20 de ago de 2015

Protestos, inversão de pautas, cansei...

• Organizadores racham antes de atos pró-governo nesta quinta. PSOL e MTST rechaçam tom em favor de Dilma; CUT e UNE atacam golpismo. Protestos devem ocorrer em 32 cidades. 
• As ruas não têm dono! Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula, diz que as manifestações previstas para esta quinta-feira servirão para mostrar que a sociedade brasileira está atenta e mobilizada para defender a democracia; Também é um gesto muito forte em defesa do projeto de desenvolvimento com inclusão social, iniciado no governo do ex-presidente Lula em 2003. O Brasil tem de fato muitos problemas, mas a base social deste projeto continua viva, forte e preparada para defendê-lo. É muito positivo para a democracia fazer essa disputa de projetos nas instituições, nos meios de comunicação e nas ruas
• Esquerda faz ato contra impeachment, mas ajuste fiscal mina apoio a Dilma. Partidos e movimentos sociais apontam política econômica como entrave na mobilização e dizem que não defenderão governo. 
• Procuradoria deve denunciar Eduardo Cunha ao STF até esta quinta-feira. • Defensoria Pública da União cobra explicação do governo sobre o 13. 
• Conhecido pelo talento político e a incomum capacidade de trabalho, o senador Romero Jucá (PMDB-RR) não quer assumir a chefia da Casa Civil no lugar de Aloizio Mercadante, como deseja o ex-presidente Lula. Jucá não está entre os políticos mais otimistas em relação ao futuro de Dilma, que inclusive já o prejudicou em diversas ocasiões, levando-o a apoiar a candidatura de Aécio Neves (PSDB), no ano passado. 
• Prestes a ser denunciado pela Procuradoria Geral da República por corrupção e lavagem de dinheiro, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), afirmou nesta quarta (19) que não pretende se afastar do comando da Casa mesmo após a oficialização da denúncia pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, no processo da Lava Jato; Eu não farei afastamento de nenhuma natureza. Vou continuar exatamente no exercício pelo qual eu fui eleito pela maioria da Casa. Estou absolutamente tranquilo e sereno com relação a isso, disse; Eu não misturo o meu papel de presidente da Casa com as eventuais situações que possam envolver a minha pessoa. Exercerei o meu papel de presidente da forma que, institucionalmente, eu tenho que exercer. Eu não faço papel de retaliação nem tomo atitudes por causa de atitudes dos outros, completou. 
• Redução da idade penal de 18 para 16 anos em casos de crimes hediondos passa na Câmara e segue para o Senado. 
• Senado aprova desoneração da folha de salários. Medida era a última do ajuste fiscal que ainda dependia do aval do Congresso. Vai à sanção presidencial. 
• Deputados da oposição vão defender saída de Dilma. Siglas preparam documento único em que dizem que a crise é gravíssima
• Taxa de desemprego atinge 7,5% em seis regiões metropolitanas. Desemprego sobe para 7,5% em julho, maior taxa desde 2009. Alta veio acima do esperado pelos analistas, que esperavam crescimento de 7%. 
• Número de refugiados no Brasil quase dobra em 4 anos. Ministério da Justiça afirma que o maior contingente é de sírios. • Dilma e Merkel têm primeira reunião em visita-relâmpago. Chanceler alemã foi recebida por Dilma e ao menos 18 titulares da Esplanada. 
• Setor agrícola terá pacote de ajuda do Banco do Brasil. Petróleo e gás e construção civil serão os beneficiados seguintes.

O gradativo fim de um esbulho  
. Gerou arrepios de horror a aprovação por unanimidade, na noite de terça-feira, pela Câmara dos Deputados, de projeto de lei estabelecendo para o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço a correção igual à das Cadernetas de Poupança. Juros que hoje são de 3% passarão, em 2019, a 6%. 
. Horror porque a medida deveria valer para hoje, ou melhor, para ontem. O trabalhador vem sendo garfado desde 1965, quando o FGTS foi criado como forma de extinguir a estabilidade no emprego. Foram coisas do primeiro general-presidente, Castello Branco, ou melhor, de Roberto Campos, representante do governo dos Estados Unidos no Brasil. 
. Mais horror ainda porque a espoliação de quem vive de salário durou cinquenta anos, sem que sequer as administrações do PT tivessem movido uma palha para corrigir o esbulho. Foi preciso o polêmico Eduardo Cunha colocar em pauta o projeto imobilizado nas gavetas do Legislativo. 
. Mesmo assim, para evitar que a petista Dilma Rousseff venha vetar essa iniciativa mais do que justa, os deputados tiveram de humilhar-se, aprovando o projeto em pílulas, ou seja, correção integral com a poupança, só em 2019. Até lá, firulas contábeis para continuar surrupiando do trabalhador aquilo a que teria direito desde a criação do FGTS. Vale lembrar que esse monstruoso volume de dinheiro descontado da maioria da população, sem sua anuência, vem sendo utilizado desde a ascensão da gloriosa para finalidades variadas muito além da construção de casas populares. De uns tempos para cá, até para a corrupção, como quando Fernando Henrique desviou boa parte para chegar ao limite da irresponsabilidade, financiando a venda de patrimônio público pelas famigeradas privatizações.
. De qualquer forma, melhor assim, ainda que o patrimônio popular, corrigido nos míseros 3%, ainda vá levar quatro anos para igualar-se aos rendimentos da poupança. Já é de bom tamanho ter a Câmara sinalizado o fim de um dos maiores crimes perpetrados contra a economia nacional. E com o governo dos trabalhadores precisando engolir a maldade que não conseguiu manter, de deixar tudo como estava. 
. Só para concluir: os recursos do FGTS foram durante meio século reajustados por uma merreca, mas os bancos e os especuladores recebem 14.25%...
Hoje, a comparação indigesta
. O PT e as centrais sindicais anunciam para hoje manifestação nacional de contestação à verificado domingo. Em vez de repúdio ao governo, ao modelo econômico e à corrupção, esperam levar para as ruas o grito de Fica Dilma, volta Lula! Começam escorregando, porque os protestos que há pouco congregaram 875 mil cidadãos aconteceram num domingo, quando quase ninguém trabalha. Hoje é quinta-feira. Quantos empresários dispensarão seus operários, sem descontar o dia parado? Por certo os manifestantes das próximas horas não estarão armados, como um de seus líderes propôs. (Carlos Chagas) 

Reformas e faz-de-conta. 
. Embora sejam duas realidades diferentes e embora não tenhamos conhecimento consistente sobre o cenário grego, é impressionante como o discurso anexo de um deputado do Parlamento Europeu, dirigido diretamente ao Primeiro Ministro da Grécia, Sr. Tsipras, mutatis mutandis, poderia ser aplicado ao nosso País! 
. A sra. DIImáh, o Sr. Cunha, o Sr. Levy, os Ministros e Dirigentes de Empresas Estatais e todos esses falsos profetas que vivem nos enrolando e nos apresentando programas de mentirinha, como esse último Agenda Brasil parido pelo salvador da Pátria, o Sr. Renan Calheiros, deviam ouvir alguém lhes dizer diretamente na cara, o que esse parlamentar disse ao Sr. Tsipras! 
. Se querem realmente salvar o País e nossas Estatais da falência em que estão metidos, têm de cortar em sua própria carne, eliminar privilégios e mordomias, abolir carros de representação, aluguel de limusines, estadia em Hotéis de luxo, voos em aviões da FAB. Reduzir custos desnecessários, enxugar a máquina estatal, cargos comissionados, etc.
. De discursos e de reformas de faz-de-conta, o País está cheio! 
. Adotem os cinco itens sugeridos pelo Parlamentar, para a Grécia, e já teremos um bom caminho percorrido!(MDB)

Nenhum comentário: