20 de abr de 2017

Precisamos de mais testemunhas...

 photo Papa_zpsg8xch9hf.jpg • Adeus, pardais. Alerj aprova fim dos radares de velocidade em áreas de risco do Rio. 
• Palocci será ouvido hoje sobre suspeita de propina da Odebrecht. Preso em setembro de 2016, ex-ministro é suspeito de receber dinheiro para favorecer a empreiteira. 
• Proposta prevê proibição de novos radares e retirada gradual dos que já estão em funcionamento. Pezão tem 15 dias para sancionar nova lei 
• Supremo abre sindicância para apurar suposto vazamento da Lista de Fachin. 
• Câmara aprova urgência na tramitação da reforma trabalhista. Manobra reverte derrota da véspera; voto pode ocorrer na próxima semana; Governo celebra vitória na Câmara e ressalta ampla maioria. Em vitória de Temer, urgência para o projeto de reforma trabalhista foi aprovada com 287 votos pelos deputados. 
• 45% dos votos contrários à reforma da Previdência são de deputados que compõem a base aliada. Mesmo com mudanças, Placar da Previdência mostra que governo terá desafio em aprovar proposta; Arthur Maia: servidoras só terão direito à integralidade aos 62 anos. 
• Base atrasa discussão da recuperação fiscal dos Estados na Câmara. Texto-base da proposta foi aprovado na véspera, mas ainda restam 10 destaques a serem votados. 
• Fraudes no Maracanã e em favelas tornam Cabral réu pela sétima vez; Justiça aceita nova denúncia contra Cabral e mais 19 por cartel e fraudes. 
• Juiz ouve as ruas e manda soltar PMs acusados de execução. 
• Conclave e Greenfield: Fundos de pensão estão na mira de negociata envolvendo a Caixa. Compra do Panamericano salvou dirigentes petistas dos fundos. 
• Lula e filho arrolam 52 testemunhas em processo da Zelotes. 
• Operação Acrônimo: STF marca para o dia 3 julgamento que pode afastar Fernando Pimentel. Ministros do STF decidem se governador de Minas será afastado. 
• Odebrecht tinha R$ 700 mil em cofre para reformar sítio de Lula; Sítio em Atibaia: Engenheiro ajudou advogado de Lula a ocultar que Odebrecht executou reforma. 
Compra de MPs continuou após Lava Jato, diz Odebrecht. Empresa buscou influenciar 20 atos do governo e do Congresso de 2005 a 2015. 
• Odebrecht vai pagar US$ 184 mi à República Dominicana. Empresa fez acordo com Justiça do país onde pagou US$ 92 mi em propina. 
• Venda da Odebrecht Ambiental ganha holofotes com novas revelações. Venda para a Brookfield chama atenção após companhia ser citada em esquema de propina. 
• Governo aposta em aval rápido para nova Previdência. Texto tem mudanças como redução da idade mínima para trabalhadora rural. 
• PF investiga compra do Pan pela Caixa e pelo BTG Pactual. Polícia cita uma possível associação criminosa entre diretores de empresas. 
• Votação de amanhã no STF pode liberar mudança de nome de transexuais. 
• Justiça absolve Vaccari, Léo Pinheiro e mais dez no caso Bancoop. 
• Senado cria CPI para investigar a Previdência. (Josias de Souza)
Vantagens devidas e indevidas?
Virou moda para esse monte de políticos de alto coturno, flagrados pelas delações da Odebrecht, defenderem-se jurando não ter recebido “vantagens indevidas” da empreiteira. Quer dizer que também há vantagens devidas?
Está classificada a roubalheira, verdadeira confissão de culpa de ministros, governadores, deputados e senadores. Uma evidência irrefutável do envolvimento de tantos ladrões.
Indaga-se o que acontecerá com eles, se reconhecem haver recebido propinas oriundas de superfaturamento de obras, desvio de verbas e similares. Com ou sem foro especial, estão arcabuzados. Se alguns foram considerados candidatos presidenciais, hoje não são mais. Mesmo demorando, seu julgamento será irreversível.
Não é preciso expô-los a citações nominais. A maioria dos delatores tem apresentado provas até documentais da corrupção. Provavelmente venham a tornar-se inelegíveis por decisão dos tribunais, mas o principal é que lhes faltarão votos. Talvez até coragem para mostrar-se. Vestais de ontem, transformam-se em ratos de hoje e, certamente, condenados de amanhã.
Réus confessos cuja defesa torna-se impossível diante do próprio reconhecimento da prática deletéria da corrupção por anos a fio.
Pertencem a todos os partidos e roubaram em todos os Estados. Estarão em todos os ministérios, também. São aqueles considerados desconfortáveis pelo próprio presidente da República. Aliás, a propósito, estaria Michel Temer confortável em companhia de … (Cala-te boca!) 
Condenação
Da tribuna do Senado, Gleise Hoffman confessou estar inapelavelmente condenada. Poucas vezes se tem visto coragem tamanha. Pior do que tudo, a senadora está certa... (Carlos Chagas) 

Marcelo Odebrecht, o inconfundível.
Jamais imaginei ou acreditei que pudesse existir um personagem como esse. O avô, fundador da empresa, demonstrou enorme competência irresponsável, ao preterir o filho Emílio, e escolhendo como sucessor o neto Marcelo.
Desde o início dos negócios sabia que não era para qualquer um. Um setor que vivia de contratos, avaliações, aditivos, verbas regulares e suplementares, precisava de alguém inteiramente fora de série.
E desde o início, vendo o jovem Marcelo crescendo e se desenvolvendo ao seu lado, não teve a menor hesitação: Esse será o meu sucessor não como herdeiro e sim como alguém que está conquistando o cargo e comandará a empresa de forma insubstituível.
O produto da observação e da consagração do avô, o país está assistindo estarrecido, diariamente nas televisões de todo Brasil, entra dia, atravessa a noite, assombrando toda a comunidade.
Ele não tem caráter, escrúpulo, constrangimento. Nem respeito por ninguém. Montou uma empresa à sua imagem e semelhança .Na qual tudo gira em torno do dinheiro. Como conquista e consolidação do poder.
Dinheiro que vai se multiplicando de forma espantosa, na medida em que ele mesmo determina e traça o principal roteiro: comprar, corromper, desmoralizar, colocar todos na dependência da humilhação a que são submetidos.
Só ele manda e desmanda
Seus relatos são impressionantes. Faz questão de mostrar e demonstrar que nada escapa do seu comando. É uma organização montada e movimentada unicamente por ele. Todos vivem, crescem, se desenvolvem na base do dinheiro corrompido.
E para que todos se atrelem a esse sistema que implantou na empresa, estabeleceu a hierarquia da corrupção, que ele e seus sequazes propalam e respeitam como verdade absoluta.
É o Bônus da corrupção, do superfaturamento, a velocidade com que diretores de empresas estatais, mais rapidamente incorrem nos crimes humilhantes e enxovalhantes, para poderem logo receberem a sua propina, e seus corruptores garantirem seus bônus hierárquicos.
Marcelo Odebrecht é um criminoso consciente, que demonstra enorme satisfação em transformar sua vida, numa novela na qual é o autor, diretor e personagem principal. Como ficará dezenas de anos presos, deveria doar seu cérebro, para Institutos psiquiátricos. pelo menos isso. (Helio Fernandes)

Nenhum comentário: