26 de nov de 2011

Sabadão sô

Trem bão é ser
• Eu nunca trocaria meus amigos surpreendentes, minha vida maravilhosa, minha amada família por menos cabelo branco ou uma barriga mais lisa. Enquanto fui envelhecendo, tornei-me mais amável para mim, e menos crítico de mim mesmo. Eu me tornei meu próprio amigo...
• Eu não me censuro por comer biscoito extra, ou por não fazer a minha cama, ou para a compra de algo bobo que eu não precisava, como uma escultura de cimento, mas que parece tão avant garde no meu pátio. Eu tenho direito de ser desarrumado, de ser extravagante.
• Vi muitos amigos queridos deixarem este mundo cedo demais, antes de compreenderem a grande liberdade que vem com o envelhecimento.
• Quem vai me censurar se resolvo ficar lendo ou jogar no computador até as quatro horas e dormir até meio-dia? Eu Dançarei ao som daqueles sucessos maravilhosos dos anos 60; 70, e se eu, ao mesmo tempo, desejo de chorar por um amor perdido ... Eu vou.
• Vou andar na praia em um short excessivamente esticado sobre um corpo decadente, e mergulhar nas ondas com abandono, se eu quiser, apesar dos olhares penalizados dos outros no jet set.
• Eles, também, vão envelhecer.
• Eu sei que eu sou às vezes esquecido. Mas há mais, alguns coisas na vida que devem ser esquecidas. Eu me recordo das coisas importantes.
• Claro, ao longo dos anos meu coração foi quebrado. Como não pode quebrar seu coração quando você perde um ente querido, ou quando uma criança sofre, ou mesmo quando algum amado animal de estimação é atropelado por um carro? Mas corações partidos são os que nos dão força, compreensão e compaixão. Um coração que nunca sofreu é imaculado e estéril e nunca conhecerá a alegria de ser imperfeito.
• Eu sou tão abençoado por ter vivido o suficiente para ter meus cabelos grisalhos, e ter os risos da juventude gravados para sempre em sulcos profundos em meu rosto.
• Muitos nunca riram, muitos morreram antes de seus cabelos virarem prata.
• Conforme você envelhece, é mais fácil ser positivo. Você se preocupa menos com o que os outros pensam.
• Eu não me questiono mais.
• Eu ganhei o direito de estar errado.
• Assim, para responder sua pergunta, eu gosto de ser velho. Ele me libertou. Eu gosto da pessoa que me tornei. Eu não vou viver para sempre, mas enquanto eu ainda estou aqui, eu não vou perder tempo lamentando o que poderia ter sido, ou me preocupar com o que será. E eu vou comer sobremesa todos os dias (se me apetecer).
• Que nossa amizade nunca se separe porque é direto do coração!

Utilidade Pública - Recicláveis eletrônicos
• Na Reunião da SAC (Sociedade Amigos de Copacabana) foi apresentada a Regenero, única empresa no Rio que recicla eletrônicos.
• Amigos, sindícos, conhecidos nos clubes, cursos, bares, condominios, etc... apoiem para deixar nosso Rio de Janeiro (e o mundo) mais limpo.
• A Regenero coleta e divide o lixo eletrônico (DVD Player, VHS Player, TV, PC, teclados, monitores, baterias, pilhas, celulares, etc) que não ocorre quando entregamos a Comlurb. Acesse o SAC

Carlos Lupi, o libertador
• A sobrevivência de Carlos Lupi no Ministério do Trabalho é uma lição para o Brasil. E um marco do governo Dilma Rousseff.
• Já estava ficando desagradável ver a presidente e seu partido rebatendo acusações de aparelhagem da máquina pública. Isso acabou.
• O governo do PT não precisará mais rebater esse tipo de acusação. Com a corajosa decisão de bancar o ministro Lupi e sua rede privada de sucção orçamentária, Dilma tirou a aparelhagem da clandestinidade.
• Agora é oficial: a ocupação do Estado pelos companheiros é legítima. O fisiologismo saiu do armário.
• Carlos Lupi é o libertador. Sequestrou um ministério, trancou-o no cativeiro do seu partido, usou-o para troca de favores com ONGs, abusou dele com centenas de convênios obscuros e cifras obscenas.
Apanhado em flagrante pela imprensa, avisou que não ia devolver o ministério. Só se estourassem o cativeiro à bala.
• A princípio, aquilo pareceu um desafio à presidente da República. Afinal, o ministério sequestrado pertence ao governo dela. Mas foi um mal-entendido.
Lupi estava desafiando a imprensa e a oposição -> AquiDilma, pelo que se viu depois, não tinha nada contra o sequestro. Muito pelo contrário.
• Diante da cachoeira de delitos e mentiras perpetradas pelo ministro do Trabalho, a presidente tomou uma decisão de estadista: manteve-o no cargo.
• Às favas com os escrúpulos de consciência, diriam os militares na ditadura. Para Dilma foi mais fácil. Ela nem tinha o que mandar às favas.
• Chega de escrúpulos, chega de denuncismo. Os parasitas do Estado brasileiro são osso duro de roer. Viva Dilma e Lupi, os libertadores da aparelhagem.
• Os outros cinco ministros delinquentes foram demitidos e cobertos de elogios. Carlos Lupi não foi coberto de elogios, nem demitido. A gestora está evoluindo.
• O Brasil de hoje é, enfim, o país de todos. De todos os que tiverem a esperteza de voar de graça num King Air particular, graças ao milagre da multiplicação de cargos e convênios.
• Chega de andar a pé. Filie-se ao governo popular. (Guilherme Fiuza, Política e tudo mais, Época)

Banco Panamericano, um mito
• A farra bilionária do Banco Panamericano foi uma obra conjunta de Lula e Sílvio Santos.
• O que houve entre o governo federal e o Banco Panamericano não foi um negócio. Foi um cortejo de  negociatas envolvendo pequenos trapaceiros e figurões do Banco Central, do BNDES, da Caixa Econômica Federal, do PT e do Palácio do Planalto, além de auditores cafajestes, todos em perfeita afinação com punguistas disfarçados de executivos de uma instituição privada. A queima de bilhões de reais tungados dos pagadores de impostos não foi uma solução de emergência. Foi uma operação criminosa premeditada para livrar da falência o dono de uma rede de TV especialmente útil a caçadores de votos que, para ganhar a eleição, vendem até a mãe. Em fatias, se o freguês preferir.
• Todos os personagens da peça político-policial merecem espaço no palco, desde que não encubram a visão da dupla que concebeu e conduziu a trama bandida. Como atesta o post de 11 de novembro de 2010 reproduzido na seção Vale Reprise, o buraco negro do Banco Panamericano foi escavado em parceria por Lula e Sílvio Santos. O animador de comício e o animador de auditório planejaram a farra bilionária e mandaram a conta para a plateia. O elenco inclui numerosos coajuvantes. Mas os protagonistas são dois. (Augusto Nunes)

Mistério: Espiritualidade no ES

"A vida muda, quando nós mudamos! Seja Feliz!"

Um comentário:

Bete disse...

Enorme é sua capacidade de me emocionar. lembrei os meus filhos, cujas vidas foram interrompidas precocemente.
"Mas corações partidos são os que nos dão força, compreensão e compaixão. Um coração que nunca sofreu é imaculado e estéril e nunca conhecerá a alegria de ser imperfeito" - pura sabedoria meu amigo.
Bjs no coração e uma semana abençoada pra voce e para os seus