15 de abr de 2011

Bullying, a palavra da moda...

. Bullying agora é a palavra da moda para justificar o injustificável. Fiquei indignada ao abrir os jornais e ler que Ananias dos Santos, de 27 anos, confessou ter matado duas irmãs adolescentes em São Paulo e... Adivinhem? Em seu depoimento, ele contou que o crime foi motivado por ele, o neo-famoso, a nova celebridade, o bullying, que está tendo bem mais que seus 15 minutos de fama.
.
O homem confessou que premeditou o crime, que tirou a vida de duas adolescentes, mas, chorou e viu-se justificado: - Fui vítima de bullying. A explicação não é só simplista e indignante, é uma afronta à dor dos pais, familiares e amigos das vítimas.
.
Não quero, em momento algum, desmerecer ou minimizar os efeitos que a violência psicológica pode ter sobre alguém, principalmente no caso de crianças e adolescentes, mas, as brincadeiras de mau gosto que todo mundo – ou quase todo mundo – foi vítima, principalmente na escola, nos ajudam a lidar com as críticas e é quando, finalmente, descobrimos que não somos unanimidade. Ninguém é.
.
Eu era a Olívia Palito. Meu irmão, que tem problemas graves na visão e já foi submetido até a transplante de córnea, era o Ceguinho, ou o Mr. Magoo. Uma amiga, que tinha os cabelos curtos, era o Tobby (ex-integrante do extinto Balão Mágico). A lista de exemplos é enorme e não caberia aqui.
. A brincadeira de mau gosto, que às vezes envereda até para a agressão física, com empurrões, tapas e mordidas, não teve a atenção devida no meu tempo de escola e agora, como se os responsáveis quisessem expiar a culpa ou recuperar o tempo perdido, está tendo atenção demasiada.
. Repito: não desmereço aqui os efeitos, por vezes devastadores, do bullying, mas recuso-me a aceitá-lo da forma como tem sido usado, como justificativa para o cometimento das maiores atrocidades.
. Exemplo disso é que a palavra-celebridade do momento chegou a ser usada na tentativa de entender o massacre ocorrido na escola do Rio de Janeiro. Dessa forma, a vítima de bullying passa para o lugar de algoz, simplesmente porque não soube lidar com os nãos? Com a rejeição que faz parte da vida? Não acredito e não aceito explicações tão simplistas.
. A intolerância deve ser combatida, mas não com a mesma violência e intolerância. A casa do assassino do Realengo foi pichada e depredada por populares. No dia seguinte, um grupo de possíveis ex Olívias-Palito, Ceguinhos, Quatro olhos e Rolhas de poço a pintaram de branco, no melhor exemplo de que o “bullying” não muda a essência do ser humano. (Vanessa Alencar)

Nenhum comentário: