16 de set de 2016

A verdade, Lula ou a Justiça...

• Moro deve tomar decisão sobre Lula na segunda.
Provem minha corrupção e irei a pé ser preso, afirma Lula após MPF denunciá-lo na Lava Jato. Análise: denúncia contra o ex-presidente é mais uma flechada em um PT machucado. Desconfiança e lealdade a Lula dividem trabalhadores no ABC. Okamotto diz OAS guardou acervo de Lula porque não tinha outro jeito. Para Lula, político ladrão é melhor que procuradores e juízes concursados. 
• Lava Jato pode gerar leis pró-corrupção, alerta analista. O MPF (Ministério Público Federal) do Paraná denunciou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nessa terça-feira (14) por corrupção e lavagem de dinheiro. Durante o anúncio da denúncia, o procurador da República Deltan Dallagnol identificou o petista como comandante máximo dos crimes de corrupção na Petrobras. Para Roberto Romano, professor de ética política na Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), na ânsia de alcançar Lula, os procuradores podem fragilizar a Operação Lava Jato como um todo. O analista entende que a denúncia contra o ex-presidente pode acelerar a votação de leis no Congresso que favorecem práticas ilícitas.
• MPF bloqueia R$ 87 milhões de investigados e quer ressarcir valores desviados da Petrobras. Os investigadores também pediram o ressarcimento de outros R$ 87 milhões. O procurador Deltan Dallagnol afirmou que o ex-presidente é o grande general que determinou a realização e a continuidade da prática dos crimes
• O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) disse lamentar o momento difícil por que passa o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e preferiu não comentar as declarações feitas pelo petista momentos antes. 
• O diretor da Odebrecht João Carlos Mary Nogueira foi alvo nesta quinta-feira (15), de mandado de condução coercitiva e de busca e apreensão pela 8ª fase da Operação Acrônimo. Nogueira foi levado a depor na superintendência da PF no Rio de Janeiro. Ele é um dos diretores que fazem delação premiada pela Odebrecht na Operação Lava Jato. Na Acrônimo, a empreiteira é acusada de pagar propina de U$ 7,6 milhões em troca de contratos com o BNDES no valor de U$ 3 bilhões. 
• PF indicia governador de Minas e Odebrecht por corrupção no BNDES. Indiciamento do petista, que tem foro privilegiado, foi autorizado por ministro do Superior Tribunal de Justiça. 
• Conselho recebe representação contra Jean Wyllys. Documento enviado por Rodrigo Maia tem como base cuspe na direção do deputado Jair Bolsonaro. 
• PF indicia governador de Minas e Marcelo Odebrecht por corrupção no BNDES. Segundo investigação, petista recebeu vantagens indevidas para facilitar liberação de financiamentos. 
• O ator Domingos Montagner, que interpreta Santo na novela Velho Chico, da Globo, morreu no rio São Francisco. Segundo informações preliminares, o ator teria saído para tomar banho no rio São Francisco, em uma localidade chamada prainha de Canindé do São Francisco, no município de mesmo nome, e desapareceu. 
• Até o momento, o TSE registrou 1292 doações por cartão de crédito para 20 candidatos no Brasil, num total de R$ 108.221,22. Só que 1200 doações (95%), que somam R$ 93.500, foram para um único candidato: Marcelo Freixo. 
• Terra bate recorde de calor pelo 11º mês em agosto. 

• Trump detalha plano para que os EUA cresçam 3,5% ao ano. 
• O Brasil foi citado pela The Economist, para mostrar que é incorreto afirmar que o risco político está migrando dos países em desenvolvimento para os desenvolvidos. O risco político é uma das maiores preocupações de investidores de longo prazo, como os fundos de pensão privados e as empresas que desejam instalar unidades em outros países. O crescimento de Trump na eleição dos EUA, o Brexit e o avanço da extrema-direita na Europa são apontados por analistas como sinais de que a maior preocupação agora são os países da elite mundial. Mas essa é uma visão equivocada, no entanto. O Brasil vaga de uma crise de corrupção para outra. O governo de Jacob Zuma na África do Sul é despedaçado por corrupção e incompetência... nesse momento, a instabilidade política avança pela maior parte do mundo, diz a revista. 

Denúncias imobiliárias.
Foi fulminante a primeira metade da denúncia do procurador Deltan Dallagnol contra o Lula, na medida em que referiu-se a ligações do ex-presidente da República com os principais participantes e beneficiados do maior assalto aos cofres públicos de nossa História.
O problema é que na segunda metade, na hora da apresentação das provas de envolvimento do primeiro-companheiro em atos de corrupção, a peça acusatória transformou-se numa tertúlia imobiliária. Se o Lula tiver a prisão decretada, será por conta de sofisticados armários de cozinha e azulejos de luxo acrescentados a um triplex destinado a ele, e família, do qual acabou renunciando.
Citado seis vezes como general comandante máximo, mentor, ápice da pirâmide da corrupção, maestro da orquestra criminosa e chefe da corrupção, o Lula responderá por uma denúncia imobiliária limitada a 3 milhões e 700 mil reais. Em torno dele e da quadrilha que supostamente chefiava, tem gente que desviou e roubou bilhões. Poucas vezes se pode imaginar um chefe tão condescendente com seus asseclas.
Numa palavra, estão evidentes ligações espúrias do ex-presidente com empreiteiras, vilões e aproveitadores do PT e adjacências, mas, no reverso da medalha, nenhuma prova conclusiva surgiu, de alta corrupção.
Fica claro o fator oculto nessa equação que acaba de abalar o país: pretendem impedir o Lula de disputar a presidência da República em 2018. Será por temerem sua vitória?
Um apartamento no Guarujá, recebido e depois devolvido, pode configurar ilícito penal, apesar de inferior a milhares de mansões, fazendas e até ilhas particulares habitadas pelas elites empresariais. Montes de presentes recebidos durante seus dois mandatos ficaram guardados anos a fio em depósitos de uma empreiteira, hoje sob guarda do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo. Bastariam para justificar o impedimento de uma candidatura?
Se querem afastar o Lula, terá de ser com algo bem mais substancioso do que denúncias imobiliárias. (Carlos Chagas) 

Ao perdedor, as propinas.
Já ouvíramos falar do Capitalismo de Compadrio.
Gustavo Franco preferia chamar, simplesmente, de Capitalismo de Quadrilha.
Não se tratava meramente de intervencionismo estatal.
Boa parte do intervencionismo foi privada, exercida pela quadrilha de Lula.
Agora, damos um passo adiante na taxonomia da corrupção brasileira.
Em sua apresentação histórica, Deltan Dallagnol classificou precisamente aquilo que conheceremos como a Propinocracia.
Na regra de conversão da Propinocracia, 6 bilhões de reais em propinas no Petrolão viram 42 bilhões de reais em prejuízos para a sociedade.
A rigor, o Mensalão e o Petrolão marcaram apenas casos específicos de uma mesma Propinocracia.
Deltan demonstrou também que Lula foi o principal beneficiado, quase a ponto de não conseguirmos mais neutralizá-lo.
Ele se tornou politicamente forte, mantendo e ampliando sua base aliada.
Tornou-se economicamente forte, ganhando eleições sistematicamente.
Ao mesmo tempo, sucumbiu às tentações do enriquecimento pessoal ilícito.
Feito de propinas, quadrilhas ou compadrios, o capitalismo ainda é e sempre será capitalista - aí está sua capacidade de se reciclar, desafiando mesmo os comandantes máximos da corrupção. (Rodolfo Amstalden) 

Agamenon: O Julgamento de Underbergh.
O Lulalau nunca soube de nada. Desde o primeiro ano primário, Lula nunca soube coisa nenhuma e fez questão de continuar não sabendo. Por isso mesmo, não pode ser acusado de nada. Por absoluta falta de provas. Me mostrem uma única prova que o Lulalarápio tenha feito que eu rasgo meu holerite (no Rio de Janeiro se chama contracheque) de jornalista desempregado.
Luladrão está sendo perseguido só porque veio das profundezas do sertão nordestino de pau de arara, pobre e miserável. Hoje, graças aos nossos esforços e sacrifícios, Luiz Roubácio Lula da Silva é um homem muito rico, mas, sempre fiel às suas raízes, continua um miserável. E a Dona Marisa, coitada, está sendo acusada de ter rabo preso quando, na verdade, ela só tem a língua solta. E, além do mais, enquanto ex-primeira-dama, Dona Marisa tem furo privilegiado.
Lula é Inocêncio, posso garantir. Ou, como diz a ex-presidenta Dilma Roskoff, é inocento! Ele mesmo declarou pessoalmente que não existe ninguém mais honesto que ele no Brasil. Isso dá uma ideia do ponto a que este país chegou!
Luladravaz, corajoso e destemido, não se amedronta diante do Ministério Púbico e declarou que se alguém conseguisse provar que ele está metido em alguma bandalheira, pode atirar a primeira pedra. E para fornecer as pedras, montou um consócio milionário com a OA$, a Odecheque e a Queiroz Ladrão.
Estão querendo crucificar o Lula, pegar ele pra Cristo, mas o próprio Luísque Inácio já declarou que não existe nenhum Jesus Cristo mais honesto do que ele. Justamente agora quando seus advogados estão abrindo um processo na ONU para canonizá-lo.
Lula, o homem que tentou acabar com a pobreza no Brasil (começando por ele, é claro), está sendo caçado como um bicho. Querem pegar o Lula para bode expiatório, mas ele mesmo já declarou que não existe no Nordeste nenhum bode mais honesto do que ele.
E tem mais! Todo mundo sabe que o Lulinha não é o dono da Friboi! Todo mundo sabe que a Friboi é uma sociedade do Toni Ramos com o Roberto Carlos, que, aliás, não é perneta nem vegetariano. A Seara é da Fátima Bernardes, que se separou do Bonner por causa de um peru da Sadia congelado escondido na geladeira.
Mas não há de ser nada. Tudo isso vai passar. Passar, lavar e cozinhar. Se por acaso Lula for preso, não vai sozinho. Ele, inclusive, já combinou um campeonato de tranca (com duplo sentido, por favor) com o Zé Dir$eu, o João Maiscari Neto e o Eduardo Pulha. Dedurando Cunha, que, aliás, ficou de levar numa mala de grife a sua mulher Cláudia Cruz, com quem é cassado.
Me siga também no Facebook.
Agamenon Mendes Pedreira foi indiciado na operação Leva Jeito.

Defesa terá de provar que Lula é míope e bobo.
A defesa de Lula se autoimpôs uma missão irrealizável. Para refutar a acusação de que seu cliente era o comandante máximo do petrolão, os advogados de Lula se esforçam para provar que aquele ex-operário que chegou à Presidência como um mito e deixou o Planalto como um recordista de popularidade era, na verdade, um míope meio bobo -indigno dos milhões de votos que o elegeram duas vezes.
Os defensores de Lula optaram por uma linha desconstrutiva. É como se tentassem livrar Lula de suas culpas imolando-o. A grandeza de sua vista curta o impediu de enxergar a roubalheira que se implantou sob suas barbas. A doce ingenuidade de sua alma não permitiu que Lula constatasse que o patriotismo dos aliados era movido a propinas.
Coordenador da força-tarefa de Curitiba, o procurador Deltan Dellagnol foi mais respeitoso com Lula do que os advogados do ex-presidente. Homenageou-lhe a inteligência e a fama de cérebro solitário do petismo grudando nele três denominações: 1) comandante máximo do esquema de corrupção identificado na Lava-Jato; 2) maestro da orquestra concatenada para saquear os cofres da Petrobras e outros órgãos públicos; e 3) grande general do esquema de corrupção.
Em entrevista concedida nas pegadas da divulgação da denúncia de Curitiba, um dos advogados de Lula, Cristiano Zanin Martins, disse que a verborragia do procurador Dellagnol teve conotação política. Como assim? O Ministério Público Federal elegeu Lula como maestro de uma organização criminosa, mas esqueceu do principal: a apresentação de provas dos crimes imputados.
O doutor talvez não se recorde ou esquece de lembrar que o procurador Dellagnol e a força-tarefa de Curitiba não estão sozinhos em suas conclusões. Numa petição que protocolou em maio no Supremo Tribunal Federal, o procurador-geral da República Rodrigo Janot requereu a inclusão de Lula no quadrilhão, como é conhecido o principal inquérito da Lava Jato. Na peça, Janot referiu-se a Lula em termos dignos de um epitáfio.
Escreveu o procurador-geral: Essa organização criminosa jamais poderia ter funcionado por tantos anos e de uma forma tão ampla e agressiva no âmbito do governo federal sem que o ex-presidente Lula dela participasse. O procurador Dellagnol apenas ecoou: Só o poder de decisão de Lula fazia o esquema de governabilidade corrompida viável. Ele nomeou diretores para que arrecadassem propina. Sem o poder de decisão de Lula, esse esquema seria impossível.
Noves fora os R$ 30 milhões em palestras financiadas pelas cleptoconstrutoras e o sítio de Atibaia, duas denúncias que estão na fila, as evidências de que Lula se beneficiou financeiramente do esquema constam da primeira denúncia da Lava Jato. Ao dizer que faltam provas sem refutá-las adequadamente, a defesa pede à plateia que também se finja de boba para que Lula possa continuar executando no palco o papel de um Napoleão se descoroando.
De acordo com esta primeira denúncia, Lula recebeu R$ 3,7 milhões em propinas da OAS, uma das empreiteiras que assaltaram a Petrobras. O dinheiro foi aplicado no célebre tríplex do Guarujá e no aluguel de contêineres para guardar os bens e presentes que Lula ganhou durante o exercício da Presidência.
Apenas no armazenamento daquilo que Lula chama de tralhas, a OAS torrou R$ 1,3 milhão. No apartamento que Lula diz não possuir, a construtora enterrou R$ 1,1 milhão na aquisição do imóvel, R$ 926 mil na reforma e R$ 350 mil na instalação de uma cozinha gourmet. Lula, sua mulher Marisa e seu filho Fábio Luiz vistoriaram o imóvel.
A defesa de Lula sustenta que a família Silva não se interessou pela compra do tríplex. E se abstém de explicar por que diabos a OAS enterraria uma fortuna para dotar o apartamento de facilidades como um elevador e uma cozinha de luxo se não tivesse um compromisso com Lula. O advogado se escora no registro cartorial como se a ocultação da propriedade não fosse a essência do crime de lavagem de dinheiro.
A denúncia não faz de Lula um culpado automático. Antes de proferir uma sentença, o juiz Sérgio Moro terá de atestar o nexo das acusações do Ministério Público, enviando o ex-presidente e os outros acusados ao banco dos réus. Vencida a fase do contraditório, virá o veredicto. Seja qual for o desfecho, Lula sairá mal do processo.
Condenado, pode passar uma temporada no xadrez. Absolvido, passará à história como um cego atoleimado que presidiu o país sem notar que sob os fios do seu bigode desenrolava-se uma roubalheira sem precedentes. E o petrolão se eternizará como a corrupção acéfala, a máfia sem capo. O sucesso da defesa de Lula depende do talento dos seus advogados para desmoralizar a reputação do cliente. (Josias de Souza) 
E quando você pensar em desistir, lembre-se dos motivos que te fizeram aguentar até agora. (Sharpie Thoughts)

Nenhum comentário: