7 de fev de 2013

Óvnis no carná dos foliões...

 photo _acarnav_zpsbdb4a67a.jpg 
• Presidente do BC diz que a situação da inflação não é confortável.
• Receita faz menos operações, mas arrecada 85% mais. Houve 20 ações contra lavagem de dinheiro e contrabando em 2012. 

Há interesses políticos em desvalorizar a Petrobrás, diz consultor.
Existe um interesse político, de quem já quis privatizar a Petrobras, de diminuir os investimentos na empresa e assim, enfraquecê-la, mas há também uma vontade de quem quer comprar ações mais baratas. Sempre vão ter aqueles que vão acreditar nesse discurso, de que a Petrobras tá indo mal, e vender seus papéis.
• A análise, na contramão de tudo o que vem sendo falado com relação à estatal brasileira do petróleo, é do engenheiro Ivo Pugnaloni, investidor na empresa e consultor da Enercons para o setor de energia.
• A empresa fechou o ano de 2012 com lucro de R$ 21,18 bilhões, o menor dos últimos oito anos. Com isto, os investidores, que viram os dividendos serem reduzidos em 3%. Se não bastasse, a própria presidente, Graça Foster, em entrevista admitiu que o ano de 2013 ainda será de dificuldades. Tudo junto fez com que as ações da estatal atingissem, na terça-feira (5) o seu menor patamar desde 2005, fechando o pregão em queda de mais de 8,29%. Nesta quarta-feira (6) a queda continuou: 2,65%. 
Processo de desvalorizar a empresa
• Nada disto, porém, assusta Pugnaloni. Para ele, o corte de dividendos servirá para melhorar a capitalização da Petrobrás.
A empresa tem uma demanda de investimento muito grande para os próximos anos, tanto para o fornecimento de gás, por exemplo, que em momentos de insegurança energética como o que aconteceu agora pode ser fundamental, mas também para o desenvolvimento de energias renováveis, de exploração do pré-sal. A importância da Petrobras para o Brasil é inegável, lembra o especialista.
• Para ele, o desespero dos acionistas é exagerado e desnecessário, pois o processo atual, de corte no lucro dos acionistas para aumentar a capitalização, é natural e importante para a Petrobras.
• Pugnaloni detecta um movimento para tentar diminuir o valor e a imagem da estatal e assim, lucrar na compra das ações a preços mais baixos.
Importância indiscutível
• A importância da Petrobras na economia brasileira, segundo o engenheiro, é fundamental. A Petrobras é tudo, por isso que, para quem não pensa no Brasil, ela precisa ser destruída. Não só na questão energética, que a sua presença é indiscutível, mas também na produção de tecnologia, projetos, energia e pesquisa, não tem como discutir, destaca.
• O especialista aproveitou ainda para criticar a Aneel, por atrasar a liberação de obras de infra-estrutura energética, como a construção de novas hidrelétricas. Se a gente depender deles, não construiremos nada. Mais um motivo para apoiarmos a capitalização da Petrobras, conclui. (Jornal do Brasil)  

• Essas atitudes só sentimos em espíritos com entendimentos mais evoluídos.
 • E pensar que tem gente que maltrata esses bichinhos! Veja que lição!


Em defesa da Petrobrás, dos petroleiros e do Brasil
• A Petrobrás não aumentava o preço de derivados de petróleo para os consumidores desde 2005. Nenhuma empresa prestadora de serviços e de produtos faz isso pelo país. Ao contrário, todas elas já garantem em contrato pelo menos o repasse da inflação prevista no ano. A maioria vai muito além da inflação. Inclusive os ônibus, cujo principal insumo é o diesel, que permaneceu com preço congelado nos últimos cinco anos, têm o hábito de reajustar os preços anualmente e acima da inflação.
• Para a Federação Nacional do Petroleiros (FNP) não deveria haver aumento dos combustíveis. A federação defende que o governo reveja a formatação dos preços. Por exemplo, o posto de gasolina ganhar oito por cento de remuneração por litro vendido é um absurdo. Nenhuma aplicação financeira dá esse retorno. Antes do reajuste, a Petrobrás vendia a gasolina a R$ 1,05 na porta da refinaria para as distribuidoras que revendiam o produto nos a não menos que R$ 2,80: todo o excedente é cobrado do consumidor na forma de imposto para União, estados e municípios.
• Esses percentuais deveriam ser revistos inclusive para gerar recursos financeiros para a Petrobrás, que depois de 13 anos de sucessivos recordes de lucros e de produção teve prejuízo no último trimestre. A revisão dos preços dos combustíveis poderia até reduzir o preço do diesel para o transporte coletivo, pois o cidadão já gasta em mobilidade urbana, na ida e volta do trabalho, metade de um salário mínimo. Além disso, te preciso rever o preço do gás de cozinha. No interior do Brasil, muitas donas de casa de baixa renda já substituem o gás de cozinha pela lenha e o carvão, em virtude do preço do botijão de gás.
• Aumentar simplesmente o preço da gasolina e do diesel como fez o governo vai fazer subir o custo de vida da população já que, infelizmente, a maioria do transporte de passageiros é rodoviário assim como o frete de alimentos. Com esse aumento ganham os acionistas e os empresários do setor e quem paga a conta é a sociedade.
• Por outro lado, a Petrobrás não pode ser sacrificada. Os incentivos que facilitaram a compra de automóveis aumentaram os prejuízos da empresa que já estava arcando com perdas, ao repassar a gasolina, com o preço congelado, algumas vezes sendo forçada a importar a preços de mercado, até ajustar-se à nova demanda.
• Também é preciso entender que o prejuízo da Petrobrás não é consequência apenas da defasagem entre o custo de produção e o preço congelado. É fruto de uma grande armação contábil para justificar, o aumento dos combustíveis, os leilões de petróleo e a nova modalidade de traição dos interesses nacionais, o desinvestimento, criado pela presidente da Petrobrás, Maria das Graças Foster, e também para justificar a diminuição da PLR dos petroleiros em 60%.
• Os acionistas não podem, por lei ter seus dividendos diminuídos, a alta administração da companhia como sempre vai ganhar bônus milionários e a maioria esmagadora dos trabalhadores da Petrobrás assim como a sociedade mais uma vez pagam a conta. (Emanuel Cancella, diretor do Sindipetro-RJ)

  

• Renan convoca o Congresso para votar Orçamento no dia 19.
• Numa reviravolta, Henrique Alves, novo presidente da Câmara nega conflito com STF no mensalão e afirmou ao Ministro do STF Joaquim Barbosa que cassação de deputados condenados na Ação Penal 470 será rápida. Parlamentares foram sentenciados a pena de prisão, multa e a perda do mandato no processo por diversos crimes. Veículos de comunicação do Senado terão canal para críticas e sugestões. Aqui.


• Operadoras não atingem meta de qualidade no acesso à internet. Claro, Oi, Tim e Vivo ficam abaixo do que a Anatel esperava. 
• Empregados acham normal roubar dados de empresas, diz estudo. 40% das pessoas usam informações confidenciais dos patrões nos próximos empregos. Metade dos empregados que deixaram suas empresas nos últimos 12 meses levaram delas algum tipo de informação confidencial, de acordo com um estudo global da Symantec. E 40% dessas pessoas planejam usar o que sabem nos próximos empregos.
• A notícia é lúdica e púdica. Internet pra colocar onde? Cadê eles? Postos de saúde do Brasil terão banda larga. Os ministérios da Saúde e Comunicações firmaram parceria para oferecer internet banda larga em 12,3 mil Unidades Básicas de Saúde (UBS) do país. Ao Estadão, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, disse que a pasta financiará o projeto, que só neste ano receberá R$ 45 milhões. 

O som e a fúria
• Não acho que uma boa audiência seja motivo justo para levar ao ar discursos de ódio.
• Assisti à entrevista de Marília Gabriela com o pastor Silas Malafaia, que está dando o que falar na internet. Há muito tempo não ouvia um discurso tão retrógrado e intolerante. Gosto de imaginar que progredimos como sociedade, e que já superamos certas barbaridades, mas a voz do pastor me remeteu à Idade Média. Ela é a mesma dos juízes do Santo Ofício, que usavam Deus e a Bíblia para justificar a ignorância e a violência. E fiquei me perguntando: para que entrevistar Silas Malafaia? Para que abrir espaço num canal supostamente laico para uma mente tão obscurantista?
Dá Ibope? Isso nem se discute. Eu mesma só assisti à entrevista depois de ver a sua repercussão na rede. Sob este aspecto, ela foi um retumbante sucesso. Mas será que este deve ser o único valor em consideração? Tenho minhas dúvidas. Não acho que uma boa audiência seja motivo justo para levar ao ar discursos de ódio. 
 Já dizia o Millôr: não se amplia a voz dos idiotas. (Cora Rónai)

A neta de Nadia Kumanecci da Romenia - Sensacional! 
 Para aqueles que não se lembram da avó, Nadia foi a única ginasta que até hoje recebeu nota 10 de todos os juízes, quando estava na ativa.


A importância de conhecer o cliente!
• Um vendedor da Coca-Cola volta de uma temporada no Egito e conversa com um amigo sobre a dificuldade que teve por lá. 
O amigo pergunta: - Por que você não conseguiu ter sucesso com os egípcios? 
O vendedor disse: - Quando eu fui designado para o Oriente Médio, eu estava confiante de que conseguiria vender muito bem nas áreas desérticas. Mas havia um problema, eu não sabia falar árabe. Então, pensei em criar uma sequência de três cartazes para transmitir minha mensagem de venda.
 photo _acartaz_zps4c272dd0.jpg 
- Primeiro cartaz: - Um homem caído na areia do deserto, totalmente exausto, a ponto de morrer de sede.
- Segundo cartaz: - O homem bebe uma Coca-Cola. 
- Terceiro cartaz: - Nosso homem, agora completamente recuperado.
• Então, mandei afixar estes cartazes em todos os lugares.
• - Bem, me parece que isso deveria ter funcionado muito bem, disse-lhe o amigo.
• O vendedor respondeu: - É... eu só não sabia que os árabes leem da direita para a esquerda! 
Mr. Bean - O Barbeiro
A verdade não resulta do número dos que nela creem. (Galileu Galilei)

Um comentário:

)O(Lua Nua)O( disse...

Essa vai ser a matéria do meu próximo post! bjs