27 de jan de 2016

Pior cego é aquele que não quer ver...

• Zé Dirceu, o Guerreiro Aéreo do Brasil. Quem deve gostar muito de ler isto são os que colaboraram com a vaquinha para pagar a fiança de Dirceu, para ele ter o direito de responder ao primeiro processo em liberdade. Mas também nem isso adiantou, porque a figuraça acabou preso novamente em novo processo. Neste, por injunções do Código Penal, não podia mais ter direito a fiança, e ficou engaiolado. (AC)  Aqui
• Polícia Federal deflagra a 22ª fase da Lava Jato e cumpre 23 mandados. Ação é realizada na manhã desta quarta-feira (27) em SP e SC. Entre os crimes investigados estão corrupção e evasão de divisas. 
• Contramão - Desde o início da era petista, em 2003, nunca tantos brasileiros avaliaram que o Brasil está indo na contramão quanto agora. Segundo pesquisa inédita do Ibope, 82% do povo acha que o País está no rumo errado. Só 14% acham que o Brasil vai na direção certa e 4% não sabem dizer. É como se o País seguisse pelo acostamento da mão oposta. 
. A contrariedade com o rumo nacional é maior entre os jovens (88%), nas grandes cidades (87%), no Sudeste (87%) e entre quem ganha mais (88%). Mas também é alta em redutos governistas: 77% no Nordeste e entre os mais pobres. Pior: pela primeira vez, as opiniões dos brasileiros sobre os rumos do País coincidem com o que eles leem e ouvem falar. A percepção pessoal costuma ser bem mais otimista do que a coletiva. Não mais: 82% versus 85%. (José Roberto de Toledo) 
• Protesto contra tarifa perde força em SP e ocorre sem confrontos pela primeira vez no ano.
• Decifra-me ou te devoro: Dilma fala em extremo empenho contra Aedes. 
• Delator muda versão e isenta José Dirceu ao depor à Justiça. Lobista Fernando Moura nega ao juiz Sergio Moro que ex-ministro aparelhou diretoria da Petrobras para alimentar caixa dois do PT. 
• O que levou o Brasil a ser o país que mais caiu em índice de corrupção. Brasil piora 7 posições em ranking mundial de corrupção e fica em 76º. 
•  Agência altera cobrança extra, e conta de luz deve cair 3%. Governo cobrará a recém-criada bandeira tarifária rosa, em vez da vermelha. 
• Adolescente vai parar na delegacia por quebrar imagens em igreja no RJ. Jovem diz que bíblia ensina a não adorar imagens; diocese repudiou o ato.
• A primeira quinzena: Lula move 15 ações cíveis e criminais contra jornalistas e personalidades. 
• Dono da JBS vira réu em ação de crime financeiro. 9 executivos são processados; holding diz que caso envolve ex-funcionários. Membros de fundo da Petrobras terão de cobrir rombo. 60 mil participantes serão chamados a dar sua contribuição na Petros.
• Com Lava Jato, Brasil piora em ranking de corrupção. País perde sete posições e fica em 76º entre os 168 pesquisados por ONG.

• EUA criam regras a fim de facilitar exportações a Cuba. Bancos americanos poderão oferecer financiamento direto de vendas à ilha.
• Presidente argentino atrai acusações de autoritarismo. Decretos de urgência são vistos pela oposição como inconstitucionais. 

Chega de intermediários - Delfim Netto para presidente.
Delfim Netto recomenda que Dilma Rousseff assuma de volta a presidência da República e a 2 de fevereiro apresente ao Congresso no mínimo quatro reformas: da Previdência Social, reduzindo pensões e aposentadorias; da flexibilização do mercado de trabalho, suprimindo os direitos sociais que ainda sobram; da desindexação, permitindo que os salários não acompanhem a alta do custo de vida; e da desvinculação das verbas do orçamento, levando o governo a renegar compromissos com o Legislativo.
Com isso, completa o ex-csar da economia, abre-se espaço para o setor privado operar. Fora daí, para ele, será o caos nos próximos três anos.
Fica evidente que as sugestões, se por hipótese adotadas, tornariam ainda mais amargas as agruras dos assalariados. Exprimiriam o naufrágio permanente das propostas que um dia o PT, o ex-presidente Lula e Madame imaginaram concretizar como forma de mudar o Brasil. As centrais sindicais iriam para as profundezas, se ainda não foram. A prevalência dos interesses do capital se tornaria absoluta, contra as necessidades do trabalho.
Essa derradeira investida das elites, caso vitoriosa, marcaria o fim do sonho dos raros companheiros que ainda acreditam nos postulados trabalhistas. Seria a capitulação do governo frente ao neoliberalismo afinal vitorioso. A garantia de que Dilma abandonou mesmo a presidência da República.
A proposta de Delfim Netto acopla-se àquela formulada pelo PMDB, sobre os caminhos do futuro, mais o genérico roteiro estabelecido pelos tucanos. Indaga-se se haverá resistência, mas a resposta surge negativa. Nem o PT, nem a CUT, sequer o Congresso dispõe de ânimo para reagir. Mesmo que a presidente não subscreva a lição das quatro reformas básicas, a pressão continuará. Desemprego em massa, aumento de impostos, taxas e tarifas, redução de prerrogativas sociais, diminuição do crescimento econômico, paralisação de projetos de obras públicas- tudo funciona como preliminar para o sucesso das sugestões de Delfim.
Melhor seria repetir o abominável vaticínio dos idos de 1964, quando as esquerdas reagiram ao golpe militar apregoando que bastava de intermediários, queriam o embaixador Lincoln Gordon para presidente. Pois agora repete-se a farsa: Delfim Netto para presidente!... (Carlos Chagas) 

A Petrobras precisa ser reinventada em sua Gestão.
A maior Empresa brasileira, que tanto contribuiu para o desenvolvimento do Brasil e que alcançou níveis de excelência admiráveis, está na UTI, à beira da morte. Por obra e graça do PTismo-sindical apóstata, que nela implantou uma Gestão de compadres incompetentes e criminosos, incompatível até para um boteco da esquina...
A Petrobras precisa urgentemente reinventar sua Gestão de compadrio e de escravização aos interesses do Governo de plantão! Ela ainda possui profissionais de excelência, técnicos de ponta, material humano que pode tirá-la desse estado de agonia, desde que o Governo de plantão a deixa em paz e não a use para atender a seus interesses partidários-sindicais...
Fora com esses interventores de araque vindos do Setor financeiro, fora com essa multidão de sindicalistas incompetentes, fora com esses gerentes indicados por políticos e partidos criminosos.
Deixem a Petrobrás se auto-gerir com sua capacidade de excelência e sua força interna de colaboradores! (Márcio Dayrell Batitucci) 

Gerentona diferentona.
Quanto vale a Petrobras? Segundo os donos do dinheiro grosso, que negociam ações, a petroleira é aquela empresa pequena, que não tinha pré-sal, do início do século. 
Uma empresa menor, de um país de economia também muito menor, mal saído de uma saraivada de crises: apagão, restos e rescaldos dos anos FHC, o medo da eleição de Lula. A vitória do PT provocaria uma desvalorização enorme da moeda, o dólar chegaria a custar mais de R$ 8 em 2002, a preços de hoje. 
Feitas as contas certas, aliás, a ação da Petrobras vale muito menos do que no primeiro ano de governo de Lula, 2003. 
Ontem, a empresa anunciou seus planos até 2019. Também ontem, o preço do barril do petróleo triscou os US$ 30. No mercado, se vendia ação da empresa às baciadas. De tão liquidados, os papéis preferenciais da Petrobras baixaram à casa do dólar e pouco. Nos EUA, um hambúrguer custa três ações da Petrobras. 
Em termos relativos, a dívida da empresa é dez vezes a de grandes irmãs, Chevron, Exxon e Shell (trata-se aqui da relação entre dívida e a geração de caixa anual). A fim de sobreviver, a empresa tem de diminuir, vender partes, pois não consegue arrumar dinheiro bastante para bancar um mínimo de investimento e pagar suas dívidas. Não fatura o bastante e, além de tudo, está sem crédito, crédito a preço razoável.
Em resumo, a empresa corta investimentos, também em produção, e encolhe, vende ativos. Como vai sair da crise? 
Tão importante quanto, como vai investir no pré-sal, supondo que os preços ainda compensem? Como a empresa vai participar de pelo menos 30% em sociedades de exploração de campos do pré-sal, tal como a lei o exige, se vive nessa penúria?
Não vai conseguir fazer nem uma coisa nem outra. O assunto ora parece algo distante e abstrato, pois o corte de investimentos em petróleo é geral. Mas, em se tratando de energia, dois, três anos são uma piscadela. 
Enfim, vamos ficar mais cinco anos sem leilão de áreas de exploração do pré-sal, como de 2008 a 2013, quando os governos do PT e Dilma Rousseff se dedicavam a desgraçar o setor de energia? 
A Petrobras e o setor de petróleo precisam de reforma urgente. Divirtam-se os especialistas a descobrir ou discutir em qual direção. Mas não é mais possível fingir que tudo vai se resolver, que o caso é de business as usual. A Petrobras é importante demais para ser deixada ao método Dilma de administração, no qual, entre outros problemas, apenas se tomam decisões à beira da ruína final.
Convém sempre relembrar que tamanho desastre se deveu à lambança amadora, incompetente, irresponsável, fraudulenta e corrupta que engoliu a empresa, em especial de 2010 para cá, desde quando a dívida quadruplicou. 
Mesmo que se desconte a queda de 70% do preço do petróleo, desde meados de 2014, mesmo com as desgraças sem fim da crise mundial de 2008, a Petrobras padeceu muito mais que suas grandes irmãs petrolíferas. Mais grave, não tem como reagir, tais como muitas das grandes petroleiras, livres para refazer suas estratégias.
No Brasil, a Petrobras, empresa mais importante do país, vive sob o tacão das intervenções diferentonas do governo, inspirada pela gerentona da energia, mãe do PAC e do grão-estelionato eleitoral de 2014. Até quando? (Vinicius Torres Freire) 

Cheiro forte no ar.
Muito doente - Que o nosso pobre país está muito doente, todos os brasileiros (e estrangeiros) estão plenamente convencidos. Entretanto, o que muita gente desconhece é que o Brasil não sofre de uma doença única, do tipo que qualquer aspirina resolve.
Doenças múltiplas - Pois, o nosso pobre país, para quem se dispõe a examinar, com mais cuidado, os exames de sangue, urina e fezes, sofre de doenças múltiplas, todas elas muito complicadas, que além de prejudicar o funcionamento do coração ainda provocam enorme asfixia. 
Necrose - Algumas destas graves doenças, como bem informam os mais recentes diagnósticos, todos já disponíveis, só conseguem ser curadas com cirurgias bem feitas, que envolvem desde a retirada de tecidos podres a amputação de membros que já se mostram necrosados.
Atitude suicida - Como a saúde do país está fortemente comprometida, para que a economia se mantenha viva e livre das contaminações destruidoras dos tecidos que afetam o social, é importante que todos os brasileiros saibam que não há outra saída. E qualquer manifestação no sentido contrário deve ser visto como atitude suicida.
Pouco interesse - Pois, enquanto o povo pensante exige que seus representantes aprovem as cirurgias, que de antemão carecem de enorme urgência, o que se vê, infelizmente, é uma maioria pouco interessada em salvar alguma coisa do que ainda sobra de bom da nossa pobre economia. 
Médica-monstro - Percebendo esta letargia do Legislativo, a presidente Dilma Neocomunista Rousseff, vestida dos pés à cabeça de médica-monstro, vai em frente na sua tarefa de destruição: através de venenos, como aumento de impostos, criação de outros e mais concessão de crédito, a situação não para de piorar.
Cheiro forte - Pasmem: isto tudo acontece no exato momento em que a inadimplência atinge índices alarmantes, cuja consequência é uma ameaça ao nosso sistema financeiro. Em breve, muitos bancos, por não conseguirem receber as quantias que emprestaram nos mais diversos financiamentos, com o agravamento do problema também terão enorme dificuldade para honrar com o resgate das aplicações feitas pelos poupadores. 
Ou seja, o corpo Brasil ainda não está morto, mas o cheiro que exala já está péssimo. Que tal? (GSPires)

Nenhum comentário: