22 de ago de 2015

Janot e suas peripécias....

Farinha pouca, meu pirão primeiro. 
. Dilma já garantiu o dela, e antecipou metade do 13º para servidores federais. 
. A presidente Dilma Rousseff se recusou a autorizar o pagamento da antecipação de metade do 13º dos aposentados e pensionistas do INSS, a pretexto do ajuste fiscal, mas ela própria e seus ministros já embolsaram o benefício, junto a toda administração pública federal. 
. O Portal de Transparência indica que foram depositados R$ 15.467 na conta de Dilma, referentes a metade do seu 13º. A antecipação aos servidores públicos custou R$ 3,4 bilhões, e ninguém se lembrou das dificuldades do ajuste fiscal.
. Temendo o desgaste que essa informação provocaria, Dilma orientou o ministro Joaquim Levy (Fazenda) a tentar fazer esse pagamento até o final de agosto. Levy alegou que não há em caixa os R$ 14 bilhões para fazer face a esse pagamento, mas essa dificuldade nem sequer foi levada em conta, na hora de liberar metade do 13º para Dilma e toda administração federal. Incluindo o próprio Levy, que recebeu o mesmo calor pago a Dilma, isto é, R$ 15.467. (Diário do Poder) 

Uma solução para o desemprego. 
. Duas categorias profissionais têm solução para todos os problemas do País: motoristas de táxi e barbeiros. Não me refiro a motoristas de táxi que são barbeiros (coisa que suponho ser rara), nem de barbeiros que são também taxistas (isso também deve ser raro). Falo de cada um desses profissionais separadamente.
. Outro grupo profissional que sabe resolver tudo são os políticos. Mas o leitor tem todo o direito de perguntar o que eu também já me perguntei: Por que não resolvem? Muito simples. Durante a campanha eleitoral, eles sabem resolver até problemas que não existem. Também sabem resolver tudo depois que termina o mandato, quando dedicam grande parte do tempo a criticar o sucessor, exatamente porque este não resolve. Mas durante o mandato, quando lhes é de fato solicitada a sua habilidade como resolvedor de problemas, a história é outra…
. Mas vamos ficar na sapiência dos taxistas. Quando eles decidem falar - bem... eles sempre o decidem - e o passageiro dá corda, podem-se esperar as soluções mais inverossímeis. Na época da inflação braba e galopante - que, aliás, de novo vai crescendo de mansinho e encontra incentivo nas portas escancaradas pelo governo - um deles me afirmou que o IGP (acho que era esse o índice) estava destruindo o País, e o governo tinha de acabar com ele. Eu me perguntei se esse humilde brasileiro havia descoberto um miraculoso caminho para a estabilização dos preços. Mais adiante, ao responder-me quais vantagens adviriam disso, revelou que não suportava mais - todo mês a prestação da casa financiada pelo BNH subia, porque aumentava o IGP.
. Mesmo com uma visão das coisas tão limitada, algumas vezes esses laboriosos transportadores de passageiros apresentam ideias de bom senso, bem articuladas. Não é fácil apurar se resultam das próprias elucubrações, ou se eles apenas agem como correias de transmissão do que dizem seus fregueses.
. Tomei um táxi, indiquei a igreja aonde queria ir, e depois de iniciado o movimento o motorista perguntou:
- Missa de sétimo dia, Doutor?
- Não. Casamento.
- Algum parente?
- Uma colega de serviço.
. Ele assumiu um ar pensativo, e depois comentou:
- Hoje em dia não se pode ter certeza de nada...
- Certeza de quê? - perguntei.
- É, Doutor... eu também vou a muitos casamentos, mas sempre tenho medo de dar tudo errado. E isso acontece cada vez mais, quase sempre.
- O senhor tem razão: o índice de divórcios é cada vez maior.
- Não é só isso, Doutor. Antigamente as pessoas se casavam para constituir uma família, e isso significava ter filhos, tantos filhos quantos Deus lhes desse. Hoje o pessoal já casa pensando em ter só um filho, no máximo um casal. E a mania agora é programar pra daí a tantos anos. Eu não acho isso certo.
- Concordo que isso não é certo, pois recorrem à limitação da natalidade por métodos antinaturais que a Igreja condena. Eles se defendem, alegando que a vida está cara e não têm condições de manter os filhos, educar, etc.
- Conversa fiada, Doutor. Os que limitam os filhos são exatamente os que têm dinheiro. O senhor sabe que Deus abençoa a família numerosa, e diz o ditado que Deus dá o frio conforme o cobertor.
. O comentário dele tinha todo propósito, mas eu queria ver até onde havia coerência no que ele pensava, e objetei com uma desculpa muito comum:
- Mas a vida moderna está difícil, exige que a mulher trabalhe fora para ajudar nas despesas. Essa minha colega, por exemplo, precisa continuar a trabalhar, e nesse caso fica pesado educar os filhos.
- Eu não quero falar da sua colega, que nem conheço, mas geralmente isso faz parte da burrice desses casais de hoje em dia. Muitas mulheres trabalham fora para conseguir manter uma empregada cuidando da casa. Se têm filhos, precisam também de uma babá, que elas chamam de bêibi-síta, pra ficar mais moderno. Antigamente a própria mulher fazia isso, e nem pensava nessas despesas. Até sobrava tempo pra produzir coisas em casa e ajudar na renda do marido. A educação dos filhos, ela fazia muito melhor do que a tal babá de nome complicado. Homem não sabe fazer essas coisas, a mulher é que nasceu pra isso. O senhor sabe: o mundo da mulher é a casa, a casa do homem é o mundo.
- Isso mesmo! Os filhos precisam da mãe em casa. Se a mãe e o pai estão sempre ausentes, os filhos perdem as referências mais importantes para a estabilidade emocional, para a educação.
- Veja só, Doutor. Todo mundo reclama de desemprego. Mas se as mulheres ficassem numa boa, cuidando da casa e dos filhos, ia sobrar muito emprego por aí. Mulher que trabalha fora ocupa o lugar de um homem desempregado.
. Acabáramos de chegar à igreja, e a noiva já havia entrado. Paguei rapidamente a corrida, agradeci e despedi-me do motorista. Era um homem de bom senso, desses que o vulgo ignaro, vítima da propaganda feminista, desqualifica como machista. (Jacinto Flecha) 

Somos todos vira-latas raivosos. 
Insulto - Quem se dispôs a ler a coluna escrita pelo neocomunista Luis Fernando Veríssimo, no Estadão de ontem, com o título o vácuo, se não faz parte do grupo cada vez menor dos apaixonados pela ideologia do atraso, certamente se sentiu insultado. Sim, porque o estúpido escritor simplesmente resolveu chamar de vira-latas raivosos todos os indignados com o enlameado PT, que só quer saber de corrupção e incompetência. 
Leu tanto para isso? - Pois, quando já me preparava para rebater os insultos, o pensador (Pensar+) e colunista da Veja.com, Rodrigo Constantino já havia escrito um texto, com o titulo: leu tanto para isso? era melhor ser analfabeto..., que reputo como brilhante e oportuno. Eis:
Máxima - Tenho uma máxima que escrevi num pedaço de papel, mandei emoldurar e pendurei em meu escritório: jamais subsetimar nem a estupidez nem a canalhice de um esquerdista
. Tive que adotar essa medida radical pois, invariavelmente, via-me na ingrata situação de ficar surpreso com as coisas que saíam do lado de lá. Pensava comigo: Não é possível. Eles não vão tão longe assim na cara de pau, não podem ser tão pérfidos. Foi para evitar a surpresa que adotei a medida extrema.
. Hoje não caio mais da cadeira, evitando o risco de machucar a coluna ou o pescoço, quando leio os textos dos ícones esquerdistas - e sim, eu os leio, pois é preciso saber o que pensam e qual tipo de canalhice vão puxar da cartola para defender o indefensável. E por isso lá fui eu hoje, ler a coluna de Veríssimo.
Filho do Érico - Confesso ao leitor: tive que olhar para a máxima estampada na parede, e mesmo assim fiquei um tanto incrédulo: Não é possível. O filho do Érico está mesmo comparando milhões de brasileiros indignados com a roubalheira, o cinismo e a incompetência do PT a cães vira-latas? Está. Vejam com os próprios olhos:
. Houve um tempo em que os cachorros corriam atrás dos carros. Era uma cena comum: vira-latas perseguindo carros, latindo, como se quisessem expulsar um intruso no seu meio. Às vezes viam-se bandos de cães indignados, perseguindo carros que passavam, e dava até para imaginar que um dia conseguiriam alcançar um, dos pequenos, pará-lo, cercá-lo e… E o quê? Comê-lo? Nunca ficou claro o que os cachorros fariam se alcançassem um carro.
. Os manifestantes contra o governo sabem o que não querem a Dilma, o Lula, o PT no poder, mas ainda não pensaram bem no que querem. Se conseguirem derrubar o governo, que cada vez mais se parece com um Fusca indefeso sitiado por cães obsoletos, o que, exatamente, pretendem fazer com o vácuo? 
Com todas as letras - Depois de chamar os milhões de brasileiros de cachorros vira-latas raivosos, Veríssimo consegue se superar na cara de pau, e diz que não entende o motivo da revolta, já que o governo atual faz exatamente o que a oposição liberal gostaria. Diz que a nova gestão econômica, com Joaquim Levy, é um sonho dos neoliberais. Sério! O filho do Érico escreveu isso mesmo, assim, com todas as letras:
. A política econômica atual é um sonho neoliberal. Seu oposto seria uma volta à política econômica pré-Levy? Dependendo de como for impedida a Dilma, o vácuo pode ser preenchido pela ascensão do vice-presidente (tudo bem), pelo eleito num novo pleito (seja o que Deus quiser) ou pelo Eduardo Cunha (bate na madeira). O que os manifestantes preferem? A raiva precisa de um mínimo de previsão.
Neoliberalismo - Veríssimo fala como se os liberais não tivessem propostas construtivas, como se não tivessem previsto o caos atual fruto do desenvolvimentismo esquerdista defendido pelo próprio colunista, como se a alternativa ao PT fosse um grande vácuo incerto, e que talvez fosse melhor manter mesmo essa quadrilha incompetente para não arriscar algo pior. É impressionante! O filho do Érico tenta culpar o neoliberalismo pelas desgraças causadas - e antecipadas pelos liberais - pelo intervencionismo estatal enaltecido pela esquerda!
. E claro, depois desse espetáculo de canalhice, Veríssimo passa sua mensagem, associando as manifestações atuais, dos cachorros vira-latas raivosos, ao regime militar, como se protestar contra o PT hoje fosse pedir por uma ditadura, e não pela aplicação das leis democráticas de nosso país:
A luta era outra... - Sugiro a quem se preocupa com o momento nacional que faça um pouco de arqueologia histórica para manter as coisas em perspectiva. Procure na imprensa da época a reação causada pela marcha da família com Deus pela liberdade contra a ameaça comunista. Também foi uma manifestação enorme, impressionante. E foi o preâmbulo do golpe de 64, e dos 20 anos negros que se seguiram e hoje tanta gente quer ver de novo. Pode-se argumentar que os tempos eram outros, tão distantes que os cachorros de então ainda corriam atrás de carros, e a luta era outra. Mas o triste é que ainda é a mesma luta.
Vácuo de inteligência - Pois é, caro leitor, saiba que se você foi um dos milhares nas ruas domingo passado, expressando sua indignação contra o governo corrupto e incompetente do PT, defendendo o juiz Sérgio Moro, cobrando a renúncia ou o impeachment constitucional da presidente, você não passa de um cão vira-lata defensor da ditadura militar. Ao menos é o que pensa um dos ícones da esquerda nacional.
. Veríssimo acerta numa só coisa: ainda é a mesma luta. Uma luta contra a canalhice de intelectuais que pregam o socialismo do conforto do capitalismo. Uma luta contra a esquerda retrógrada, autoritária. Uma luta contra a incompetência desenvolvimentista dos que nunca aprendem com os próprios erros. Uma luta contra bajuladores de tiranias de esquerda, como Cuba. Uma luta contra a desonestidade intelectual. Ainda é a mesma luta, e essa luta será eterna, pois canalhas sempre existirão.
. Em tempo: chega a ser hilário o filho do Érico falar em vácuo pós-Dilma, uma vez que o imenso vácuo se dá justamente com Dilma no poder! Um vácuo de inteligência, capacidade de gestão, honestidade. 
Ação popular - Eleições 2014 - justiça federal do paraná recebe ação para anular licitações. Se tiver sucesso, poderá abrir real possibilidade de nulidade das eleições de 2014.
. Foi protocolada nesta quarta-feira na Justiça Federal do Paraná, uma Ação Popular em caráter liminar pela nulidade dos contratos das empresas que venceram licitações junto ao TSE - (Tribunal Superior Eleitor) para gestão das urnas eletrônicas e contagem dos votos das eleições de 2014./ . A iniciativa partiu do pensador (Pensar+) e empresário curitibano Thomas Korontai, com mais de uma dezena de mandatários, os chamados litisconsortes ativos. São rés as empresas Smartmatic International Co., Smartmatic Brasil Ltda, Fixti Soluções Tec. Ltda e Engetec Tecnologia S/A, a União Federal e funcionários do TSE envolvidos na operação na época. Na prática, se a ação for julgada procedente, as eleições de 2014 poderão também ser declaradas nulas.
. A decisão de se promover essa medida foi tomada no Conclave de Washington, realizado em março último naquela capital americana, ocasião em que o advogado Fernando Costa apresentou as evidências e provas de fraudes cometidas pelas empresas Engetec Tecnologia S/A (sucessora de empresa falida com diversas ações trabalhistas, o que apenas por isso já a inabilita a participar de licitações), Smartmatic International Corporation (sem autorização para operar no Brasil e incluída em contratos sem licitação), Fixti Soluções e Smartmatic Brasil Ltda. (com declarações patrimoniais de apenas R$ 15 mil). As empresas são suspeitas de fraudar seus próprios documentos =, tais como, declaração de folha de pagamentos trabalhistas maior do que o faturamento, declaração patrimonial abaixo do exigido pela lei, fraudes contábeis, dentre outras situações. A Smartmatic International Corporation tem sede em Barbados e filial no Brasil, mas não possui autorização para operar no Brasil, e foi incluída sem licitação, em contratos com o TSE. O advogado Fernando Costa pergunta na Ação, porque não foram então, contratadas empresas como o Serpro e Dataprev, que têm tecnologia suficiente e tem privilégio de contratação por similaridade técnica? Não se pode terceirizar a democracia e a soberania nacional a estrangeiros disse o advogado.
. Thomas Korontai, que foi um dos conferencistas no Conclave de Washington e que propôs ingressar com tal medida, já foi autor de duas outras ações populares - uma em 1995 para impedir o auto aumento escandaloso de salários de deputados e senadores (tal ação nunca foi julgada) e outra em 1998 para anular contrato de US$ 1,4 bilhão da Raytheon Co. com o Governo Brasileiro para construir e gerenciar o sistema SIVAM, obtendo a única sentença de mérito na 7º Vara da Justiça Federal do Paraná, o que permitiu que o sistema fosse quase que totalmente nacionalizado. Ele se declarou escandalizado com o volume de ilegalidades cometidas destacados nesta ação, inclusive falsidade ideológica, para declarar nulos os contratos das empresas que controlaram as eleições no Brasil desde 2012, A Ação tem 85 páginas e quase 500 anexos. Ele também já encaminhou ao Dr. Delton Dallagnoll, Coordenador da Operação lava Jato, do Ministério Público Federal, a ação e provas das fraudes, todas obtidas no próprio TSE pelo Dr. Fernando Costa, para abertura de investigação criminal por parte da Polícia Federal. Espero que na onda do Lava Jato, possamos passar a limpo as eleições de 2014, sob forte suspeita de fraudes, e se os contratos forem anulados, se abrirá a possibilidade de se discutir a legitimidade do processo eleitoral que manteve a Sra. Dilma Rousseff no Planalto, declarou Korontai, que é também, líder nacional do Movimento Federalista, que propõe exatamente a desconcentração dos poderes com forte autonomia federativa aos estados.
. Ele lembra ainda que o Brasil é signatário da Convenção de Mérida, e a Smartmatic International Co. jamais poderia ser contrata também pelo fato de estar com processos criminais em outros países.
. O processo tramita na 11º Vara da Justiça Federal sob o nº 5042513-70.2015.4.04.7000 nas mãos da Juíza Silvia Regina Salau Brollo. O patrocínio advocatício da Ação Popular no Paraná é da advogada e jornalista Dra. Rosemari Kalluf. (GSPIres) 

"Enquanto houver vontade de lutar haverá esperança de vencer." (Santo Agostinho)

Nenhum comentário: