9 de jun de 2012

Margem da lei...Não!

A consciência é a lei das leis
Photobucket
Add caption
• O texto abaixo, extraído do livro O Futuro Dourado, é uma profunda e instigante reflexão de Osho, a respeito da relação do homem e as leis; uma verdadeira filosofia do direito.
• Em muitas defesas que faço trago essa visão para apresentar minha compreensão sobre a existência do sistema jurídico, sua utilidade, suas limitações e a sua superação. Segue: Em toda existência, só o ser humano precisa de regras. Nenhum outro animal precisa.
• A primeira coisa que é preciso entender é que existe algo de artificial nas regras. O homem precisa delas porque deixou de ser animal, e no entanto, não se tornou ainda autenticamente ser humano. Ele está num limbo. Essa é a fonte da necessidade das regras. Se ele fosse animal não haveria necessidade, e se fosse verdadeiramente homem não haveria necessidade delas também.
• Homens como Sócrates, Zaratustra, Bodhidarma, Jesus, Buda, não precisam de leis. Eles estão suficientemente alerta para não prejudicar ninguém. Eles são a própria lei.
• Se toda a sociedade evoluir até ser realmente humana, haverá amor, consciência, mas não leis. Códigos, tratados, convenções, constituições, tudo isso desaparecerá.
• O problema é que o ser humano, como se encontra, é um caos, precisando de regras, leis, governos, exército, força policial, tribunais, parlamentos, para controlar toda essa inconsciência, pois ele perdeu sua condição de animal, mas ainda não chegou a condição de ser totalmente consciente.
• Se o indivíduo evoluir, a sociedade sumirá. A sociedade só existe porque o indivíduo ainda não está iluminado. Se o indivíduo crescer, ficar consciente, alerta, perceptivo, não haverá mais necessidade de leis, tudo isso ruirá, tribunais, exércitos, polícias, governos, estados, constituições.
• Quando você se tornar consciente as leis se tornam inúteis para você. Por que se preocupar com elas, se a consciência é quem o dirigirá? E a consciência é a lei das leis, o governo dos governos!” (Sanderson Silva de Moura)
"...Se tentam destruir-me zombando da minha fé e até tramam contra mim... 
Querem entulhar meus poços, querem frustar meus sonhos e me fazer Desistir... 
Mas quem vai apagar o selo que há em mim, a marca da promessa 
Que ele me fez... 
E quem vai me impedir se decidido estou, pois quem me Prometeu é fiel pra cumprir... 
O meu deus nunca falhará!"...

Nenhum comentário: