18 de abr de 2017

Áudios de 271hs e povo na espera.

 photo odebrech18_zps0jasjjxh.jpg • Supremo cria força-tarefa para acelerar processos da Lava Jato. Objetivo é priorizar os processos da operação e garantir celeridade na análise dos casos. 
• O juiz federal Sérgio Moro reagiu à altura a uma manobra protelatória dos advogados de Lula, que apresentou pedido para ouvir 87 testemunhas de defesa. O magistrado deferiu o pedido, até para que o ex-presidente não alegue cerceamento de defesa, mas determinou que ele esteja fisicamente presente em todos os depoimentos. A decisão está publicada no sistema da Justiça Federal do Paraná. 
• Supremo cria grupo de trabalho para acelerar processos da Lava Jato. Supremo deve julgar extensão do foro privilegiado em maio. Lista de Fachin deve ter desmembramentos dentro do STF. 
• Governo se agarra às reformas para sobreviver após delação da Odebrecht. Na prática, esse pacto é para dividir a pauta do Brasil em dois: a da Lava Jato e a do mundo real
• Sob críticas, relator da reforma da Previdência deve incluir políticos na regra de transição. Ideia é adotar mesmos moldes da transição para servidores públicos; relator lê parecer na Câmara nesta 3ª feira. Idade mínima para mulheres pode ser reduzida. Para compensar recuo, que pode ficar entre 62 e 63 anos, é possível que a transição fique menor. 
• Até que enfim! Contribuição sindical é herança fascista, diz relator da reforma. Marinho afirmou ainda que o Brasil tem sindicatos em excesso, somando 17 mil entidades. 
• Temer refuta acordão com FHC e Lula contra a Lava Jato. 
• 80% dos deputados a favor de punir abuso estão na lista de Fachin. Dos 34 investigados que votaram na sessão, 27 apoiaram emenda que prevê punição a juízes e procuradores. 
• Contrato até novembro. Estado antecipa leilão para escolher banco que vai pagar servidores. Governo busca implementar cinco medidas para arrecadar R$ 1,5 bilhão, como venda de dívida ativa e antecipação pagamento de ICMS. 
• Creches apoiadas pela Prefeitura do Rio têm dificuldades. Cantem com o Crivella. 
• Sinais particulares: Mãe de Cabral manteve cargo no Museu da República após prisão do filho. 
• Da cadeia, Cunha diz que Temer agendou reunião com empresa. Ex-deputado contesta versão do presidente sobre encontro no qual, segundo delatores, discutiu-se propina de US$ 40 milhões a membros do PMDB. 
• Índice do BC supera expectativas e indica retomada. Projeção aponta aumento de 1,31% na atividade econômica em fevereiro. 
• Governo destrava cargos por votos para Previdência. Presidente quer fazer nomeações para 40 membros da base aliada. 
• Padilha pediu propina sob FHC, Lula e Dilma, diz delator. Ministro arrecadou R$ 11,4 milhões, de acordo com executivos da Odebrecht. 
• Serra recebeu propina via operador, segundo delação. Valor de R$ 4 mi foi depositado no exterior, afirma Luiz Eduardo Soares. 
• Bancos suspendem conta digital sem tarifa. Itaú, Banco do Brasil e Bradesco deixam de aceitar novas adesões a serviço. 
• O STJ analisa, quinta agora, recurso da Universal contra a condenação que obrigou a Igreja a indenizar uma idosa em R$ 8 mil. A senhorinha diz ter sofrido lesões físicas e psicológicas em uma sessão de descarrego. Numa delas, ela disse ter sido atirada no chão com toda força pelo pastor. 
• Fachin envia inquéritos contra Renan, Jucá e Aécio para Polícia Federal. STF manda inquéritos para a PF, que poderá quebrar sigilos. Advogados de parlamentares querem tirá-los das mãos de Fachin
• Propineiro educado. Delator conta que Genoino voltou a Odebrecht para agradecer doações. Mensaleiro procurou a Odebrecht para agradecer o pixuleco.
• Os R$ 200 milhões pagos ao PT.
• O Antagonista 
. # PGR recebeu do MP suíço o backup do Sistema Drousys, armazenado naquele país e usado para organizar o pagamento de propina da Odebrecht...
. # Com backup da propina, Lava Jato vai rastrear todas as contas. Os investigadores da Lava Jato terão todas as contas, offshores e registros de transferências de recursos. 
. # Com Dilma, estaríamos próximos da Venezuela. Miguel Reale Jr, um dos advogados do impeachment, também escreveu ao O Antagonista sobre este primeiro ano sem Dilma Rousseff: Ficou comprovado que a parte principal do pedido de impeachment estava certa..
. # O impeachment foi a melhor coisa que poderia ter ocorrido para o nosso país. Janaína Paschoal escreveu ao O Antagonista sobre este um ano do impeachment de Dilma Rousseff: Após um ano do afastamento de Dilma Rousseff, vieram a público fatos ainda mais graves do que aqueles debatidos durante o processo de impeachment

• Premiê britânica propõe eleições antecipadas para 8 de junho. May afirmou que país precisa de estabilidade para negociar afastamento da União Europeia. Ela precisa de aprovação do parlamento para antecipar a eleição. 
• Odebrecht é condenada nos EUA e pagará mais R$ 8 bi por corrupção. 
• Depois de ação militar, aprovação de Trump sobe a 50%. 
• Vitória de Erdogan na Turquia preocupa Europa. Protesto na Turquia um dia após plebiscito aumentar poderes do presidente Recep Tayyip Erdogan; para observadores internacionais, pleito não atingiu padrões democráticos. Plebiscito fortalece escalada autoritária na Turquia, o que dificulta estratégia para a crise no Oriente Médio. 
• Paciência com Coreia do Norte acabou, diz vice dos EUA. Mike Pence afirma que novos testes de mísseis não serão mais tolerados. 
• Trump e Temer se encontrarão em 2017, diz embaixador. Governos do Brasil e dos EUA trabalham para definir data ainda neste ano. 
• UE quer transparência no Mercosul para chegar a um acordo. Europeus pedem previsibilidade das leis para fechar acordo de livre comércio. 

Escapamos da vergonha nacional!...
Por uma graça de Deus, Minas Gerais ficou livre de passar por mais uma vergonha nacional pela 3ª vez!
O criminoso mor do País, sr. Lulla, convidado por outro seu parceiro também criminoso, o governador Pimentel, desistiu de comparecer à solenidade da entrega da Medalha da Inconfidência, no dia 21, em Ouro Preto! Ainda bem... Deve ter ficado com medo das vaias que iria receber!...
O Estado já tinha passado por dois vexames anteriores ligados a esses bandidos, quando, em 2003, o então governador Aécio Neves, concedeu a esse desqualificado e seu atual companheiro de crimes no episódio Odebrecht, o Grande Colar da Inconfidência!!!!!
Do mesmo modo, em 2011, no governo de outro companheiro da Odebrecht, o então governador Anastasia, a igualmente criminosa Dilma Roussef, foi também agraciada com a mesma Medalha! 
Este ano, sob o manto do já indiciado Pimentel, Lulla seria o homenageado de honra, da solenidade!
Embora esteja amargando outros vexames, com vários de seus políticos também surfando nas ondas dos crimes da Odebrecht, pelo menos, este ano, ficamos livres do pai de todos os vexames!... (Márcio Dayrell Batitucci) 
ooo0ooo
Naquele ano, Lula obteve a homenagem do então governador de Minas, Aécio Neves (PSDB). A ex-presidente Dilma Rouseff também recebeu o Grande Colar em 2011, no governo de Antônio Anastasia (PSDB). Ano passado, o ex-presidente do Uruguai José Pepe Mujica foi o principal nome da cerimônia.
Lula desiste de receber homenagem da Inconfidência em Minas. Assessoria do ex-presidente Lula diz que desistência não tem relação com delações da Odebrecht.
O ex-presidente Lula não irá à cerimônia da Inconfidência, em Ouro Preto (MG), no próximo dia 21, segundo a assessoria do Instituto Lula. O petista seria, a convite do governador Fernando Pimentel (PT), homenageado na solenidade de entrega da Medalha da Inconfidência.
De acordo com o Instituto Lula, a desistência não tem ligação com as delações da Odebrecht tornadas públicas na semana passada e foi decidida antes disso. Uma das razões seria o fato de o ex-presidente já ter recebido o Grande Colar, grau máximo da Medalha da Inconfidência, em 2003. 
Naquele ano, Lula obteve a homenagem do então governador de Minas, Aécio Neves (PSDB). A ex-presidente Dilma Rouseff também recebeu o Grande Colar em 2011, no governo de Antônio Anastasia (PSDB). Ano passado, o ex-presidente do Uruguai José Pepe Mujica foi o principal nome da cerimônia. 
Com Lula costurando sua candidatura para 2018, a homenagem poderia ganhar ares de ato político, como a reinauguração das obras de transposição do rio São Francisco em Monteiro (PB). A opção do ex-presidente, no entanto, foi não subir no palanque desta vez. 
O governo de Minas ainda não publicou a lista de homenageados deste ano. Criada em 1952 por Juscelino Kubitschek, a Medalha da Inconfidência tem quatro graus de designações -Grande Colar, Grande Medalha, Medalha de Honra e Medalha da Inconfidência. A maior honraria concedida pelo Estado de Minas Gerais costuma homenagear políticos, juristas, advogados, militares e outras autoridades. 
Os nomes dos homenageados são escolhidos pelo Conselho da Medalha, formado por representantes dos Três Poderes e por entidades civis. (Carolina Linhares, BH) 

Se Lula for candidato em 2018, a única saída será o aeroporto.
Quando petistas disseram que, sem Lula na disputa, a eleição presidencial de 2018 será ilegítima, ficou claro para mim que eles projetam três lances à frente no jogo político-policial. O primeiro lance está desenhado: o comandante máximo será condenado na primeira instância, por Sérgio Moro, até o final deste semestre, no processo do triplex do Guarujá. Léo Pinheiro, da OAS, contribuirá para tanto. O segundo lance será, naturalmente, recorrer ao tribunal revisor das decisões de Curitiba, o TRF4, em Porto Alegre. Como é altamente improvável que Lula seja absolvido nessa segunda instância, dada a abundância de provas contra ele e o rigor exemplar dos seus desembargadores, a confirmação da condenação ocorrerá até dezembro ou, no máximo, o início do ano que vem. Restará o terceiro lance no STF.
Quando falam em ilegitimidade de uma eleição presidencial sem Lula, os petistas já apelam ao Supremo, um tribunal que costuma ser, digamos, sensível a argumentos aparentemente políticos. Mas a verdade é que ficou difícil para os ministros do STF aceitarem essa falácia petista, mesmo que desse para desprezar tudo de concreto que atesta a culpa do comandante máximo. Até o momento, se não perdi a conta, Lula é réu em outros quatro processos - e pode ser condenado em primeira instância num deles mais cedo do que se imagina. Além disso, com as delações da Odebrecht, ele passará a ser investigado diretamente em mais seis inquéritos, para não falar dos demais nos quais o seu nome surge com força. É impossível Lula não virar réu em pelo menos um dos processos a serem abertos.
Há uma decisão recente do Supremo que torna absurdo colocar Lula na disputa pelo Planalto. Em dezembro último, o tribunal manteve Renan Calheiros na presidência do Senado, mas, por ser réu, o tirou da linha sucessória da Presidência da República. Ou seja, ainda que adie para depois da eleição presidencial o julgamento de recurso em ação penal que tenha condenado Lula, seria no mínimo ilógico permitir que um réu entrasse na corrida eleitoral para a mesma função.
Os mais céticos dirão que nada do que escrevi acima importa. O STF vai ignorar sua jurisprudência e também absolver rapidamente Lula em todos os processos que porventura chegarem ao tribunal, a fim de que ele possa concorrer ao Planalto -- e, se for vitorioso, ganhar foro privilegiado e suspender o jogo. Bem, diante dessa esculhambação, com o perdão do clichê, só restaria a saída do aeroporto aos cidadãos que ainda puderem pagar uma passagem para o exterior. (Mario Sabino) 

Petista enxerga fraudes em Congresso do PT.
O PT já não consegue manter entre quatro paredes as brigas que trava consigo mesmo. Engalfinham-se em público dois dirigentes da legenda: o presidente do diretório paulista, Emídio de Souza, e o secretário Nacional de Formação, Carlos Henrique Árabe. O ringue é o site do PT.
Criticado por Emídio num artigo, Árabe revidou com um texto ácido. A certa altura, anotou: Há indícios de fraudes, que serão averiguados. Referia-se a irregularidades farejadas na etapa municipal do 6º Congresso do PT, que elegerá os dirigentes novos e seminovos da legenda. O autor do texto não dá nome às fraudes nem aos fraudadores. Quer dizer: o arranca-rabo terá novos round. (Josias de Souza) 

Aguardando a recompensa.
Uma pergunta permanece sem resposta: o que acontecerá com os 74 delatores funcionários e ex-funcionários da Odebrecht? Pelos depoimentos que deram, reconheceram seus crimes, iguais aos praticados por deputados, senadores, governadores e ministros. Estão todos no mesmo balaio. Com as delações, pretendem senão escapar, ao menos receber penas atenuadas, de preferência prisões domiciliares.
Uns bem-humorados, outros apresentando-se como vítimas, os delatores acreditam poder livrar-se do pior. Até o patriarca da roubalheira e seu príncipe herdeiro, por sinal ainda preso mas esperando logo abrir a porta de uma de suas mansões.
A quadrilha desincumbiu-se da missão dada por seus chefes e agora aguarda a recompensa.
No Congresso o clima é mais carregado. Mesmo sabendo que os processos levarão muito tempo para completar-se, a maioria dos implicados está de olho nas próximas delações, das outras empreiteiras. Tem gente que foi aquinhoada por todas. Apesar do foro especial, alguns receberão condenações à altura de seus crimes. O mesmo destino terá os que forem julgados sem a prerrogativa de mandatos.
Em suma, a tempestade continua armada, preocupando boa parte dos que temem ficar inelegíveis, tanto pela lei quanto pela falta de votos.
Solidariedade
O PT prepara volumosa manifestação de solidariedade ao Lula, em Curitiba, quando o ex-presidente estiver frente a frente com o juiz Sérgio Moro. Os contrários também se mobilizarão, prevendo-se conflitos e confrontos. (Carlos Chagas)

Nenhum comentário: