13 de set de 2011

O povo a mercê do desleixo

Li num tempo, pesquei e boto no blog como rememorar o inesquecível, pois dia após dia, a população cresce, a assistência social - a bem da verdade, dá tratos à bola -, a insegurança com balas, assaltos e bueiros ainda em compasso do que, soldados das UPPs querendo ser removidos,  etc...! Como vamos agir (vide Constituição), e a população não sabe onde se escorar, apenas boatarias ou não, recursos jurídicos(?), a morte da juíza, a (jocosidade morosa da justiça), meandros ou covís de milicianos, policiais, criminosos e traficantes, colocando a cara e subjetivamente nos encarando como fala tipo E daí?. Que a Tribuna imorredoura me permita e seu maior Helio Fernandes, pelo respeito, permita a postagem. (AA)
Exército não aceita acordo de Cabral com traficantes
• Por que o Exército não aproveita e deflagra agora o Golpe de Estado correto, não contra trabalhadores, estudantes e agricultores como foi em 01 de abril de 1964, mas dessa vez contra os traficantes, os corruptos e o crime organizado?
• Um assunto incômodo mas as pessoas precisam ser esclarecidas sobre a situação atual;
• O morro do alemão está em guerra ( de novo) porque nos locais em que o exército está fazendo patrulhamento, os militares ( ao contrário da polícia civil e da polícia militar, do governo sérgio cabral) os militares do exército não estão permitindo a Venda pacífica de drogas nas suas jurisdições, quebrando, com isso, o acordo do Gov. Estadual (s. Cabral) com os traficantes.
• Em represália, os traficantes do morro do alemão, patrulhado pelas tropas do Exército, declararam guerra total contra seus opositores.
• Leia o texto abaixo para saber mais
Favelas Pacificadas? Como assim?
• A pacificação das favelas do Rio não passa de um acordo feito entre o governador e os traficantes, que podem trabalhar livremente, desde que não usem armas nem intimidem os moradores das comunidades.
• Em dezembro do ano passado publiquei, aqui no Blog, um importante artigo de denúncia, mostrando que a política de pacificação das favelas não passa de uma manobra eleitoreira do governador cabralzinho, que inclui um incrível e espantoso acordo entre as autoridades estaduais e os traficantes que atuavam (e continuam atuando) nessas comunidades carentes.
• O acordo está firmado sob as seguintes cláusulas:
1 – Os traficantes somem com as armas da favela, com os soldados de máscaras ninjas, com os olheiros e tudo o mais.
2 – A PM entra na favela, sem enfrentar resistência, ocupa os pontos que bem entender, mas não invade nenhuma casa, nenhum barraco, e não prende ninguém, pois não acha traficantes ou criminosos.
3 – A favela é tida como pacificada, não existem mais marginais circulando armados, os moradores não sofrem mais intimidações, não há mais balas perdidas.
4 – Em compensação, o tráfico fica liberado, desde que feito discretamente, sem muita movimentação..
• Até o Blog publicar esses artigos, ninguém havia tocado no assunto. A implantação das chamadas UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora) vinha sendo saudada pela imprensa escrita, falada e televisada como uma espécie de panacéia na segurança pública. Era como se, de súbito, as autoridades estaduais e municipais tivessem conseguido colocar o ovo em pé, resolvendo de uma hora para outra o maior problema da atualidade: a violência e o tráfico de drogas nos guetos das grandes cidades.
• Não há dúvida, esse é um dos maiores desafios da Humanidade. Como todos sabem, em praticamente todos os países do mundo, governantes e autoridades da segurança pública continuam sem saber como enfrentar e vencer o problema da criminalidade e do tráfico. Menos no Rio de Janeiro. Aqui, houve uma espécie de abracadabra, um toque de varinha de condão e, num passe de mágica, as favelas foram pacificadas, que maravilha viver.
• O mais interessante: não foi disparado um único e escasso tiro, os traficantes e donos das favelas não lançaram uma só granada, um solitário morteiro, não acionaram seus lança-chamas, seus mísseis portáteis, seus rifles AR-15 e M-16, suas submetralhadoras Uzi, nada, nada.
• No artigo-denúncia que publiquei no final de dezembro e nos outros que se seguiram em janeiro, chamei atenção para esse fato espantoso: ninguém reparou que a tal pacificação foi fácil demais, não houve uma só troca de tiros?
• O pior foi a atitude do governador cabralzinho, que deve pensar(?) que os demais cidadãos são todos imbecis e aceitam qualquer explicação” que lhes seja fornecida pelas autoridades. Recordemos que foi ele quem teve a ousadia e a desfaçatez de vir a público e proclamar, textualmente: Dei prazo de 48 horas para os traficantes deixarem o Cantagalo-Pavão-Pavãozinho.
• Como é que é? O governador esteve como os traficantes, cara-a-cara, e fez o ultimato? Ou mandou recado por algum amigo comum? Como foi o procedimento? Ninguém sabe.
• O que se sabe é que o governador alardeava (e continua alardeando) que, em todas as favelas onde a Polícia Militar instalou as UPPs, os traficantes e criminosos simplesmente sumiram, assustados, amedrontados, apavorados.
• Seria tão bom se fosse verdade!! Mas o que é a verdade para esse governador enriquecido ilicitamente, cuja mansão à beira-mar em Mangaratiba virou ponto de atração turística? Para ele, a verdade é a versão que ele transmite, por mais fantasiosa que seja, como se fosse um ridículo Pinóquio de carne e osso (aliás, muito mais carne do que osso, já caminhando para a obesidade precoce), a inventar contos da Carochinha para iludir os eleitores.
• Quando escrevi a série de artigos desmascarando a pacificação das favelas, houve tremenda repercussão (como ocorre com tudo que sai publicado nesse Blog ou na Tribuna da Imprensa). Mas a maioria das pessoas se recusava a acreditar. Não podiam aceitar que um governante descesse a nível tão baixo, criasse tão estarrecedora mistificação, tentasse manipular tão audaciosamente os eleitores.
• Mas meus artigos plantaram a semente da dúvida. Nas redações, os jornalistas começaram a questionar a veracidade do sucesso dessa política de segurança pública. Até que, há dois ou três meses, O Globo publicou uma página inteira em sua seção Logo (que é uma espécie de pensata), ironizando a facilidade com que as favelas teriam sido pacificadas. (Não me deram crédito nem royalties, é claro, mas fico esperando o pré-sal).
• No dia 2 de julho, mais uma vez O Globo, em reportagem de Vera Araújo, comprova que meus artigos de denúncia estavam corretos. Sob o títul o (Feirão de Drogas desafia UPP), com fotos impressionantes feitas em maio na Cidade de Deus, a matéria mostra que o tráfico de drogas está e sempre esteve liberado, exatamente como afirmei.
• Ao que parece, a repórter nem chegou a ir à Cidade de Deus. As fotos na favela pacificada foram feitas por um morador do local, que as enviou ao jornal. Foi facílimo fazer a matéria, as imagens dizem tudo.
• No dia seguinte, mais um repique em O Globo, mostrando que, assim com o tráfico de drogas, também a exploração de caça-níqueis está liberada na comunidade tomada pela PM. As fotos, novamente, são de um morador da favela, que o jornal, obviamente, não identifica.
• PS 1 – Isso não está acontecendo somente na Cidade de Deus.. Em todas as favelas pacificadas ocorre o mesmo.
• PS2 – Aproxima-se a eleição e, na campanha, o governador vai massacrar a opinião pública com a divulgação do êxito da pacificação das favelas. Este é o ponto mais forte de sua plataforma eleitoral, ao lado das UPAs (Unidades de Pronto Atendimento).
• PS3 – Aliás, UPPs e UPAs, tudo a ver. As UPAs também são um golpe de marqueting político-eleitoral, conforme iremos demonstrar neste Blog.
• PS4 – O desgoverno de Cabral é um tema longo, do tipo E o vento levou.
• E seria bom, seria ótimo, se o vento o levasse permanentemente para longe de nós. (Helio Fernandes, Tribuna da Imprensa)
Photobucket

E a internet não para. Já circula o seguinte:
Photobucket Será que a gente consegue?
Photobucket Se isso tudo se realizar, estaremos começando um país pelo primeiro degrau...
Photobucket É...parece que o povo está acordando...
Photobucket É...o clima lembra o período que antecedeu a revolução francesa.
Photobucket O terceiro estado clama por justiça.
Photobucket Só Deus poderá nos ajudar a evitar um agravamento da questão politico-social.
Photobucket Um milhão de pessoas na Avenida Paulista pela demissão de toda a classe política (ainda sem data marcada)
Photobucket Este e-mail vai circular hoje (13092011) e será lido por centenas de milhares de pessoas. A guerra contra o mau político, e contra a degradação da nação está começando. Não subestimem o povo que começa a ter conhecimento do que nos têm acontecido, do porquê de chegar ao ponto de ter de cortar na comida dos próprios filhos! Estamos de olhos bem abertos e dispostos a fazer tudo o que for preciso, para mudar o rumo deste abuso.
Photobucket Todos os governantes(?) do Brasil até aqui, falam em cortes de despesas - mas não dizem quais despesas - mas, querem o aumentos de impostos como se não fôssemos o campeão mundial em impostos.
Photobucket Nenhum governante fala em:
1. Reduzir as mordomias (gabinetes, secretárias, adjuntos, assessores, suportes burocráticos respectivos, carros, motoristas, 14º e 15º salários etc.) dos poderes da República;
2. Redução do número de deputados da Câmara Federal, e seus gabinetes, profissionalizando-os como nos países sérios. Acabar com as mordomias na Câmara, Senado e Ministérios, como almoços opíparos, com digestivos e outras libações, tudo à custa do povo;
3. Acabar com centenas de Institutos Públicos e Fundações Públicas que não servem para nada e, têm funcionários e administradores com 2º e 3º emprego;
4. Acabar com as empresas Municipais, com Administradores a auferir milhares de reais/mês e que não servem para nada, antes, acumulam funções nos municípios, para aumentarem o bolo salarial respectivo.
5. Acabar com o Senado e com as Câmaras Estaduais, que só servem aos seus membros e aos seus familiares. O que é que faz mesmo uma Assembleia Legislativa (Câmara Estadual)?
6. Por exemplo as empresas de estacionamento não são verificadas porquê? E os aparelhos não são verificados porquê? É como um táxi, se uns têm de cumprir porque não cumprem os outros? E como não são verificados como podem ser auditados?
7. Redução drástica das Câmaras Municipais e das Assembléias Estaduais, se não for possível acabar com elas.
8. Acabar com o Financiamento aos partidos, que devem viver da quotização dos seus associados e da imaginação que aos outros exigem, para conseguirem verbas para as suas atividades; Aliás, 2 partidos apenas como os EUA e outros países adiantados, seria mais que suficiente.
9. Acabar com a distribuição de carros a Presidentes, Assessores, etc.., das Câmaras, Juntas, etc., que se deslocam em digressões particulares pelo País;
10. Acabar com os motoristas particulares 24 h/dia, com o agravamento das horas extraordinárias... para servir suas excelências, filhos e famílias e até, as ex-famílias...
11. Acabar com a renovação sistemática de frotas de carros do Estado;
12. Colocar chapas de identificação em todos os carros do Estado. Não permitir de modo algum que carros oficiais façam serviço particular tal como levar e trazer familiares e filhos, às escolas, ir ao mercado a compras, etc.;
13. Acabar com o vaivém dos deputados e respectivas estadias em em hotéis de cinco estrelas pagos pelos contribuintes;
14. Controlar o pessoal da Função Pública (todos os funcionários pagos por nós que nunca estão no local de trabalho). Há Quadros (diretores gerais e outros) que, em vez de estarem no Serviço Público, passam o tempo nos seus escritórios de consultorias de a cuidar de seus interesses....;
15. Acabar com as administrações numerosíssimas de hospitais públicos que servem para garantir aos apadrinhados do poder - há hospitais de cidades com mais administradores que pessoal administrativo... pertencentes Às oligarquias locais do partido no poder...
16. Acabar com os milhares de pareceres jurídicos, caríssimos, pagos sempre aos mesmos escritórios que têm canais de comunicação fáceis com o Governo, no âmbito de um tráfico de influências que há que criminalizar, autuar, julgar e condenar;
17. Acabar com as várias aposentadorias por pessoa, de entre o pessoal do Estado e entidades privadas, que passaram fugazmente pelo Legislativo.
18. Pedir o pagamento da devolução dos milhões dos empréstimos compulsórios confiscados dos contribuintes, e pagamento imediato dos precatórios judiciais;
19. Criminalizar, imediatamente, o enriquecimento ilícito, perseguindo, confiscando e punindo os ladrões que fizeram fortunas e adquiriram patrimônios de forma indevida e à custa do contribuinte, manipulando e aumentando preços de empreitadas públicas, desviando dinheiros segundo esquemas pretensamente legais, sem controle, e vivendo à tripa forra à custa dos dinheiros que deveriam servir para o progresso do país e para a assistência aos que efetivamente dela precisam;
20. Não deixar um único malfeitor de colarinho branco impune, fazendo com que paguem efetivamente pelos seus crimes, adaptando o nosso sistema de justiça a padrões civilizados, onde as escutas valem e os crimes não prescrevem com leis à pressa, feitas à medida;
21. Impedir os que foram ministros de virem a ser gestores de empresas que tenham beneficiado de fundos públicos ou de adjudicações decididas pelos ditos.
22. Fazer um levantamento geral e minucioso de todos os que ocuparam cargos políticos, central e local, de forma a saber qual o seu patrimônio antes e depois.
23. Pôr os Bancos pagando impostos e, atendendo a todos nos horários do comércio e da indústria.
24. Proibir repasses de verbas para todas e quaisquer ONGs.
25. Fazer uma devassa nas contas do MST e si mila res, bem como no PT e demais partidos políticos.
26. Rever imediatamente a situação dos Aposentados Federais, Estaduais e Municipais, que precisam muito mais que estes que vivem às custas dos brasileilros trabalhadores e, dos Próprios Aposentados.
27. Rever as indenizações milionárias pagas indevidamente aos perseguidos políticos (guerrilheiros).
28. Auditoria sobre o perdão de dívidas que o Brasil concedeu a outros países.
29. Acabar com as mordomias (que são abusivas) da aposentadoria do Presidente da Republica, após um mandato, nós temos que trabalhar 35 anos e não temos direito a carro, combustivel, segurança, etc.
30. Acabar com o direito do prisioneiro receber mais do que o salario mínimo por filho menor, e, se ele morrer, ainda fica esse beneficio para a família. O prisioneiro deve trabalhar para receber algum benefício, e deveria indenizar a família que ele prejudicou.
Photobucket Ao povo, pede-se o reencaminhamento deste e-mail.
Photobucket Se tiver mais algum item, favor acrescentar.
''O que me incomoda não é o grito dos maus, e sim, o silêncio dos Bons!" (Martin Luther King)

Um comentário:

Mery disse...

"Não deixe um único malfeitor de colarinho branco impune", entre outras coisas ditas aqui é a que mais destaco, a impunidade leva à corrupção. Sou professora,no Alemão e sei que as UPPs, não passam de uma jogada, é uma farsa, os traficantes pagam o "arrego", para os policiais fazerem vistas grossas.Sabe o que é arrego, né???
É bem complicado, e quem paga são os inocentes que perdem a vida nessas guerras, enfim:
Tá tudo dominado!
Abraços da Mery.