10 de fev de 2016

Cinzas, já nos acostumamos a isso...

• Governo prevê arrecadar R$3 trilhões em plena crise. Apesar da crise, Dilma planeja arrocho e aumentar arrecadação. Após alegar que a falta de recursos é justificativa para recriação da CPMF, o governo Dilma Rousseff começa 2016 estabelecendo um novo patamar de receitas: R$ 2,95 trilhões até o final do ano. O valor é a soma de impostos, tributos, taxas, multas, cobranças judicias e qualquer outra forma para meter a mão no bolso do contribuinte. Incluindo os recentes aumentos de tributos e de contribuições, já em vigor.
• Ex-ministro fez lobby para liberar obras, afirma delator na Lava Jato. Dono da UTC diz que Manoel Dias ajudou a contornar problemas trabalhistas. 
• Decreto no MA retira o nome de Sarney de sete escolas. Nome de 37 unidades que homenageavam pessoas vivas foram trocados. 
• Ex-ministro do Trabalho teria feito lobby para destravar obras da Petrobras. 
• Moro autoriza Polícia Federal a abrir inquérito sobre sítio frequentado por Lula. Pedido para apuração exclusiva sobre propriedade foi enviado a juiz. 
• Ordem Pública multa 1.448 mijões durante desfiles de blocos de carnaval no Rio. 
• Estados registram a maior queda de suas receitas em uma década. Minas dribla descumprimento de lei. Rio corta R$ 18 bilhões do orçamento.
• Presidente interino da CBF é investigado pelo Ministério Público por gastos exorbitantes. Pela sua atuação como presidente da Federação Paraense de Futebol. 
• Deputado abriria mercado para merenda, afirma lobista. Luiz Carlos Gondim foi citado por Marcel Julio, representante de cooperativa.

• Trump e Sanders vencem 2ª prévia na corrida à Casa Branca. New Hampshire faz jus à fama e escolhe candidatos de fora da base dos partidos.
Primavera Árabe criou geração engajada, diz professora. Para Bessma Momani, Oriente Médio deve mudar com jovens mais atuantes.
• Chegadas à Europa por mar são dez vezes as de 2015. Ao todo, 76 mil migrantes desembarcaram no continente neste início de ano. 
• Netanyahu planeja instalar cercas ao redor de Israel para proteger país de ataques. 
• Ofensiva do Exército sírio deixa ao menos 500 mortos em Aleppo, diz grupo. 
• Coreia do Norte executa chefe do exército, diz agência sul-coreana.

Lula e a lanterna de Diógenes.
A lista dos que chegaram a Brasília de ônibus e passaram aos jatinhos tem o tamanho do cordão dos puxa-sacos. Quem ainda é pobre nesse governo?
O PT seguiu, mais no instinto do que no texto, o script dos países comunistas, cujos dirigentes ocupavam os pavimentos privilegiados de um curioso edifício social em que os indigentes subsolos eram para o povão e as coberturas para a elite. Postão para a turba, Sírio Libanês para a nomenklatura. É isso que torna as revoluções sociais e o comunismo tão atraentes a certos indivíduos. Ninguém - ninguém mesmo! - milita em revolução para continuar trabalhando no chão da fábrica, se me faço entender. No mínimo, o sujeito mira a cadeira do diretor. Nesse esquema, não é o proletariado que sobe. O proletariado serve apenas para catapultar os revolucionários e sua visão generosa de mundo às cobiçadas coberturas, não é assim Lula?
Aliás, quando nosso ex-presidente diz que não tem pecado e risca o chão ao lado dos homens mais virtuosos do Brasil, está expressando o que, de fato, pensa de si mesmo. Os critérios morais segundo os quais nós o julgamos nada significam para quem se olha no espelho com incomparável orgulho do que conseguiu ser. Daí a angustiante inconformidade ante as nuvens carregadas que descem sobre seu destino. Lula sempre se sentiu credor do direito de ser patrocinado. Desde que engavetou sua Carteira do Trabalho, sempre houve alguém que lhe pagasse as contas, fosse como líder sindical, dirigente político, congressista, presidente do partido, presidente ou ex-presidente da República.
Hoje, enquanto um frio lhe corre pela espinha a cada imagem do japonês da Federal, ele deve estar lembrando de outro japonês do PT, amigo das horas certas e incertas, o compadre Okamoto, que passou parte da vida cuidando de suas despesas.
Esse hábito de não responder pelos próprios gastos deforma o caráter. Dispensa um treinamento pelo qual quase todos passamos, a partir da primeira mesada que nos toca administrar. Lula, se um dia aprendeu, a marcha para o poder o levou a desaprender. Há muitos anos instalou-se, para ficar, na rubrica dos custos de manutenção do PT.
Diante desse perfil psicológico, se entende o esforço do Instituto Lula, seus advogados e porta-vozes do petismo em afirmar que o triplex de Guarujá e o sítio de Atibaia não estão registrados em nome de Lula. E daí? Sob o ponto de vista moral, sob uma lanterna como a de Diógenes, pouca diferença há entre ser dono dos frutos ou dos usufrutos. Ser proprietário dos bens ou deles se servir como se fossem seus. Principalmente quando favores de tais proporções provêm de empresas que mantêm negócios vultosos e criminosos com o governo de seu partido. Recusar insolentemente a gravidade disso dá causa a muitos dos escândalos que chegam ao conhecimento público. (Percival Puggina, arquiteto, empresário, escritor) 

A comprovação 
Ontem à tarde, querendo saber o que escrevi um ano atrás, em termos de projeção do desempenho da nossa pobre economia para 2015, me deparei com o seguinte editorial, publicado no dia 05/02/2015, com o título: prontos para a recessão? Como os leitores poderão ver/ou recordar, tudo que ali está dito, registrado e sem cortes e/ou manipulações, aconteceu de forma inquestionável. Façam a releitura e comprovem os resultados:
Período preparatório concluído - Para quem ainda não entendeu, não se flagrou, ou permanece na triste condição de otimista irracional, é muito bom que saiba que o período preparatório para o Brasil receber, de braços abertos, a intencional recessão econômica programada pela presidente Dilma Neocomunista Rousseff, já está praticamente concluído.
Entrada triunfal - Tomando por base a máxima popular de que no nosso país o ano começa mesmo, para valer, só depois do Carnaval, antes do início do mês de março, portanto, o Brasil deverá fazer a sua entrada triunfal, em forma de mergulho numérico-ornamental, num longo e programado (intencional, portanto) período de recessão econômica
Intencional e programada - Atenção: digo intencional e programada porque a recessão econômica foi muito bem estudada, calculada e planejada pelo governo Dilma Neocomunista Petista, para entrar, com pompa e circunstância, logo no início desse seu segundo mandato. Na mosca, como se vê e será muito sentida. Que tal?
Nada por acaso - Se o descobrimento do Brasil ainda permanece em dúvida quanto à Intencionalidade ou Acaso dos portugueses ancorarem na costa do nosso país, no caso da recessão econômica essa hipótese está totalmente descartada. a recessão não só é intencional como foi cuidadosamente estudada, programada e perseguida
Determinação - É importante entender que os sintomas de que haverá um prolongado período de PIB negativo estão muito claros, evidentes e com probabilidade zero de se constituir em algo brando.
Uma prova, aliás, de que este governo, quando se trata de tragédia, é muito determinado. Ou seja, quando o propósito é a desgraça, aí a turma do PT se enche de entusiasmo e vai em frente. E só descansa depois de lá chegar.
Otimistas irracionais - Sabendo ou não se Dilma tinha este propósito, os otimistas irracionais não titubearam: a maioria, com o título de eleitor na mão, consagrou o programa recessivo que já vinha sendo preparado (e confirmado) ao longo do primeiro mandato da neocomunista. Espero, portanto, que desfrutem bastante o caos.
Na mosca - Como os leitores já tiveram a possibilidade de constatar, em nenhum parágrafo os prognósticos foram errados. Tudo que consta no editorial de 05/02/2015, a presidente Dilma cumpriu à risca, de forma intencional. Aí pergunto: - Devo escrever um editorial fazendo um prognóstico para 2016? Creio que não, pois imagino que todos já estão sabendo que em 2016 o país sai, definitivamente, da recessão, para entrar, triunfalmente, na depressão. A conferir! (GSPires) 

Agamenon: Férias No Triplex do Guarujá.
Eu, Agamenon Mendes Pedreira, sou o único desempregado do Brasil que tira férias. Como todo trabalhador no desvio, depois de ficar 11 meses procurando serviço.
E sem fazer rigorosamente nada, tenho o sagrado direto de gozar de merecidas férias não remuneradas. Como estou no maior miserê, tenho que lançar mão da generosidade dos amigos para poder usufruir de alguns dias na praia ou na montanha. Desta vez pude contar com o meu amigo Luísque Inácio Lula da Silva, o Brahma, que fez questão de ceder o seu tríplex (que não é dele) no Guarujá, de frente para o mar, com vista para África, onde o Lula tem uns negócios (que também não são dele).
O Edifício Solaris é uma espécie de Kremlin do PT, Partido do Triplex. Todos os dirigentes importantes do partido também fazem questão de não serem proprietários de nenhum apartamento no condomínio mulo-petista. O apê do Lula (que não é dele) é uma maravilha! Tem elevador privativo, adega, sauna e uma lavanderia a jato, tudo pago pela OAS (Obras Arrumadas pelo Sindicato). Tem duas piscinas: uma de cachaça e outra só de botox pra ex-Primeira Dama e atual Primeira Dona do Apartamento (que não é dela). Tem também uma suíte só para receber a Rosemary, a Segunda Dama. Na área de lazer tem uma sala de jogos para os filhos do Lula fazerem suas jogadas e, receberem seus amigos e propinas. Não necessariamente nesta ordem. No quarto do casal construíram um closet gigantesco onde, ao lado de ternos de grife, ficam penduradas as contas do BNDES, da Caixa Econômica Federal, do Banco do Brasil, da Nuclebrás e os Fundos de Pensão. Tudo feito sob medida. Medida provisória.
Cansado daquela vida mansa al mare, parti então para uma temporada na serra. Isaura, a minha patroa, e eu nos instalamos na suíte presidencial do Sitio do Lula em Atibaia que, por sinal, também não é dele. O lugar é esplêndido e bucólico. Tem até um laguinho onde romanticamente passeamos na canoa da Dona Marisa (que também não é da D. Marisa). No meio da represa é que descobrimos que a canoa estava furada. Foi aí que a Isaura, a minha patroa, ficou toda molhadinha.
À noite acendemos a lareira e ligamos a TV para assistir, juntinhos, um filme de terror. Escolhemos A Volta dos Mortos Vivos. Uma história que se passa durante a reabertura dos trabalhos legislativos em Brasília. Três zumbis: Zyka Roussef, Eduardo Pulha e Renan Canalheiros, disputam para ver quem consegue devorar mais cérebros de parlamentares. Mas quase morrem de fome. Cérebro é coisa que ninguém tem no Congresso Nacional. Principalmente depois da microcefalia transmitida pelo mosquito da dengue.
Agamenon Mendes Pedreira também não tem tríplex no Guarujá.
No carnaval de Brasília, os blocos de sujos da base aliada do governo prometeram cair na folia mas avisaram que, na quarta-feira de cinzas, vão entrar num Lava Jato. (Agamenon Mendes Pedreira com O Antagonista) 
Acredite que você pode, assim você já está no meio do caminho. (Theodore Roosevelt)

Nenhum comentário: