18 de out de 2010

Voto com cédula de papel

. Juizes preferem eleição com cédula de papel por considerarem que voto eletrônico é vulnerável
. O dogma da infalibilidade das urnas eletrônicas agora é questionado pelos próprios juízes. A próxima eleição para a presidência da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), marcada para 16 de novembro, usará a velhas cédulas de papel – e não o moderno sistema eletrônico de votação que o Tribunal Superior Eleitoral garante ser seguro e a prova de falhas. O Conselho Executivo da AMB desistiu admitiu que um sistema de votação pela Internet ainda é vulnerável.
. Os magistrados receberão em suas casas, até o dia 24 deste mês, a sobrecarta com a cédula para votação. Eles poderão enviar a correspondência pelo correio ou, se preferirem, manifestar o voto pessoalmente na sede das associações de magistrados estaduais. A apuração da votação será encaminhada às respectivas associações, onde será realizada a contagem parcial. Em seguida, a AMB quem fará o balanço total, à moda antiga.
. O retorno do voto eletrônico para o voto em papel foi provocado pelo questionamento da chapa Novos Rumos, encabeçada pelo desembargador paulista Nelson Calandra, que disputa a presidência da AMB com o juiz Gervásio Protásio dos Santos, juiz da 9ª Juizado Especial Cível e das Relações de Consumo de São Luís, da chapa AMB com Você. O magistrado paulista denunciou a vulnerabilidade do sistema de votação pela Internet. O risco foi admitido pelo próprio Gerente de Informática da AMB, Erick Alencar, depois da análise de um documento produzido pelo especialista em votação eletrônica Eduardo Luiz Maffessoni.
. Ao optarem pelo retorno ao velho voto em papel, os magistrados não cometeram um retrocesso. Apenas confirmaram a tese, há muito repetida pelo movimento “Voto Seguro”, do engenheiro Amílcar Brunazo Filho, de que o voto eletrônico deve ocorrer junto com a possibilidade de impressão do mesmo voto, para posterior auditoria ou conferência por amostragem. Assim, o processo eleitoral realmente se torna seguro, aliando transparência e modernidade.
. O fato de a AMB rejeitar o processo eletrônico gera um questionamento imediato nestes tempos de segundo turno eleitoral no Brasil: Se o processo eletrônico de votação é bom para todos os cidadãos brasileiros, porque não é seguro a ponto de ser usado por uma das mais respeitadas representações de magistrados do País? Infelizmente, os eleitores comuns terão de acreditar no dogma da suprema confiabilidade da votação eletrônica, na hora de escolher entre Dilma Rousseff e José Serra para Presidente. (Jorge Serrão)

"A estupidez é infinitamente mais fascinante que a inteligência. A inteligência tem seus limites, a estupidez não." (Claude Charbol, escritor francês)

Nenhum comentário: