30 de jul de 2016

O Rio merece Olimpíada, mas...

 photo um golpe_zpsrhbb7wfj.jpg • Ministério rompe contrato e Força Nacional vai operar raio X na Rio-2016. Empresa que fiscalizaria acessos a estádios alegou dificuldades financeiras para prestar o serviço. 
• Temer visita linha 4 do metrô carioca; Hora de deixar o baixo astral, diz Paes sobre Jogos. Prefeito do Rio, porém, admite que a Olimpíada não fará pessoas esquecerem problemas na organização; Policiais apreendem três mil placas falsificadas dos Jogos Olímpicos; Após 16 horas de viagem, 34 cavalos chegam ao Rio-2016. 
• Após críticas, Itamaraty suspende a concessão de benefício de passaportes diplomáticos a líderes religiosos. Ministério das Relações Exteriores decidiu cancelar passaporte diplomático após parecer da AGU atestar que a concessão não interessa ao País
• Taxa de desemprego sobe para 11,3% no segundo trimestre. País já soma 11,6 milhões de desempregados, uma alta de 38, 7% ante o mesmo período de 2015. 
• Petrobrás anuncia venda de fatia do pré-sal por US$ 2,5 bilhões. Na área vendida para Statoil, está Carcará, uma das grandes descobertas de petróleo nos últimos anos. 
• Facebook e WhatsApp não respeitam a lei brasileira, acusa MPF. O Ministério Público Federal subiu o tom para falar da questão do WhatsApp e do Facebook no Brasil. Em nota técnica subscrita também por todos os MPs estaduais, o órgão deixou claro que acredita que as empresas desrespeitam as leis brasileiras ao deixar de cooperar com as investigações policiais com os dados solicitados pela justiça. 
• Recado para Lula: A conta chega para todo mundo, afirma Delcídio. Do réu Delcídio para o réu Lula: ninguém vai escapar
• Lula, Delcídio, Bumlai e outros 4 viram réus por obstruir Justiça; ONU analisará petição com Lula na cadeia. A ONU confirmou o recebimento da estapafúrdia petição de Lula, mas informou que o processo pode levar pelo menos dois anos para ser analisado, informa Jamil Chade no Estadão. Os funcionários do escritório da ONU vão examinar a petição, fazer um resumo legal e enviar aos membros do Comitê (de Direitos Humanos) para que avaliem, diz o texto da assessoria de imprensa da entidade. Ele acrescenta que membros vão decidir se o caso pode ser registrado, se todas as avenidas legais domésticas foram esgotadas. As avenidas legais, é claro, não foram esgotadas: a queixa ridícula de Lula é principalmente contra Sérgio Moro, um juiz de primeira instância. Antes de a ONU se debruçar sobre o caso, Lula estará preso.
• Revista IstoÉ que está nas bancas neste sábado a Operação Lava Jato irá mais longe do que se pensa. O que se percebe por aquilo que tem chegado ao conhecimento público é que há material da Lava Jato para ser desovado que forma um petardo devastador capaz de fazer virar pó a miríade de partidos de vertente comunista como PT, PSOL, PCdoB, PSTU e assemelhados. O mais importante de tudo isso é o efeito pedagógico-político, ou seja, a revelação nua e crua a deletéria ação dos comunistas que na verdade constitui a principal tranqueira que impede o Brasil de se tornar uma Nação de verdade. (Aluízio Amorim) 
• Uma cidade que registra nove pessoas baleadas diariamente e 32 tiroteios por dia. Poderia ser o cenário de um lugar onde há uma guerra civil, como na Síria. No entanto, isso ocorre na segunda maior cidade brasileira, que sediará os Jogos Olímpicos, um dos maiores eventos do mundo. Crimes com mortes violentas e roubos de rua crescem no Rio no 1º semestre; Roubo de celular cresce 60% de janeiro a junho no estado do Rio. 
• Empresa aérea Latam leva ao extremo o direito de explorar a clientela. Latam (ex-TAM) cobra R$11.444 por bilhete Brasília-São Paulo. 
• Até que enfim! Deputado Marchezan Jr defende o fim da Justiça do Trabalho no Brasil e critica oportunismo de sindicatos e o Congresso. 
• O ministro José Serra (Relações Exteriores) tomou a decisão há muito reclamada pelos diplomatas: extinguiu uma tal Coordenação-Geral de Ações Internacionais de Combate à Fome, cabide de militantes petistas que sempre desafiou a autoridade dos chanceleres. O órgão foi aparelhado e chefiado, de 2011 a 2016, por um Milton Rondó, petista que no impeachment usou o cargo para difundir mentiras sobre o País. 
• Mineradora Samarco estuda reativar área de barragem que ruiu em Mariana (MG). 
• Queimadas batem recorde e sobem 57%! 1. Antes mesmo do auge da temporada seca no País, o foco de incêndios em todo o território em 2016, foi 57% maior do que no mesmo período do ano passado. Com 40.765 focos detectados até anteontem, é a maior taxa desde o início da série histórica, em 1998, segundo levantamento divulgado ontem pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). O dado foi anunciado em tom de alerta. Ainda estamos no começo da temporada de queimadas. O que aconteceu até agora é talvez 15% ou 20% de tudo o que ainda vai acontecer, disse o pesquisador Alberto Setzer, coordenador do monitoramento de queimadas do Inpe. 2. O problema é particularmente grave na Amazônia, que sofre um ressecamento do solo como reflexo de forte El Niño, mas ocorre no País inteiro e não pode ser explicado apenas pelo fenômeno climático. Em São Paulo até tivemos muita chuva e o Estado teve aumento de 145% até agora em relação ao ano passado. O Rio Grande do Sul registrou aumento de 72%, e a região foi bastante castigada pelas chuvas. Em Brasília aumentou dez vezes o número de queimadas e não está mais seco lá do que em outros anos, enumera. Ele aponta que unidades de conservação também estão sendo afetadas. Só ontem havia 172 áreas protegidas com algum problema. (Cesar Maia)
• Papa Francisco visitou campo de extermínio de Auschwitz. Pontífice conheceu as celas subterrâneas onde presos morriam de fome e sede. Mais de 1 milhão de pessoas foram mortas no complexo nazista na Segunda Guerra. 
• Presidente Raul Castro manda médicos voltarem a Cuba e deu prazo de novembro para que todos os profissionais do programa retornem para a ilha. 
• Flórida confirma casos de transmissão local de zika. Até agora, as ocorrências nos Estados Unidos eram de pessoas que tinham viajado ao exterior; Casos de microcefalia associados ao zika alarmam a América Central. 
• Trump diz a Hillary que não vai mais ser o cara legal
• ONU: caso de Lula pode levar pelo menos 2 anos para ser concluído. 
• Crise econômica na Venezuela faz donos abandonarem seus animais. 
• Turquia liberta mais de 800 recrutas em investigação de tentativa de golpe. 
• Dois irmãos suspeitos de planejar atentado na Bélgica são presos. 

O homem endoidou.
Vale deixar os tempos de líder sindical e de líder político, incluindo neles dois mandatos de presidente da República, para ficarmos apenas nos anos de ex-presidente. A conclusão é de que o homem endoidou. Basta referir que faz pouco aceitou tornar-se chefe da Casa Civil de Dilma Rousseff para escapar do juiz Sérgio Moro e, agora, acaba de recorrer ao Comité de Direitos Humanos das Nações Unidas pedindo abertura de processo e análise contra o referido magistrado.
A leitura é de que pretende sobrepor uma instância internacional às leis brasileiras, ou seja, insurge-se diante de nossa soberania. Caso os doutos juristas da ONU condenem Sérgio Moro, serão libertados todos os ladrões da Petrobras e adjacências hoje presos? E os investigados e processados?
Os advogados que induziram o Lula a esse recurso absurdo certamente não se encontravam no seu juízo perfeito, mas nem por isso o ex-presidente estará isento da principal responsabilidade pela loucura. Como interromper ou calar investigações promovidas por um Judiciário independente? Ainda mais acusando o juiz de abuso de poder ao interpretar a lei?
Pelo jeito, o ex-presidente está com medo de ser preso, apesar de Sérgio Moro haver sido tolerante quando já dispunha de instrumental para trancafiá-lo. Alguma coisa está para acontecer. (Carlos Chagas) 

Saias-justas.
O presidente interino Michel Temer está diante de pelo menos três saias-justas simultâneas e tenta escapulir delas com suas melhores armas: a habilidade política, a capacidade de ouvir mais do que falar e de não se comprometer nem com um lado nem com o outro para tentar ficar bem com ambos. Geralmente, dá certo. Mas nem sempre...
Diante da notícia publicada pela colega Sonia Racy de que o chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Sérgio Etchegoyen, assumiria o comando da segurança na Olimpíada, os ministros Raul Jungmann (Defesa) e Alexandre de Moraes (Justiça), ambos sabidamente vaidosos, deram um pulo. E, finalmente, se uniram contra o inimigo comum.
Para tentar contornar esse campeonato de egos, Temer convidou os três para um almoçoem palácio e, entre uma declaração descontraída e outra, anunciou uma não solução: a coordenação é tripla, um terço de Etchegoyen, um terço de Jungmann, um terço de Moraes. Alguém já ouviu falar em comando assim?! Não resolveu nada, mas pôde, pelo menos, abafar os ciúmes e assistir aos ministros satisfeitos, até brincando com o general: E aí, chefe?.
A segunda saia justa é por causa do projeto de repatriação de recursos não declarados no exterior. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, falou mais do que devia e anunciou que o governo patrocinaria mudanças. Aí, quem deu um pulo foi o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, declarando publicamente que a lei da repatriação não muda. E aí?
Mais uma vez, Temer tentou resolver a pendenga em torno de uma mesa farta. Recebeu Maia para jantar na quarta, ontem reuniu o deputado e o ministro da Fazenda e optou por uma solução engenhosa para nem desautorizar um, nem desautorizar o outro e chegar ao objetivo de mexer na lei: o governo não patrocina mudança nenhuma, mas não se opõe a mudanças que o Congresso definir. Entendeu? Pois é. Diz que não apoia, mas apoia. Como, aliás, fez na própria eleição de Maia na Câmara.
Parênteses 1: a ideia é mudar a base de cálculo dos impostos para a legalização dos dólares. Pela lei em vigor, incidem sobre a movimentação financeira. Pelas alterações, passariam a ser sobre o saldo: quem movimentou US$ 30 milhões e só tem US$ 3 milhões na conta, paga sobre os US$ 3 milhões. Desde que aumente a arrecadação, um dos fantasmas do governo.
Parênteses 2: e as reações da Receita Federal e do Ministério Público, que são contra a lei e as possíveis mexidas na lei? Bem, essa é uma outra história, tema para outros almoços e jantares...
A terceira saia justa de Temer veio com a manchete de ontem do Estado sobre a gula de Meirelles que, depois de abocanhar a Secretaria de Previdência, está salivando para tirar a Secretaria de Orçamento do Planejamento e levar para a Fazenda. Dessa vez quem pulou foi o ministro Dyogo Oliveira.
E o que Temer fez? Após a primeira reunião com Meirelles, convocou ao Planalto o próprio Oliveira, que parece estar sempre na corda bamba. Mas, neste caso, o ministro não está pulando sozinho. O mínimo que dizem é que Meirelles é um salvador da pátria de uma nota só: o teto de gastos, o teto de gastos, o teto de gastos... Resultados? Necas.
Lula. Num mesmo dia, duas notícias sobre o ex-presidente Lula que se complementam. De um lado, o laudo da PF indica que ele orientou a reforma do sítio de Atibaia, no valor de R$ 1,2 milhão. De outro, seus advogados protocolaram petição na Comissão de Direitos Humanos da ONU contra o juiz Sérgio Moro e os procuradores da Lava Jato. Acusam Moro de parcialidade e de abuso de poder
Quem poderia imaginar, há 20 ou 30 anos, que Lula poderia um dia condenar - e denunciar na ONU! - a operação e o juiz que abriram uma nova era no combate à corrupção endêmica no Brasil? O caçador definitivamente virou caça e reage como fera acuada. (Eliane Cantanhêde) 

Um pouco de compostura.
Há gente - e não é pouca - que confunde informalidade com falta de seriedade. A busca incessante do engraçado, da piada e das brincadeiras parece ser uma das características dominantes do prefeito Eduardo Paes. Ele foi ou é bem educado formalmente, mas não tem limites para a graça descabida ou a resposta histriônica.
Foi um desses episódios o que ocorreu quando ele fez alguns comentários em resposta à reação da delegação da Austrália sobre as más condições das instalações olímpicas: … Estou quase botando um canguru na frente para pular na frente deles.
Ele comentou a qualidade das instalações da Vila Olímpica justificando os problemas com infelizes comparações, ao invés de explicar que pequenos ajustes poderiam ou deveriam ser feitos.
Paes zombou dos australianos quando deveria simplesmente informar que os ajustes nas instalações seriam feitos sem maiores demoras. A brincadeira poderia ter sido substituída por um pedido de desculpas. Sabidamente, Paes não é um cidadão educado, embora tenha cursado os melhores colégios da Zona Sul do Rio.
Não é preciso nivelar por baixo a busca de popularidade. Um pouco de compostura está fazendo grande falta ao Prefeito de uma cidade supostamente bemeducada. Está faltando compostura. (Arthur Chagas Diniz) 

Não vaie, vote.
Acompanhei as convenções republicana e democrata pela TV. Como sempre, elas reuniram um monte de gente esquisita. Mas o teatro da política americana é fascinante. Os discursos democratas deste ano foram, de longe, os melhores - nas mentiras, na demagogia, nas piadas, no timing. Também desse ponto de vista, Donald Trump fez um estrago entre os republicanos. Ninguém se mostrou entusiasmado com a sua candidatura, a não ser ele próprio, e isso se refletiu nas falas sem graça dos caciques do Grand Old Party. A belíssima Melania Trump foi divertida inadvertidamente, por causa do sotaque esloveno e do plágio de um discurso antigo de Michelle Obama. Eu queria muito mais. Infelizmente, falta alguém que bata na cintura de Ronald Reagan.
Barack Obama foi um presidente desastrado em vários aspectos, mas é inegável que se trata de um showman acima da média de Washington. No seu discurso em apoio a Hillary Clinton, ao citar Donald Trump, ele calculadamente respondeu às vaias com um slogan que já pegou: Não vaie, vote. Em português, a aliteração o torna ainda mais atraente.
Nos Estados Unidos, como nos demais países civilizados, o voto não é obrigatório. Essa é uma das grandes preocupações dos democratas, se não a maior - que um monte de gente desiludida deixe de ir às urnas e a abstenção maciça dê a vitória a Donald Trump. Eles sabem que a rejeição à mentirosa Hillary Clinton é enorme, mas contam que o nojo ao adversário estimule os cidadãos a tapar o nariz e fazer voto útil.
Donald Trump é nojento porque chama mulheres de porcas e mexicanos de estupradores, ridiculariza deficientes físicos, dá trambiques em pequenos empresários e estudantes e elogia Vladimir Putin como modelo de liderança. Muita gente também se incomoda com o seu narcisismo. Há dezesseis anos, o conservador William F. Buckley, fundador da National Review, escreveu a frase definitiva sobre essa patologia do atual candidato republicano: Se Donald Trump tivesse outro molde, ele competiria no concurso de Miss America (já Lula disputaria o Miss Garanhuns).
No Brasil, onde o voto é obrigatório, quase 28% dos eleitores deixaram de votar em 2014, ao somarmos abstenções, brancos e nulos. Dá mais de 30 milhões de pessoas, quase uma Argentina. Eu tendo a crer que, houvesse esse contingente votado, Aécio Neves teria ganhado. No entanto, a oposição, cheia de pruridos, não fez campanha pelo voto útil e ajudou a empurrar para a frente a criatura do nosso Donald Trump com sinal ideológico trocado.
Muita gente acha que voto útil é sinal de despolitização e falta de informação. Eu acho o contrário. Para mim, só existe voto útil. Como resumiu o meu amigo Diogo, democracia é uma forma de substituir um bandido por outro. O rodízio de bandidos é essencial para dificultar a vida deles e, assim, tentar fazer que o país avance. Só não dá para promover esse rodízio quando o bandido da oposição é pior que o bandido da situação. Aí o negócio é ficar com o que se tem. É nisso que aposta o Partido Democrata americano.
Eu espero que nas eleições brasileiras o voto útil passe a ser o instrumento para tirar quem deve ser tirado e manter quem precisa ser mantido, na falta de coisa melhor.
Não vaie, vote. (Mario Sabino)
Você só precisa afirmar os fatos de sua vida para ser dono de si mesmo. (Florida Scott-Maxell)

Nenhum comentário: