14 de dez de 2016

Os fatos levam a princípio de cáos no país.

 photo legalizaao_zpsxmbawewl.jpg • Rio suspenderá contratos com terceirizados. Pezão vai anunciar suspensão de contratos do governo do Rio; Alerj fecha acordo para elevar imposto de luz e fumo contra crise no Rio. Elevação do ICMS vai vigorar por 12 meses; cálculos apontam para arrecadação extra de R$ 1 bi; Rio aprova alta de ICMS para cerveja, luz e gasolina. Medida é parte de pacote anticrise e deve gerar receita de R$ 800 mi em 2017. 
• Com PEC do Teto, governo espera frear dívida. Segundo o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, medida permite buscar o equilíbrio do Orçamento. 
• STF decide se Pimentel pode responder a ação sem aval de Assembleia. 
• No pedido à Justiça Federal para deflagração da Operação Hefesta - investigação sobre supostos desvios de R$ 7,9 milhões das obras do Museu do Trabalho e do Trabalhador, em São Bernardo do Campo -, a Procuradoria da República reproduziu entrevista do arquiteto Marcelo Ferraz, sócio da Brasil Arquitetura, em 2011, na qual ele afirmou que o empreendimento foi uma encomenda do ex-presidente Lula. 
• O Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) julga hoje (14) o mérito do habeas corpus pedido pelas defesas do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral, sua esposa Adriana Ancelmo e de dois outros réus da Operação Calicute. Os pedidos de liberdade provisória e de medidas alternativas à prisão (como prisão domiciliar) já tinham sido negados em caráter liminar.
• A estratégia para destruir a Lava Jato. Renan Calheiros tentou votar o projeto de abuso de autoridade ontem à noite. Não deu certo. Ele vai tentar novamente...
Lula cachaceiro, devolve o meu dinheiro. Elio Gaspari festejou a melhora de Lula na pesquisa do Datafolha: Só o tempo e os autos dirão se as culpas de Lula são suficientes para torná-lo inelegível. Para quem se esgoelou na avenida Paulista gritando Lula cachaceiro, devolve o meu dinheiro as notícias são ruins. Quando Lula for condenado e preso - ou, melhor ainda, preso e condenado -, a Fada Sininho dirá que a Lava Jato agiu apenas para impedi-lo de se candidatar. A pesquisa do Datafolha só serve para isso. 
• Pressão política impediu que vândalos fossem enquadrados na Lei Antiterrorismo. Vândalos foram liberados após oito horas de tocar o terror; Justiça pode usar Lei Antiterrorismo contra detidos. Protesto contra projeto que limita crescimento dos gastos públicos terminou com 72 presos em Brasília; Vandalismo em Brasília: Manifestantes atacam loja de carros, e sede do Banco do Brasil com bombas; Capitais do País têm protestos contra PEC que limita os gastos públicos. Manifestantes foram às ruas contra a principal medida do ajuste fiscal em 4 Estados e no DF; Baderna em Brasília: Manifestantes foram armados como terroristas da maratona de Boston 
• PM apreende manual de guerrilha, escudos, coquetel molotov... Manifestantes depredaram o prédio da Fiesp, na av. Paulista, onde fogos foram disparados no interior do edifício durante ato contra a aprovação da emenda constitucional do teto dos gastos. 
• Estados em calamidade financeira terão dívidas com a União suspensas. Ministério da Fazenda prevê que apenas governos em situação mais grave entrem no sistema especial. 
• Senado aprova em votação apertada projeto para coibir supersalários. Proposta é vista por entidades de magistrados como mais uma ofensiva de Renan contra o Judiciário; Déficit deve ser zerado até 2020, prevê governo; sindicatos protestaram. Aprovação de PEC que limita gastos dá alívio a governo, mas sanar as contas ainda depende de outras medidas. 
• Câmara conclui votação e MP da Reforma do Ensino Médio vai ao Senado. Deputados mantiveram a obrigatoriedade das disciplinas de educação física, arte, sociologia e filosofia; texto segue agora para a aprovação dos senadores. 
• Companhias aéreas poderão cobrar pelas bagagens despachadas. Pacote pretende aproximar normas brasileiras das internacionais, diz agência Anac. 
• Terreno do Instituto Lula delatado pela Odebrecht. O Antagonista foi informado de que a propina para comprar o Instituto Lula entrou na delação da Odebrecht. Mas a PF não precisa de delações. Ela já encontrou o mandante do crime. Ela já encontrou o laranja. Ela já encontrou o receptador. A PF encontrou, sobretudo, a planilha Amigo, com a contabilidade de todos os pagamentos da empreiteira para Lula. Lula vai ser preso. Com delações ou sem delações. 
• Balde de água fria: Diante da pesquisa do Datafolha que apontava a possível vitória do ex-presidente Lula na disputa de 2018 contra os tucanos, o PT do Ceará fez uma enquete em seu site para verificar o resultado. Só que após duas horas a sondagem já tinha mais de 7 mil votos contra o petista e cerca de 1.800 votos a favor. 
Não quiseram comentar. Lula tem duas coberturas em São Bernardo do Campo. A primeira está em seu nome, a segunda está em nome de Glaucos Costamarques, primo de José Carlos Bumlai. Lula sempre disse que pagava aluguel a Glaucos Costamarques. Ele até declarou à Receita ter pagado 236,1 mil reais em aluguéis. A PF, porém, descobriu que a coisa é muito pior. Em seu depoimento, Lula disse que pagou os aluguéis, mas não demonstrou os pagamentos. Glaucos Costamarques disse que fazia uma espécie de permuta com Roberto Teixeira: Lula morava grátis, Roberto Teixeira fornecia-lhe assessoria jurídica. Roberto Teixeira disse que atuou como advogado de Glaucos Costamarques, mas que os valores devidos ao seu escritório foram pagos por meio de transferência bancária. O Globo perguntou à assessoria de Lula, Roberto Teixeira e Glaucos Costamarques como os aluguéis eram pagos e quem, afinal, os recebia. Resposta: Eles não quiseram comentar
• STF condena a 7 anos de reclusão deputado do Rio por crimes ambientais. Washington Reis (PMDB) foi acusado pelo Ministério Público Federal por dano a uma área em Duque de Caxias à época em que era prefeito do município (2005/2008). 

• Zika vírus se reproduz milhares de vezes no cérebro de fetos. Especialistas americanos concluíram também que o vírus fica mais de sete meses, após a mãe contrair a infecção, no cérebro do feto e na placenta. 
• Trump anuncia para secretário de Estado chefe de petroleira. Anúncio de Rex Tillerson, da ExxonMobil, amplia crítica de conflito de interesses. 
• Rebeldes chegam a acordo com Assad para deixar Aleppo. Com mediação russa, negociação encerra violento embate, símbolo da guerra; Alepo registra bombardeios um dia após acordo de cessar-fogo na Síria. Ambos os lados se acusam pelo não respeito à trégua; com os intensos combates, retirada dos moradores não pode ser iniciada, conforme previsto; Mulheres sírias cometem suicídio em Aleppo para evitarem estupro. 
• Assembleia julga Maduro como culpado por crise. Apesar de não ter capacidade de derrubar presidente, decisão agrava conflitos. 
• Justiça multa Barcelona e encerra um dos casos sobre Neymar. Clube terá de pagar R$ 20 milhões à Fiscalia. 

Selecionar os melhores em cada setor.
Irritou-se Michel Temer com a divulgação de parte das delações premiadas do ex-diretor da Odebrecht, Claudio Melo Filho, no fim de semana que passou. Por isso, escreveu segunda-feira ao Procurador Geral da República recomendando celeridade na apuração das acusações, para não prejudicar a votação das medidas econômicas a cargo do Congresso. O presidente precisou voltar atrás, alertado para o fato de que as delações seguem em segredo de Justiça até que o Supremo Tribunal Federal se pronuncie sobre elas.
Mesmo assim, a indagação continua, porque alguém escorregou para a imprensa o vazamento das delações. O governo imagina má-fé na divulgação, já que atingiu especialmente ministros e ex-ministros do PMDB. Mas não perde por esperar.
Seria bom Temer tomar um calmante, porque novos vazamentos virão, especialmente quando conhecidas as listas dos donos da empreiteira, pai e filho, envolvendo muito mais gente. Não haverá partido que escape, adiantando muito pouco o palácio do Planalto ficar se referindo à ilegítima divulgação de supostas colaborações premiadas. O que importa não é saber se a divulgação foi ilegítima, mas se as acusações são verdadeiras.
Parece que sim, na maior parte dos casos. Em Brasília e fora de Brasília cresce a impressão de que depois de o Supremo Tribunal Federal iniciar o julgamento de corruptos beneficiados com foro especial, ou de o juiz Sérgio Moro começar a julgar os cidadãos comuns, não haverá como o presidente evitar profunda reforma do ministério. Os amigos privilegiados ou não, devem começar a tratar de seu futuro. A oportunidade para Temer será promover ampla mudança, mandando passear políticos e convocando luminares. Depois de aprovadas as medidas econômicas será hora de selecionar os melhores em cada setor. (Carlos Chagas) 

PMDB segue PT no caminho que leva ao brejo.
Esse momento não é de se entregar, é momento de reagir, bradou, da tribuna do Senado, Jader Barbalho, pajé do PMDB do Pará. Incomodado com a invasão da Lava Jato aos salões do partido, o senador escalou a tribuna do Senado para se queixar da mídia e criticar os juízes e procuradores que se opõem ao projeto sobre abuso de autoridade. Para ele, esses setores tramam derrubar Michel Temer para reconduzir Fernando Henrique Cardoso à cadeira de presidente República.
Jader combinara o discurso com outros três correligionários: Renan Calheiros, Romero Jucá e Eunício Oliveira. Usou o mesmo tipo de retórica que embalou o PT no seu deslizamento rumo à trágica derrota eleitoral deste ano. Ao escalar suspeitos de corrupção para cuidar de sua defesa, o PMDB revela o mesmo fascínio suicida pelo caminho do brejo que os petistas desenvolveram desde o mensalão.
Não imaginem que estou vindo aqui para defender a mim e aos companheiros do meu partido. Não. Esse processo político é contra todos nós, disse Jader para um plenário repleto. Ninguém se animou a aparteá-lo. Esse processo é contra o Parlamento brasileiro, ele prosseguiu. Esse processo político é contra a democracia, é contra a elite empresarial brasileira. Jader instou os colegas a reagirem, sob pena de o Congresso ficar totalmente acavalhado.
Difícil discutir com Jader Sudam Barbalho sobre avacalhação. O senador é um especialista na matéria. O PMDB não poderia ter escolhido um porta-voz melhor. A reação sugerida por Jader parece improvável. Os responsáveis pela desmoralização do Congresso e pelo enfraquecimento do Executivo são pessoas muito poderosas. Ocupam cargos no Planalto e na Esplanada, exercem mandatos parlamentares. Para combatê-las de verdade, Jader precisaria guerrear com o espelho. (Josias de Souza) 
Devemos estar dispostos a nos livrar da vida que planejamos para poder viver a vida que nos espera. (Joseph Campbell)

Nenhum comentário: