21 de jul de 2017

O Rio acabou...

• Pezão e os ex-governadores não nos dá saudades ou alegrias, apenas tristezas por incompetências. O Rio passa que nem bife na chapa, apenas no ponto (fora da curva). Surgiu não sei como, foi votado (por quem?), viveu à sombra do Cabral e se aprendeu (copia?) leva cariocas servidores a cruel destino e desrespeito à coisa pública. Desfaçatez e inépcia segundo um deputado da Alerj, que adiantou ele continuasse prefeitinho nas origens. Nem na segurança teve pulso ou coragem. O homem que sorri de pires na mão, vende a Cedae e depois em setembro o que sobrará para venda? O Rio não merece homens e mulheres desse porte. Sabe de nada! Uma vergonha! (AA) 
• Rio tem 90º policial assassinado somente no ano de 2017. Assaltos, sequestros, tiros e mortes... o que mais (des)governador? 
• A que veio? Criado pelo prefeito Marcelo Crivella, o Conselho de Turismo do Rio de Janeiro, está esfarelando, com seus integrantes pulando fora. Há poucas semanas, José Bonifácio (Boni) de Oliviera Sobrinho resolveu se desligar, o que Roberta Medina acaba de fazer. Permanecem lá com vontade de sair Ricardo Amaral e Paulo Protásio; Mais uma: O prefeito Marcelo Crivella causou espanto num evento realizado pelo Conselho da Câmara de Comércio e Indústrias dos Países da União Europeia na última quinta (20), no Rio. Segundo um interlocutor, o prefeito apresentou visões ultrapassadas, românticas e descoladas da realidade para investidores estrangeiros. 
• A partir de sábado. Petrobras eleva preço da gasolina em 1,4% e do diesel em 0,2%. Com aumento do imposto sobre combustíveis, previsão de inflação sobe.
• Após liberação de verbas pelo Governo, emissão de passaportes deve voltar a partir de hoje. 
• Bartolomeu Guimarães. Ministro da Fazenda, Meirelles, cochila enquanto Temer discursa na Cúpula do Mercosul. Em alguns momentos, ele chegava a pender a cabeça e bocejava. 
• O povo cansado de sindicatos! Após a sanção das mudanças na legislação trabalhista e a extinção da contribuição sindical obrigatória, Michel Temer se reuniu com sindicalistas. O presidente indicou que apoia a adoção de uma nova 'contribuição por negociação coletiva' a ser paga pelos empregados. Na proposta, o financiamento não será imposto, mas deverá ser pago por todos que se beneficiem de acordos coletivos. O novo modelo será debatido pelas centrais sindicais. O governo também acenou com uma Medida Provisória para ajustar pontos da reforma, como contrato intermitente, trabalho insalubre para grávidas e lactantes, presença do sindicato na homologação e salvaguardas ao trabalho terceirizado e autônomo. 
• Marcos Valério diz que Andrade Gutierrez pagou sua defesa no mensalão.
• Palácio do Planalto emprega 10 vezes mais que a Casa Branca. Temer dispõe de 3.800 assessores, enquanto Trump tem só 377. 
• Defesa de Lula impetra mandado de segurança contra bloqueio de bens; A descoberta de R$9,6 milhões em contas correntes e investimentos do ex-presidente Lula deixou intrigada a força-tarefa da Lava Jato, que investiga o mistério de como o ex-metalúrgico, condenado por corrupção, acumulou tanto dinheiro. Ao ver bloqueados pela Justiça recursos e bens, Lula se queixou de que a subsistência de sua família estaria prejudicada. Pelo visto, para ele, dinheiro nunca foi problema. A informação é  do Diário do Poder; Interrogado na polícia, Lula disse cobrar US$200 mil por palestra, mas ninguém acreditou. Tampouco ele apresentou comprovantes; Desde 2015 Lula não faz palestras, para as quais disse cobrar o dobro de Bill Clinton. O ex-presidente dos EUA continua a fazê-las; Emílio Odebrecht revelou que pagava honorários a Lula, além de jatinhos, hotéis de luxo etc, para criar imagem adicional na África. (CHumberto) 
• Presidente da Anatel reforça necessidade de revisar Lei Geral de Telecomunicações. 
• O jornalista William Waack foi internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, após passar por exames de rotina e constatar que precisará passar por um cateterismo, segundo a assessoria de imprensa da Globo. A cirurgia foi marcada para esta sexta-feira. 
• Sassaricando: Membros do Psol não gostaram da declaração de Lula de que o partido tem frescura com o PT. Membros do PSOL, entre eles o deputado federal Chico Alencar (RJ), publicaram uma lista em que alfinetam os escândalos do PT. 
• Tornozeleiras eletrônicas rastreiam mais de 24 mil presos. Projeto pode obrigar preso a pagar por tornozeleira. 

• Presidente da França se reúne com representante da UE para discutir Brexit. 
• No caos da Venezuela, greve geral termina com 4 mortos e 100 detidos em novos protestos contra Maduro. 
• Lá na Argentina, Temer disse que a população entenderá aumento de impostos. 
• O bigode de Salvador Dalí continua intacto, passados 28 anos da morte do artista espanhol, cujos restos mortais foram exumados por ordem de um tribunal para um exame de paternidade. 
• Terremoto deixa mortos na Turquia e na Grécia. 
• Manobra de piloto evita colisão de aviões. Por erro da tripulação, aeronaves ficaram exatamente na mesma altitude e em sentidos opostos. Um piloto italiano da Air Seychelles foi considerado um herói pela companhia onde trabalha por ter evitado uma colisão entre dois aviões em pleno ar - o que provocaria a morte de 892 pessoas. Conforme o Daily Mail, o capitão Roberto Vallicelli estava sobrevoando as Ilhas Maurício em um Airbus 330 quando precisou fazer uma curva brusca para desviar de um Airbus A308 (o maior avião de passageiros do mundo), da Emirates, que vinha em direção contrária. 
• Morte do vocalista do Linkin Park, Chester Bennington (41 anos) foi a voz de uma geração que redescobriu o rock. 
• A resistência online no Vietnã. Ativistas e blogueiros encontram apoio nas redes sociais para continuar lutando contra o autoritarismo. 
• Seis meses de Trump no poder. Primeiro semestre de republicano na Casa Branca foi marcado por escândalos e crises - e tentativas de cumprir promessas de campanha. 

A Justiça, descontrolada, desorientada, desacertada.
Jamais em tempo algum, houve um judiciário tão em evidencia, que não sai das manchetes, tão abertamente criticado, das primeiras instancias até o Supremo. Ou invertendo a ordem natural das coisas, o disparate e a injustiça, começando e terminando no Supremo mesmo.
Comentarei as questões mais relevantes ou descabida, sem prioridade no tempo, levando em consideração a contradição. Da segunda decisão ou do segundo ou terceiro surpreendente recurso.
1 - Há 3 meses, Eduardo Cunha entrou com 2 HC. Um no STJ outro no STF. Escrevi: perderá os dois, não têm a menor base. No primeiro queria a anulação da sua cassação pela Câmara. Unanimidade contra. No segundo, pedia a libertação. Unanimidade do ministro Fachin, relator da Lava-Jato que já recusou outros pedidos iguais.
2 - O juiz Sergio Moro condenou o executivo da empreiteira Mendes JR, a 19 anos de prisão. Ele recorreu para a instância superior, Desembargadoria Regional Federal de Porto Alegre. Lá é tanto trabalho que vem de Curitiba, que 3 desembargadores julgam exclusivamente.
Anteontem, os 19 anos de Moro, foram aumentados para 47. (O resultado só não foi anunciado oficialmente, porque um dos desembargadores pediu vista. Mesmo que vote contra os outros 2, os 47 anos serão mantidos. A não ser que os dois que já votaram, mudem de convicção).
Se o resultado for confirmado, 19 anos vai parecer magnânimo, 47, exagero.
3 - Eike Batista, é o maior corrupto e corruptor do Brasil. Sozinho, deu mais prejuízos ao país e aos investidores do que todas as empreiteiras juntas. Com o dinheiro da roubalheira, propagava e apregoava: Sou o homem mais rico do Brasil, não demora, serei o mais rico do mundo.
Logo, logo se viu que tudo era falso e farsante. Mas ganhou bilhões, a CVM não percebeu nada. Preso, foi quase imediatamente solto pelo generoso Gilmar Mendes, que mantém a palavra, ele vai continuar em liberdade.
4 - Marcos Valerio, o maior condenado do Mensalão. Pegou 37 anos, foi o coordenador de toda a operação. Preso em 2007, quando se falou que faria delação, Brasília e Belo Horizonte ficaram apavorados, mas recusou a proposta. Agora, preso há 10 anos, dizem, ninguém no país, nem mesmo as empreiteiras do Petrolão, pode denunciar mais gente poderosa da Republica.
Agora fez um acordo de delação com a Polícia Federal. Estava se preparando para denunciar a alta cúpula tucana (tudo começou com o PSDB no governo de Minas), quando começou a circular noticia estranha. Esse acordo teria que ser submetido ao Supremo, que recusaria. O rumor é verdadeiro, mas o Supremo está na obrigação de desmenti-lo e autorizar o acordo. (Helio Fernandes) 

O que é isso, ministro? Mais imposto?
Há apenas 3 meses, cobramos publicamente o ministro da Fazenda sobre suas declarações de que pretendia aumentar impostos. Fomos ouvidos.
Nesta semana, ficamos indignados com o anúncio da alta de impostos sobre os combustíveis.
Ministro, aumentar imposto não vai resolver a crise; pelo contrário, irá agravá-la bem no momento em que a atividade econômica já dá sinais de retomada, com impactos positivos na arrecadação em junho.
Aumento de imposto recai sobre a sociedade, que já está sufocada, com 14 milhões de desempregados, falta de crédito e sem condições gerais de consumo.
Todos sabem que o caminho correto é cortar gastos, aumentar a eficiência e reduzir o desperdício.
De janeiro a maio deste ano, em comparação com o mesmo período de 2016, o governo cortou R$ 11 bilhões de investimento. Também cortou R$ 12 bilhões de outras despesas. Porém, este esforço foi por água abaixo devido ao aumento de R$ 12 bilhões em gastos com pessoal (11,8% acima da inflação) e ao aumento de R$ 15 bilhões em gastos com a Previdência.
A FIESP mantém sua coerência. Desde 2015 empreendemos forte campanha contra o aumento de impostos, que obteve amplo respaldo popular, com 1,2 milhão de assinaturas. Conseguimos evitar a recriação da CPMF e outras tentativas de aumento de impostos.
Mantemos nossas bandeiras e convicções, independentemente de governos. Somos contra o aumento de impostos porque acreditamos que isso é prejudicial para o conjunto da sociedade. Não cansaremos de repetir: Chega de Pagar o Pato. Diga não ao aumento de impostos! Ontem, hoje e sempre. (Paulo Skaf, presidente da Fiesp e Ciesp) 

A culpa e o medo.
Instalar misturador de voz no gabinete de Temer é reconhecer que quem tem culpa tem medo.
Nunca mais ninguém gravará o que Temer falar na intimidade.
O Palácio do Planalto instalou no gabinete do presidente Michel Temer um aparelho conhecido como misturador de voz, que embaralha o conteúdo de uma conversa gravada por celular ou outro tipo de aparelho eletrônico. Só há uma explicação para isso: impedir que xeretas possam delatar as conversas pouco republicanas que acontecem nos gabinetes. É um atentado contra a transparência para que tudo continue sendo negociado à boca pequena ou, como diz aquele velho sucesso de meus amigos e conterrâneos Antônio Barros e Cecéu, cantado por Ney Magrosso, por debaixo dos panos. E a República da vergonha continua a todo vapor. Esta é mais uma notícia lamentável a destacar no meio de tantas outras. (José Nêumanne) 
Se quiser aprender a amar, comece pelos animais; eles são mais sensíveis. (George Gurdjieff)

Nenhum comentário: