20 de jun de 2017

Brincadeiras na República.

 photo Adisputa_zpsdzh1rxsh.jpg • Michel Temer entrou com duas ações contra Joesley Batista. O presidente abriu processo contra o delator por danos morais e queixa-crime por difamação, calúnia e injúria. Antes de embarcar em viagem internacional (com gafe do Planalto ao se referir à Rússia), o peemedebista ainda deixou gravado um vídeo em que rebate as novas declarações do empresário: Aviso aos criminosos que não sairão impunes
• Michel Temer decidiu vetar medidas que permitiam explorar áreas de floresta na Amazônia. Além de registrar a decisão no Dário Oficial, o presidente enviou pelo Twitter uma mensagem a Gisele Bündchen sobre o assunto. A modelo havia cobrado do Planalto compromisso com o meio ambiente. 
• Juiz aceita denúncia e Sérgio Cabral vira réu pela 11ª vez. Aceitou mais uma denúncia contra o ex-governador Sérgio Cabral e sua esposa, Adriana Ancelmo, além dos assessores Carlos Miranda e Luiz Carlos Bezerra. 
• PF conclui que houve corrupção passiva de Temer e Rocha Loures. Investigadores pediram mais prazo para concluir apuração contra o presidente e o ex-assessor presidencial; Janot é contra pedido da defesa de Temer para arquivar inquérito. 
• Em evento em Pernambuco, Gilmar Mendes voltou a criticar abusos de juízes e procuradores em investigações. Expandiu-se demais a investigação, além dos limites, disse o ministro do Supremo Tribunal Federal. Venho aqui repudiar essa fala, que é um desserviço, rebateu Nicolao Dino, subprocurador-geral da República.
• O subprocurador-geral da República, Nicolao Dino, rebateu nesta segunda (19) críticas do ministro do STF Gilmar Mendes às investigações conduzidas pelo Ministério Público Federal. Segundo ele, a fala de Gilmar é um desserviço à República. Dino se referiu a declarações do ministro do STF sobre a necessidade de impor limites às investigações, para evitar um modelo de Estado Policial. É preciso rebater e repelir veementemente a fala de Gilmar. O MP tem atuado de forma muito correta. Difamações como essa não contribuem para a estabilidade institucional, afirmou Dino, durante debate com os candidatos à Procuradoria-Geral da República, no Rio. É um desserviço à República, completou ele. (Folha) 
• PF apreende recibos de offshore com amigo de Temer em investigação que envolve o presidente. Coronel da PM amigo de Temer participa de obra suspeita. Empresa foi contratada pela Eletronuclear em contrato investigado na Lava Jato. 
• Temer perde apoio de deputados do PSDB para barrar denúncia de Janot.
• Conselho de Ética começa a analisar cassação de Aécio; Fux será fiel da balança no pedido de prisão de Aécio; Andrea Neves pede que acusações não sejam julgadas pelo STF.
• Reforma da Previdência. Relator admite mudança em benefício de servidor público. 
• Joaquim Barbosa 2018? Ex-ministro agenda encontro com artistas.
• Deputados usaram dinheiro público para apoiar aliados nas eleições municipais. 
• Decisão do STF sobre prisão de Aécio e investigação de Temer tiram foco das votações no Congresso. 
• Caso do triplex em Guarujá. Acaba hoje prazo para argumentos da defesa de Lula ao juiz Moro. 
• MBL lança campanha para extinguir semiaberto e endurecer regras de progressão de regime. 
• Caso Kiss: Santa Maria vai arquivar sindicância sobre boate. 
• Ancelmo Gois diz: Os desembargadores da 14ª Câmara Cível decidiram obrigar a Prefeitura do Rio a abrir a caixa preta da Riotur. A cidade terá de divulgar os salários de diretores, conselheiros e funcionários, além de todos os contratos. A ação foi movida pelo advogado Victor Travancas, aquele que vive atazanando Crivella
 
O Antagonista: 
1 - Cunha: De onde vem o poder de Joesley? Preso, Eduardo Cunha escreveu mais uma carta. Dessa vez para comentar a entrevista de Joesley Batista à Época. A Folha publicou alguns trechos: Ele (Joesley) fala que só encontrou o ex-presidente Lula por duas vezes, em 2006 e 2013. Mentira! Ele apenas se esqueceu que promoveu um encontro que durou horas, no dia 26 de março de 2016, Sábado de Aleluia, na sua residência (...) entre eu, ele e Lula, a pedido de Lula, a fim de discutir o processo de impeachment (....) onde pude constatar a relação entre eles e os constantes encontros que eles mantinham.; Lamento ter exposto a minha família à convivência com esse perigoso marginal, na minha casa e na dele.; É estranho que, mesmo atacando o governo, ele ainda seja o maior beneficiário de medidas (...) tais como a MP 783 do Refis.; Ele também é o grande beneficiário da MP 784, da leniência com o Banco Central e com a CVM, onde as suas falcatruas no mercado de capitais, as atuais e as passadas, poderão obter o perdão e ficarem impunes.; A pergunta que não quer calar é de onde vem o poder dele, que mente, ataca o governo e ainda se beneficia dos atos do governo que o deixam mais rico e impune?; (Joesley) mente para obter benefícios para os seus crimes, ficando livre da cadeia, obtendo uma leniência fiada, mas desfrutando dos seus bilionários bens à vista, tais como jatos, iate, cobertura em NY, mansão em St. Barts, além de bilhões de dólares no exterior, dentre outros.; Espero que o STF reveja esse absurdo e bilionário acordo desse delinquente
2 - O impeachment de Joesley Batista. A nota de Eduardo Cunha sobre a JBS é realmente intrigante. Por que Lula precisou dele para marcar um encontro com Joesley Batista?. 
3 - O aviso aos criminosos de Temer. Temer tem a sua narrativa do episódio Joesley: Acabamos com os favores que privilegiavam apenas algumas poucas empresas. 
4 - Dois processos de Temer contra Joesley Batista. Michel Temer está entrando com dois processos contra Joesley Batista. 
5 - A padaria de Temer. A internet está cheia de sites clandestinos que veiculam propaganda mentirosa de Michel Temer. Os mais ativos, como Imprensa Viva e Manchette, foram registrados na sobreloja de uma padaria de Teófilo Otoni, em Minas Gerais. O desenvolvedor dos sites, que tem o mesmo sobrenome de uma das sócias da padaria, cuidou também da campanha eleitoral do candidato do PT para a prefeitura da cidade. A internet tem de ser livre. Para isso, porém, é preciso impedir que os marqueteiros dos investigados na Lava Jato se apropriem das notícias.
 
• A Agência Espacial Norte-Americana (Nasa) anunciou nesta segunda a descoberta de 219 planetas fora do Sistema Solar - 10 deles com condições para abrigar vida. Nas explorações do telescópio Kepler, já foram descobertos 4.034 potenciais exoplanetas, dos quais 50 em zona habitável, como a Terra. 
• A polícia britânica identificou o autor do ataque a frequentadores de uma mesquita em Londres. Darren Osborne, um galês de 47 anos, disse que queria matar todos os muçulmanos antes de jogar o carro sobre as pessoas na noite de domingo, 18. Uma morreu e oito ficaram feridas. Ele foi preso logo após o ato e será indiciado por homicídio e terrorismo. A premiê britânica, Theresa May, disse que Osborne agiu sozinho; Theresa May fala com religiosos um dia depois de van ter avançado sobre pedestres perto de mesquita em Londres e deixado 1 morto; moradores do bairro criticaram a primeira-ministra. 
• Conflito no Oriente Médio: Eússia ameaça derrubar caças americanos após ataque a jato sírio. 
• Morre o estudante americano que ficou preso na Coreia do Norte. 
• Noruega reforça investigação de propina a ex-diretores da Petrobras. 
 
O PT é o nosso Donald Trump.
Não deixe a coloração ideológica te enganar: o petismo (isto é, todas as pessoas envolvidas na defesa do projeto do PT) é o que de mais perto temos da alt-right, a direita alternativa americana que deu a vitória a Trump.
As semelhanças entre o programa de Trump e o do PT são já bem conhecidas. Assim como Dilma, Trump foi eleito numa agenda populista prometendo mundos e fundos aos trabalhadores. Apostam no nacionalismo econômico, como na exigência de conteúdo nacional e na rejeição a acordos de livre comércio. Praticam o déficit fiscal insustentável -no Brasil via aumento de gastos, nos EUA via corte de impostos-, ambos dependentes de um improvável aumento da arrecadação.
Para além disso, contudo, há a semelhança do entorno cultural que criam para sustentar seu poder. Esse é ainda mais preocupante. Em poucas palavras: ambos promovem a segregação informacional de eleitores fanatizados, o culto à personalidade, a intimidação de vozes dissonantes e o aprofundamento das tensões sociais.
O primeiro aspecto que chama atenção é a rejeição à mídia tradicional, que, com todos os seus defeitos, é quem garante uma qualidade mínima ao jornalismo. Sob a alegação infundada de que ela veicula fake news -notícias falsas-, os seguidores de Trump aferram-se a blogs e radialistas da direita mais estridente; um mundo à parte, de fatos alternativos e teorias da conspiração paranoicas.
Para o petismo, a mídia tradicional é golpista. Confiáveis são os blogs aliados ao petismo, também adeptos de teorias da conspiração estapafúrdias. A novidade é que, no Brasil, foram sustentados pelo governo federal até o impeachment acabar com a mamata.
Trump promove a hostilização a órgãos de imprensa. O Brasil já está um passo à frente: hostilização pública de jornalistas, como as perpetradas contra Míriam Leitão e Alexandre Garcia nas últimas semanas. Tudo justificado pela blogosfera petista.
Por meio de tuítes presidenciais e ameaças de novas tarifas, Trump tem reproduzido algo que nós no Brasil conhecemos bem: a intimidação do empresariado. Empresários se omitem da discussão política e do apoio a projetos, com medo de retaliações do governo federal.
Por fim, ambos os movimentos apostam na divisão social para arregimentar mais seguidores. No caso de Trump, uma campanha explícita de ódio a imigrantes, a muçulmanos e aos liberals -a esquerda americana. No petismo, uma fartura de divisões: pobres vs ricos, brancos vs negros, homens vs mulheres; até ciclistas vs motoristas. Não há ódio que não sirva ao sucesso do partido, ainda que a bandeira seja descartada no momento seguinte.
Apesar de representarem valores opostos, petismo e trumpismo têm saldo final similar: o rebaixamento da política democrática à guerra de bons vs maus, o fim da civilidade, o acirramento da divisão social.
O petismo, esse estrangulamento cognitivo da esquerda brasileira, é uma força em decadência. Mas isso não quer dizer que nossos problemas acabaram. A direita brasileira está aprendendo rapidinho a lição de Trump e já busca criar sua própria bolha de conservadorismo e culto a personalidades; até a islamofobia estão importando. Seja de que lado for, estaremos bem servidos. O que nos salva é o deboche. (Joel Pinheiro da Fonseca) 
 
Temer-Putin.
O ainda presidente brasileiro, ansioso por conhecer o presidente da Rússia. Pela idade (77) já devia saber o perigo de se aproximar do carrasco da KGB. Durante 20 anos da União Soviética, mandava e desmandava draconianamente no país de 300 milhões de habitantes.
Em 1991, quando a União Soviética desapareceu, muito por causa de homens como ele, foi expulso do poder. Mas por pouco tempo, 9 anos. Em 2000 voltou com toda força, há 17 anos é o personagem mais poderoso do pais, intervindo até na eleição de vários outros.
Só quer o poder para destruir. Na Rússia não existe reeleição, mas ele é quem manda em tudo. Com o poder que tem, conseguiria aprovar facilmente a reeleição. Mas não quer para humilhar a todos. Então inventou essa formula humilhante e desonrosa. Fica 5 anos como presidente, outros 5 como primeiro ministro.
Criou um cúmplice, que é o fantoche de Putin, e troca de lugar com ele, alternadamente. Não manda nada, num cargo ou no outro. Não pode andar na rua, é ridicularizado, nas raras vezes em que aparece. Surgiu agora um homem corajoso para enfrentar Putin em 2020, num comício, foi preso por 30 dias. Pura intimidação.
Sem falar na corrupção, dizem que tem fortunas depositadas no exterior. E quem protesta, é preso ou tem que ir viver fora do pais. Como aconteceu com Kasparov, várias vezes campeão mundial de xadrez. A impopularidade do ex-carrasco da KGB, é cada vez maior. A Copa das Confederações da FIFA, que começou a ser disputada na Rússia, fracasso total.
Os estádios vazios, o povo não comparece, apesar de gostar de futebol, e a Copa estar sendo disputada por grandes países. A Copa do Mundo de 2018 (falta exatamente 1 ano), só tem um terço dos estádios prontos, o povo não quer trabalhar. Pelo jeito, mais fracasso.
Apesar de ficarem juntos apenas 1 dia, a intimidade entre eles, será instantânea. Não têm caráter, escrúpulos, moral, dignidade. Só pensam em ficar no poder. Putin tem mais 3 anos de sobrevida, até lá não há jeito de derrubá-lo. Para Temer, que já está viajando, o fracasso se aproxima em alta velocidade. Não sabe o que o espera na volta.
O depoimento de Joesley, ainda não revelado, é 10 vezes mais assustador (para os dois) do que saiu na Época.
A possível delação do corrupto Eduardo Cunha.
Assim que leu a revista Época, fez contato com um advogado especialista. Já era noite de sábado, conversaram no domingo. O ex-presidente da Câmara vinha resistindo. Mas considera que com o depoimento do dono da JBS, ficou muito a descoberto. Concluiu e confessou: Tenho que fazer alguma coisa. Mas está com problemas insolúveis. Pelo menos três.
1 - Faz delação, muito bem. Mas contra quem? Temer, o doleiro Funaro que era seu sócio, ou o próprio Joesley? Para as suas reivindicações, tem que ser bomba, pode juntar os três.
2 - Não pode demorar muito, já deixaram entrever que antes do fim do ano, receberá a segunda condenação. Entre 15 e 19 anos.
3 - Uma exigência de acordo, esse inegociável: absolvição de sua mulher. Ou seja a confirmação da decisão do juiz Moro. Advogados dizem para ele: O coletivo de Porto Alegre está demorando muito. Para confirmar, não precisaria estudar tanto. Muita gente preocupada com Cunha.
Crivella: o carnavangélico.
Ontem voltou a usar a televisão, para repetir: Minha decisão sobre o carnaval é definitiva. Vou cortar 50 por cento das verbas. Pelo menos podia falar a verdade: Sou pastor, tenho que cumprir as determinações da minha igreja.
Ora, o carnaval é reconhecido como festa do povo, os componentes das Escolas, individualmente, gastam tudo que ganham trabalhando o ano todo. O Poder público reconheceu a importância do carnaval, construiu o Sambódromo.
Tenho certeza que nos próximos dias, o prefeito Crivella tomará uma decisão que será aplaudida: acabará com a isenção de impostos das suas igrejas. Não pagam nenhum imposto.
A substituição de Janot.
São dezenas de candidatos, querendo o cargo de Procurador Geral. Janot deve estar satisfeito e até orgulhoso. Antes era inteiramente diferente. Projetou o país internacionalmente, como grande combatente da corrupção. Os candidatos devem ter uma clara bandeira de luta.
Pergunta inútil: uma Procuradora se apresentou publicamente como candidata. E garantiu os apoios de Renan Calheiros, José Sarney, Osmar Serraglio e outros do mesmo time. Não ganha. E se ganhar não toma posse. Chega de desafiar a comunidade.
Palocci.
Começou sua delação, entregando Guido Mantega, sucessor no Ministério da Fazenda. Conversando com amigos, Mantega lembrou: Estou à vontade. Fui Ministro da Fazenda 9 anos, saí quando o governo acabou. Parou um pouco, lembrou: Ele foi demitido por irregularidades, conseguiu outro cargo, não durou 3 meses, nova demissão.
Ontem, na prisão, Palocci levou um susto, verdadeiro choque. Foi comunicado que a justiça bloqueou as contas de duas filhas suas. Ficou aterrorizado, até o momento em que escrevo não consegui saber o total dos bloqueios. Mas pela movimentação de dinheiro dele, e pelo susto que levou com os bloqueios, deve ser alguma coisa realmente preocupante. 
PS - A entrevista da Época foi um sucesso completo. Não só pelo conteúdo da revista, mas em razão da reprodução de todas as televisões, o dia todo de forma ininterrupta. 
PS 2 - Conforme contei com exclusividade, o corrupto corruptor da JBS procurou primeiro a revista Veja. Por excesso de arrogância jornalística, a sujíssima Veja recusou e dessa forma perdeu o grande trunfo jornalístico deste 2017. (Helio Fernandes) 
Se o mal é contagioso, o bem também é, deixemos-nos contagiar pelo bem! (Papa Francisco)

Nenhum comentário: