19 de fev de 2016

Menor apreendido, o que pensar...

• Relógios atrasados: Horário de verão termina à 0h deste domingo. Mudança afeta 10 estados e o DF. 
• Agência de risco rebaixa nota do Rio, que perde selo de bom pagador. Standard & Poor's é influenciada pela crise econômica no Brasil. 
• Cunha não vai esperar decisão do STF para definir comissões. Ao contrário do que vinha anunciando, peemedebista não vai esperar posicionamento do STF sobre comissão do impeachment para instalar as demais comissões permanentes da Câmara. 
• Governo anuncia corte de R$23,408 bi no Orçamento de 2016. Previsão do PIB para este ano foi revisada para baixo, de -1,9% para -2,9%. 
• Inflação deverá cair dois pontos percentuais no semestre, diz Tombini. 
• Fachin retira da pauta do STF denúncia contra Renan Calheiros. Acusação por escândalo de 2007 foi apresentada em 2013 pela PGR. 
• Sócio de Lulinha, dono do Sítio Santa Bárbara pede acesso a inquérito da Lava Jato. Fernando Bittar é investigado pela força-tarefa da Lava Jato. 
• Ministro do STF decide soltar senador Delcídio do Amaral. 
• Casos de sífilis em recém-nascidos triplicam no país. Registros pularam de 5 mil para 16 mil em seis anos; Estado do Rio tem mais ocorrências. 
• Ex-tesoureiro do PT preso avisa que não vai falar de Lula, diz defesa. 
• PF investigará FHC se houver indício de crime, afirma Cardozo. 
• Preços de remédios subirão em março com aumento de imposto. 
• Número de desempregados sobe 41,5% em um ano e atinge 9,1 mi. 
• Pezão e outros governadores renegociam dívida. 
• Após decisão, índios prometem resistir a reintegração em MS. 

• Aviões americanos bombardeiam acampamento do EI na Líbia. 
• Christine Lagarde comandará o FMI por mais 5 anos. Ex-ministra da França recebeu o apoio de vários países. 
Pânico cabeludo: a palha gigante que está invadindo casas na Austrália. 

Tragédias econômica e política.
Duplamente surreal
O nosso pobre país vive um momento duplamente surreal
1 - em termos de desempenho econômico mundial só consegue ser pior do que a Venezuela; e,
2 - em termos políticos vive uma situação pra lá de desesperadora, jamais vista na superfície do nosso planeta.
Relembrando a tragédia
Ainda que muita gente esteja demostrando grande indignação, a sensação maior parece ser de incredulidade, sentimento que explica, certamente, a total falta de ação da sociedade que, por não saber o que e como fazer fica paralisada, à espera de algum milagre. Vamos relembrar a tragédia?
Economia
A tragédia econômica aparece, claramente, no levantamento feito pela Bloomberg Business. O nosso pobre país, segundo consta no relatório divulgado ontem, terá o segundo pior resultado de crescimento em 2016, atrás apenas da Venezuela.
A frase que aparece no relatório é fantástica: A projeção de PIB do Brasil em 2016 combinada com a queda do ano passado coloca o país em sua recessão mais profunda desde pelo menos 1901
Política - Executivo
A tragédia política, por sua vez aparece de forma múltipla, a saber: 
1 - a presidente do Brasil, Dilma Rousseff, já foi citada dezenas de vezes na Operação Lava Jato em delações dos réus já presos;
2 - o ex-presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, ocupa todos os noticiários policiais, com inúmeras denúncias estarrecedoras sobre desvio de dinheiro público e como chefe das quadrilhas do Mensalão e Petrolão.
Detalhe: ainda por cima a presidente Dilma Mosquita Rousseff é um objeto de uso político do ex-presidente Lula.
Legislativo 
3 - o presidente do Senado Federal, Renan Calheiros, está sendo investigado por crimes de Lavagem de Dinheiro, Peculato, Falsidade e Utilização de Documentos Falsos. Inclusive já teve a quebra do sigilo bancário e fiscal autorizados pelo STF;
4 - o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, foi citado inúmeras vezes na Operação Lava Jato com acusações de manter conta secreta no exterior, envolvimento direto nos esquemas de corrupção dentro da Petrobras e liderar uma quadrilha de corruptos.
Judiciário
5 - como se não bastasse, para desespero de todos os brasileiros e estupefação de milhões de estrangeiros, a Corte Suprema demonstra, diária e claramente, que se transformou numa trincheira para defender tudo que atinge o Partido dos Trabalhadores. Diga-se de passagem que oito Ministros do STF foram indicados pelo ex-presidente Lula.
Democracia???
Como se vê, a tragédia, além grave e surreal é de difícil solução. Como tudo que aí está é fruto da Democracia(???) (que Deus nos perdoe por esta falsidade) o conserto só é possível através de confronto direto e sangrento. Isto, infelizmente, não é o forte de um povo tolerante e passivo, que só se revolta quando se sente roubado no futebol e no carnaval. (GSPires) 

Em decisão notável, supremo acaba com privilégios e impunidade, de poderosos criminosos de colarinho branco.
Ninguém esperava essa mudança, quase revolucionaria. Agora não prevalecem mais as 4 instancias, e as dezenas de recursos protelatórios, dentro dessas instancias. O Brasil segue o que se diz rotineiramente nos EUA: Quem pode contratar e pagar grandes advogados não vai para a cadeia. Lá o caso mais famoso é o do enriquecido e popularizado pelo esporte, O.J.Simpson.
Mas existem dezenas e dezenas de outros. Simpson assassinou fria e covardemente a própria mulher. Protegido por um batalhão de grandes criminalistas foi julgado em liberdade. Levou meses, foi absolvido pela emoção provocada deliberadamente pelos causídicos famosos. Surpreendido por uma ação civil, sem a teatralidade do criminal, fragorosamente derrotado. Perdeu toda a fortuna, teve que roubar para se manter. Não podendo mais pagar, acabou na cadeia.
Aqui no Brasil existem também criminosos que com dinheiro não perdem a liberdade. Um dos casos mais famosos é o assassinato do bravo Chico Mendes. Seus assassinos nunca foram para a prisão. Ainda estão em julgamento assassinatos clamorosos, com mandantes e criminosos contratados. E todos condenados em primeira e até segunda instancia, vergonhosamente inatingidos.
A partir de agora, na segunda instancia, o acusado tem que ir para a prisão, mesmo continuando com direito a recursos. O que não se sabe é se a decisão do Supremo vale para casos que já passaram da segunda instancia. Para os que estão ainda na primeira, valerão na certa. Mas podem contar que haverá lobismo contra a retroatividade.
A decisão teve enorme repercussão, muitos já se manifestaram, contra ou a favor. Sergio Moro: È uma janela que se fecha para a impunidade. Ele tem competência e experiência, está vivendo e sentindo, o que é contrariar e enfrentar poderosos. Procurador Geral Janot: Trata-se de um passo decisivo contra a impunidade no Brasil. O ministro Lewandowski, que preside o Supremo, não gostou da mudança, criticou os que votaram contra o elitismo da Justiça.
Justificativa de Lewandowski: A decisão de agora vai lotar ainda mais as penitenciarias. Como Ministro Lewandwski tem o direito de se manifestar. Mas esqueceu que os criminosos de colarinho branco, são poderosos, mas não maioria.
Todos ou louvores e até admiração para o relator, Teori Zavascki. Vem se destacando pela autenticidade, serenidade e credibilidade com que se pronuncia sobre os recursos da Lava-jato. E pela notável coerência. A partir da decisão do Supremo, pode estar começando a Era da proletarização do colarinho branco.
O PSDB não abandona de jeito algum, as manchetes dos escândalos vergonhosos.
O PT está sendo superado em matéria de repercussão negativa. Ontem mostrei que o partido estava vastamente envolvido, e que o governador de São Paulo conhecia e até tinha intimidade com quase todos os que tiveram o sigilo bancário quebrado. Contei, com dados irrefutáveis, que Alckmin está a 22 anos no Palácio Bandeirantes.
Com ligeira interrupção. Dois ex-chefes do Gabinete civil, são acusados. O Presidente da Assembleia também. E ontem, o próprio Alckmin estabeleceu sigilo sobre a corrupção no metrô e na CPTM. Por que esconder tudo, se o governador garante que não tem nada a ver? E afirmou: Quem errou deve ser punido. Sigilosamente? Como sempre, Alckmin recuou e revogou o sigilo que ele mesmo determinara.
Mas anteontem e ontem, o personagem principal foi o ex-presidente FHC. Quando falaram que os dois ex-presidentes deviam conversar, o ex do PSDB declarou publicamente: Não me recuso a conversar, mas Lula precisa dar explicações. Agora o próprio Lula deve pedir, perdão exigir explicações. As redes sociais, só tratam da ligação vergonhosa, pecaminosa e rumorosa, do ex-presidente com uma jornalista. Essa jornalista reapareceu e colocou FHC num lamaçal pior e muito mais volumoso do que o da Samarco.
Como o noticiário é fartamente municiado por essa jornalista, procuraram o ex-presidente para ouvir o outro lado. FHC recusou qualquer explicação: Não falo publicamente sobre a vida intima. Mas um caso que durou 7 anos, com lances conhecidíssimos, só pode ser vida intima, por excesso de complacência do acusado com ele mesmo. E a jornalista, que teve que ir para um retiro, voltou com farto material. Minuciosa. Memorizada. Revoltada. Promete abastecer as redes sociais por outros sete anos. Lula não deve estar querendo conversar. Tem seus próprios problemas.
Quem admitiria que o PT, que vinha descendo a ladeira do noticiário, fosse salvo pelo adversário. FHC confessa que não pode falar ou se defender.
PIB, desemprego, retração.
Estão saindo os últimos números oficiais de 2015. Para o governo, todos decepcionantes, impossível explicar a razão. Esperavam um PIB de menos 3, passaram para 3,5. Ontem veio o dado irrefutável: caiu 4,08. A queda de menos 6 por cento da força de trabalho, só na indústria, surpreendeu o Planalto. Esperavam equilíbrio, talvez menos 1 ou 2.
A retração na economia não tem precedente. A recomendação é de não fazer comentários. Motivo: esperam ainda reviravolta até o fim do ano, e um 2016 melhor do que 2015. Não são otimistas e sim desinformados, péssimos analistas, incompetentes genéricos.
Dilma se defende no TSE, atacando duramente Aécio.
Ontem era o último dia para Dilma mostrar e demonstrar ao mais alto tribunal eleitoral, que as contas dela e de Temer (fez questão de defender a chapa), estão corretíssimas. O texto, pronto há algum tempo, foi sofrendo correção. Principalmente em relação ao adversário derrotado, Aécio Neves. (Hélio Fernandes) 

O Reino Unido e a União Europeia.
Está acontecendo hoje e amanhã, entre os membros da União Europeia, uma importante reunião, para que seja decidido se os 28 Membros aceitam, ou não aceitam, as condições que têm sido reivindicadas pelo Reino Unido, para selar sua permanência no Grupo.
Como se sabe, a Inglaterra sempre adotou um comportamento relativamente reticente em relação à União Europeia, quando ela foi criada. Apesar de ter ingressado no Grupo, foi o único País que não aceitou o Euro, permanecendo com sua tradicional moeda, a Libra. Além disso, a população inglesa, por questões históricas, econômicas, de soberania e em vista de sua estreita ligação com os E.U.A, nunca viu com bons olhos esse amontoado de Nações, com estágios econômicos e culturais diferenciados, fazendo parte de um mesmo saco de igualdades
A verdade é que, em princípio, a União Europeia precisa mais da Inglaterra, do que eles da União Europeia!...
O Reino Unido, entre outros quesitos, reivindica limitações aos direitos sociais dos imigrantes, inclusive dos próprios países da UE, não aceita sua perda de soberania interna, imposta por decisões tomadas em Bruxelas para todo o grupo, envolvendo o dia-a-dia da população e uma série de outras questões voltadas para a absoluta integração de vida e de direitos, de toda a população da UE. Está previsto para novembro/2017, um Plebiscito junto toda a população inglesa, que irá decidir sobre sua permanência, ou não permanência na UE. Se o Sr. Cameron chegar a esse plebiscito com suas reivindicações atendidas pelos 28 membros, será mais fácil obter um veredicto favorável! Do contrário...
A saída do Reino Unido da UE, terá graves consequências para todo o Bloco e, também para todo o mundo! O Reino Unido, ao lado da França, são as segundas maiores economias da UE, ficando somente atrás da Alemanha. A Chanceler da Alemanha, Ângela Merkel, defende com firmeza a permanência da Reino Unido no Bloco, como uma questão de sobrevivência para a Alemanha, mesmo se tiverem de fazer algumas concessões...
Enfim: nesses dois dias está sendo decidida uma questão importante para o mundo ocidental!/ Vamos aguardar! (Márcio Dayrell Batitucci) 

Cameron expõe condições para a permanência do Reino Unido na UE.
O primeiro-ministro britânico, David Cameron, ameaça novamente com a saída do Reino Unido da União Europeia caso os apelos para as reformas que tem pedido a Bruxelas não sejam ouvidos.
De acordo com uma mensagem divulgada neste domingo em Londres e que vai ser enviada ao presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, o líder dos conservadores britânicos defende reformas que implicam devolver competências aos Estados-membros, a limitação em matéria de integração europeia e a restrição aos direitos dos imigrantes comunitários.
Ainda no documento que será enviado a Tusk, o líder conservador afirma que está disposto a iniciar, de corpo e alma, uma campanha a favor da permanência do Reino Unido na União Europeia durante o referendo que vai ser convocado para o final do ano de 2017, mas apenas se as condições forem atendidas.
David Cameron deixa expressa confiança sobre a possibilidade de um acordo que possa satisfazer os 28 membros da União Europeia, fato que, segundo ele, pode permitir apoiar a permanência do Reino Unido sem ambiguidades e em nome do interesse nacional.
Se não conseguirmos chegar a um acordo e se as inquietações do Reino Unido não forem ouvidas - o que acredito não venha a acontecer - teremos que reconsiderar se esta União Europeia é boa para nós. Como já disse anteriormente, não afasto qualquer possibilidade, afirmou Cameron.
O líder dos conservadores adverte aqueles que pensam que o Reino Unido deve manter-se na União Europeia a qualquer preço acrescentando que os britânicos devem ser esclarecidos acerca da manutenção do status quo que - considera - pode provar problemas.
Correm-se riscos econômicos se aceitarmos que existam situações em que potencialmente os países da zona euro possam gastar o nosso dinheiro ou, por outro lado, sejam impostos regulamentos europeus que nos impeçam promover o comércio e criar emprego, ressaltou.
Existem também riscos consideráveis se deixarmos que a nossa soberania seja afetada por uma maior integração, ou se ficarmos de braços cruzados sobre a cota insustentável relativa à imigração para o nosso país, acrescentou.
A mensagem de Cameron, que deve ser publicada na íntegra na terça-feira, vai marcar o início das negociações para a reforma da União Europeia, cujas conclusões vão marcar o debate no futuro referendo britânico.
De nada serve ao homem conquistar a Lua se acaba por perder a Terra. (François Mauriac)

Nenhum comentário: