele parece optar pelo enfrentamento para tentar estancar a queda de Dilma nas pesquisas.

O risco, afirmam, é o efeito contrário, com o PT voltando a ser um partido com elevada rejeição na classe média e empresarial. A expectativa dos executivos próximos a Lula é que, se Dilma for reeleita, ele retome um discurso mais amigável e menos radical.

Um interlocutor do presidente confirma que ele está magoado com empresários agraciados com benefícios nos governos petistas e que, hoje, circulam em almoços e jantares oferecidos aos principais candidatos adversários, Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB). 

Estamos recebendo relatos de que empresários que frequentam o Palácio do Planalto estão cumprimentando o Aécio como meu presidente critica um interlocutor de Lula, reservadamente.

Do lado dos empresários, gerou preocupação a fala de Lula em evento recente em Porto Alegre, quando criticou publicamente o secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, defendendo que o governo deveria liberar mais crédito e gastar mais. 

Neste momento, está claro que um dos problemas do governo atual, diz um empresário, foi exatamente não segurar os gastos federais, o que pressionou a inflação.

Conselheiros

Em tom de brincadeira, a Folha ouviu que Lula deve estar ouvindo pouco dois de seus antigos conselheiros, o ex-ministro Antonio Palocci e o ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles.

Ambos são defensores de uma política fiscal mais austera para segurar a inflação dentro do centro da meta, hoje de 4,5% ao ano.

Auxiliares de Lula dizem que o recado do ex-presidente em Porto Alegre não teve como alvo apenas Arno Augustin, mas principalmente o Banco Central. A avaliação é que o BC teria apertado demais a política monetária e provocado uma escassez de crédito na economia.

Com isso, a retração no ritmo econômico foi muito forte exatamente no ano eleitoral, o que levará o país a ter um crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) em 2014 na casa de 1,5%, abaixo do registrado em 2013, de 2,5%. (Valdo Cruz) 

Lula fala em ampliar atuação política se Dilma for reeleita O PT e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva aumentarão sua influência sobre o governo se a presidente Dilma Rousseff for reeleita. 

A avaliação vem sendo feita em reuniões e conversas de petistas nos últimos meses e contraria a expectativa de um mandato mais independente da petista, caso ocorra. 

Segundo a Folha apurou em conversas com uma dezena de interlocutores presidenciais nas últimas duas semanas, Lula adotará postura menos discreta e apitará na formação de um novo ministério se as urnas concederem vitória à sua sucessora. 

O petista, portanto, sairá mais do instituto que leva seu nome bunker paulista onde mantém encontros reservados com aliados, empresários, investidores e banqueiros- para fazer enfrentamentos públicos, mesmo que o Executivo federal não o faça. 

Entre os exemplos está a bandeira que pretende levantar em defesa do projeto de regulação da mídia. 

Um amigo assim resumiu a atuação de Lula: ele pactuará tudo com Dilma, mas poderá assumir embates públicos caso ela decida se distanciar de alguns temas. 

Nas palavras de um auxiliar, outubro marcará o surgimento de um pré-candidato. A presença mais constante de Lula na política pretende servir como elemento unificador do PT e de seu eleitorado, hoje em parte distante de Dilma. 

O petista já confidenciou que pretende resgatar as chamadas Caravanas da Cidadania, périplo por 359 cidades de 26 Estados realizado na década de 90, com o objetivo de pavimentar uma possível candidatura presidencial. 

A decisão de se lançar à corrida nacional em 2018 depende, porém, de outros fatores. Seu estado de saúde é uma dessas variáveis. 

A disponibilidade de nomes novos e competitivos para evitar que o ciclo de poder do PT seja encerrado é outro fator a ser ponderado. 

Apesar da disposição de fazer mais política e da pressão de aliados para que apite mais no dia a dia do governo, o ex-presidente procurará não deixar transparecer essa influência para não criar constrangimentos a Dilma. Aliados garantem que ele manterá a postura de combinar o jogo com sua pupila. 

Se Dilma não fizer, que o enfrentamento impopular seja feito por ele, afirmou um auxiliar do ex-presidente.

Devedora

Interlocutores afirmam que, se vitoriosa, Dilma sairá da disputa devedora tanto do partido quanto de seu antecessor, e já dá sinais de aproximação maior com o PT.

Um dos sinais de maior sintonia: ela concordou em encaminhar, caso reeleita, o projeto de regulação da mídia, desde que não seja uma legislação ampla, que mexa em conteúdo.

Até pouco tempo atrás, Dilma rechaçava entrar na polêmica. Agora, admite atender, ainda que em parte, a uma demanda do PT. (Natuza Nery) 

Comentário: 

Radicalize, Lulla!... 

O sr. Lulla da Silva, que em seus oito anos de governo se comportou como um verdadeiro lacaio dos Empresários e do Sistema Financeiro (...Os Bancos nunca ganharam tanto dinheiro como em meu governo...), está agora, meio no desespero, tentando retomar aquela antiga postura sua e de seu PT, antes de se tornarem apóstatas
...nós contra eles...

Começa, também, a assumir posições um pouco mais radicais, em direção ao bolivarianismo, como o eterno sonho PTista apóstata, de regulação da mídia (leia-se: censura prévia à liberdade de imprensa!).

Se, por um lado, essa mudança de comportamento agrada sobremaneira aos radicais do PT apóstata (P. Vanucci, Gilberto Carvalho, Franklin Martins, Marco Aurélio toc toc e grande parte dos militantes PTistas apóstatas), por outro lado, esse novo cenário poderá afastar aqueles donos do País, que sempre o apoiaram e que sustentaram o seu governo!

O mesmo tom e a mesma postura, temos visto em relação à candidata DIlmáh. Veja seus últimos discursos e o absurdo Decreto 8.243.

Vamos torcer para que cresça essa radicalização! Será um novo tempero para destemperar a possível vitória PTista, em outubro!... (Márcio Dayrell Batitucci) 

Curtam ao máximo esse vídeo, próximo a passarela 10. O BRT que foi inaugurado e entregue a sociedade está assim todo mal acabado e com sérios riscos de acontecer um acidente grave. Vários problemas outras existem em toda a extensão do BRT. Se acontecer algo - o mais provável - os problemas do prefeito exterminador será dizer baboseiras. Ele e Dilmah inauguraram! (Carlos Renato Alves) 


Nenhum comentário: