1 de jun de 2016

Eleitor ávido por punições políticas...

• Presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco Cappi, é indiciado na Operação Zelotes; Odebrecht promete revelar caixa 2 de PT, PSDB e PMDB. 
• Congresso vive expectativa da prisão de figurões. Congresso vive expectativa de prisões a qualquer momento. 
• Delação premiada de ex-presidente da OAS trava após executivo inocentar Lula. Sítio que Lula frequenta em Atibaia estará na delação da Odebrecht. 
• A cúpula do PMDB no Senado ficou apreensiva com a informação de que Expedito Machado Neto, o Did, fez acordo de delação premiada. Pelo acordo firmado com o Ministério Público, será repatriada parte dos recursos relacionados ao esquema de corrupção da Petrobras. 
• O governo interino de Michel Temer nomeou nesta quarta-feira, 1, Maria Silvia Bastos Marques para ocupar a presidência do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES); Gilberto Occhi para o comando da Caixa Econômica Federal; e Ernesto Lozardo como presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Michel Temer usará evento de posse para reafirmar apoio à Lava Jato. 
• Após perder dois ministros em 19 dias por alegações de obstrução a investigações da operação Lava Jato, o presidente interino Michel Temer enfrenta boicotes de grupos no exterior e pressão de centenas de servidores que exigem a recriação da Controladoria Geral da União (CGU), que atuou como principal órgão nacional de transparência e combate à corrupção nos governos FHC, Lula e Dilma Rousseff. 
• Senado aprova projeto de lei que tipifica estupro coletivo e aumenta pena para 30 anos e aprova MP que transfere rombo de R$ 3,5 bilhões para conta de luz. 
• CNMP nega pedido de Lula e mantém procurador da Lava Jato no caso. Ele queria afastar e até impor mordaça em quem o investiga. 
• Ex-ministros de Lula receberam propina de agência, diz delator o empresário Benedito Rodrigues de Oliveira Neto, o Bené. Ex-ministros de Lula acusados de receber propinas milionárias. 
• Bumlai diz que foi burrice assumir empréstimo para o PT. 
• Há duas semanas, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, sabatinou Gilberto Occhi a fim de testar suas ideias para a presidência da Caixa Econômica Federal. Não gostou das respostas. A Caixa precisa de um banqueiro, não de um bancário, disse Meirelles a interlocutores. Apesar da contrariedade, foi obrigado a engolir a nomeação do apadrinhado do PP. O jeito de controlar Occhi foi pedir ao Banco Central para monitorar atentamente as operações da estatal. Occhi é investigado na Lava Jato. 
• A Petrobras divulga aumento de 75% em punições e revolta funcionários.   Leia
• Ontem (30), no início da noite, um integrante do governo, do círculo íntimo de Michel Temer, disse ao presidente que o vazamento dos áudios de Sérgio Machado teria partido da própria Procuradoria-Geral da República. A intenção da PGR seria desestabilizar o governo. O vazamento para Rubens Valente, da Folha de S. Paulo, seria perfeito, visto que Rodrigo Janot tem conhecida antipatia pelo repórter e, assim, não levantaria desconfiança em Brasília. 
• Vítima de estupro coletivo, X. é o retrato de uma geração marcada pela violência; Vítima de estupro coletivo deixa o Rio por ameaças. 
• A frase mais estúpida publicada hoje pela imprensa brasileira é de Marcelo Freixo. Ele escreveu o seguinte na Folha de S. Paulo: O governo dos patriarcas de Michel Temer, formado por homens brancos e cristãos, à moda colonial, não ameaça somente nossas mambembes instituições democráticas
• Após mais de 2 anos, Lei Anticorrupção só puniu uma microempresa. 
• Sob pressão, Senado analisa proposta de redução da maioridade. 

• OEA ameaça suspender Venezuela; Como a Venezuela entrou na crise, e o que poderá acontecer agora? As prateleiras dos supermercados na Venezuela estão cronicamente vazias, e os cortes de energia são tão graves que os departamentos do governo agora só abrem dois dias por semana. O sistema de saúde pública entrou em colapso, a taxa de criminalidade é uma das mais altas do mundo e a inflação desgasta rapidamente o que resta do valor da moeda. A economia passou de ruim a pior a horrível, disse Jason Marczak, diretor da Iniciativa para o Crescimento Econômico da América Latina no Conselho Atlântico, uma organização de pesquisa sediada em Washington. O governo da Venezuela está fazendo um bom trabalho conduzindo a si mesmo para o caos
Trump presidente será como chegada de Godzilla, diz secretário-geral da Unasul. 
• Eurocopa e jornada mundial da juventude: EUA alertam para risco de ataques terroristas na Europa em eventos. 
• Al-Qaeda reivindica ataques contra a ONU no Mali que deixaram 4 mortos. 
• Unicef: pelo menos 20 mil crianças estão presas na cidade iraquiana de Faluja. 
• Declarações de Trump preocupam o mundo, diz governo argentino. 
• EUA alertam sobre terrorismo na Europa nos próximos meses. 
• Prefeita de Paris anuncia construção de campo de refugiados. 
• Justiça italiana confirma pena contra capitão do Costa Concordia.

Tudo parece misturado.
O presidente interino, Michel Temer, tem uma regra. Não decide em cima de suposições. Só serão demitidos ministros se houver revelações graves contra eles.
É a frase que mais se escuta no palácio do Planalto, esta semana, com Romero Jucá puxando a fila. Porque o já agora quase ex-ministro do Planejamento, pelo menos licenciado, voltou para o Senado. Não anda bem, apesar das aparências. Mas continua dialogando com parte de seus colegas do novo governo.
Fica difícil acomodar essas equações. Sem falar na ameaça de dois ou três senadores antes favoráveis ao impeachment de Dilma Rousseff mudarem de lado, não agora, mas daqui a algumas semanas, precisamente pela barafunda criada em torno das novas esperanças de Madame.
Numa palavra, tudo parece misturado. Em especial, o Brasil. (Carlos Chagas) 

Carta aberta ao senador Cristovam Buarque.
31 de maio de 2016
Senhor Senador,
Somos do Estado de Minas Gerais, mulheres trabalhadoras, empresárias, empregadas, autônomas, mães e donas de casa, e estamos acompanhando de perto as manifestações de V. Exa. nas redes sociais.
Concordamos com tudo que V. Exa. advoga em relação à educação do país. Sabemos que os graves problemas que enfrentamos advém da baixa qualidade da educação, ou, com certeza absoluta, da falta dela. Mas, parece-nos que V. Exa. deixou de lado esta bandeira, para, em seu lugar, advogar a tese de que o Brasil precisa de novas eleições para Presidente da República.
Discordamos, veementemente, da opinião de V. Exa. neste quesito, pois, pelas vias constitucionais, ratificadas pelo STF, o Brasil tem um presidente chamado Michel Temer. Interino, por enquanto, mas constitucionalmente alçado ao cargo pelo Processo de Impeachment da Presidente afastada.
Dispensável discorrer sobre os motivos de fato e de direito que levaram ao afastamento da Sra. Dilma Rousseff. Dispensável, também, ratificar que os mesmos votos dados a Dilma, foram dados também ao Temer, uma vez que registra-se uma chapa e não candidaturas individuais a presidente e vice. Dispensável discorrer sobre este tema, pois que V. Exa. sempre demonstrou conhecimentos suficientes em toda sua trajetória parlamentar.
Apenas para ilustrar a força legitima do Sr. Michel Temer, sabemos que o PMDB é o partido que possui o maior número de prefeituras e, portanto, uma rede de mobilização política e eleitoral, invejável. Esta mesma rede, somada àquela do PT, levou à vitória de Dilma e Temer. Portanto, a alegação de que Temer não tem legitimidade não se sustenta em hipótese alguma.
Além disso, nossa constituição cidadã, dá ao Presidente Interino Michel Temer a legitimidade necessária para promover as mudanças estruturais, econômicas e políticas que o país precisa.
Ademais, há que se considerar a dramática situação econômico-financeira e fiscal do Brasil, que a presidente afastada não detinha e nunca deterá condições de resolver. Eleições custam caro, Senador! Despesas precisam ser cortadas na carne, porque a população não suporta mais a ineficiência da gestão pública, a corrupção desmedida e o pagamento de impostos escorchantes, sem a devida contrapartida do governo federal.
Assim, Exa., alguns argumentos podem ser convincentes para uma parte da população menos afeita ao pensamento político, adepta do estado provedor, mesmo que de forma distorcida e clientelista. Nunca destinada àqueles que pensam e acompanham a vida política nacional.
Saiba, que os brasileiros estão mais politizados e conscientes da realidade que enfrentam. Sabem que um governo corrupto e fraco, só se manteria no poder comprando votos, via políticas sociais e apoio parlamentar, via negociatas.
Lembramos que nas últimas eleições a mentira venceu propostas reais para retirar o Brasil do caos econômico e político no qual se encontra até o momento. Lembramos, também, que somados os votos brancos e nulos, mais de 60 milhões de brasileiros disseram não ao projeto de poder lulopetista.
Diante de fatos comprovados, não há argumentos! Que se cumpra a Constituição cidadã, como dizia o saudoso Ulysses Guimarães! Poupe-nos desta aberração de convocar novas eleições! Se elas forem a alternativa encontrada por um Congresso submerso em denúncias de corrupção, que se faça eleições de novos parlamentares. É no Congresso que repousa o maior número de denúncias de corrupção, como têm provado as inúmeras colaborações premiadas de denunciados na Lava Jato. Só assim, verdadeiramente, recomeçaremos do zero, concorda?
Nós, brasileiros e brasileiras, não acreditamos na ideia recém disseminada da ditadura do judiciário, inventada pelos mais espertos, em flagrante desrespeito à independência dos poderes da República.
Acreditamos que a Operação Lava Jato está prestando um grande serviço à nação, expurgando todos os corruptos do poder público e da iniciativa privada. O Brasil agradece ao Juiz Sérgio Moro e às equipes da PF e do MPF, que estão desbaratando a maior quadrilha de políticos e politiqueiros que se apossou do país nos últimos 14 anos.
Talvez, V. Exa, tenha ouvido um áudio do Presidente do Senado, dizendo que dentre os 81 Senadores, sobram uns 5 ou 6 honestos. Pois bem, é hora de V. Exa. pedir esclarecimentos sobre esta afirmativa, pois que o senhor pode fazer parte desta seleta lista…. E, se fizer, deterá todas as condições de levar adiante suas propostas para a educação. É disso que precisamos no momento. Não de novas eleições. Esta sim, ideia auto protetora do poder legislativo, que acabaria por rasgar, definitivamente, nossa Constituição.
Sabemos que V. Exa. vem fazendo pesquisas sobre estas tais novas eleições e, parece que tem 40 mil adeptos. Pois bem, a sociedade brasileira mobilizada recolheu mais de 2 milhões de assinaturas para que um projeto de lei de iniciativa popular, contendo as 10 medidas contra a corrupção fosse incluído na pauta do Congresso e votado com a máxima urgência. Parece que está esquecido em alguma gaveta do Congresso Nacional, em que pese o gigantesco volume de papel que representam as assinaturas de apoio colhidas…. Estamos nos sentindo traídos - dois milhões de assinaturas em papel e V. Exa. faz pesquisa baseada em clique de computador?
Se é para falar de novas eleições, que seja para remover este Congresso flagrantemente corrupto e realizar novas eleições para deputados federais e senadores. Os bons e limpos se reelegerão, com certeza. Os maus políticos serão definitivamente execrados do Congresso Nacional.
Tenha certeza, que para escrever esta Carta Aberta, fomos movidas por um único sentimento: Indignação! 
Deixe a Constituição e a Lava Jato cumprirem seu papel. Cumpra o seu, Senador! Não invente moda para ganhar a mídia. V. Exa. nunca precisou disso, pois que sempre teve um discurso coerente com a sua prática profissional e política.
Cordialmente,
AMI – Associação das Mulheres da Inconfidência.

Competindo com a Venezuela.
Desempenho econômico e social - As medições de desempenhos econômicos e sociais dos mais diversos países do nosso planeta, o nosso pobre país, desde o momento em que passou a ser governado (???) pelo PT, tudo aquilo que já não era bom passou a ficar pior, na comparação com os demais países analisados.
Escancarado - Em alguns deles, que julgo mais importantes, a queda só não foi maior porque os concorrentes, pela forma e/ou sistemas de governo, são de baixíssimo nível. Mesmo assim, o que ficou bem escancarado é a grande disputa entre Brasil e Venezuela, para ver qual desses dois países ficaria na pior classificação. 
Pior posição da série - Vejam, por exemplo, que no ranking que avalia a competitividade de 140 países, divulgado anualmente pelo Fórum Econômico Mundial, através do Relatório Global de Competitividade 2015-2016, o Brasil caiu 18 posições. Atingimos, portanto, para desespero dos otimistas a pior posição da série histórica.
Pontos principais - Nesta última medição, sem qualquer surpresa, os pontos que mais contribuíram para a piora do nosso país são:
- confiança nas instituições;
- balanço nas contas públicas; e 
- capacidade de inovar e educar. Que tal? Com isto ficamos abaixo não só de países emergentes, como México, Índia, África do Sul e Rússia, como também de economias menores, como é o caso do Uruguai, Peru, Vietnã e Hungria. Triste, não?
Seis anos de governo Dilma - Como bem informa Carlos Arruda, professor de Inovação e Competitividade da Fundação Dom Cabral, em 2010, Brasil estava na 38ª posição. Este ano, o Brasil está na 57ª. Ou seja, nos últimos seis anos de governo Dilma só contabilizamos perdas. Pode?
Enquanto a Grécia consegue ser melhor do que o Brasil, quem vem atrás é a Croácia, Ucrânia, Mongólia e Venezuela. 
Golpe petista - Pelo péssimo desempenho do Brasil nesses últimos anos vê-se, com absoluta clareza, que em termos de competitividade o Brasil sofreu um duro e premeditado golpe petista. Esta não é uma conclusão exclusivamente minha.
Analistas de vários países entendem que o fato de cair tantas posições em tão pouco tempo não é culpa do acaso e muito menos da sempre comentada crise mundial. Até porque todos os países do mundo foram afetados pela crise econômica. 
Taça - Foro de São Paulo - Cada dia que passa mais me convenço de que o PT, desde que chegou ao Poder, tratou de medir forças, de fato, com a Venezuela. Ambos entraram na disputa, com total ardor e vontade, em busca da Taça Foro de São Paulo. O vencedor, pelo -regulamento do FSP, deve ser aquele que quebra primeiro, levando para o túmulo a desgraça dos povos latinos que integram a organização comunista. Este, caros leitores, é o grande legado dos governos Lula/Dilma - Petistas. (GSPires) 
Por amor ao passado o Brasil perdeu o presente, e comprometeu o futuro. (Roberto Campos)

Nenhum comentário: