16 de ago de 2015

Saindo às ruas…


 photo _a16ago15.jpg • Inteligência prevê protesto maior contra Dilma. Relatórios do departamento de Inteligência da Polícia Militar do DF mostram que a expectativa para os protestos contra o governo Dilma é de que o número de manifestantes seja pouco maior que no último protesto, em abril, que reuniu mais de 35 mil pessoas, em Brasília, e cerca de 1,2 milhão no restante do País. O problema, segundo o setor de Inteligência da PM, serão os protestos de movimentos sindicais em apoio ao governo: eles prometem confusão com os antiDilmistas. 
• Dilma encara protestos neste domingo em situação menos frágil. Manifestações acontecem em clima político mais favorável à presidente, após aproximação com o Senado e êxitos em tribunais. País terá atos contra o governo em mais de 200 cidades 
• Grupos que defendem impeachment da presidente tentam recuperar impulso. 
• Se segura peão! Lula deve aceitar imediatamente um convite para integrar o ministério de Dilma Rousseff. Ao contrário do que muitas pessoas podem pensar, não se trata de um atalho para a impunidade ou qualquer outra posição privilegiada. É uma medida dramática, mas Lula tem o direito de se defender contra uma perseguição política cada vez mais clara, reforçada agora pela divulgação em detalhes de uma investigação em torno de sua empresa; quem faz tal avaliação é o diretor do 247 em Brasília, Paulo Moreira Leite; Essa situação não irá impedir que eventuais denúncias que possam existir contra ele sejam apuradas cuidadosamente, como acontece, aliás, com dezenas de políticos já denunciados na Lava Jato. Mas irá garantir a Lula condições adequadas para defender-se, o que é difícil de imaginar que esteja ocorrendo agora, defende 
• Diz o cara que tá em todas! Ou o governo muda, ou o povo muda o governo, diz. 
• Embora não seja oficialmente investigado pela Operação Lava Jato, o ex-presidente Lula já vem sendo tratado como tal; edição deste fim de semana da revista Veja quebra o sigilo bancário da empresa LILS, responsável pelas palestras de Lula; de acordo com a revista, os dados fazem parte de um relatório do Coaf, em poder da Polícia Federal e da força-tarefa paranaense; nos últimos anos, a empresa de Lula faturou R$ 27 milhões, dos quais cerca de R$ 10 milhões foram pagos por construtoras citadas na Lava Jato; reportagem também aponta até mesmo quanto Lula transferiu a seus filhos, como Lurian, Luis Claudio e Sandro; ontem, o jornal Estado de S. Paulo divulgou um grampo de uma conversa entre Lula e Alexandrino Alencar; hoje, Veja vazou seu sigilo bancário; e amanhã? 
• Apenas leia aqui
• Romero Jucá. Para senador, Planalto está na UTI, mas impeachment não está maduro. 
• CNN, NY Times, Bloomberg, The Guardian, BBC, Le Monde, Diário de Notícias, El País e outros veículos internacionais definem este domingo (16) de protestos como crucial para o futuro de Dilma. Até sexta, 114 cidades confirmaram protestos liderados pelo Movimento Brasil Livre. Cidades nos Estados Unidos e na Europa também marcaram protestos contra Dilma: brasileiros em Berlim, Dublin, Nova York, Miami, Londres, Lisboa, Frankfurt, Roma e Paris confirmam protestos contra o governo.
• O parlamentarismo é um esqueleto que se debate. Ideia foi derrotada em 1963 e 1993. 
• A retaliação policial na principal linha de investigação de chacina na Grande São Paulo, que deixou 18 mortos e seis feridos. Nenhuma cidade pode conviver com chacinas como a ocorrida na Grande SP; governo precisa dar resposta. Até agora apenas fala-se de cartuchos das formas armadas e das PMs. E o resto? 
• O Ministério da Fazenda, com a Receita Federal, é o maior arrecadador do governo federal: R$ 1,3 trilhão em impostos e taxas. 
• Odebrecht é investigada por suposto sobrepreço na Copa. Superfaturamento pode ter elevado valor de empréstimo com o BNDES. 
• Marta fecha acordo com Temer para se filiar ao PMDB. Ela disputará convenção para confirmar candidatura à Prefeitura de São Paulo. 
• A ANATEL regula a publicidade em demasia na tv paga? Existiram reclamos anos atrás que providências seriam adotadas, mas parece que caiu no esquecimento. Por que? Há uma saturação não condizentes ao consumidor. Se a ANATEL promove debate acerca da imposição de limite de percentual destinado à publicidade comercial na TV PAGA, objeto de discussão da Consulta Pública n° 31, de 06 de junho de 2011. como ficam os pagantes? Uma das muitas vergonhas. (AA) 
• Líderes latinos sofrem com manifestações. Presidentes de Equador, México e Honduras enfrentam pressão para saírem. 

Ninguém no sofá no dia 16! 
. Quem optar pelo sofá da sala em vez de participar da manifestação do próximo domingo, 16 de agosto, estará escolhendo sofrer a história em vez de contribuir para um futuro melhor.
. Inúmeras articulações vêm ocorrendo em Brasília. Um dia a presidente convidou para jantar em comemoração ao Dia do Advogado altas personalidades do mundo jurídico e dos tribunais superiores, inclusive do STF (três compareceram!). Vêm-me à mente que o 11 de agosto é tradicionalmente conhecido como Dia do pendura, um antigo costume pelo qual estudantes de Direito iam aos restaurantes e mandavam pendurar a conta. Qual a conta que se pretendeu pendurar no jantar do dia 11? No dia seguinte, Lula se reuniu com Temer, Sarney, Renan Calheiros e lideranças do PMDB no intuito de enfrentar a crise. Enfrentar a crise, para esse específico grupo, significa conseguir que tudo fique como está, que é exatamente como tudo não pode ficar. Na sequência, a presidente foi distribuir benefícios no Nordeste. E, ontem, reuniu-se com lideranças dos movimentos sociais. Foi durante esse ato que ela ouviu, sentada e calada, o presidente da CUT chamar seu exército às armas. Que armas?
. As forças do conformismo interesseiro se movimentam nos bastidores. Suas preocupações com a situação nacional não são perceptíveis a olho nu.
. Vivêssemos sob as mesmas regras adotadas nas democracias estáveis, o governo já teria caído em novembro do ano passado quando se tornaram evidentes as mentiras e mistificações da campanha eleitoral. A suposta legitimidade do mandato presidencial é fruto de embustes que fizeram de bobo o eleitor.
. As mesmas forças políticas que hoje chamam impeachment de golpe forçaram a renúncia de Collor, que deixou o cargo no dia 29 de dezembro de 1992. Menos de quatro meses depois, em 21 de abril de 1993, por determinação das disposições transitórias da Constituição de 1988, ocorreu o plebiscito sobre sistema e forma de governo. Jamais esquecerei a figura do militante ator Milton Gonçalves, na telinha da tevê, durante a campanha sobre o tema, afirmando que No presidencialismo, você põe, você tira. Era uma gigantesca inversão da realidade. É no parlamentarismo que se pode tirar o mau governante. O que ocorrera com Collor fora uma quase inacreditável exceção à regra. Mas era uma exceção ainda bem presente na memória das pessoas. Mentindo, fizeram o eleitor de bobo. Pois é, também, graças àquela fraude publicitária de 1993 que Dilma está amarrada ao cargo com uma aprovação de apenas 7% que só lhe proporciona vaia e panelaço.
. Aqueles que recusam a legitimidade ao impeachment como um processo constitucional, também recusaram legitimidade, poucos anos passados, ao que aconteceu nos impeachments de Manuel Zelaya em Honduras e de D. Fernando Lugo no Paraguai. Anseiam por parlamentos comprados, submissos, abastardados. Devem avaliar de modo muito positivo os legislativos de Cuba, Venezuela, Equador, Bolívia, Argentina, dos quais jamais se ouve falar porque aceitam a focinheira que lhes impõem os respectivos governos.
. Não podemos deixar que convençam ou vençam. Munidos do que lhes falta - respeito à ordem, amor à paz, civilidade e compromisso com o bem do Brasil e de seu povo - vamos todos às ruas neste domingo! (Percival Puggina, membro da Academia Rio-Grandense de Letras, arquiteto, empresário e escritor)

Nenhum comentário: