12 de ago de 2015

Há um mundo irreal em certas mentes(ops)...

• Realmente estão desvairados! Lula: não julguem Dilma por seis meses de mandato. Em discurso na abertura da 5ª Marcha das Margaridas, ex-presidente Lula atribuiu à crise internacional a responsabilidade pela atual dificuldade econômica enfrentada pelo Brasil e pediu tempo para que a presidente Dilma Rousseff possa superar os problemas: A crise não começou no Brasil. Ela começou nos Estados Unidos e na Europa. Algumas pessoas não perceberam que a eleição acabou dia 26 de outubro e que a Dilma é presidenta deste país, disse; Quem chegou onde a gente chegou, não pode retroceder. Quero dizer que estou preparando meu caminho para voltar a viajar pelo meu país. Eu quero ver se nossos adversários estão dispostos a andar por este país e discutir como ele precisa ser discutido, acrescentou. (247) 
• Dinheiro liga doleiro da Lava-Jato a obra no prédio de Lula. De Youssef: deu R$ 3,7 milhões à Planner, que pagou R$ 3,2 milhões à OAS na construção. 
• O que fez Renan? Pacote com itens? Legislativo não quer ser sabotador, diz Renan ao apresentar a Agenda Brasil. Renan deve ficar fora de primeiras denúncias do Ministério Público. Investigadores têm mais dificuldades com provas contra senador no esquema. Apenas pensem! 
• Aliados de Cunha vão incentivar ataques a Renan em protestos. Discurso do grupo do presidente da Câmara, que ficou isolado, será de que acordo do chefe do Senado para salvar Dilma inclui preservá-lo da Lava Jato. Em almoço com aliados, presidente da Câmara definiu como estratégia disseminar informação de que presidente do Senado atua para salvar Dilma num acordão. Aprovação de pacote de senador é difícil. Ministros tentam adiar julgamento do TCU sobre contas do governo. 
• Por que só agora? Gleisi quer elevar tributos sobre bancos. Senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) vai apresentar relatório da MP que eleva impostos sobre bancos, com a ideia de tributar o andar de cima, como pressionam líderes petistas; a alíquota pode subir de 15% para até 22,5%; além disso ela quer retirar um benefício fiscal de grandes empresas - deduzir no Imposto de Renda os recursos dos Juros sobre Capital Próprio, para elevar a arrecadação federal. 
• Agência de risco Moody's rebaixa nota do Brasil, mas não tira selo de bom pagador. Brasil não perde investimentos com rebaixamento da nota, diz Barbosa. Agência de classificação de risco Moody's mudou a nota brasileira de Baa2 para Baa3. 
• Solo que a recebeu e a sua família recebe um troco de insensibilidade: após calote, governo federal bloqueia contas do RS. Banco do Brasil confirmou o bloqueio de cerca de R$ 60 milhões que estavam no Tesouro do Estado, até o Palácio Piratini pagar a parcela do mês de julho da dívida do Estado com a União, que chega a aproximadamente R$ 280 milhões; nesta terça-feira, o governador José Ivo Sartori (PMDB) divulgou nota oficial dizendo que, com essa medida, o Rio Grande do Sul perde completamente a capacidade de gerência sobre os seus próprios recursos
• Grupos da Lava Jato negociam quase R$ 2 bi no Carf. Investigadas por esquema de corrupção na Petrobras, Camargo Corrêa, Odebrecht, Andrade Gutierrez e EIT Empresa Industrial tentam reverter dívidas fiscais com a União em órgão da Fazenda alvo da Operação Zelotes. 
• Pauta da semana na Câmara dará trégua para Dilma. Maioridade penal e reforma política devem voltar à cena do Plenário da Câmara. No Senado, Renan irá mostrar seu comprometimento com o governo. Os senadores apreciarão PEC que retira desoneração de folha de pagamento. 
• Você reclama do salário, leia: Ministros do STF reajustam seus salários de R$33,7 mil para R$39 mil. 
• Incrível como pensam! Diminuir mais como? Só mágicas. Sem térmicas, conta deve cair 1%. Governo aposta em um menor consumo de luz, diz setor. Para seis especialistas, decisão de desligar usinas térmicas deixará reservatórios em nível baixo. Rios secam e empresas de navegação estimam prejuízos de até R$ 685 milhões. 
• Em meio a mais grave crise do milênio no Brasil, com inflação em alta e o PIBinho, o governo Dilma já torrou R$ 13,95 bilhões desde o começo do ano e bateu o próprio recorde de gastos com Bolsa-Família em apenas um semestre. Mantendo o ritmo de gastos de R$ 2,3 bilhões por mês e sem contrapartida de beneficiários, o bolsa-família não sofreu cortes, ao contrário de áreas como educação, saúde e habitação. 
• O colunista da Veja, Felipe Moura Brasil, produziu um vídeo de 13 minutos mostrando fatos e situações da longa história de cumplicidade entre Lula e José Dirceu, principalmente a partir de 1990, com a fundação do Foro de São Paulo. Vale a pena. Deu no deu.
• Lava Jato: mais nove acusados pretendem fazer delação premiada. Das 112 pessoas presas na Lava Jato desde março do ano passado, pelo menos 23 assinaram acordo de delação premiada. 
• China desvaloriza moeda em 1,62%, a segunda redução em dois dias. 
• Parentes de passageiros do MH370 rejeitam conclusão sobre destroços de avião. Retomadas operações de busca de destroços de avião da Malaysia Airlines.
• Canal do Panamá. Até aí tudo bem, mas segundo um senador ontem no plenário do Senado afirmou que Dilma empregou 1 bilhão nas obras. O que você vai dizer.

Desastrada e mal-intencionada.  
Intrigado - Não conheço o Estado do Maranhão. Também não recordo se alguma vez conversei com um maranhense. Ontem, no entanto, fiquei intrigado com os aplausos que os moradores de São Luís, capital daquele Estado, conferiram à pra lá de desastrada, mal-intencionada e incompetente presidente Dilma Neocomunista Rousseff, ao discursar durante um evento de entrega de imóveis do Minha Casa Minha Vida.
Notáveis - Como é mais do que sabido, de norte a sul e de leste a oeste do país, a presidente Dilma Rousseff e seu antecessor, Lula da Silva, já são conhecidos no mundo todo como os chefes de governo que mais mentiram, mais promoveram desgoverno e, principalmente, aqueles que lideraram os maiores corruptos do mundo. Por isso, confesso que não entendi os aplausos daqueles maranhenses.
Vale tudo - Ao ouvir as palmas, Dilma tratou de fazer um apelo: - Vamos repudiar sistematicamente o vale-tudo para atingir qualquer governo, seja o governo federal, seja o governo dos estados, dos municípios. No vale-tudo, quem acaba sendo atingido pela torcida do quanto pior, melhor, é a população do país como um todo. Que tal?
Ninguém pensa no Brasil - Ninguém que pensa no Brasil, ninguém que pensa no povo brasileiro deve aceitar a teoria dos processos que falam: eu não gosto do governo, então, vou enfraquecer ele. Então, eu aposto no quanto pior, melhor. Quanto pior, melhor para quem? Para quem? É pior para a população, para o povo e para todos nós, disse Dilma, aos gritos (como se os maranhenses fossem surdos). Pode? 
Mais do que provado - Ora, sem qualquer ponta de ironia ou pouco caso, mas usando de toda a sinceridade, se há alguém que apostou tudo de mais um pouco no quanto pior, melhor, foram os petistas, principalmente Lula e Dilma, com seus planos econômicos catastróficos. Isto já está mais do que provado. 
Melhor para o PT - Como se não bastasse a aplicação pré-concebida da Matriz Bolivariana, que praticamente está deixando o Brasil cada dia mais parecido com a Venezuela e/ou Grécia, os governos Lula/Dilma focaram, isto sim, no quanto pior para o povo, melhor para o PT. Principalmente ao apadrinhar as roubalheiras que fizeram na Petrobras e outras estatais. 
Renúncia - Confesso que diante de tanto descalabro petista não entendi o que levou os maranhenses de São Luís a aplaudirem o discurso de Dilma. Mas, faltando poucos dias para as grandes manifestações brasileiras marcadas para o próximo domingo, 16 de agosto, aí, certamente, saberão que os petistas são merecedores de vaias. Muitas vaias. E de sobremesa a renúncia da presidente, que já não tem apoio algum. 
Energia - O governo federal anunciou um pacote de investimentos de R$ 116 bilhões em geração e R$ 70 bilhões em transmissão de energia elétrica até o final de 2018. O anúncio do chamado Plano de Investimento em Energia Elétrica (PIEE) foi feito nesta terça-feira (11) pelo ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, em cerimônia no Palácio do Planalto. Segundo o ministro, o país deve chegar a 2018 com um sistema elétrico mais robusto, com custos declinantes e competitivos com o mercado internacional. (GSPires)
 
É próprio da insensatez apontar os defeitos dos outros e esquecer-se dos próprios. (Cícero)

Nenhum comentário: