26 de ago de 2017

Mesmo aturdido, o povo não recua...

mutreta
• Chega a cem o número de policiais militares mortos no Rio em 2017. 
• Crise afeta a Saara com o fechamento de mais de 20 lojas em um ano; Três milhões de passageiros perdem direito a Bilhete Único no Estado do Rio. 
• No próximo domingo (27) o Movimento Vem Pra Rua fará atos em 22 cidades brasileiras, desta vez, o movimento se posiciona contra o fundo eleitoral, contra a impunidade e quer a renovação política. O Vem Pra Rua vai divulgar uma lista negativa, ou tchau, queridos, como nome de todos os políticos que não devem ser eleitos e nem reeleitos. O movimento acredita que é necessária, ao lado de outras entidades da sociedade civil, a criação de uma Frente de instituições que além de promover uma agenda positiva para o país, que seja capaz de identificar novos nomes para participarem das eleições de 2018. Por nota, o Movimento Vem Pra Rua afirma que, Embora a agenda inicial da Frente ainda não esteja completamente fechada, alguns princípios do movimento estarão presentes, como por exemplo, a busca por um Estado desinchado e mais eficiente, a crença em um sistema político que represente efetivamente os cidadãos brasileiros e, claro, a luta constante contra a corrupção, que drena recursos essenciais que deveriam estar alocados em prol do povo, em áreas como saúde, educação e segurança. Informações sobre locais e horários podem ser encontrados na página Vem Pra Rua Brasil, no Facebook. 
• IPTU.. uuuu! Uma rebelião na Câmara Municipal ameaça os planos do prefeito Marcelo Crivella (PRB) de reajustar o IPTU. Dos 32 parlamentares que votaram com o governo na terça-feira, 17 dizem agora que mudarão de lado na votação decisiva da semana que vem. Para que isso não ocorra, o grupo exige a volta da vereadora licenciada Teresa Bergher (PSDB) à Câmara para votar pelo aumento do IPTU - ela comanda atualmente a Secretaria de Assistência Social. O grupo se reuniu ontem com o líder do governo, Paulo Messina (Pros), e mandou o recado. Para alterar o IPTU, Crivella precisa de no mínimo 26 votos. A conta não fecha. Dos 32 parlamentares que votaram com o governo na terça-feira, 17 dizem agora que mudarão de lado na votação decisiva da semana que vem. 
• É considerado foragido. Até a noite desta sexta, 25, ele ainda não havia sido encontrado. juiz federal Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal, do Rio, mandou prender novamente o ex-presidente do Departamento de Transportes Rodoviários do Estado Rogério Onofre de Oliveira na Operação Ponto Final - que investiga a cúpula do Transporte do Rio. A suspeita é que ele tenha ameaçado outros investigados. Ele havia deixado a prisão na quinta solto por Gilmar Mendes. Ex-presidente do Departamento de Transportes do Rio (Detro), acusado de integrar um esquema de corrupção envolvendo o setor de transporte no estado; Diretor da Ftranspor é preso ao tentar esconder computador da lava jato. 
• Janot denuncia Sarney, Renan, Jucá e Blairo na Lava Jato por participação em esquema de corrupção da Transpetro. Delatores Sergio Machado e Fernando Reis também foram acusados. Na denúncia que apresentou contra alguns dos principais líderes do PMDB, o procurador-geral da República Rodrigo Janot pede que a parte relativa ao ex-presidente José Sarney seja transferida para o juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara de Curitiba. Sarney é acusado de desviar dinheiro da Transpetro em transações intermediadas pelo ex-presidente da estatal Sérgio Machado. 
• Surpresa no TSE. Novo vice-procurador-geral eleitoral é desafeto do presidente do TSE. Dodge escolhe Humberto Jacques procurador-geral eleitoral. 
• Palocci diz que ex-ministro do STJ recebeu R$ 5 mi de propina. Ex-ministro da Fazenda diz que suborno foi pago a Cesar Asfor Rocha. 
• Janot diz que investigações comprovam acusações de Sérgio Machado contra Temer. 
• OMC pode punir o Brasil pela política industrial do governo Dilma. Política industrial da petista afeta reputação do país na OMC. 
• Um ano de dúvidas. A 12 meses da campanha na TV, incerteza inédita ronda ciclo eleitoral. 
• Moro afirma que seguiu prazo de ação contra Lula. Reportagem da Folha mostrou que recurso do petista teve trâmite mais rápido. 
• Gilmar Mendes: o juiz que discorda do Brasil. Influente, controverso e impopular, o ministro do STF é considerado o principal obstáculo no Judiciário ao avanço da Operação Lava-Jato. 
• O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, atribuiu ao ministro da Agricultura, Blairo Maggi, a função de liderança mais proeminente na organização criminosa delatada pelo ex-governador de Mato Grosso Silval Barbosa (PMDB). O ministro Luiz Fux, do STF, abriu inquérito a partir de delação de ex-governador do MT. 
• Relator levanta sigilo de colaboração premiada de ex-governador de Mato Grosso. Ex-governador Silval Barbosa vai pagar indenização de R$ 70 milhões. Delação monstruosa. Segundo ex-governador, Blairo Maggi e Pedro Taques poderiam barrar investigação. 
• Líder do PSDB pede à casa civil revogação da extinção de reserva na Amazônia. 
• Pará. Dono de barco que afundou mentiu sobre rota e passageiros. Marinha diz que embarcação que naufragou no Rio Xingu estava fora da rota. 
• Sobreviventes de naufrágio na BA relatam que coletes estavam amarrados. 
• Odebrecht entrega cinco discos rígidos com programa de pagamento de propina. 
• Olha o nosso $$$$ aí! Um dos símbolos do governo Sérgio Cabral Filho (PMDB) no Rio, sua casa no Condomínio Portobelo, em Mangaratiba, vai a leilão no próximo dia 3 de outubro pelo preço mínimo de R$ 8 milhões. A decisão é do juiz da 7ª Vara Federal Criminal, Marcelo Bretas, que resolveu leiloar alguns dos bens mais valiosos do peemedebista. Ele está preso desde novembro passado, acusado de corrupção e lavagem de dinheiro; Carros de ex-secretário de Cabral são leiloados por R$ 263,9 mil. Justiça marca primeiros leilões com bens apreendidos pela Lava Jato. Outro bem cuja propriedade é atribuída a Cabral e vai a pregão é a lancha Manhatan. Oficialmente, a embarcação pertence à empresa MPG Participações, controlada por Paulo Fernando Magalhães Pinto, ex-assessor do peemedebista e apontado como operador do ex-governador. Mas a Polícia Federal (PF) e o Ministério Público Federal (MPF) dizem que o ex-governador é o verdadeiro dono do barco. Na lista de bens a serem leiloados, também há três veículos. São dois jipes da marca Mitsubishi. Um está registrado em nome do Coelho e Ancelmo Advogados (escritório da mulher de Cabral, Adriana Ancelmo), avaliado em R$ 120 mil); outro é da própria Adriana e foi avaliado em R$ 240 mil. Há ainda um Hyndai Azera, pertencente a Cabral, avaliado em R$ 76 mil. Será posta em leilão também uma moto aquática, da marca Seadoo, modelo 2012, avaliada em R$ 45 mil, e um jetboat por R$ 50 mil. No despacho em que determina o leilão, Bretas afirma que o lance mínimo permitido para arrematar os bens será o da homologação dos valores da avaliação, acrescido de custas e demais consectários legais. Se não for alcançado o valor mínimo, haverá, no dia 11 de outubro, no mesmo horário e lugar, um segundo leilão. Nele, os bens poderão ser arrematados por valor não inferior a 80% do valor homologado. O leilão será feito no Foro da Justiça Federal Marilena Franco, na Avenida Venezuela, na zona portuária do Rio. 
• Braço direito de Beira-mar e fornecedor do Comando Vermelho é preso em SP. Segundo investigadores, Marcos José Monteiro Carneiro, conhecido como Periquito, é um dos principais fornecedores de armas e drogas para o CV e tem quatro mandados de prisão. 
• Imprensa mundial usa tom crítico sobre ação de Temer na Amazônia. 
• AM escolhe governador-tampão sob risco de abstenção recorde. 
• Arrecadação federal tem pior resultado para julho desde 2010. 
• Abdelmassih é transferido para penitenciária no interior de SP.

• Furacão Harvey perde força mas ameaça o Texas com fortes inundações. 
• Trump impõe novas sanções contra ditadura de Nicolás Maduro. EUA miram petroleira ao punir Venezuela. Trump proíbe americanos de comprarem títulos e repassarem dividendos. 
• Sanções dos EUA são a pior agressão à Venezuela em 200 anos, diz chanceler. Venezuela faz exercícios militares após ameaças de Trump. Maduro tira do ar duas emissoras de rádio. 
• Extinção de área preservada. Mineradoras souberam de fim de reserva 5 meses antes do anúncio. Em março, ministro anunciou decisão ao setor mineral canadense. Imprensa mundial usa tom crítico sobre ação de Temer na Amazônia. 
• BC dos EUA diz ser contra afrouxar regras para banco. Pressionada por aliados de Trump, Yellen sai em apoio a legislação pós-crise. 
• Herdeiro da Samsung é condenado a cinco anos de prisão. O herdeiro da Samsung, Lee Jae-Yong, foi condenado nesta sexta-feira por um tribunal de Seul a cinco anos de prisão por suborno, desvio de fundos, fuga de capitais e perjúrio. 
• Regime de Maduro distribui armas a civis na Venezuela. 
• Coreia do Norte lança mísseis em direção ao Mar do Japão. 
• Agressor atacou dois soldados com faca. Homem é baleado pela polícia em Bruxelas. 
• Ataque em Londres. Homem que feriu policiais perto do Palácio de Buckingham gritou Alá é grande. Incidente passou a ser tratado como ato de terrorismo. 

Juiz Bretas, o rabo, abanou Gilmar, o cachorro.
A desforra veio mais cedo que se imaginava. Dias atrás, o ministro Gilmar Mendes abespinhou-se com o juiz Marcelo Bretas. Chamou de atípico o fato de o magistrado expedir nova ordem de prisão contra detentos que ele, com uma canetada suprema, mandara soltar horas antes. Em geral, é o cachorro que abana o rabo, não o rabo que abana o cachorro, rosnou. Nesta sexta-feira, Bretas, o rabo, abanou acintosamente Gilmar, o cachorro.
Responsável pela Lava Jato no Rio de Janeiro, Bretas ordenou o reencarceramento de Rogério Onofre, outro libertado por Gilmar. O magistrado agiu com método. O encrencado presidira o departamento que deveria fiscalizar empresas de ônibus. É acusado de receber R$ 44 milhões em propinas. Sua libertação fez saltar dos autos um áudio tóxico. Nele, a voz do preso que Gilmar devolveu ao meio-fio ameaça dois clepto-empresários que lhe deviam propinas: Vocês não estão acreditando, rapaz, na sorte. Vocês ainda não morreram porque eu quero receber, mermão.
Acionado pela Procuradoria, Bretas enviou o áudio para Gilmar. Alertou para a gravidade da encrenca. E indagou quais são os limites da sua ação como juiz de primenta instância. Bingo! Gilmar miou. Em despacho endereçado a Bretas, o ministro rendeu homenagens ao obvio. Reconhecer que a bola estava com a Vara do Rio, não com o Supremo. Até a madrugada deste sábado, Onofre era tratado como foragido. Não foi encontrado no domicílio onde Gilmar ordenara que ficasse. Seus advogados asseguravam que ele se entregaria.
No atual estágio, Gilmar frequenta a controvérsia em posição análoga à dos cachorros de antigamente. Eles gostavam de correr atrás de carros. Perseguiam os veículos por algum tempo. Passavam a impressão de que iriam trucidá-los. Mas logo desistiam. Por mal dos pecados, Gilmar não é de desistir. Deve voltar à carga. O prolongamento dos latidos revigora-lhe a alma. (Josias de Souza) 

Até que a morte nos separe.
Quem irá sobreviver a essa barafunda política é um enigma para estudiosos do nosso psicosociodrama eleitoral, mas para quem tem certeza da morte eis uma boa notícia: voltou à televisão a promoção imperdível de 50% de desconto no sepultamento de clientes que vierem a passar desta para melhor em seis meses.
Mas, atenção, além de improrrogável, a promoção é intransferível: só valerá mesmo para os que morrerem antes do decurso do prazo; depois disso, morre o desconto.
Deve ser parte do esforço para a salvação da previdência social, carcomida por benefícios irregulares, assaltada por fraudes jorginianas e ferida pela sonegação dos muito vivos. Agora que o grave problema previdenciário reduziu-se a uma questão demográfica - e não de seguridade social - a mesma televisão traz uma notícia ameaçadora para o sistema de proteção dos aposentados: a de que poderemos viver não 80, 90 ou 100 anos, mas 120 anos.
O geriatra britânico De Grey vai ainda mais longe: garante que o homem poderá viver até mil anos. Está lá no site Sens (sigla em inglês para Estratégias para a Senescência Negligível Engenheirada): no futuro, as biotecnologias de rejuvenescimento cuidarão de restaurar permanentemente nossas células e biomoléculas essenciais.
Será um cansativo tédio assistir repetidas vezes ao embate de renans e jucás, ver o presidente norte-americano declarar guerra pelo twitter, trabalhar como burro de carga por 900 anos, ao invés de apenas 30, e ainda, como um condenado à velhice, suportar as sogras todo esse tempo. Será uma chatice interminável rever os colegas de escola, nas festas de formatura, apenas para conferir quem andará mais acabado.
Viver mil anos, quem quererá? Será o azar dos filósofos e dos poetas da vida breve. Molière já dizia preferir viver dois dias na terra que mil anos na história; em compensação, veremos a supremacia dos que buscam o sentido da vida em milênios.
Poderemos ver a invenção da charrua elétrica, acompanhar a missão do homem à Lua e vê-lo voltar para destruir o planeta Terra com as doenças e as guerras. Poderemos testemunhar os sete séculos do triunfo romano e ainda ter tempo de assistir ao declínio do império. Conhecer pessoas com nomes medievais como Clotário e Pepino. Velejar até o redescobrimento do Brasil, acompanhar a via sacra do seu bate cabeças entre saúvas e jabuticabas e ver deus - até Ele - jogar a toalha e desistir de ser brasileiro, com pedido de desculpas a Cabral, o português.
Ao fim de mil anos, nos despediremos, com Fernando Pessoa: o tédio de viver sempre deve ser imenso. Talvez o inferno seja isso. (Eduardo Simbalista) 
A família é como a varíola: a gente tem, quando criança e fica marcado para o resto da vida. (Jean Paul Sartre)

Nenhum comentário: