4 de mai de 2016

Um futuro incerto...

• Sério mesmo, o país aturdido se vê em palpos de aranha. Entender a política e mostrar dois lados se digladiando, o país parado não atende a normalidade. Espetáculos no Senado causaram frisson nos advogados. Petistas senadores se arvoraram no bloquear convidados. Razão é a falta de razão. A lei mostrou-se, a ver do ouvinte, uma faca de dois gumes. Quem entende quem? E a caminhada até seu desfecho virá hoje quando Relator da comissão do impeachment apresentar parecer hoje. Daí pra frente pode existir calma, aceitação ou... (AAndrade) 
• Rio: Cedae reparou lugar há dois dias. Buraco abre de novo em Ipanema no mesmo trecho danificado no sábado. 
• Prazo para tirar título de eleitor para eleições deste ano vence nesta quarta. 
• Maratona do impeachment começa hoje e deve terminar na sexta-feira 13. 
• H1N1 provoca 290 mortes no País; Sudeste tem maior número de casos. 
• Aposentadoria sobe 56% com inclusão de contribuição antiga. Justiça manda INSS rever benefício em mais de 56% com recolhimentos anterior a 1994. 
• Alavancada por patrocinadores, tocha iniciou giro pelo país. Símbolo olímpico foi recebido pela presidente Dilma no Palácio do Planalto. Rio 2016: Grupos fazem protestos políticos durante passagem da Tocha Olímpica. 
• Por falta de verba, 12 cidades do RJ ficam sem sirenes de alerta para desabamento. 
• Governo do Rio comprou remédios em quantidades superiores às consumidas. 
• Janot pede ao STF inquérito para investigar Dilma por obstruir a Justiça. Dilma e Lula acusados de obstruir Justiça, o crime de Delcídio. Solicitação tem por base delação de Delcídio; petistas negam acusações. Procurador pede que Aécio deponha em até 90 dias sobre propina em Furnas. 
• Conselho de Ética do Senado aprova cassação por unanimidade de Delcídio.
• WhatsApp está de volta. Após um dia fora do ar, o WhatsApp voltou a ficar disponível em celulares e computadores brasileiros. O desembargador Ricardo Múcio Santana de Abreu Lima, do Tribunal de Justiça de Sergipe, decidiu revogar a decisão de bloqueio e liberou novamente o aplicativo. Como da outra vez, no fim de 2015, o WhatsApp foi banido temporariamente por não entregar à Justiça informações requisitadas sobre investigações policiais. WhatsApp quer abrir diálogo com autoridades, diz diretor. 
• 31 pessoas no total: Janot pede ao Supremo que Lula, Cunha e ministros sejam investigados. Para Janot, participação de Lula foi vital no roubo à Petrobras. 
• Dilma monta bunker da resistência no Alvorada. Presidente terá cerca de 15 assessores durante período de afastamento. 
• Esquema no Minha Casa, Minha Vida beneficia servidores de prefeitura em SP. Condomínios inaugurados por Dilma há um mês no Rio de Janeiro têm problemas. 
• Sérgio Moro só avaliará a denúncia do MP de São Paulo contra Lula no caso do triplex, bem como seu pedido de prisão, após o julgamento do Supremo sobre a nulidade do ato de posse do ex-presidente na Casa Civil. Mesmo que Dilma seja afastada pelo Senado, o plenário do STF precisará se reunir para decidir sobre a perda de objeto da ação. O julgamento foi adiado a pedido de Teori Zavascki e ainda não há nova data marcada. 
• Planalto tenta desequilibrar o Orçamento, afirma Jucá. Temer reclama, mas deve manter as bondades anunciadas por Dilma. 
• Falta um inquérito contra Lula. Lula será condenado como mandante do suborno a Nestor Cerveró. Rodrigo Janot tem uma montanha de provas contra ele: grampos, depoimentos de delatores, documentos bancários. A trama para calar Nestor Cerveró - e que envolve Lula, Delcídio Amaral, seu principal assessor e Mauricio Bumlai - já está devidamente esclarecida. 
• Perda do IR pode ser coberta por atletas e empresas. Dilma planeja elevar imposto de empresas que adotam lucro presumido. 
• Receita Federal aumenta imposto sobre dólar em espécie. Alíquota de IOF passa de 0,38% para 1,1%; cartões continuam pagando 6,38%. 
• Vacina da dengue deve custar até R$ 400, estima governo. Única já aprovada no país, imunização tem índice médio de eficácia de 66%.

• Alemanha afrouxa regras para uso de maconha com fins medicinais. 
• Roma faz exposição inédita das bulas papais dos arquivos do Vaticano. 
• Líder Kim Jong Un é designado o Grande Sol do Século 21 na Coreia do Norte. 
• UE quer que países que não aceitarem refugiados paguem ao país que os acolher. 
• Presidente egípcio estende por 3 meses estado de emergência no Sinai. 
• Governo francês prolonga estado de emergência por dois meses. 
• Trump desafiou todas as previsões para se tornar virtual candidato a presidente dos EUA. Ted Cruz desiste e Trump ganha. Sanders pressiona Partido Democrata para a esquerda. Pré-candidato quer pôr seus planos na agenda da adversária Hillary Clinton. 
• Las Vegas da Macedônia lucra perto de refugiados. Crise em Idomeni, do lago grego da fronteira, não afeta o Casino Flamingo. 
• Financial Times prevê retomada do Brasil, com sacrifícios. 

Os perigos do novo ministério.
Acaba de sair pelo ralo, como absurda e inexequível, a antecipação para outubro das eleições presidenciais marcadas para 2018. Apesar de apoiada pela presidente Dilma e parte do PT, a sugestão mergulhou nas profundezas. Com o impeachment de Madame cada vez mais perto, não caberia a Michel Temer outra alternativa senão terminar de compor o seu ministério. É onde mora o perigo, porque apesar de umas poucas estrelas de certa grandeza, do tipo José Serra e Henrique Meirelles, o plantel deixa a desejar.
Temer optou por distribuir pelos partidos que o apoiam a totalidade do grupo com que enfrentará os próximos dois anos. Tem produto para todo gosto, na prateleira, inclusive gente investigada na Justiça. Pelo jeito, a estratégia do novo presidente é a mesma da Dilma, ou seja, garantir apoio no Congresso, importando menos a qualidade e a competência dos ministros, mais os votos que trarão na Câmara e no Senado. Surpresas sempre poderão acontecer, como revelações de alguns com os quais não se contava. Mas decepções também entrarão na pauta.
O próximo ministério enfrentará fortes obstáculos deixados pela já quase antecessora. Em especial na economia, a cargo de Henrique Meirelles, com José Serra de olho. Mas as pastas sociais também darão trabalho. Assim como as relativas à infraestrutura.
Será preciso que Michel Temer preste atenção no PT, senão em Dilma, escanteada, ao menos no Lula. Assim como nas centrais sindicais. 
A chamada recuperação nacional não acontecerá por milagre. Torna-se necessária muita força para passar o apagador no quadro negro. Em especial, cuidados para fiquem de fora todos os políticos hoje objeto de processos por suposta participação em atos de corrupção. Tem gente de primeiro time na relação, que o Procurador Geral da República e a Operação Lava Jato não se cansam de investigar. (Carlos Chagas) 

Entendam: O PT é um partido comunista.
Começo com uma pergunta muito simples: Onde estão os membros do 1° e do 2° escalão do governo da extinta União Soviética? Respondo: Controlando, direta ou indiretamente, as maiores empresas russas.
Os comunistas que outrora impediam a influência capitalista, hoje são os maiores empresários do país. Os comunistas que trabalhavam para preservar um regime onde a propriedade privada e o lucro eram proibidos, hoje são proprietários de grandes fortunas.
O grande público precisa entender que o comunismo não é um sistema econômico, mas um sistema político de controle social através da economia. Marx pregou o controle do modo de produção porque sabia que isso é a base de uma sociedade. Controlando a economia, controla-se tudo. Controla-se todos.
Muitos tentaram. Ninguém obteve sucesso porque é impossível se controlar o mercado. Mesmo sob o rígido controle do governo central, o equivalente a 40% do PIB da União Soviética circulava no mercado negro, com pessoas comercializando os mais diversos produtos e serviços quase sempre na forma de escambo e com a participação de funcionários do próprio governo. O desmoronamento da União Soviética pôs fim a um regime comunista, mas o ideal comunista de controle social continuou vivo.
A lição aprendida pelos comunistas é que, em vez de tentar controlar toda a economia, devem controlá-la parcialmente, o bastante para manter toda a sociedade dependente do governo.
Dez anos antes da queda do Muro de Berlin, a China começou a abrir sua economia. Permitiram o crescimento do mercado apenas por entender que o regime seria fortalecido com isso. Em vez de proibir o capitalismo, passaram a tirar proveito dele. A exemplo do que houve na União Soviética, membros do partido comunista chinês transformaram-se em grandes empresários. O que não mudou foi a obsessão pelo controle social, político e cultural.
A pequena abertura econômica que os comunistas promoveram em Cuba aconteceu logo depois do fim da União Soviética. Sendo um país latino americano, ou seja, onde as lições demoram décadas para serem aprendidas, Cuba concedeu apenas um tiquinho de liberdade econômica aos seus cidadãos, permitindo o surgimento de bares, restaurantes e pousadas; ao grande capital financeiro internacional, concedeu a construção de hotéis voltados para estrangeiros e a exploração de alguns serviços públicos, como telefonia e energia elétrica. Contudo, os comunistas continuaram mantendo o controle social, político e cultural. Isso é o comunismo. Enquanto no capitalismo as empresas se adaptam ao mercado, o movimento comunista ajusta seu espírito totalitário aos novos tempos.
Cinco décadas antes da queda do Muro de Berlin, já circulavam as ideias de Gramsci, porém, só com o colapso da União Soviética é que sua obra passou a ser seriamente estudada e seguida pelas viúvas do comunismo.
O conceito: Revoluções violentas deveriam ser substituídas por revoluções graduais, com ideias coletivistas sendo implantadas em todos os nichos da sociedade, da mídia, da cultura e da política sem que ninguém as percebesse como manobra comunista.
A estratégia: Fazer as pessoas desejarem uma sociedade em que os interesses coletivos prevalecessem sobre os interesses individuais, enxergando o estado como a ponte entre os homens e suas necessidades.
A ferramenta: O estado democrático de direito, a partir do qual os novos comunistas são eleitos e, uma vez no poder, destinam recursos para os diversos movimentos de apoio, cooptando os grandes empresários, os grandes veículos de comunicação e os partidos outrora de oposição.
O objetivo: Alterar a constituição de uma forma que torne a imprensa, a cultura, a política e o mercado propriedades de um estado fundido ao partido. Foi o que Lula tentou fazer no Brasil. (João Cesar de Melo) 

Estão construindo um sol aqui na terra!...
Para seu conhecimento, repasso-lhe a notícia abaixo, postada pela amiga Ivone: através da fusão nuclear, estão construindo um sol aqui na terra, com o objetivo de produção de eletricidade, em grande escala. São 35 países e milhares de colaboradores envolvidos no maior Projeto científico mundial do momento, o Projeto ITER. 
Vídeo exclusivo, apresenta os objetivos e a construção do Projeto Internacional de fusão nuclear ITER, em Saint-Paul-les-Durance, nas imediações de Aix-en-Provence, que visa concretizar até 2.025, a possibilidade da energia de fusão nuclear, para a produção de eletricidade, em grande escala! 
Iter é o maior Projeto científico mundial do momento: 15 milhões de Euros, 35 países representando mais da metade da humanidade (UE, USA, Rússia, Japão, China, Coréia do Sul e Índia) e mais de 4.000 colaboradores em todo o mundo.
A reportagem mostra os segredos do faraônico canteiro de obras ITER: 42 hectares (60 campos de futebol um reator mais alto que o Arco do Triunfo e três vezes mais pesado que a Torre Eiffel, um milhão de componentes, com bobinas de 20 metros e 360 toneladas. 
Sob o sol da Provence, Iter surge enfim da terra! O futuro energético da humanidade depende, em grande parte, de seu sucesso!.... Veja
Infelizmente, ao que parece, nosso País não faz parte desse visionário mega-Projeto: estivemos e estamos muito preocupados em distribuir para os nossos cumpañerus, o butim amealhado nesses últimos 13 anos!... (Márcio Dayrell Batitucci) 

ITER sort de terre.
Recréer la fusion nucléaire qui anime le soleil... bien moins dangereuse que la fission qu’utilise nos centrales....
Pour ceux qui n'ont pas eu connaissance de ce projet grandiose.
Ce reportage vidéo exclusif présente les objectifs et la réalisation en cours du projet international de réacteur de fusion ITER à Saint-Paul-lez-Durance, près d’Aix-en-Provence, qui vise à démontrer à l’horizon 2025 la faisabilité de l’énergie de fusion pour produire de l’électricité à grande échelle.
ITER est le plus grand projet scientifique mondial actuel: 15 milliards d’euros de budget, 35 pays représentant plus de la moitié de l’humanité (UE, USA, Russie, Japon, Chine, Corée du sud et Inde), et plus de 4000 collaborateurs dans le monde.
Notre reportage dévoile les secrets du pharaonique chantier ITER: 42 hectares (60 terrains de foot), un réacteur plus haut que l’Arc de triomphe et trois fois plus lourd que la Tour Eiffel, un million de composants dont des bobines de 20 m de long pour 360 tonnes…
Sous le soleil de la Provence, Iter sort enfin de terre. L’avenir énergétique de l’humanité dépend en bonne partie de son succès. Aqui

Nenhum comentário: