7 de set de 2016

Independência, mas qual...

• Procuradoria-Geral da República prorroga trabalhos da força-tarefa da Lava Jato até 2017. Esforço concentrado de investigadores que atuam na operação vai até setembro do ano que vem. 
• Justiça bloqueia contas do Rio para pagar salário. STF determinou que os pagamentos fossem feitos até o 3º dia útil do mês, mas até esta terça-feira, 6, 26% dos salários de agosto estavam pendentes; Justiça autorizou arresto para pagar rendimentos atrasados. 
• Consumidor poderá ter conta de luz com cobrança flexível. Novo regime de cobrança terá tabela de preços que vão oscilar conforme horário do consumo. 
• TCU vê indícios de fraudes em 1 de cada 3 doadores. Suspeitas incluem contribuições de pessoas registradas como mortas e de beneficiários do Bolsa Família. 
• Gilmar Mendes responde a Janot sobre a Lava Jato: Curitiba é muito mais célere. Janot atribuiu ao Supremo a lentidão dos casos de Brasília. 
• Tribunais Regionais Eleitorais de todo o País estão pedindo ao Comitê Olímpico Organizador a lista das quase 12 mil pessoas que conduziram a tocha olímpica nas semanas que antecederam os Jogos do Rio 2016. Antes da chegada da tocha ao Brasil, todos os interessados em conduzi-la foram advertidos: caso pretendessem candidatar-se às eleições municipais de outubro, seriam punidos com a inelegibilidade. 
• Cunha: 186 deputados declaram voto a favor da cassação. Para que deputado afastado seja cassado é preciso pelo menos 257 votos; sessão acontece na segunda. Dez partidos prometem votar contra Cunha na Câmara. Líderes dizem que bancadas vão comparecer na 2ª à votação sobre cassação. Maia marca votação de cassação de Cunha para 19h de segunda-feira. 
• Temer acelera proposta ao enviar proposta de reforma da Previdência ao Congresso e integrantes da cúpula do PSDB comemoram anúncio de que discussão será realizada antes das eleições municipais de outubro. 
• Projeto-piloto do INSS reverte 50% dos auxílios por doença e invalidez. Experiência de revisão dos benefícios mostrou que estimativas do governo podem estar subestimadas. 
• Petrobrás acerta venda de gasoduto à Brookfield por US$ 5,9 bi. Com negócio, a petroleira fica mais perto do objetivo de vender US$ 15,1 bilhões em ativos este ano. A venda do gasoduto por R$ 19 bi terá de passar pelo conselho da companhia, envolve 90% da subsidiária NTS. 
• Investigação mira fundos de pensão no setor elétrico. Para PF e Procuradoria, esquema pode ter atuado na construção de Belo Monte.
• Impeachment é página virada, diz chefe da AGU. Para Fábio Osório, Senado tinha a palavra final sobre fatiamento da votação. 
• Fundos e fraudes: PF começa a desvelar relações espúrias entre políticos e gestores de caixas de pensão nas estatais. 
• Proposta de candidato Pedro Paulo (Rio) copia documento da prefeitura. Plano Estratégico foi feito por servidores e com consultoria de R$ 7 milhões. 
• Claudio Dantas comenta a decisão do TCU que obriga Lula e Dilma a devolver todos os presentes que receberam quando eram presidentes da República; Em acórdão publicado hoje, os ministros confirmaram que os bens recebidos de chefes de Estado ou autoridades estrangeiras são patrimônio da União e não podem ser incorporados no acervo pessoal dos presidentes; O TCU também determinou controles mais robustos para evitar novas apropriações. Lula e Dilma terão 120 dias para devolverem tudo. 
• Justiça argentina autoriza tarifaço da luz. Corte derruba liminar que impedia aumento da conta em cerca de 500%. 
• Por venda de gás, Bolívia começa a aceitar governo Temer. Chanceler minimiza convocação de embaixador no Brasil após impeachment. 

Depois da bonança, a tempestade!...
Todos nós conhecemos o provérbio popular ..depois da tempestade, vem a bonança..., utilizado para nos tranquilizar e nos colocar em estado de esperança, quando eventualmente enfrentamos dificuldades ou desarranjos significativos, em nossas vidas! 
Agora, com a deflagração da Operação Greenfield, envolvendo os quatro maiores Fundos de Pensão do País, inclusive o nosso Fundo Petros, o provérbio acima toma outra forma, pelo menos no coração e na mente dos responsáveis diretos pelo rombo de mais de 55 bilhões que se abateu sobre esses Fundos!
Em nosso caso, os responsáveis diretos pelo rombo de 22 bilhões de nosso Fundo Petros, vão começar a sofrer de uma terrível insônia pois, para eles, ...depois da bonança em que viveram, virá a tempestade...
Como sabemos, os responsáveis diretos por esse rombo de nosso Fundo, foram os srs. Lulla e DIImáh que indicaram como Presidentes da Patrocinadora os sindicalistas-PTistas, srs. José Eduardo Dutra e José Gabrielli que, por sua vez, colocaram na Gestão de nosso Fundo, Presidentes e Diretores igualmente sindicalistas-PTistas que, por sua vez, colocaram como Presidentes do Conselho e como Conselheiros indicados, vários igualmente sindicalistas-PTistas, todos eles dessa extensa cadeia, à serviço da Patrocinadora e do Governo de plantão... Sem nos esquecermos dos Órgãos Oficiais de Fiscalização, como a PREVIC, o Ministério da Previdência e outros, bem como os srs. Conselheiros ...eleitos por indicação do CDPP...
A CPI dos Fundos de Pensão, depois de meses de investigações, começou a destrinchar e a entender os meandros dessa mega-operação de uso dos Fundos, para atender a interesses e fins partidários do Governo de plantão e da Patrocinadora. Concluídos os trabalhos, como se lembram, na Petros, foram apontados para indiciamento, vários desses Gestores e todos os Conselheiros indicados, bem como dois Conselheiros ...eleitos por indicação do CDPP..., por ...concorrerem diretamente para ocorrência do prejuízo financeiro ao aprovarem de forma, no mínimo, culposa, a aquisição e a alteração da precificação das ações...
Foram dezenas de investimentos duvidosos e temerários, realizados por esses Gestores, sob os aplausos e a aquiescência dos responsáveis pela fiscalização - os conselheiros - e com a aquiescência dos Órgãos de Fiscalização... Esqueceram-se esses atores que os recursos de nosso Fundo não pertencem, nem ao Governo, nem à Patrocinadora, mas pertencem aos participantes do mesmo, que os colocaram sob a Gestão de uma Entidade legalmente constituída, autônoma e independente, com interesses específicos dirigidos a esses participantes.
Entre esses investimentos duvidosos e temerários, alvo dessa Operação, estão a Invepar, Grupar e a Sete Brasil, defendidos até outro dia com entusiasmo, por dois de nossos conselheiros ...eleitos por indicação do CDPP... Assim, no caso desses conselheiros, ...eleitos por indicação do CDPP..., o pecado é ainda maior, pois foram eles lá colocados para nos representar e cuidar de nossos interesses, além de terem eles sido alertados, avisados e cobrados, dezenas de vezes, sobre os desvios de finalidade que estavam sendo perpetrados sob seus olhos... Mas, por opção própria e consciente, preferiram, não se sabe por quais motivos, continuar em sua bonança e em sua parceria com o sistema de poder, ao invés de exercerem as funções para as quais foram eleitos...
Agora, depois de anos e anos de bonança em que todos viveram, chega à sua porta a tempestade, com a qual eles terão de conviver, sem saber direito seu poder de destruição!...
Para nós, é doloroso ver colegas nossos, agora na mira dessa indesviável e desconhecida tormenta, que ninguém sabe como vai terminar!.... E que poderia ter sido evitada, se tivessem agido com humildade, vendo e ouvindo os sinais que lhes foram enviados...
De qualquer modo, não é justo que esses atores que foram os responsáveis diretos pelo rombo existente em nosso Fundo - Previc, Gestores, conselheiros, etc. - sejam exatamente eles, quem irão negociar as condições de nossa participação no equacionamento desse rombo, nós que não tivemos nada a ver com isso!
Por acaso, nossas Entidades Representativas - Sindicatos, Aepet, Ambep, Apape, Astape, Fenaspe, etc., irão fazer algo de concreto e efetivo, para reverter essa absurda situação?
Complementando, a tempestade já está soprando suas primeiras rajadas!.... Para começar, o Juiz Vallisney de Souza Oliveira decretou o indiciamento de vários de nossos conhecidos, todos eles sindicalistas-PTistas envolvidos com a Gestão da Petros, a saber:
- Wagner Pinheiro de Oliveira: ex-presidente da Petros
- Carlos Fernando Costa: ex-presidente da Petros
- Luiz Carlos Fernandes Afonso: ex-presidente da Petros
- Newton Carneiro da Costa: ex-Diretor da Petros
- Manuela Cristina Lemos Marçal: ex-Gerente da Petros
Mas ainda faltam muitos outros...
Segundo despacho do Juiz, ...considero que as pessoas acima elencadas tiveram atuação relevante na ocorrência dos supramencionados fatos ilícitos envolvendo os fundos de pensão...
O sr. Wagner Pinheiro, entre outras façanhas, foi quem concretizou aquele belo negócio Itausa, no apagar das luzes do dia 31 de dezembro de 2010, com a aprovação unânime de todos os conselheiros, inclusive os eleitos ...por indicação do CDPP....
Os demais, cada um a seu tempo, foram os responsáveis diretos por Invepar, Guarulhos, Sete-Brasil e outros investimentos temerários...
Em vez de prisão preventiva, o juiz decretou medidas cautelares alternativas. Suspendeu o exercício de qualquer atividade no mercado financeiro, em direção de empresa ou em função pública, direção ou gerência e até em conselhos em entidades de previdência complementar. Proibiu todos os 40 investigados de manter qualquer tipo de comunicação seja por telefone, e-mail e até mesmo por meio de redes sociais com os demais investigados. Não podem ainda entrar nos prédios da Funcef, Petros e Postalis e nem saírem da cidade em que moram sem autorização judicial.
A Justiça estava devendo a todos nós, integrantes dos Fundos de Pensão, esse exame minucioso dos ilícitos cometidos e a responsabilização de seus autores!? Esperemos que a devassa continue e chegue aos vários recônditos onde tem de chegar... (Márcio Dayrell Batitucci) 

Sem diálogo com a população, não há política.
Estão demorando a sumir as multidões que nas avenidas Paulista e Atlântica desfilaram protestando contra o presidente Michel Temer. Fosse feita uma pesquisa a respeito da motivação que as leva às ruas e se colheriam razões variadas, mas a primeira, sem dúvida, seria a frustração da falta de diálogo do governo com o país, de a população não haver participado da escolha do novo presidente.
O impeachment de Dilma Rousseff foi uma ação entre amigos, realizada no Congresso, sem a menor correspondência com o sentimento popular. É verdade que Madame também não despertava qualquer reação no cidadão comum, tanto que não se viu, até hoje, nenhum grito ou cartaz pregando o volta Dilma. Sequer o PT preocupa-se com a sorte da ex-presidente, que hoje, por sinal, retorna a Porto Alegre.
Os protestos populares exprimem o vazio que separa o Brasil real do Brasil formal. Já era assim faz tempo, mas a ascensão do vice-presidente ao trono acentuou a diferença. Dificilmente as manifestações de São Paulo, Rio e outras capitais despertarão mudanças nas instituições vigentes. Algumas depredações fornecerão imagens e fotos para os jornais e noticiários de TV, além de demonstrações nem sempre civilizadas da polícia, mas sem maiores consequências.
Voltamos ao ponto de partida de antes do impeachment: o governo Dilma, como agora o governo Temer, nenhuma relação dispõe com o cidadão comum. Despertam no máximo manifestações de protesto. Faltavam, como continuam faltando, mecanismos de integração e de diálogo com a população. (Carlos Chagas)

Afinal, as Forças Armadas vão permitir que a maioria decente do povo brasileiro seja submetida aos jagunços comunistas chefiados por Lula?
Afinal, as Forças Armadas vão permitir que o povo brasileiro em sua maioria que estuda, trabalha e é decente, seja submetido a essa corja de delinquentes do PT chefiados por Lula que prometem incendiar o Brasil?
Esta é a pergunta que não quer calar, que está entalada na garganta dos brasileiros de bem que desejam a lei e a ordem. Leiam:
O site O Antagonista acaba de revelar neste vídeo o que todo mundo já sabia. Alguma coisa tem de ser feita imediatamente para barrar a ação nefasta levada a efeito por esses jagunços e psicopatas comunistas que constituem uma minoria. Leiam: 
O Antagonista obteve vídeo em que Marcelo Rodrigues, presidente da CUT-RJ, revela que a greve geral dos bancários, convocada a partir de hoje, tem como verdadeiro objetivo incendiar o país contra Michel Temer.
Eu tenho o maior orgulho de estar na assembleia que vai dizer que nós vamos mudar o rumo desse país. E que esses golpistas de m... vão ser relegados ao lixo da história.
A greve é por tempo indeterminado. Vamos para luta, convocando mais do que bancários e bancárias, todos os trabalhadores, a vir para rua para dizer Fora, Temer.
Isso é abuso do direito de greve e merece uma reação enérgica, além de ser um tiro no pé dos trabalhadores. (Aluizio Amorim)

 photo maconha_zps2xandkoc.jpgFarmácias vendedoras de maconha na mira dos narcotraficantes.
Cinquenta farmácias uruguaias manifestaram no mês de junho (2016) disposição de vender maconha em suas lojas.
Elas acompanharam a decisão libertária do governo do presidente bolivariano e ex-guerrilheiro José Mujica, aprovada em 2012 e ainda em vias de implementação.
Porém, dois anos e meio após a aprovação da lei de produção e comercialização legal da droga, essas farmácias verificaram terem-se metido em uma perigosa enrascada, segundo informou o jornal Clarín de Buenos Aires. 
O pretexto da imoral lei foi combater o narcotráfico, considerado o principal agente do crescimento da violência e da insegurança. O sofisma aduziu que legalizando a droga se tiraria mercado aos narcotraficantes.
Pois, dizia, os drogados deixariam de frequentar locais onde se comercializa a maconha e outras drogas ainda mais perigosas, locais esses que são cenário habitual de crimes violentos.
Pela lei, os farmacêuticos, proprietários e empregados, deverão dispor de dispositivos de identificação digital dos usuários registrados. Além do mais, devem instalar móveis com dispositivos de segurança longe do público, capazes de armazenar até 2 quilos da folha tóxica.
E aí começam os pesadelos. Pois os atravessadores da droga, responsáveis pelo maior número de mortes, ficariam com a maconha ao alcance da ponta de suas armas, sem precisar procurar mais longe.
Ademais, os farmacêuticos passariam a competir com bandos extremamente violentos que disputam a distribuição da droga, tirando-lhes a clientela das bocas de expedição ilegal controladas por eles.
O preço pago por esse atentado às redes criminosas costuma ser extremo e encharcado de cadáveres e sangue.
O atual presidente, Tabaré Vázquez, continuador ideológico de Mujica, manifestou sua preocupação com a perspectiva.
Em entrevista à Televisión Nacional ele reconheceu que na maioria dos territórios (sic!) onde as farmácias vão vender maconha já existem narcotraficantes, e esses são implacáveis se alguém disputa seu negócio. Inclusive entre eles próprios, em ajustes de contas. E prossegue:
Suponhamos que o farmacêutico tenha boa saída, e o narco do bairro começa a perder seu negócio de venda de maconha. Certamente vão ir à farmácia e dizer ao dono: olha, se você continuar vendendo, isto pode pegar fogo ou você poderá talvez ter um acidente.
Tabaré Vásquez insistiu na implementação da lei e prometeu toda a proteção do Estado aos comercializadores legais. Não podemos ceder ante o crime organizado. Temos de ser fortes, acrescentou.
Agora, o que a sociedade uruguaia sente na própria pele, julgando-se desprotegida, é precisamente a falta de força do Estado contra o crime organizado. 
As lindas promessas dos políticos não vão tirar os farmacêuticos da mira das impiedosas gangues.
Então a lei que fingia ser instrumento contra o narcotráfico assassino e um recurso de paz e segurança, acabará criando o oposto: uma situação insustentável para os farmacêuticos, sujeitos a requintes da criminalidade. (Luis Dufaur, escritor, jornalista) 
A melhor maneira de alcançar o autoconhecimento não é pela contemplação, mas pela ação. (Goethe)

Nenhum comentário: