23 de ago de 2015

Golpe, um sinônimo de ...

• Gilmar Mendes pede investigação da campanha de Dilma Rousseff. Ministro do TSE e do STF solicita que Procuradoria apure eventuais crimes, pois haveria 'indicativos' de que campanha foi financiada por propina da Petrobras. 
• Temer diz que sai da articulação e fica responsável por macropolítica
• Aposentados receberão 25% do 13º, em setembro e 25% em outubro. Ufa, por pouco. 
• Petróleo recua, e analistas põem pré-sal em xeque. Barril fica próximo do mínimo considerado pela Petrobras para projetos. 
• Previsões televisivas no poupar energia: Comerciais do PT serão exibidos a partir da noite deste sábado; num deles, a presidente Dilma Rousseff reconhece que muitos brasileiros estão sofrendo, mas afirma que 2015 é um ano de travessia para tempos de maior crescimento; Tem muito brasileiro sofrendo, mas juntos vamos sair dessa. Estamos em um ano de travessia. E essa travessia vai levar o Brasil a um lugar melhor, disse ela; em outro, o ex-presidente Lula afirma que o Brasil já venceu muitas crises e diz que, desta vez, não será diferente; Já tivemos muitas crises, algumas bem piores que a atual. E o povo brasileiro sempre soube vencê-las. Não tenho a menor dúvida venceremos mais essa
• Do apaniguados banqueiros: Não há motivos para tirar Dilma. 
• País dividido é negro prenúncio. E num adendo: Com reforma, número de leitos psiquiátricos no SUS diminuiu 40%. 
• Ninguém cobra a saída de Renan, defende-se Cunha. Presidente do Senado foi acusado em 2013 de receber recursos de empreiteira. 
• Quase 1/3 dos bebês de até 2 anos tomam refrigerantes. Mais de 60% comem bolachas e bolos, mostra pesquisa do IBGE. 
• Senadores preveem que Janot será reconduzido. Apesar de investigar parlamentares na Lava Jato, ele deve ter apoio no Senado. 
• Brasileira violou lei do Equador, diz ministra do país. Jornalista Manuela Picq estava proibida de ir a protesto por ser estrangeira. 
• Música ajuda crianças com autismo e síndrome de Down. Após fazer aulas, jovens desenvolvem maior capacidade de comunicação. 
• Mais de mil refugiados entraram na Macedônia pela frontreira com a Grécia. Os refugiados esperam conseguir entrar na Sérvia, localizada ao Norte da Macedónia, para começarem uma nova vida na União Europeia. 
O Governo Dilma e a Síndrome de Estocolmo. 
. Há alguns meses, uma dupla de vagabundos me encostou uma pistola na barriga e exigiu a chave do carro. Ainda sob o impacto do acontecido, fomos, minha mulher e eu, à delegacia mais próxima relatar a ocorrência. Era o que se impunha fazer naquele momento e esperávamos, ademais, que a notificação urgente possibilitasse - quem sabe? - recuperar o que nos haviam roubado. Mas isso não aconteceu.
. Estou convicto de que tivemos um comportamento normal. É o que se faz em tais circunstâncias. Reage-se indo à polícia. Espera-se que os criminosos sejam apanhados. Exige-se que as quadrilhas sejam trancafiadas.
. Diante do que acabo de descrever, impõem-se inquietante questão: por que, diabos, quando na condição de cidadãos que vêm o país ir à gaita, tantos se recusam a admitir que estão sendo roubados? Por que, após serem ludibriados com mentiras, muitos se mantêm defendendo os mentirosos? Que síndrome de Estocolmo (1) social e economicamente sinistra é essa que ainda sai às ruas, assina colunas de jornais, esgrima comentários no rádio e na tevê e se entrincheira nas redes sociais para defender o governo? Agem como vítimas que, após o dano sofrido, saem conversando amavelmente, abraçadas com quem as prejudicou - Bye, bye, voltem sempre!. (1) Essa síndrome designa o vínculo emocional com os sequestradores, desenvolvida pelos sequestrados durante um roubo a banco na capital da Suécia em 1973.
. Recebi, ontem um levantamento segundo o qual, somando-se os filiados ao Partido dos Trabalhadores com os militantes do MST, Via Campesina, MTST, UNE e ONGs financiadas pelo governo federal, acrescidos dos blogueiros, MAVs pagos pelo partido e titulares de cargos de confiança, chega-se a umas 15 milhões de pessoas, ou seja a 7% do eleitorado. E esse seria, portanto, o piso da aprovação ao governo.
. No entanto, os números parecem um pouco inflados. Há gente que não se enquadra em qualquer dessas categorias e se conta entre os tais 7%. Quando milhões saem às ruas em centenas de cidades do país, expressando a natural indignação de quem se percebe roubado, ludibriado e vítima de estelionato eleitoral, os protetores do governo tratam de desqualificar suas admiráveis manifestações. Afirmam que são mobilizações exclusivas da classe média, como se um governo que fez mais da metade dos votos e em poucos meses cai para 7% de aprovação, não tivesse perdido apoio de todas as classes sociais.
. Nestes dias, o petismo busca salvação no andar mais elevado dos poderes de Estado, reunindo homens da estirpe de Lula, Sarney, Renan, Jucá, Barbalho. Janta com ministros do STF! Encontra-se secreta e casualmente com Lewandowsky na cidade do Porto. Usa e abusa dos nossos recursos, aumentando os gastos com a publicidade oficial para domar a mídia e distribuindo favores aos currais eleitorais do Norte e do Nordeste.
. E tem buscado, inutilmente, arregimentar apoios, também, no andar térreo, convocando os exércitos de Stédile (MST) e de Vagner Freitas (CUT). Que fiasco! Para cada cem manifestantes do dia 16, o governo conseguiu, no dia 20, transportar e colocar nas ruas uns 4 ou 5 gatos pingados, que se moviam em visível constrangimento e com a animação de velório de monge budista. Não é humano, não é natural, não é normal, aplaudir corrupção, inflação, desemprego, carestia, recessão e incompetência. Quando isso acontece, ou há interesses em jogo, ou é síndrome de Estocolmo. (Percival Puggina, membro da Academia Rio-Grandense de Letras, arquiteto, empresário e escritor) 

Ali Babá e Aqui Babá. Ali Babá.
. As Aventuras de Ali Babá e os 40 Ladrões, conto fictício que integra o Livro das 1001 Noites, é uma das histórias mais lidas, ouvidas e conhecidas no mundo todo. Segundo alguns críticos e historiadores, os contos mais antigos, que perfazem a obra clássica, datam do século XII.
Relação estreita - Pois, ainda que se diga que o raio dificilmente cai num mesmo lugar, no Brasil esta lógica não se verifica. Ao contrário, até história de Ali Babá e os 40 Ladrões, que é um conto de ficção, há uma relação muito estreita com a história do ex-presidente Lula, absolutamente real, que mais parece o Aqui Babá. Vejam:
Ali Babá e Lula - Ali Babá era lenhador. Lula, metalúrgico. O tesouro de Ali Babá e os 40 ladrões se encontrava numa caverna, que se abria com a expressão Abre-te, Sésamo. O tesouro de Lula, o Aqui Babá, nas estatais, notadamente na Petrobras, que, até recentemente atendia pelo nome de Pixuleco.
Final feliz - O conto de Ali Babá encerra com um final feliz para todos menos para os ladrões. No Brasil, pela forma como as investigações estão sendo conduzidas há quem acredite que a história real pode imitar aquela ficção. Até porque, enquanto alguns Ladrões já foram presos e outros estão sendo investigados, o chefe Lula e seu poste incompetente permanecem soltos e agindo de forma revoltante. O que pode levar os brasileiros a um final triste
Mais corrupto - É praticamente impossível que a história real de Lula, o Aqui Babá, ganhe mais fama do que o conto de ficção As Aventuras de Ali Babá e os 40 Ladrões. De qualquer forma, uma coisa já é mais do que certa: dificilmente algum país do mundo conseguirá ver um governo mais corrupto do que os dois últimos governos petistas. Duro, não? 
Olhos vistos - Enquanto a economia brasileira definha a olhos vistos, a presidente Dilma insiste com medidas que sabidamente não deram certo. Para piorar ainda mais a situação, também não consegue a aprovação de outras que poderiam ajudar, temporariamente, no tratamento das doenças que estão matando o nosso pobre país. Pode? (GSPires)

A ocasião faz o furto; o ladrão nasce feito. (Machado de Assis)

Nenhum comentário: