30 de set de 2015

Mar de lama e nau sem rumo...

Dilma e o PT em Marte?  
Convincente - No discurso de abertura da Assembleia Geral da ONU, a presidente Dilma foi muito convincente. Convenceu ao mundo todo, de forma definitiva, que não é por acaso que o nosso pobre país vive a maior crise moral e econômica de sua história.
Dúvidas enterradas - Se, por alguma razão (que a própria razão desconhece), alguém neste mundo ainda via a nossa presidente como uma pessoa séria, lúcida, consciente e realmente interessada em recuperar a sua desgastada imagem, depois de ouvir o seu discurso as dúvidas simplesmente foram enterradas. 
Tradução instantânea - Os presentes à 70ª Assembleia Geral da ONU, quando ouviram Dilma dizer que o responsável pela crise econômica do Brasil é o cenário global, reagiram como se fosse uma grande falha (grosseira) dos profissionais que fazem a tradução instantânea. 
Mentindo - Já quando Dilma disse que a economia brasileira, hoje, é mais forte, sólida e resiliente do que há alguns anos, e que o país está em transição para entrar em outro ciclo de expansão profunda, sólida e duradoura, aí a ficha caiu: os tradutores não haviam se equivocado, mas a presidente Dilma é que estava mentindo. Como nunca, aliás. 
Corrupção - Muito provavelmente por saber que os organizadores da Assembleia da ONU não disponibilizam tomates para serem jogados pela plateia, a presidente aproveitou a ocasião para enfatizar que o seu governo e a sociedade brasileira não toleram a corrupção. Maravilha, não? 
Marte - Enquanto Dilma discursava, a NASA trazia a informação da existência de água líquida em Marte. Considerando que a descoberta enseja a possibilidade de vida naquele planeta, fiquei imaginando o seguinte: caso os brasileiros resolvam mandar a presidente Dilma e o PT para o espaço, peço que não escolham Marte como destino.
. Pelo que o PT, Lula e Dilma fizeram com o nosso pobre país em pouco mais de 12 anos, bastam algumas semanas para arrasar com o planeta vermelho.  
Cenário global - Pela Europa, o índice de sentimento econômico da zona do euro subiu de 104,1 em agosto para 105,6 em setembro - maior nível desde junho de 2011. O resultado surpreendeu e superou as estimativas, que eram de ligeira queda para 104,1. Este é o cenário global que provoca a nossa crise, segundo Dilma. Pode?(GSPires) 

• Pezão anuncia contratação de 6 mil policiais. Estado tem hoje 49 mil profissionais e governador do Rio de Janeiro, Luiz Pezão, disse que a meta é chegar a 60 mil; ele também lamentou o fim dos Centros Integrados de Educação Pública (Cieps), construídos nos dois governos Brizola (1983-1986 e 1991-1994): Fecharam Cieps pela demagogia de que pobre não precisa estudar horário integral e que tem que ser arrimo de família
• Petrobras aumenta diesel em 4% e gasolina em 6%. Decisão de aumentar os preços de venda de seus combustíveis nas refinarias foi anunciada na noite de ontem e já vale a partir desta quarta-feira (30); Os preços da gasolina e do diesel, sobre os quais incide o reajuste anunciado não incluem os tributos federais CIDE e PIS/Cofins e o tributo estadual ICMS, especificou a estatal em nota; a recomposição de preços é uma estratégia da companhia, presidida por Aldemir Bendine, para recuperar sua situação financeira e permitir a manutenção dos investimentos previstos. 
• Doação privada:
1) É inaceitável que Congresso insista. (Fux, Ministro do STF);
2) Presidente do PSDB, o senador Aécio Neves discordou da decisão do Supremo que proibiu as doações empresariais para as campanhas eleitorais; segundo o tucano, a decisão do STF sem a devida discussão pode estar, no futuro, nos remetendo ao tempo do Caixa 2, ao tempo em que aqueles que têm estrutura política, portanto que detêm nacos de poder e são governo, terão uma prevalência, terão um favorecimento muito grande em relação aos outros candidatos; para Aécio, a decisão que deve prevalecer é a tomada pelo Congresso e não a do STF. 
• Levy diz que governo tem de cortar mais gastos. Em entrevista ao Valor Econômico, ministro da Fazenda diz que retomada do crescimento da economia passa por manutenção de vetos e aprovação do orçamento com fortalecimento fiscal e de implantação de reformas estruturais. 
• Capitais do Brasil têm um assassinato a cada meia hora. Fortaleza é líder em ranking de violência; Nordeste concentra topo da lista. 
• E-mails indicam que Lula fez lobby para a Odebrecht. Ministro disse que petista defendeu interesse da empreiteira na Namíbia. 
• Perda de ministros é inevitável para barrar impeachment. Petistas no Congresso se dizem conformados com menor espaço do partido. 
• Chioro teve apoio na órbita do SUS e briga com entidades. Ministro da Saúde foi demitido por Dilma após um ano e sete meses na pasta. 
• Estatais culpam Dilma por prejuízo das hidrelétricas. Medidas indispensáveis não foram tomadas pelo Executivo, diz Eletronorte. 
• Brasil cai 18 posições em ranking de competitividade. País chega ao 75° lugar, sua pior posição desde a década de 90. 
• Troca-troca em dar em nada. Segundo a colunista do G1 Cristiana Lôbo, na tentativa de dar uma guinada no governo e reverter a crise política que vem se agravando a cada semana, a presidente Dilma Rousseff decidiu aprofundar a reforma ministerial em curso e substituir Aloizio Mercadante na Casa Civil; no lugar dele, irá Jaques Wagner, atual ministro da Defesa, e, para a Defesa, será deslocado o ex-deputado Aldo Rebelo (PCdoB), que deixará o Ministério da Ciência e Tecnologia, diz; Mercadante ficaria com a pasta da Educação. 

Quadrilha faz um afago em Dirceu. O tempo que ele andou fugido depois de ter escapado da prisão, de 1968 a 1979 (11 anos) será contado para efeito de aposentadoria. Não produziu nada para o País, depois de anistiado, só fez roubar para si, para o partido e para os comparsas, e, ainda assim, receberá aposentadoria. Somos o único país do mundo que dá regalias de trabalhador para bandido. E é por aí que os membros da corja petista vão levando o que podem e enquanto vão deixando. (AC) Leia

Quem teme o novo. 
. Quem tem consciência disso sempre se sentiu órfão na política nacional, dominada pelos 30 tons de vermelho. Todos os partidos falam em mais Estado, no governo como uma espécie de Messias salvador. Os liberais, então, eram obrigados a votar no menos pior, no que mais perto do centro ficava. Mas nunca puderam votar com convicção, em um partido que efetivamente abraçasse o capitalismo liberal, com uma agenda que colocasse o indivíduo no foco, não o Estado.
. Isso agora mudou. Foi homologado pelo TSE o Partido Novo, com o número 30, que clama por mais sociedade e menos Estado, que defende mais liberdade econômica e menos intervencionismo, que não teme enfrentar o vespeiro corporativista e prega privatizações. Se a Petrobras fosse privada, por exemplo, não teríamos o petrolão, e o PT não teria quebrado a maior empresa do país, depois de transformá-la numa fonte de recursos ilícitos para seu projeto de perpetuação no poder.
. O Novo reconhece no empreendedor o grande criador de riquezas, e deseja reduzir os obstáculos estatais que dificultam esse processo dinâmico que leva à prosperidade. Quem pode ser contra isso? A quem interessa manter um sistema de privilégios estatais que beneficia apenas os amigos do rei? Vamos dar uma chance à liberdade! Vamos valorizar mais o indivíduo! Quem teme o Novo? (Rodrigo Constantino) 
O mundo está cheio de coisas óbvias, que ninguém, em momento algum, observa! (Arthur Conan Doyle)

Nenhum comentário: