15 de jul de 2017

Um emaranhado político e o país ó...

• Dólar fecha abaixo de R$ 3,20 e Ibovespa tem alta de 0,40%. 
• A Justiça do Rio de Janeiro aceitou nesta sexta-feira a denúncia por homicídio doloso que o Ministério Público estadual apresentou contra a médica Haydée Marques da Silva, de 66 anos. Em 8 de junho, ela deixou de atender o bebê Breno Rodrigues Duarte da Silva, de 1 ano e 6 meses, que morreu horas depois. 
• Mesmo impopular, Temer aproveita pouco barulho à esquerda e à direita nas ruas para tocar agenda; Os fatos novos que podem atingir Temer durante férias da Câmara. Votação na Câmara da denúncia por corrupção contra o presidente será no dia 2 de agosto. Até lá, delações e nova acusação podem desgastá-lo ainda mais; Votação de denúncia contra Temer pode ficar para setembro. Nem governo Temer nem oposição tem apoio para garantir o quórum mínimo. 
• Moro mandar intimar Lula da sentença de 9 anos e seis meses de prisão. Juiz manda Lula ser intimado em casa, em São Bernardo do Campo. 
• Renegociação de dívidas. Novo Refis prevê desconto de até 99% em multas e juros de dívidas de empresas.
• Ministério do Trabalho diz que reforma valerá para todos os contratos, com exceções. 
• Governo enterra volta do imposto sindical obrigatório. 
• Governo infla receitas para poder fechar contas. Equipe econômica passa a contar com R$ 3,4 bi a mais em precatórios. 
• Cunha e Funaro disputam quem vai colaborar com a Justiça em processo que envolve Temer. 
• Eike cita Lula, Cabral e Mantega em proposta de delação premiada. 
• Temer envia projeto de lei que reduz área protegida na Amazônia. 
• Doria causa mal-estar no PSDB ao celebrar condenação de Lula e é criticado por Goldman. 
• O Povo diz não! Foi um escárnio ao Povo! Conselho de Ética: senadoras pedem que denúncia por ocupação da Mesa seja arquivada. 
• Deputados pró-Temer na CCJ receberam R$ 134 mi em emendas. Levantamento feito pela ONG Contas Abertas mostra que quantia é 103% maior que a destinada a opositores. 
• Líder do PMDB diz que recesso não vai impactar votação de denúncia contra Temer. 
• Maia anuncia para 2 de agosto votação da denúncia contra Temer em plenário. 
• Deputado petista articula Emenda Lula para blindar candidatos de prisão. Vicente Cândido propõe alteração no Código Eleitoral para impedir detenção até 8 meses antes da eleição; O tribunal que decidirá o futuro político de Lula. Após a condenação proferida por Sergio Moro, ex-presidente irá se defender no Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre. Recursos serão julgados na sela da 8ª Turma, onde são tratados os processos da Lava-Jato no TRF4; Sentenciado a nove anos e meio de cadeia, o ex-presidente Lula irá esgrimir sua alegada inocência em uma Corte sediada em Porto Alegre, cujo histórico na Lava-Jato é amplamente desfavorável aos réus. Porém, terá a seu favor o tempo levado pelos desembargadores para analisar cada processo, que poderá tornar possível a candidatura do petista em 2018. 
• Contra denúncia, Temer avalia reforma ministerial. Governo envia recado ao PSDB de retaliação aos infiéis; as trocas serão realizadas em duas etapas. 
• Gestão das contas ode ganhar evidência e se misturar com a política. O governo vive hoje uma espécie de dupla personalidade quando assunto é falta de dinheiro. 
• A fragmentação partidária. A multiplicação de partidos impede a formação de conjuntos capazes de proporcionar maiorias para a aprovação de matérias de importância. 
• Nada fora da Constituição. As instituições é que vão ter de buscar essa saída. Comandante do Exército afirma que papel das Forças Armadas é garantir a democracia. 
• Piora estado de saúde de Rogéria. O quadro clínico da atriz Rogéria, de 74 anos, piorou na tarde desta sexta-feira, 14. Segundo seu empresário Alexandre Haddad, em entrevista ao programa A Casa é Sua, da RedeTV!, ela teve uma convulsão.
• Delegacias e Presídios superlotados, como funcionam? Em muitas colocam homens, mulheres e adolescentes -a maioria indígenas- sob o mesmo teto. Quem são os responsáveis? Desde quando não se faz um mínimo de ingerência, adequações de comportamento humano e não de enjaulados? Até quando ainda Carandirus? (AA) 

Confidentes de papa Francisco criticam eleitorado de Trump. 
• Ex-presidente peruano é levado a presídio onde está Fujimori. 
Travamos uma batalha existencial. O presidente da Assembleia Nacional da Venezuela fala da determinação da oposição em resistir às investidas autoritárias de Nicolás Maduro e garante que os dias do sucessor de Chávez estão contados. (Julio Borges) 
• Após sufocar golpe, Turquia beira autocracia. Um ano após tentativa de derrubar Erdogan, presidente consolida poder. 
Nada vai nos separar, diz Macron a Trump em Paris. Francês mostra sintonia no 2º dia da visita do presidente americano. 

Isto, sim, é lutar pelos Direitos Humanos.
Um amigo, me lembrou esses dias, a trajetória de vida da grande ativista Irene Sendler, diretamente envolvida em sua missão pessoal de salvar crianças do holocausto nazista! Irena Sendler (15/02/1910 a 12/05/2008), também conhecida como O Anjo do Gueto de Varsóvia, contribuiu diretamente para salvar mais de 2.500 vidas, ao conseguir que várias famílias escondessem filhos de judeus em seus lares e ao levar alimentos, roupas e medicamentos às pessoas do gueto, com risco da própria vida...
Aproveitando a lembrança, nada mais oportuno em nossos dias atuais, que comparar essa legítima e autêntica defensora dos direitos humanos com a farsa desses pseudo ...defensores dos direitos humanos... que fazem seus discursos ocos por aí! Que diferença entre Lulla, PT-sindical, luminares políticos de todas matizes, fantoches de senadoras que se estrebucham na mesa diretora do Senado, lutando pelos direitos dos pobres, dos menos favorecidos, dos perseguidos, dos operários brasileiros...!
O Lulla ...defensor dos pobres.., em 13 anos, se tornou uma das pessoas mais ricas do País, o PT-sindical-apóstata, defensor dos desamparados depenou a Petrobras e o País em causa própria, esses políticos criminosos de todos os Partidos que arrotam palavras de ordem e de comiseração para com os mais necessitados, as ridículas senadoras que comem marmita em um ato de escárnio à maioria democrática que elas tanto ...dizem defender..., toda essa corja de fantoches e de pseudo-defensores dos direitos humanos, dos mais pobres e dos mais necessitados, deveriam, se tivessem um mínimo de coerência e de hombridade pessoal, se espelhar no exemplo dessa figura ímpar, Irena Sendler... E de tanto roubar e usar os recursos do povo brasileiro para seu enriquecimento pessoal, quase em sua totalidade, estão todos indiciados e respondendo a processos...
 photo orderespeito_zpsro41zsr1.jpg Lugar de palhaços e de fantoches é no circo!... Não à frente dos destinos de um País!.... (Márcio Dayrell Batitucci)
ooo0ooo






O exemplo de Irena Sendler.
 photo Irena Sendler_zpsvtyxkjos.jpg Uma senhora de 98 anos chamada Irena, faleceu há pouco tempo.
Durante a 2ª Guerra Mundial, Irena conseguiu uma autorização para trabalhar no Gueto de Varsóvia, como especialista de canalizações. 
Mas os seus planos iam mais além... Sabia quais eram os planos dos nazistas relativamente aos judeus (sendo alemã!) Irena trazia crianças escondidas no fundo da sua caixa de ferramentas e levava um saco de sarapilheira na parte de trás da sua camioneta (para crianças de maior tamanho). Também levava na parte de trás da camioneta um cão a quem ensinara a ladrar aos soldados nazis quando entrava e saia do Gueto. 
Claro que os soldados não queriam nada com o cão e o ladrar deste encobriria qualquer ruído que os meninos pudessem fazer. 
Enquanto conseguiu manter este trabalho, conseguiu retirar e salvar cerca de 2500 crianças.
Por fim os nazistas apanharam-na e partiram-lhe ambas as pernas, braços e prenderam-na brutalmente. 
Os nazis souberam dessas atividades e em 20 de Outubro de 1943; Irena Sendler foi presa pela Gestapo e levada para a infame prisão de Pawiak onde foi brutalmente torturada. Num colchão de palha encontrou uma pequena estampa de Jesus Misericordioso com a inscrição: Jesus, em Vós confio, e conservou-a consigo até 1979, quando a ofereceu ao Papa João Paulo II. 
Ela, a única que sabia os nomes e moradas das famílias que albergavam crianças judias, suportou a tortura e negou-se a trair seus colaboradores ou as crianças ocultas. Quebraram-lhe os ossos dos pés e das pernas, mas não conseguiram quebrar a sua determinação. Foi condenada à morte. Enquanto esperava pela execução, um soldado alemão levou-a para um interrogatório adicional. Ao sair, gritou-lhe em polaco Corra!. No dia seguinte Irena encontrou o seu nome na lista de polacos executados. Os membros da Zegota tinham conseguido deter a execução de Irena subornando os alemães, e Irena continuou a trabalhar com uma identidade falsa. 
Irena mantinha um registro com o nome de todas as crianças que conseguiu retirar do Gueto, que guardava num frasco de vidro enterrado debaixo de uma árvore no seu jardim. 
Depois de terminada a guerra tentou localizar os pais que tivessem sobrevivido e reunir a família. A maioria tinha sido levada para as câmaras de gás. Para aqueles que tinham perdido os pais ajudou a encontrar casas de acolhimento ou pais adoptivos. 
No ano passado foi proposta para receber o Prémio Nobel da Paz... mas não foi selecionada. Quem o recebeu foi Al Gore por uns dispositivos sobre o Aquecimento Global.
 Não permitamos que alguma vez esta Senhora seja esquecida! 
Estou transportando o meu grão de areia, reenviando esta mensagem. Espero que faças o mesmo. 
Passaram já mais de 60 anos, desde que terminou a 2ª Guerra Mundial na Europa. Este e-mail está a se reenviando como uma cadeia comemorativa, em memória dos 6 milhões de judeus, 20 milhões de russos, 10 milhões de cristãos e 1.900 sacerdotes católicos que foram assassinados, massacrados, violados, mortos à fome e humilhados com os povos da Alemanha e Rússia olhando para o outro lado.
Agora, mais do que nunca, com o Iraque, Irão e outros proclamando que O Holocausto é um mito, é imperativo assegurar que o Mundo nunca esqueça.
A intenção deste e-mail é chegar a 40 milhões de pessoas em todo o mundo.
 Une-te a nós e sê mais um elo desta cadeia comemorativa e ajuda a distribuí-la por todo o mundo. 
Por favor, envia este e-mail às pessoas que conheces e pede-lhes que não interrompam esta cadeia.
A razão pela qual resgatei as crianças tem origem no meu lar, na minha infância. Fui educada na crença de que uma pessoa necessitada deve ser ajudada com o coração, sem importar a sua religião ou nacionalidade. (Irena Sendler)

Sentença de Moro condenando Lula dá ânimo à Lava Jato, que vive crise de popularidade.
A sentença de Sérgio Moro, que condenou Lula a nove anos e meio de prisão, veio em hora oportuna para a Lava Jato. Ainda que a decisão do juiz de não decretar a preventiva do ex-presidente tenha frustrado a turma que caiu vítima da pilantragem vai ser preso amanhã. A operação vive a sua pior crise de popularidade. As ruas não vão, por exemplo, ao Fora, Temer!. Perceberam ser sinônimo de Voltem, esquerdas!
O Acordo da J&J, a holding da empulhação judicial da parceria Joesley-Janot, revelou os porões da operação. É crescente o número de pessoas que se dão conta de que os grandes corruptores ficarão impunes ou pegarão penas irrelevantes. Não obstante, o país paga um estúpido preço político, econômico e social. Que forma eleitoral isso tomará? A perspectiva não é boa. Dado o PIB de 2016, a cada 0,1% que o país deixar de crescer em razão da instabilidade política, tem-se a bagatela de R$ 6,266 bilhões.
É visível que Janot e sua Liga da Justiça meteram os pés pelas mãos e deixaram de atuar como homens de Estado para falar como uma força política de suposta renovação. Resolveram atuar como os Jovens Turcos (pesquise a respeito, leitor), mas temperados pelo espírito tupinambá, um tanto indecisos entre a sede de modernização e o canibalismo. O país tem um cheiro permanente de carne queimada.
Desde o princípio, a minha crítica se volta, é óbvio, contra o lado vicioso da Lava Jato, que não distingue da impunidade as garantias democráticas e individuais. A turma se perdeu. A sanha de Janot, no seu ocaso, para depor o presidente Michel Temer o evidencia de forma perigosamente patética.
Bem, se o Lanterna Verde, a Mulher Maravilha e o Batman falharam, que venha o Super-Homem. E Moro deu a sua sentença contra Lula. Basta ler com atenção as 238 páginas (folha.com/no1900683) para constatar suas fragilidades.
Moro faz a admissão tácita de que o MPF não produziu a prova de que o imóvel pertence a Lula.
Então ele dá a primeira pirueta interpretativa: os indícios e a delação de Léo Pinheiro dizem que sim, ainda que documentos oficiais digam que não. E apela a um truque um tanto primitivo: é próprio da lavagem de ativos produzir evidência de licitude. Bem, se é assim, tudo o que desautoriza a sua conclusão serve para reforçá-la.
A segunda pirueta se desenha quando o juiz associa o apartamento a contratos celebrados entre a OAS e a Petrobras. O imóvel seria pagamento de propina. Bem, aí lhe caberia evidenciar que a vantagem indevida tinha a contrapartida. Onde estaria a responsabilidade de Lula? Na nomeação dos diretores da Petrobras! Mas não era essa uma das atribuições do mandatário? Isso basta para evidenciar o crime? Resposta: não!
E Moro dá um salto-mortal jurídico não muito esperto ao dizer que até poderia ter mandado prender Lula, mas optou por não fazê-lo.
Acusa o ex-presidente de intimidar a Justiça ao recorrer à... Justiça (!!!) contra seus acusadores. As causas de prisão preventiva, definidas no Artigo 312 do Código de Processo Penal, não incluem o apelo à intervenção de um... juiz! O magistrado lembra ainda que Leo Pinheiro acusou o petista de pedir para destruir provas. Se o risco à ordem pública existiu, Moro sabe que ficou no passado.
E por que não mandou prender? Ele explica: a prisão cautelar de um ex-presidente da República não deixa de envolver certos traumas. Pois é... As razões por que ele diz que poderia ter decretado a prisão preventiva não estão na lei, e as razões por que ele não o fez também não.
Acho, sim, que o apartamento era de Lula. Mas cabia ao MPF prová-lo. Produziu mais barulho do que prova. Moro fez o possível, e apelou até à argumentação impossível, para alimentar a mística da Lava Jato, gravemente atingida pela holding J&J.
Não queria estar na pele dos desembargadores que compõem a turma do TRF-4 que vai julgar o recurso de Lula. O MPF e Moro os obrigam a escolher entre o que se sabe e que se prova. Não é nem a escolha de Sofia. A coisa está mais para o asno de Buridan, condenado a morrer de fome ou de sede entre a água e a alfafa. (Reinaldo Azevedo) 

Presidente do BNDES: JBS foi um dos negócios mais bem bolados.
Paulo Rabello de Castro disse que a empresa passa por momento delicado e que a delação de Joesley Batista foi uma lambança.
O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Paulo Rabello de Castro, afirmou nesta sexta-feira que a JBS foi um dos negócios mais bem bolados e bem sucedidos da BNDESPar, braço de participações do banco. A instituição de fomento tem 21,32% de participação na companhia.
Rabello de Castro citou ainda que a companhia teve projeção mundial com a compra da Pilgrims Pride Corporation, em 2009. O negócio recebeu apoio do BNDES.
A compra da Pilgrims, em plena crise mundial, com a colaboração financeira, societária do BNDES, foi absolutamente decisiva. Ali a empresa JBS realmente ganhou a dimensão mundial, disse, destacando que falava não como presidente do BNDES, mas sim como consultor econômico. Foi num momento em que todos estavam vendendo ativos, afirmou.
O BNDES divulgou nesta sexta-feira o Livro Verde, no qual traz balanços das atividades do banco entre 2001 e 2016. O apoio do BNDESPar via mercado de capitais à empresa e à Bertin, posteriormente associada à JBS, somou 8,1 bilhões de reais. Como resultado, as operações de mercado de capitais já renderam cerca de 5,04 bilhões de reais entre dividendos, comissões, prêmios e alienação de ativos, traz o livro.
Rabello de Castro destacou que o resultado líquido das operações do BNDES com a JBS até dezembro tinha sido positivo em 3,56 bilhões de reais. O banco colocou 8,1 bilhões de reais na empresa.
O presidente do banco disse ainda que a empresa passa por momento delicado. Quem mais sofre é o mercado pecuário brasileiro, com diminuição de liquidez ou capacidade de comprar pela JBS. Ele diz que vê com urgência a regularização dos créditos. É uma companhia dos brasileiros, antes de ser de qualquer controlador.
Entre 2005 e 2016, a JBS foi quem mais recebeu no setor de carnes individualmente apoio do BNDES e BNDESPar, com 26%.
Rabello de Castro disse ainda que, até a lambança da delação de Joesley Batista, a ação da JBS estava cotada a mais de 10 reais e o BNDES entrou com ela a 7 reais. Há pouco, os papéis eram negociados a 7 reais e 13 centavos.
Prejuízos
Rabello de Castro afirmou que a assembleia geral extraordinária (AGE) de acionistas da JBS, ainda sem data, irá apurar possíveis prejuízos à companhia por conta de algum ato do administrador. Segundo o executivo, a AGE foi solicitada pelo BNDESPar e deve ser marcada nos próximos dias.
Não significa dizer que a gente tem qualquer parte pri de que o administrador causou qualquer dano. Mas o que é fundamental é que haja uma apuração, afirmou.
O presidente do BNDES disse que na verificação pode não ser apurado dano significativo. Pode ter sido algum dano político, isso não tem nada a ver com a companhia. Queda de preço momentânea não é prejuízo, disse.
Sobre uma destituição de membros da família Batista da gestão, afirmou que está estudando, em conjunto com os demais acionistas, inclusive o controlador, uma nova composição do conselho de administração. No entanto, disse que a palavra destituição é muito forte e que a assembleia é para apurar prejuízos. O executivo destacou que esse é um assunto interna corporis dos sócios. Nem eu posso responder porque estamos agindo em bloco.
Segundo Rabello de Castro, o conselho já se antecipou a mudanças e anunciou novos comitês do colegiado. Ele destacou o de governança, finanças e executivo como os mais importantes.
TLP
Paulo Rabello de Castro voltou a negar que teria feito críticas à nova Taxa de Longo Prazo (TLP) -taxa de juros para empréstimos do BNDES-, em discussão no Congresso, e disse não só estar alinhado com o Ministério da Fazenda, como estar costurado. Sou completamente aderente.
O posicionamento ocorre após ter criticado abertamente a TLP, o que gerou um mal estar com a equipe econômica do governo. Na primeira audiência pública sobre o tema, realizada nesta semana, o governo escalou um time de peso para defender a TLP.
Rabello de Castro nega conflitos. O BNDES é executor da política econômica do governo. Nós não temos que ficar pensando exageradamente em nada, a não ser que formos chamados para isso. O comum e corrente da nossa atividade é executar, afirmou em entrevista coletiva. (Veja) 
Quando sua perspectiva está em Deus, seu foco está naquele que vence qualquer tempestade que a vida pode trazer. (Max Lucado)

Nenhum comentário: