2 de jul de 2015

Maioridade e o Estado Penitenciário...

• Com pedalada regimental, redução da maioridade penal é aprovada em 1º turno. Proposta mais branda de redução da maioridade penal crime hediondo é aprovada na Câmara. Texto que exclui a redução da maioridade de 18 anos para 16 anos em caso de roubo qualificado e tráfico de droga; na terça-feira, proposta sobre o tema havia sido rejeitada por deputados. Estudantes são impedidos de assistir à votação da maioridade pena. Haverá 2ª votação antes de ir ao Senado. Cunha decide votar hoje nova proposta da maioridade penal. Será votada outra emenda que prevê redução para crimes graves. 
• Aprovação ao governo Dilma é de 9%, diz CNI/Ibope. Total dos que acham a gestão ruim ou péssima chega a 68%. 
• Nosso dinheiro, está aqui. A suíte do Hotel St. Regis, em Nova York, esquina da Fifth Avenue com a 55th Street, onde a presidente Dilma se hospedou, custa US$ 11 mil a diária, cerca de R$ 35,2 mil. É o equivalente a 446 salários mínimos vigentes no país. Em Washington, ficou na Blair House, palácio destinado a receber convidados de Estado em visita ao presidente dos Estados Unidos, na mesma Avenida Pennsylvania, ao lado do Lafayette Park. 
• Senado aprova texto que estende PEC da Bengala a todos os servidores públicos da União, Estados e Municípios em até 78%. Dilma diz ser insustentável reajuste aprovado a servidores do Judiciário. Ela não disse se vai vetar. 
• Senado eleva para 75 anos limite de idade para servidor se aposentar. Proposta segue para análise na Câmara. 
• Nova decisão de Gilmar Mendes concedeu decisão liminar (provisória) colocando em liberdade maior ficha-suja do país, o ex-presidente da Assembleia Legislativa do MT José Riva, político réu em mais de 100 ações
• A sempre atenta - Dilma diz que reajuste ao Judiciário é insustentável. Nos EUA, presidente disse que aumento aprovado nesta terça pelo Senado compromete o ajuste fiscal. 
Pedaladas fiscais de Dilma continuam em 2015. Processo das pedaladas no TCU não intimidaram governo Dilma. TCU comprovou manobras consideradas crime pela lei de responsabilidade fiscal. 
• Patrimônio de novo delator cresceu 50 vezes entre 2003 e 2013. O empresário Milton Pascowitch é apontado como operador de propinas da empresa Engevix. 
• Ex-gerente seria guardião do dinheiro roubado. A suspeita é que us$ 100 milhões devolvidos não eram de Barusco. 
• Barcos recomeçam trabalho de limpeza da Baía de Guanabara para Olimpíada. Ecobarcos voltam à Baía sem sistema que parou operação. Falta de mecanismo para melhorar deslocamento de embarcações tinha sido justificativa do estado para interromper serviço quatro meses atrás. Despoluição custará R$ 12 bilhões. 
• Petrobras vende à PetroRio, por US$ 25 mi, participação em campos de petróleo. Assinado ontem com a PetroRio (ex-HRT) os contratos para a venda de sua participação de 20% nas concessões dos campos de Bijupirá e Salema, atualmente operados pela Shell. Petrobrás estuda abrir capital da BR Distribuidora que faz parte de plano de desinvestimento da Petrobrás como alternativa para a subsidiária faz parte do plano de desinvestimento da estatal; objetivo é arrecadar R$ 57 bi. 
•  As crianças judias tchecas salvas pelo Schindler britânico. Leia
• Europa rompe com Grécia após nova crítica de premiê. Acusações de chantagem irritaram autoridades, que agora vão esperar por plebiscito para reiniciar diálogo. O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, fez um pronunciamento à nação na TV, ontem, um dia após Atenas deixar de pagar a dívida com o FMI. 
 • Para o FMI a Grécia deve iniciar reformas antes de receber alívio. Christine Lagarde, diretora-geral do Fundo, diz da necessidade de mais clareza por parte de Atenas. 
• Há forte apoio para suspender embargo a Cuba. Obama anuncia reabertura de embaixadas em 20 de julho e pede fim do bloqueio a parlamentares; bandeira dos EUA será hasteada por Kerry. 
• Ofensiva do Estado Islâmico deixa mais de 100 mortos no Egito. O grupo jihadista Estado Islâmico (EI) lançou nesta quarta-feira uma série de ataques sem precedentes contra o Exército egípcio no Sinai, em uma ofensiva que deixou mais de 100 mortos, em sua maioria. 

Pré-Sal. 
. Em seis meses, Serra fez mais pelo Brasil no Senado do que Suplicy em 24 anos. Basta ter clareza e saber o que se quer!
. Em meio ano no Senado, José Serra (PSDB-SP) fez mais pelo Brasil do que Eduardo Suplicy (PT) em 24 anos. O Senado deve aprovar projeto proposto pelo senador paulista que aumenta o tempo máximo de internação de menores infratores de 3 para 8 anos. Na verdade, seu texto original propunha 10, mas o relator, José Pimentel (PT-CE), rebaixou em dois anos. E não só.
. Serra deve ser bem-sucedido também - e, mais uma vez, o país sairá ganhando - em pôr fim à obrigatoriedade de a Petrobras participar da exploração do pré-sal. O relator é o senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES), que submeteu a proposta original a uma pequena mudança, mas que conserva a sua essência.
. Na versão que deve ir a plenário, a Petrobras deve ter a preferência na participação. Caso abra mão da prerrogativa, então uma empresa privada no lugar. Na verdade, o resultado é o mesmo, não é? O que importa é tirar o entrave que impõe uma pesada carga à Petrobras e que pode atrasar a exploração do pré-sal no Brasil.
. Eu não tenho dúvida de que, caso a proposta de Serra seja aprovada, as ações da Petrobras vão subir porque as imposições do pré-sal são hoje um fator que conta contra a salubridade da empresa. Até porque a estatal diminuiu os investimentos previstos para o período de 2015 a 2019 em 37%, o que significa US$ 90,3 bilhões a menos quando comparado com o previsto no Plano de Negócios e Gestão para 2014 a 2018.
. O curioso é que o próprio Lula teria dito a senadores do PMDB ser favorável à mudança. Tanto melhor, né? Em sua mais recente resolução, a Executiva Nacional do PT, alheia, como de hábito à realidade, atacou a possibilidade, com aquela retórica jurássica conhecida.
. Pois é… Quem disse que é impossível fazer um trabalho decente no Senado e eliminar alguns pilares do atraso? Só que é preciso ter clareza de propósito e saber trabalhar.
. Nesse sentido, Serra tem sido exemplar. Também está em tramitação sua proposta que institui o voto distrital já a partir de 2016 nos municípios com mais de 200 mil eleitores, o que seria um avanço formidável. Bastaram seis meses. Suplicy espera há dois anos para defender o seu programa de Renda Mínima para Dilma.
. OK. Os 24 anos anteriores demonstram que ele tem outra noção de tempo. (Reinaldo Azevedo) 
Povo adestrado. 
Análise simples - Um povo que não conta com uma boa educação, do tipo que propõe, de fato, o desenvolvimento correto e eficaz do raciocínio, se transforma, inevitavelmente, em presa fácil da vontade dos maus governantes. Vale dizer, por óbvio, que o governo brasileiro se enquadra perfeitamente nesta simples e rápida análise, como verdadeiro golpista
Adestramento - Aliás, a história está aí para contar, com absoluta clareza, que para ficarem longe do perigo que representa o desenvolvimento da razão e/ou discernimento do povo, os maus governantes, ao invés de promoverem boa educação impõem verdadeiros programas de adestramento. Com isso aumentam as suas chances de serem obedecidos sem grandes questionamentos.
Contratação - Para obter bons resultados na tarefa de adestramento do povo, os governantes do mal contratam educadores (que nada mais são do que adestradores) já devidamente ideologizados pelos sindicatos alinhados com governos (geralmente neocomunistas), agências de propaganda alinhadas e, para completar o menu, ainda contam com a mídia chapa branca para divulgar suas vontades.
Não reagir - Só para dar um pequeno exemplo do quanto o povo brasileiro é adestrado, basta observar os ensinamentos que recebe, tanto dos governantes quanto dos educadores e da própria mídia, quando está sendo assaltado por marginais, nas ruas ou na própria casa. Aí a ordem emanada pelos incompetentes é, simplesmente, não reagir.
Situação de roubo - Pois, bem. Agora imagine você entrando num restaurante qualquer querendo comprar comida pronta, para ser consumida em casa. Depois de fazer o pedido, você se dirige ao caixa, efetua o pagamento e espera por uma hora a entrega do prato, devidamente embalado. Mais tarde, ao chegar em casa, cheio de fome, se dá conta de que foi alvo de um golpe. Ao invés do alimento um tijolo foi colocado no embrulho. 
. Por certo, ao perceber que foi roubado e trapaceado, você fica irritado e vai, imediatamente, ao restaurante, cheio de razão e pronto para reagir. Afinal, você acabou de ser vítima de um golpista. 
Impostos - Agora veja o que acontece quando você é assaltado, diariamente, pelos nossos governantes, que exigem, compulsoriamente, na forma de impostos, o pagamento dos serviços de educação, saúde e segurança que o Poder Público simplesmente não entrega (e quando o faz ainda é pra lá de indecente). Aí, como se vê, a reação, por força do adestramento, é bem diferente. Isto quando ela acontece. 
Golpista - Ou seja, a ordem para não reagir tem como grande propósito não o assaltante de rua, mas quando o governo é o golpista da falsa prestação de serviços. Aí só o máximo que é permitido é algum tipo de indignação. Mais: com o cérebro dilacerado pelo forte adestramento, mesmo quando se declara como vítima dos serviços públicos indecentes, o povo é levado a ficar ainda mais convencido de que sempre deve chamar o governo para intervir no mercado e/ou para criar novas estatais. Pode? (GSPires)

Nenhum comentário: