15 de nov de 2015

O ser humano ante a barbárie.

 photo credentor_franccedila.jpg• Ambulante destrói parte de estação do BRT Rio 2 do corredor Transcarioca após ter mercadoria apreendida. Homem quebrou portas com socos e pontapés na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. 
• Os esquemas do ministro motoqueiro. Aqui  
• Petrobras em dívida: Estatal exibe sinais de melhoria operacional, mas erros do passado comprometem a sua rentabilidade. 
• Antes que caia no esquecimento: Tragédia em MG deve secar rios e criar deserto de lama. Ruptura de barragens é o maior desastre ambiental da mineração no país. Mariana decreta estado de calamidade pública. O prefeito de Mariana, Duarte Júnior, durante coletiva sobre o rompimento de barragens da mineradora Samarco no distrito de Bento Rodrigues, zona rural de Mariana, em Minas. Decreto foi assinado pelo prefeito Duarte Júnior; pelo menos dez pessoas morreram, 18 estão desaparecidas e 631 ficaram sem moradia depois que duas barragens - Fundão e Santarém - da mineradora Samarco se romperam na tarde de 5 de novembro em Mariana, município localizado a 100 quilômetros de Belo Horizonte. 
• No Brasil, lei anti-terror está fora de lugar. Além da tragédia que comoveu o mundo inteiro, o terrível atentado terrorista de Paris pode produzir um efeito colateral grave e indesejável para o Brasil. Alvo de repúdio merecido, os ataques ocorridos na capital francesa estão gerando imagens, manchetes e relatos de forte apelo emocional num momento em que a Câmara de Deputados irá votar o projeto de lei 2016/15, que define e pune crimes de terrorismo em nosso país; o jornalista Paulo Moreira Leite ele pondera este é um debate que deve ser feito com serenidade e lucidez, recursos indispensáveis para uma discussão racional; o jornalista alerta, no entanto, que "o risco é o país adotar uma legislação contrária a seus interesses, a começar a preservação e mesmo ampliação da democracia
• Em congresso na 3ª, PMDB deve aprofundar cisão com PT. Evento partidário dará voz a críticos do governo e da aliança com petistas. É possível fazer oposição sem causar danos de maneira permanente ao País só para enfraquecer o governo, disse o senador José Serra (PSDB-SP), ao participar de um evento em Porto Alegre; foi uma crítica indireta ao senador Aécio Neves (PSDB-MG), que, no comando do ninho tucano, defendeu que o PSDB votasse contra o fator previdenciário e também apoiou outras pautas-bomba do Congresso, na esperança de que a crise econômica levasse a um impeachment; Eu sempre defendi, desde o início, que o PSDB não votasse na linha do quanto pior melhor. Isso não tem a ver com o governo. Tem a ver com o Brasil, a médio e longo prazo, disse ainda Serra; na semana passada, Aécio começou a dar novo rumo, mais responsável, ao PSDB. 
• Desta vez, o PSDB pedirá ao Tribunal Superior Eleitoral para apurar se a presidente Dilma Rousseff cometeu crime ao dizer que, na obra do porto de Mariel, as garantias eram oferecidas pela Odebrecht - e não pelo governo de Cuba; representação será oferecida pelo deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), que tem liderado as iniciativa tucanas que visam um impeachment.
• BC manda a CPI, em branco, os dados de sigilo: Chamou atenção da CPI que tenta abrir a “caixa preta” do BNDES, a omissão de dados em documentos recebidos para análise de contratos desse banco de fomento investigado por financiamentos suspeitos. O Banco Central mandou em branco o resultado de quebras de sigilo, determinadas pela CPI, de agências de publicidade que participaram de campanhas petistas. Faltam informações consideradas importantes; Hostilidade: É conhecida a arrogância do BNDES: o Tribunal de Contas da União teve de ameaçar o presidente com multas para ter acesso a contratos; Blindagem: Documentos mostram que não foi enviado qualquer contrato do BNDES na Argentina, por exemplo, onde as suspeitas se multiplicam. (Diário do Poder) 
• Dia Mundial do Diabetes chama a atenção para os cuidados com a doença. Diabetes e obesidade ameaçam redução de mortes por doença cardíacas, diz OCDE. Instituto cria dispositivo que permite diagnóstico pré-diabetes tipo 2. 
Caetano tem todo o direito de criticar políticas do governo de lá. Israelenses e judeus fazem isso com frequência e intensidade. Criticar Israel, obviamente, não torna Caetano, nem ninguém, um antissemita, diz Fernando Lottenberg, que preside a Confederação Israelita do Brasil; no entanto, ele o critica por ter decidido apoiar o boicote a Israel, em razão da opressão do povo palestino. 
• O depoimento do filho do Lula é quase uma confissão. Leia
• Correios: prejuízo de R$900 milhões. Leia

• Autoridades divulgam novo balanço de ataques em Paris: 129 mortos e 352 feridos. 
• Hezbollah, Hamas e Jihad Islâmica condenam ataques do Estado Islâmico em Paris.
• Atirador francês que invadiu casa de show passou meses na Síria. De origem argelina, Ismail Mostefai foi incluído na lista de radicais islâmicos do governo francês em 2010; atentados de sexta em Paris deixaram 129 mortos. Soldados patrulham região da Torre Eiffel, fechada após série de atentados em Paris. 
• Polícia localiza 2º carro usado por terroristas em atentado em Paris. 
• Papa condena assassinatos: atos desumanos. Francisco disse que ataques terroristas em Paris são injustificáveis e que o deixaram abalado e triste; Não há justificativa para essas coisas, disse, com uma voz extremamente triste em um telefonema a uma estação de televisão italiana católica; Isso não é humano, disse o papa, acrescentando que estava orando pelas vítimas, suas famílias e todas as pessoas da França.
• Síria culpa França por terror em Paris. As políticas equivocadas dos Estados ocidentais, particularmente a França, em relação aos eventos da região (do Oriente Médio), e o apoio de um número de seus aliados aos terroristas são razões que estão por trás da expansão do terrorismo, disse, neste sábado, o presidente sírio Bashar al-Assad; a França é um dos países que se juntaram aos Estados Unidos nos bombardeios aéreos à Síria, fomentando uma guerra civil que já deslocou 11 milhões de pessoas de suas casas; falando à nação, o presidente francês François Hollande definiu o ataque de ontem como um ato de guerra e prometeu reação implacável. Direita cobra a Hollande mudança nas medidas antiterroristas. 
• Estado Islâmico exalta oito irmãos que conduziram ataques. Oito irmãos com explosivos na cintura e fuzis fizeram vítimas em lugares escolhidos previamente e que foram escolhidos minuciosamente no coração de Paris, no estádio da França, na hora do jogo dos dois países França e Alemanha, que eram assistidos pelo imbecil François Hollande, diz nota divulgada pelo Estado Islâmico; O resultado é de no mínimo 200 mortos e muitos mais feridos. A gloria e mérito pertencem a Alá, diz o comunicado.

Nosso Guia está fritando a doutora Dilma. 
. A fritura de Joaquim Levy mudou de qualidade. Habitualmente, presidentes fritam ministros, mas, no caso do doutor, um ex-presidente (Lula) está fritando ao mesmo tempo o ministro da Fazenda e a inquilina do Planalto (Dilma Rousseff).
. Quando circula a informação de que Nosso Guia sondou Henrique Meirelles para o cargo e que ele pediu carta branca para assumir o cargo, a coisa muda inteiramente de figura. Quem está sendo frita é a doutora Dilma. Neste caso surge uma novidade: seu impeachment pelo PT.
. Isso tudo poderia ser fabulação, mas o ex-presidente do Banco Central soprou o fogo ao dizer que não recebeu um convite concreto. O que vem a ser um convite abstrato, só ele pode explicar.
. Certo mesmo é que Levy ainda não chamou o caminhão da mudança, como fez Mário Henrique Simonsen em 1979, porque não quer ser responsável pelo pandemônio que provocaria.
. Com Lula convidando ministros e o seu preferido admitindo cripticamente que há algo no ar além aviões de carreira, os escrúpulos de Levy tornam-se despiciendos. O pandemônio já está criado.
Lula e sua teoria do retrocesso político . 
. Lula disse na Colômbia que sente um cheiro de retrocesso político na América Latina e na América do Sul e pediu à plateia que não acreditasse nas bobagens da imprensa. Nosso Guia tinha ao seu lado o ex-presidente do Uruguai, José Mujica.
. Falta explicar o que Lula considera bobagens da imprensa.
. Certamente não são as notícias sobre a honorabilidade de Pepe Mujica, um ex-guerrilheiro que presidiu seu país de 2010 até março passado e elegeu seu sucessor. Ele não teve mensalón, nem petrolón. Continuou morando na mesma casa, com o mesmo carro e a mesma cachorra Manuela. Ao assumir, anunciou que doaria 70% de seu salário para a construção de casas para os pobres. Segundo a Transparência Internacional, o Uruguai, junto com o Chile, têm os menores índices de corrupção da América Latina.
. Talvez Lula esteja falando das bobagens da imprensa em relação à Argentina, que vai eleger seu novo presidente no dia 22. Lá, 14 anos de domínio do casal Nestor e Cristina Kirchner levaram a economia para o buraco e a família da presidente para a fortuna. O país tornou-se conhecido pelos escândalos envolvendo as relações do governo e seus amigos com empreiteiros, petrogatunos e exportadores.
. Uma banda da esquerda latino-americana acumula duas marcas sinistras. Tem a mais longeva das ditaduras em Cuba e os dois países mais corruptos do continente: a Venezuela narcobolivariana, seguida pela Nicarágua sandinista da família Ortega. A Bolívia, Equador e Argentina têm índices de corrupção piores que o Brasil.
. O que há por aí não é um cheiro de retrocesso político, mas a verificação de que existem países assolados pela corrupção e têm governos que se dizem de esquerda. O Chile e o Uruguai estão na outra ponta.
. Bolivarianos, sandinistas e petistas chegaram ao poder com a bandeira da moralidade. O que há no ar não é um cheiro de retrocesso político, mas de repúdio aos pixulecos.
. Roubalheira não tem ideologia. O general Augusto Pinochet tinha o apoio de grande parte da população chilena enquanto torturava e matava opositores. Quando se descobriu que ele e sua família tinham US$ 15 milhões em 125 contas secretas, a direita chilena jogou sua memória no mar.
. Quando o filho da presidente chilena Michelle Bachelet foi apanhado em traficâncias, ela demitiu-o e disse que enfrentava momentos difíceis e dolorosos como mãe e presidente. Não culpou a elite nem viu conspiração, muito menos retrocesso político. Viu apenas realidade: Seu filho metera-se numa roubalheira./
Meirelles 2.0
. Atribui-se ao doutor Henrique Meirelles o desejo de centralizar no ministério da Fazenda o comando Banco Central. É uma malvadeza que se faz com o ocupante da presidência do BC de 2003 a 2011.
. Enquanto esteve no cargo, Meirelles defendeu a autonomia do Banco.
. No vazamento de documentos da diplomacia americana pelo Wikileaks apareceu um telegrama de 2006 do embaixador americano americano à época, o empresário Clifford Sobel. Ele narrou um encontro com Meirelles, durante o qual o doutor pediu que o governo dos Estados Unidos usasse discretamente sua relação com o do Brasil para discutir a importância de se mandar ao Congresso uma legislação garantindo a autonomia do Banco Central. Sugeriu que o secretário do Tesouro americano levantasse o assunto com Lula e com o ministro Guido Mantega.
. Meirelles disse que o telegrama não refletia com propriedade o tema de qualquer conversa que eu tenha tido. O embaixador recusou-se a comentar o assunto.
. Não há notícia de outro pedido de pressão sobre o governo de Pindorama feito por uma autoridade brasileira com nível ministerial. 
Quem vive, vê
. Enquanto ex-ministros de Dilma e comissários petistas são hostilizados em restaurantes, Fernando Henrique Cardoso é chamado para uma média de vinte selfies quando entra em restaurantes do centrão de São Paulo.
. Num caso, uma senhora pediu que ele gravasse uma mensagem para seu pai, que está internado num hospital.
Pedalada elétrica
. Pedalando o mercado de energia elétrica desde o ano passado, o governo obrigou empresas geradoras a comprar a produção de usinas térmicas, que custa muito mais caro.
. Disso resultou um rombo de, no mínimo, R$ 20 bilhões. As concessionárias de hidrelétricas recusam-se a pagar pela pedalada e vêm ganhando liminarmente sucessivos litígios na Justiça. Se ninguém pagar para ninguém, no fim do ano o mercado de energia entrará num apagão financeiro.
. Como as empresas precisam dar lucro para distribuir dividendos aos seus acionistas, a Agência Nacional de Energia Elétrica ofereceu às geradoras um esparadrapo natalino de R$ 2,5 bilhões, diluindo o resto do espeto para os anos (e governos) vindouros.
. Seja qual for a solução dessa encrenca, a conta irá para os consumidores. Até aí, tudo bem. O que falta é o governo reconhecer o custo de sua pedalada. Ele lida com o assunto como se ele fosse um problema dos macedônios.
. Se a doutora tivesse reconhecido que as hidrelétricas estavam num nível critico, não precisaria ter recorrido às térmicas. Agora os eleitores iludidos ficarão com a conta.
Palpite
. Há um ano, no dia de hoje, o juiz Sergio Moro encarcerou 25 executivos de empreiteiras. Alguns deles colaboraram com as investigações e foram libertados, com ou sem tornozeleiras.
. Quem estuda os horóscopos da turma de Curitiba acha que a proximidade do recesso do Judiciário pode estimular algumas novas prisões. Antes do arrastão do ano passado havia empreiteiras achando que sairão da encrenca ressarcindo a Viúva com a construção de presídios. (Elio Gaspari) 

Uma lei bolivariana. 
. O Congresso Nacional aprovou e a presidente Dilma sancionou um projeto de lei que, nas circunstâncias atuais do país, parece ter sido concebido em reunião conjunta com o cubano PCC e com o PSUV (partido da ditadura venezuelana). A legislação brasileira já regula e penaliza, como deve, a calúnia, a injúria e a difamação. A nova lei acrescenta uma extraordinária facilidade para a obtenção do direito de resposta, por determinação judicial, já nas primeiras 24 horas da solicitação, tenha ou não havido tempo para contraditório ou ampla defesa.
. Parece desnecessário explicar que a nova lei, com data de anteontem, 11 de novembro, não foi pensada, redigida e rapidamente aprovada tendo em vista a proteção do cidadão comum ou das instituições privadas. Quem, em primeiríssimo lugar, buscava resguardo de imagem eram os próprios legisladores que aprovaram o projeto e a chefia do governo que sancionou a lei. Na perspectiva de uns e outros, o que está a exigir providências não é o insignificante e pouco digno papel que desempenham perante a crise moral, política, econômica e social do país, mas a rejeição nacional a esse tipo de protagonismo.
. Fico a me perguntar o que esperam os ilustres cavalheiros e as distintas damas que a sociedade faça? Que os corteje com aplausos e reconhecimentos? Que exclamemos - Como vai bem o ilustre parlamentar quando defende o governo! Que gestos! Que eloquência!. Ou então: Os 81 senhores senadores receberam carros novos. Que atenções e medidas lhes poderão exigir as remotas províncias enquanto desfrutam o fugaz odor da novidade?. Ou ainda: Que mais pode fazer um governo em hora de crise, além de zelar por si mesmo? 
. O país? Ora, o país! O que é ele, diante dos cargos e recursos do poder?
. Por questão de formação, cuido de ser civilizado nas minhas críticas, que raramente são pessoais. Por isso, não temo incorrer nas vedações da lei. Mas é forçoso reconhecer que ela inibe a crítica política. Decisões a esse respeito dependerão exclusivamente do entendimento imediato dos juízes a quem couberem (a lei exige urgência nas decisões relativas à matéria). Os julgadores podem considerar que não há distinção entre honra objetiva e subjetiva, ou seja, o reclamante pode ser um canalha condenado e preso, mas tem o direito de não ser chamado de canalha ou (como li num artigo jurídico) não ser totalmente canalha.
. Doravante, desonrados lutarão bravamente em defesa da própria honra, em breves e exitosos duelos jurídicos, apadrinhados pela nova lei. (Percival Puggina, membro da Academia Rio-Grandense de Letras, arquiteto, empresário e escritor)

Nenhum comentário: