21 de mar de 2017

E se não existisse a PF.

 photo aposentadorias_zpscqmasc0i.jpg • Cresce medo de avanço da febre amarela após mortes no Rio. Novos registros geram alerta porque Estado não tinha vacina recomendada. 
• TRF cancela prisão domiciliar e Adriana Ancelmo, mulher de Cabral, continuará em Bangu 8. MPF alegou quebra de isonomia da Justiça com outras presas. 
• Fachin manda investigar 4 senadores denunciados na Lava Jato. Alvos são ligados a Renan, Eunício, Humberto Costa e Raupp.
• Presidente da Ancine viajou metade do mandato. Rangel passou metade do mandato viajando e recebeu R$800 mil.
• Lobby das térmicas. Energia: bandeira vermelha desmente ministro. Ministro disse que sobrava energia, ao cancelar leilão. Lorota. 
• Reforma trabalhista deve ser votada antes que a da Previdência. Maia disse esperar votação do projeto que muda leis do trabalho em até 2 semanas, após a Páscoa; Reforma política com lista partidária fechada vira alvo de manifestação. Grupos que promovem no domingo novos atos em defesa da Lava Jato protestam contra fundo público. 
• Governo vai criar força-tarefa para fiscalizar frigoríficos. O presidente Michel Temer afirmou no domingo que o escândalo da carne se limita a poucos estabelecimentos e anunciou uma força-tarefa para fiscalizar os frigoríficos envolvidos. 
• Governo suspende licença de exportação de 21 frigoríficos. Ação ocorre após restrições fora do país; PF nega erro e diz ter material sob sigilo; Investigação policial não é espetáculo. São graves e merecem investigação os crimes apontados na Operação Carne Fraca, mas a Polícia Federal optou por dar tom de espetáculo ao caso.
• Na guerra a favor e contra a Carne Fraca, é preciso dar nome aos bois. Tudo no Brasil agora é assim: preto e branco, bons e maus, e tudo vira guerra entre dois extremos. 
• Para exportar carne, País pode ter de baixar preço. Para Associação de Comércio Exterior do Brasil, mesmo assim, deve haver uma queda no volume vendido. 
• Para agentes, críticas à Carne Fraca são forma de desviar atenção. Investigadores afirmam que ataques reduzem o foco sobre a corrupção, alvo da investigação. 
• A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, afirmou nesta segunda-feira, 20, que pretende combinar a função de presidente do STF com o magistério. Informou-se inicialmente que a ministra se aposentaria em 2018. A ministra afirmou que quer voltar a dar aula na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC), em Belo Horizonte. Cármen Lúcia é professora licenciada da instituição, lotada na Faculdade Mineira de Direito (FMD); Dias Toffoli deverá assumir... 
• Se exterminar a política, vai haver aventura, diz Jucá. Ao falar da Laja Jato, líder do governo no Senado pede cuidado com país
• TST suspende julgamento de ação que poderia custar R$ 13,6 bi à Petrobrás. Decisão sobre cálculo de dissídio coletivo foi adiada para aguardar outro julgamento semelhante. 
• PF deflagra operação de combate a crimes cibernéticos em 5 estados. 
• PC do B diz ao TSE que apoiou Dilma em razão de identidade de projetos. E então... 

O consumidor e a carne fraca.
Boicote ao consumo de carne não faz sentido.
A quaresma é tradicionalmente um período em que cai o consumo de carne com o costume dos católicos de suprimir a proteína do cardápio.
Agora que o consumidor perdeu a confiança na qualidade do produto, após a Operação Carne Fraca da Polícia Federal, há quem defenda o boicote.
Avalio, no entanto, que é estupidez tal iniciativa. Do ponto de vista da saúde trata-se de proteína animal importante para ficar fora do cardápio.
E no aspecto econômico, não faz sentido estimularmos medidas prejudiciais que só tendem a estender a recessão econômica a que está submetido o País.
Os crimes denunciados sem dúvida são graves, como a adulteração de produtos estragados, e com data de validade vencida.
Mas o que temos de defender e cobrar são medidas eficientes para afastar os corruptos do sistema de fiscalização, e que sejam tomadas medidas para garantir a saúde e tranquilidade do consumidor ao adquirir tais produtos.
Não há dúvida que será um trabalho árduo para o setor recuperar a credibilidade. E para o consumidor é preciso reforçar a cautela na hora da escolha da carne e derivados a serem levados para casa. (Cláudio Considera) 

Um adversário para o Lula.
A repetição, pelo Lula, de que será candidato em 2018, tem tido correspondência nas pesquisas eleitorais. Está na frente e até poderá vencer no primeiro turno, na hipótese de disputar o palácio do Planalto. Não adianta brigar com a notícia, muito menos ficar torcendo para o companheiro tropeçar na Lava Jato e ficar proibido de se apresentar por suposta condenação em segunda instância. Tudo tem que ser no voto.
Para impedir o retorno do Lula, só apresentando um candidato capaz de vencê-lo, senão no primeiro, ao menos no segundo turno. É aqui que as coisas enrolam para os adversários. Porque a maioria dos partidos, descrente da existência de um contendor à altura do Lula, aferra-se à perspectiva de impedir o ex-presidente, ao invés de eleger um candidato. Quer dizer, no desespero, querem ganhar no tapetão.
O motivo é simples: os demais possíveis concorrentes não sensibilizam o eleitorado. Pelo contrário, perdem apoio a cada pesquisa.
No ninho dos tucanos, os números cada vez mais enfraquecem o trio Geraldo Alckmin, Aécio Neves e José Serra, a ponto de haver surgido nos últimos dias a hipótese João Dória Júnior, que seria cômica se não fosse trágica. Porque ao prefeito paulistano faltam embasamento ideológico e eleitoral. Seria fogo de palha.
No PMDB, surgirá um candidato apenas se der certo a política de recuperação econômica. Nesse caso, Henrique Meirelles se posicionaria, mas Michel Temer poderia rever a determinação de não disputar outro mandato. Quer dizer: por enquanto nenhuma possibilidade para os dois.
Há outros nomes que batem cabeça, como Ciro Gomes, que o mundo esqueceu, Jair Bolsonaro, última esperança nascida nos quartéis, Ronaldo Caiado, sem empolgar o setor rural, Marina Silva, fugitiva das esquerdas sem voto, Joaquim Barbosa, que ninguém sabe por onde anda, e outros sem referência sequer nas consultas populares.
O curioso nessas projeções é que apesar do desgaste do PT e da blitz desencadeada contra o Lula, ele exprime quantos se opõem ao atual governo, quer dizer, ampla maioria nacional. Sem voz, sem voto e sem candidato, a retaguarda do atraso segue rejeitando o ex-presidente, sem coragem para construir outra alternativa. É bom prestar atenção, pois se continuar o processo como vai, sem adversário, ele volta. (Carlos Chagas) 

Os canalhas e a democracia.
O novo golpe que os políticos canalhas irão aplicar em nosso moribundo País, já está todo armado e definido: eleições com listas fechadas!
Muito pior que anistia a caixa dois, que desfalques bilionários nos cofres das Estatais, que privilégios de toda a sorte, esse golpe da lista fechada é o mais hediondo de todos, é aquele que vai enterrar definitivamente a frágil democracia brasileira, perpetuando no poder e no foro privilegiado todos esses seculares criminosos que comandam os destinos de nosso País!
E aqui, não tem exceção: o crime está sendo armado por todos os Partidos e por seus respectivos caciques, de todas as cores e de todos os matizes, capitaneados pelos três grandes Partidos, PT, PMDB e PSDB! Desse modo, esses canalhas se safam de passarem pelo crivo direto do eleitor e por sua rejeição e se auto-proclamam antecipadamente como os eleitos em todas as eleições que aqui acontecerem!
Uma vergonha!!!! E onde estão os movimentos ditos sociais, os políticos do baixo clero que “jamais” serão eleitos, os intelectuais, os artistas, a OAB, o STF, as Igrejas, a imprensa nacional, os estudantes e todos esses alienados que tem ido às ruas clamando pela volta dos maiores criminosos que por aqui já passaram?
O Brasil não merecia ter esse desastroso final: 7 a 1 naquilo que resta de nossa pobre democracia!...
Aí, será oficial: não passamos de uns palhaços!.... (Márcio Dayrell Batitucci) 
Os ignorantes, que acham que sabem tudo, privam-se de um dos maiores prazeres da vida: aprender.

Nenhum comentário: