27 de jul de 2010

Anti-Semitas: recomendações

Sei que não é o seu caso, mas você conhecer alguém que ainda esteja mergulhado no lodaçal da ignorância e preconceito, por isso seria bom que ele lesse esse texto e começasse a se preocupar.
Sugerimos a todos os anti-semitas que leiam esta importante nota e cumpram estritamente com o proposto neste documento, já que está completamente de acordo com suas filosofias.
É fundamental que nenhum anti-semita tenha contato com alguma influência judia. Por isto se sugere o seguinte:

Photobucket Um anti-semita que sofre de sífilis não deve permitir que seja curado com Salvassan Composto, que é um medicamento descoberto por um judeu, Ehrlich.

Photobucket Não deve nem sequer fazer uma análise que permita descobrir que doença tem, pois estaría utilizando a reação de Wasserman e Kahn, que serve para essa finalidade e foi descoberta por esses dois cientistas judeus

Photobucket Um anti-semita que tenha se contagiado de difteria não deve utilizar a reação Shick para sua cura, porque o judeu Bela Shick foi seu inventor.

Photobucket Os anti-semitas devem estar dispostos à elevação de suas taxas de mortalidade com a finalidade de nunca permitir que sejam tratados pelo método inventado por outro judeu, Robert Baram, cujo sistema para o tratamento de danos cerebrais tem salvado milhões de vidas

Photobucket Os anti-semitas que sofrem um colapso do sistema nervoso não devem permitir que os enviem a uma clínica especializada, já que deveriam rechaçar os resultados das investigações de um judeu, ganhador do premio Nobel: Otto Levi.

Photobucket O anti-semita de qualquer idade deve evitar o emprego de vitaminas, porque o descobridor de seus valores nutricionais também foi um judeu, Kasimir Tunk.

Photobucket O anti-semita deve continuar morrendo ou permanecendo inválido por paralisia infantil, porque o descobridor da vacina anti-pólio era outro judeu – Dr. Jonas Salk.

Photobucket O anti-semita deve negar o emprego da Estreptomicina, ainda que morra de complicações e de tuberculose, porque um judeu, Zalman Waxman, inventou a droga contra esta enfermidade mortal.

Photobucket Se um anti-semita suspeita que está com gonorréia, não deveria tratar de obter diagnóstico algum, porque estaria empregando o método de um judeu, Neisser, nem o medicamento Digilatis, descoberto pelo judeu Ludwig Traube.

Photobucket E se sofre com dores não deveria empregar cocaína já que estaria sendo beneficiado pelos trabalhos e descobrimentos de dois judeus - Widall y Weill.

Photobucket Se um anti-semita padece de Diabetes, não deveria tomar insulina devido ao trabalho de investigação de um judeu, Minkowsky.

Photobucket Se sofre de enxaquecas, não deveria utilizar Piramidon e Antipirina devido aos trabalhos dos judeus Spiro y Ellege.

Photobucket Um anti-semita com convulsões deve suportá-las com paciência, porque foi um judeu, Oscar Leibovich, quem pensou em empregar hidrato de cloral.

Photobucket Todos anti-semitas devem suportar suas enfermidades psíquicas, porque Freud, o pai da psicoanálise, era judeu.

Photobucket Os doutores anti-semitas devem descartar os descobrimentos e avanços logrados pelos trabalhos realizados pelos premios Nobel, Mein-Voitear, Brangaj y Otto Warburg, do dermatologista Yehuda Sehn Bonediel, do pneumonologista Trawnkel y de muitos outros cientistas e médicos judeus de renome mundial.

Photobucket E um pouquinho mais: estarão condenados a padecer de cancer sem que se possa ter um diagnóstico e sem que se intente uma cura, para não empregar os descobrimentos do premio Nobel argentino, dr. Cesar Miltein, obviamente judeu.

Photobucket Em poucas palavras um anti-semita auténtico e leal deve suportar de forma valente e consistente: a sífilis, a gonorreia, as enfermidades cardíacas, a enxaqueca, o tifo, diabetes, desordens mentais, os danos cerebrais, a poliomielite, a nutrição deficiente, as convulsões, a tuberculose e, por fim, morrer de câncer.

"Anti-semitismo é a ideologia de aversão cultural, étnica e social aos judeus. O termo foi utilizado pela primeira vez pelo escritor anti-semita Wilhelm Marr, em 1873, surgindo como uma forma de eufemizar a palavra alemã 'Judenhass', que significava -ódio aos judeus-. Ao pé da letra, o termo 'anti-semita' é errôneo, visto que os árabes também são 'semitas', descendentes de Sem, filho de Noé. No entanto, a palavra se refere unicamente ao povo judeu. Desde o fim do século XI, os judeus eram segregados na Alemanha, embora o anti-semitismo em si tenha surgido a partir da década de 1870.... Um dos grandes propagadores do antissemitismo no século XX foi o regime nazista alemão. Atualmente, o ódio ao judeu freqüentemente apoia-se em ideais nazistas, ainda que o pensamento antis-semita seja muito mais antigo.
"Não é a força, mas a constância dos bons sentimentos que conduz o homem à felicidade." (Nietzsche)

Nenhum comentário: