31 de mai de 2016

Humanidade nunca melhora...

• Pedágio da ponte Rio-Niterói sobe para R$ 4 a partir de 1° de junho. 
• Desemprego é o pior desde 2012. Taxa passa de 11% e atinge 11,4 milhões de pessoas, segundo dados do IBGE. 
• Dólar opera em alta, com preocupações sobre o cenário político. 
• Pedro Paulo deixa secretaria para disputar prefeitura. Prazo para deixar governo é quinta-feira. Cargo será ocupado pelo atual secretário de Transportes, Rafael Picciani. 
• Odebrecht oficializa negociação de delação premiada e leniência; Odebrecht está quebrada. Miriam Leitão disse que, no mercado, há quem avalie que a única saída para a Odebrecht é ser comprada por um grupo chinês. Uma fonte da jornalista explicou que a empreiteira está sem fluxo de caixa e sem acesso ao crédito
• A Advocacia-Geral da União entrou com duas ações cobrando 11 bilhões de reais das empreiteiras que saquearam a Petrobras, informou O Globo. A Lava Jato deveria aproveitar para cobrar o mesmo valor do PT, que montou o esquema do petrolão, e de seus dois parceiros, PMDB e PP. 
• Zelotes investiga repasse de R$ 10 mi a filho de Lula. Zelotes descobre que filho de Lula recebeu R$10 milhões. Filho de Lula embolsou quatro vezes mais do que se suspeitava. 
• Superavit do governo cai com rombo maior no INSS. Alta do desemprego leva Previdência na área urbana a déficit de R$ 6,4 bi. 
• Medidas são para país deixar de levar gols, diz Meirelles. Com defesa furada, não há estratégia de ataque, afirma ministro da Fazenda.
• Lula não nega arrependimento por apoiar Dilma. Ex-presidente não nega estar arrependimento de eleger Dilma. 
• Ministério Público encontra fraude de R$ 2,5 bilhões no Bolsa Família. O Ministério Público Federal (MPF) deu prazo de 30 dias para que a Secretaria Nacional de Renda e Cidadania (Senarc), vinculada ao Ministério de Desenvolvimento Social e Agrário, informe quais providências serão adotadas diante de inconsistências identificadas pelas Câmaras Criminal e de Combate à Corrupção em pagamentos e perfis dos beneficiários do Programa Bolsa Família entre 2013 e 2014. Um levantamento realizado pelo órgão revelou que, somando-se os pagamentos a título de benefícios, há suspeita de irregularidades no pagamento de R$ 2,5 bilhões, que abrangem aproximadamente um milhão e quatrocentos mil beneficiários (titulares do benefício e suas famílias). A comunicação à Senarc cobrando providências foi encaminhada em 23 de maio. 
• Temer cria órgão para coordenar combate à violência contra mulher; 27 secretários de Segurança se reúnem para discutir estupro: apenas um é mulher. O ministro interino da Justiça, Alexandre de Moraes, se reúne na manhã desta terça-feira em Brasília com os secretários de Segurança Pública dos 26 Estados e do Distrito Federal. O encontro foi convocado para tratar de políticas de combate à violência contra a mulher após a grande repercussão gerada pela denúncia de um estupro coletivo de uma menor no Rio de Janeiro. Na mesa de discussão, haverá a presença de apenas uma autoridade feminina. No momento, a única mulher a comandar uma pasta de Segurança Pública no país é a secretária do Distrito Federal, Márcia de Alencar. 
• Delegada diz que estupro está provado e pede prisão de 6. Dois rapazes já foram detidos e negam ter abusado de adolescente no Rio; Suspeitos de participar de estupro coletivo serão transferidos para presídio; O jogador do Boavista Lucas Perdomo Duarte Santos, de 20 anos, e Raí de Souza, de 22, serão transferidos para o presídio Bangu 10, no Complexo de Gericinó, Zona Oeste do Rio, nesta terça-feira; Polícia identifica sétimo suspeito de participar de estupro coletivo. 
• Adiando a decisão. Mensalão, petrolão, máfia da merenda, Lava Jato, cartel do metrô, réu no comando da Câmara. Em meio a um cenário político recheado de crises e denúncias, os adolescentes estão evitando tirar o título de eleitor para votar enquanto ainda não são obrigados a exercer esse direito. A quantidade de eleitores com idades entre 16 ou 17 anos está caindo desde os pleitos municipais de 2012. 
• É grande a chance de o novo presidente da Petrobras, Pedro Parente, dar de cara com uma amiga da presidente Dilma Rousseff na assessoria jurídica: Elisabeth Böhm. Ela e Dilma se conhecem desde os tempos da ditadura. Reaproximaram-se em 1999, no governo do Rio Grande do Sul, e filiaram-se ao PT no mesmo dia: 18 de março de 2001. Como ministra de Minas e Energia em 2003, Dilma nomeou Beth assessora especial. Mais tarde, Beth acompanhou Graça Foster na presidência da Petrobras e permaneceu por lá com a chegada de Aldemir Bendine. Beth tem um salário especialíssimo: cerca de R$ 60 mil.  Saiba
• Aliado de Aécio é preso sob suspeita de corrupção. Delator acusa Nárcio Rodrigues de receber cerca de R$ 1,5 mi de propina. 
• Relator entrega parecer sobre Eduardo Cunha no Conselho de Ética. Rlatório contra Cunha em Conselho excluirá propina. Relator vai considerar apenas acusação de que peemedebista mentiu à CPI. Presidente do Conselho de Ética é alvo de representação e vê manobra
• MPF pede suspensão de acordo entre governos, Samarco, Vale e BHP. 
• Ex-chefe do PSDB de Minas e ex-secretário de Anastasia é preso. 
• Após pressão, ministro da Transparência, Fiscalização e Controle, Fabiano Silveira recua e pede exoneração. Gravação derruba 2º ministro de Temer em 19 dias de governo. Em conversa com Renan, Fabiano Silveira (Transparência) critica a Lava Jato. 
• Vale alterou dados sobre lama em barragem de MG, diz PF. Dona da Samarco teria modificado relatório para atrapalhar investigação. 

• Vírus do alarmismo: Adiar a Olimpíada do Rio por causa da zika seria um recurso extremo e, por ora, desproporcional. 
• Secretário-geral da OEA invoca Carta Democrática e convoca reunião sobre a Venezuela; Colapso da Venezuela ruma para território sombrio. 
• Macri diz que repatriará R$ 4,6 mi de conta pessoal. Presidente argentino decide tirar verba que mantém em banco nas Bahamas; Argentina vai buscar acordo com Aliança do Pacífico sem abandonar Mercosul. 
• Latam anuncia suspensão de seus voos para a Venezuela. Aéreas enfrentam dificuldades para repatriar dólares bloqueados por Caracas. 
• Ingleses vendem ingresso para a Rio-16 sem permissão. Empresa THG já teve seu CEO preso na Copa por comercialização irregular. 
• Incêndio em paiol mata pelo menos 17 militares na Índia. 
• Talibãs executam 16 passageiros de ônibus no norte do Afeganistão. 
• Comissão recomenda anulação total das eleições no Haiti. 
• Coreia do Norte volta a lançar míssil; tentativa teria falhado. 
• Número de deslocados no Afeganistão duplica nos últimos 3 anos. 
• Cazaquistão reúne líderes religiosos e políticos contra o terrorismo, 
• Mil morreram no Mediterrâneo na última semana, diz OIM. 

Você não precisa escolher motocicletas.
Um dos malefícios causados pelo PT foi a ideologização de todos os aspectos da vida. Ideologização que transita entre a desonestidade intelectual e a mais absoluta insanidade.
Veja-se o caso do estupro coletivo da adolescente carioca, ainda não totalmente esclarecido. Petistas culparam o governo Temer -- ou a direita -- pela cultura do estupro no Brasil. Seria um dos lados mais perversos da exploração capitalista. Como escrevi em O Antagonista, o argumento não passa de um estupro da razão.
O jornalista Tales Alvarenga, que morreu em 2006, dois anos depois de deixar a direção da Veja, costumava fazer piada com os estereótipos inculcados pela esquerda. Ele dizia que alcançavam até mesmo as motocicletas. Quem gosta de Harley-Davidson é de esquerda; quem prefere as motos de corrida é de direita, brincava. Não duvido que haja gente que chegue a esse ponto.
Na década de oitenta, um livrinho de Marilena Chauí antecipava o fenômeno. Intitulava-se O que é Ideologia e integrava a coleção Primeiros Passos, da editora Brasiliense. O opúsculo serviu para doutrinar milhares de estudantes secundaristas e universitários. A professora da USP, petista de primeiríssima hora, afirmava que tudo -- absolutamente tudo -- era ideologia, numa simplificação grosseira daquela outra banalização bem mais vasta chamada marxismo.
Para os ideólogos da ideologia onipresente, onisciente e onipotente, os valores morais que erigiram a civilização ocidental são instrumentos de manipulação das classes dominantes. Uma forma de manter sob o seu jugo a massa trabalhadora. Transgredi-los em prol da causa socialista é, mais do que desculpável, necessário. Só devem ser esgrimidos para ferir quem discorda de você, como demonstra a interpretação maluca, mas com método, do episódio do estupro coletivo. O moralismo udenista tem lá utilidade.
Na verdade, a ideologização extrema é o exato contrário da politização. Ela relativiza o certo e o errado, embaça as consciências, inviabiliza o debate e impossibilita os consensos. Está para a política como o fanatismo para a religião. Não existe o PT light, o PT sempre foi xiita, para ficar na imagem ipanemense de trinta anos atrás.
O que nos salva é a vagabundice. Na Rússia de 1917, a ideologização produziu uma ditadura que terminaria quase setenta anos mais tarde. No Brasil do PT, gerou o maior assalto aos cofres públicos de que se tem notícia. Marilena Chauí não é Marx; Lula não é Lênin.
Lembre-se, portanto: você não precisa escolher motocicletas. (Mario Sabino) 

As legiões do Lula.
Nos tempos finais de Augusto, três legiões romanas foram massacradas pelos gauleses, chefiados por Decébalo. O primeiro, mais perfeito e mais longevo dos imperadores da Roma antiga passou as últimas semanas trancado em seus aposentos, chorando e se lamentando diante dos restos mortais de seu general-comandante: o que fizeste das minhas legiões?.
Augusto é lembrado por suas virtudes, mas nem ele nem Roma jamais esqueceram a única derrota.
O episódio se conta como recordação de que os césares mergulharam na desgraça depois de períodos de sucessos e de vitorias.
Assim parece o fim do Lula, que em seguida a tantos triunfos, começa a ser visto como exemplo de fracasso na última batalha. Onde anda o primeiro-companheiro, senão envolto nas cinzas de suas derradeiras legiões? Perdeu-se, depois de tantas conquistas do PT…
Poderia ser diferente? No começo, quem sabe. À medida em que os gauleses se aproximam, de jeito nenhum. Decébulo tem muitos nomes. (Carlos Chagas) 

Incompatível com a Democracia.
Resolução política - Ainda que sejam muitos os temas para referir, comentar e opinar, não posso deixar para uma outra oportunidade a preocupação demonstrada pelo jurista e pensador (Pensar+) Ives Gandra Martins, quanto aos confessados erros que o PT diz ter cometido por não ter implantado no Brasil uma Democracia Cubana.
A preocupação do Ives tem base no que está escrito na resolução política aprovada pelo Diretório Nacional do PT, na reunião que o partido fez no dia 17 de maio de 2016, em Brasília/DF.
Democracia cubana - Em determinado trecho da resolução petista, lê-se: Fomos igualmente descuidados com a necessidade de reformar o Estado, o que implicaria impedir a sabotagem conservadora nas estruturas de mando da Polícia Federal e do Ministério Público Federal; modificar os currículos das academias militares; promover oficiais com compromisso democrático e nacionalista; fortalecer a ala mais avançada do Itamaraty e redimensionar sensivelmente a distribuição de verbas publicitárias para os monopólios da informação.
Conclusão óbvia - De rigor, conclui Ives Gandra, a ideia do partido era transformar o Estado brasileiro num feudo petista, com reforma do Estado pro domo sua e subordinação a seus interesses e correligionários, as Forças Armadas, o Ministério Público, a Polícia Federal e a imprensa.
O que mais impressiona é que o desventrar da podridão dos porões do governo petista deveu-se, fundamentalmente, às três instituições, ou seja, imprensa, Ministério Público e Polícia Federal, que, por sua autonomia, independência e seriedade, não estão sujeitos ao controle dos detentores do poder.
Instrumentos ideológicos - Ao Ministério Público é outorgada total autonomia, pelos artigos 127 a 132 da Lei Suprema, e as polícias funcionam como órgãos de segurança do Estado e não são instrumentos ideológicos, conforme determina o artigo 144, da Carta da República. A Constituição Federal, por outro lado, no artigo 220, garante a absoluta liberdade aos meios de comunicação.
Forças armadas - Por fim, as Forças Armadas, como instituição do Estado, e não do governo, só devem intervir, com base do artigo 142 da Constituição, em caso de conflito entre os poderes para restabelecimento da lei e da ordem.
Controle geral - É de se lembrar que, tiveram, durante a crise política deflagrada pelo mar de lama que invadiu as estruturas do governo, comportamento exemplar, mantendo-se à distância como observadoras, permitindo o fluir dos instrumentos democráticos para estancarem a desfiguração crescente da República brasileira.
Controlar a Polícia Federal, que descobriu o assalto aos cofres públicos? 
Manietar o Ministério Público, que tem denunciado os saqueadores do dinheiro dos contribuintes?
Calar a imprensa, que permitiu à sociedade conhecer os profundos desmandos do governo por 13 anos? 
É isto o compromisso democrático e nacionalista do PT?
Órgão de repressão - Modificar os currículos das academias militares para formar oficiais com ideologia bolivariana, a fim de servir ao governo, e não ao Estado, seria transformar as Forças Armadas em órgão de repressão, como ocorre com os exércitos de Maduro ou dos Castros.
Embora tenha muitos amigos no PT, sempre divergi das convicções políticas dos governantes ora alijados da Presidência, mas sempre entendi que sua intenção era a de respeitar as regras democráticas. Desiludi-me, profundamente, ao constatar que os maiores defensores da ética, como se apresentavam quando na oposição, protagonizaram o governo mais corrupto da história do mundo.
Este é o país que o PT quer para os pobres brasileiros./ Atenção, para que fique bem claro: o documento é assinado pelo PT! (GSPires) 
A vantagem do capitalismo é que, por ter exemplos de sucesso, admite fracassos e tem mecanismos de correção. Para os socialistas, ao invés, o fracasso é apenas um sucesso mal explicado. (Roberto Campos) 

Assédio, estupro e a cultura da passividade.
No ano de 2012, estreou no Brasil o filme Cairo 678, que mostra a realidade do assédio sexual no Egito. Baseado em fatos reais, o filme relata os dramas em comum de três mulheres de níveis socioeconômicos diferentes. As três são assediadas na rua e no trabalho. As três são humilhadas até mesmo em família, por maridos e parentes. As três vivem com medo até de manifestar o medo.
Depois de sofrer um estupro coletivo num estádio de futebol, uma delas, a mais rica, resolve engajar-se na causa antiviolência contra a mulher. Tenta os caminhos políticos e burocráticos. Em vão. Outra decide criar um grupo de ajuda, que não consegue fazer nada além de reuniões.
Fayza, a personagem mais pobre e menos articulada, decide resolver o problema esfaqueando os homens que nela se esfregam nos ônibus. Sem olhar para trás, ela apenas cravava a lâmina na região genital do agressor e descia do ônibus em meio a confusão que se seguia por causa dos gritos de dor.
Moral da história: Enquanto algumas mulheres tentavam mudar a cultura do assédio sexual por meio da sensibilização pública, colhendo nada mais do que piadas, Faysa reagiu às agressões, obtendo resultados concretos e muito além do que ela mesma esperava.
Seus atos ganharam as manchetes dos jornais, o que motivou muitas outras mulheres a fazer o mesmo. O próprio marido de Faysa certo dia chegou em casa esfaqueado por uma mulher que ele havia molestado. As reações se multiplicaram de tal maneira que os assédios nos ônibus pararam. Só por imaginar que uma mulher poderia reagir com violência fez com que os homens parassem de agir daquela maneira.
A mulher que inspirou a personagem Faysa não acabou com o assédio e com o estupro no Egito, apenas o diminuiu, mas comprovou que apenas reações práticas geram resultados reais.
O Brasil está muito distante da realidade egípcia, mas ainda é um país com alto índice de assédio e de crimes sexuais, porém, é necessário contextualizar os casos. Sim, há uma cultura do assédio. O olhar maldoso. A cantada. A piadinha sem graça. Não, não há uma cultura do estupro. Ninguém aceita o estupro. Até entre bandidos o estupro é repudiado. Estupradores são torturados e mortos nas cadeias. Estupros são cometidos por uma ínfima parcela da população que atua nas sombras por saber que a sociedade não aceita esse tipo de crime.
São dois os pontos que a imprensa e que a maioria das pessoas evitam questionar: A correlação entre a educação que os jovens de periferia recebem nas escolas públicas com a delinquência juvenil; a campanha que governo e sociedade fazem para que as pessoas nunca reajam às agressões.
O primeiro ponto foi explorado no artigo anterior. Vamos ao segundo: Quando governo e sociedade se unem para defender a ideia de que as crianças não devem revidar o bullying que sofrem, que as pessoas não devem reagir a assaltos, que um cidadão não pode ter uma arma para defender sua família, seu negócio e sua própria vida, não deveria causar surpresa o fato de que algumas pessoas se sintam confortáveis para agredir, roubar, matar e estuprar outras pessoas.
Soma-se à cultura da passividade a cultura da impunidade que é sistematicamente defendida pela esquerda.
Ao cobrar que o estado não trate com rigor os adolescentes que roubam e matam, estão estimulando que adolescentes roubem e matem. Ao estimular o aborto, estão estimulando o sexo irresponsável. Ao estimular o sexo irresponsável, estão estimulando o estupro.
Enquanto a esquerda tenta aprovar leis que oferecem todo tipo de amparo aos criminosos, a direita tenta aprovar leis que punam com rigor os criminosos. Enquanto a esquerda luta contra agressões sexuais levantando cartazes, a direita diz que as mulheres devem reagir contra todos que lhes agridem.
A esquerda prega que o pobre é incapaz de cuidar de sua vida e que a mulher é incapaz de se defender. A esquerda prega uma sociedade de coitadinhos e coitadinhas.
A violência contra a mulher só acabará quando a cultura da passividade for substituída pela cultura da autodefesa, com as mulheres sendo ensinadas desde cedo a reagir a qualquer tipo de agressão. Primeiro, com os pais dando à suas filhas cursos de artes marciais e um conselho: Machuque quem tentar te agredir. Depois, dando a elas uma arma e outro conselho: Mate quem tentar te estuprar.
Don’t tread on me. (João Cesar de Melo, arquiteto, artista plástico e escritor)

Nenhum comentário: