3 de jul de 2015

Dizem, o país se dilui...

• Senado aprova nova tabela do Imposto de Renda. Medida foi editada como alternativa ao veto de projeto anterior que definia reajuste linear de 6,5% para todas as faixas salariais. Correção do IRPF passa a variar de 4,5% a 6,5% com efeitos práticos a partir de abril deste ano, e deve ser confirmada em sanção presidencial. 
• EUA pedem extradição de Marin, mas decisão da Suíça pode levar semanas. 
• Delator, o lobista Milton Pascowitch, diz que dinheiro recebido por José Dirceu é propina. Petista teria recebido R$ 1,45 milhão da empreiteira Engevix. Segundo Dirceu, dinheiro seria pagamento por consultorias. 
• PF prende ex-diretor da Petrobras Jorge Zelada em nova fase da operação Lava Jato. 
• Supremo nega acesso de ministros à delação do empreiteiro Ricardo Pessoa. Relator levou em consideração que o acordo de colaboração ainda está sob sigilo. 
• Presidentes de empreiteiras da Lava Jato têm R$ 5,8 milhões bloqueados. 
• O ex-conselheiro e acionista da Petroquimica Triunfo Auro Gorentzvaig ao depor na CPI, na Câmara dos Deputados, em Brasília (DF) causou revolta ao sugerir que o fechamento do Congresso. 
• Petrobras admite nova alta da gasolina em 2015. Aldemir Bendine afirma que estatal tem independência na política de preços. 
• Ministro da Justiça diz que poderá deixar o governo. Cardozo sofre pressão após PT criticar ações da Polícia Federal na Lava Jato. 
• Justiça além da conta. Aumentos salariais e distribuição de benefícios no Judiciário são incompatíveis com situação do país. 
• Investidores internacionais só falam em Mr. Cunha. A fama do presidente da Câmara roda o mundo. Para o mercado internacional, é ele, com agenda ofensiva e independente, quem manda no Brasil. 
• Cuba e EUA reabrirão embaixadas em Washington e Havana em 20 de julho. 
• Cuba é o primeiro país a eliminar transmissão do HIV de mãe para filho. País registrou em 2013 os casos de apenas dois bebês que nasceram com HIV e três que nasceram com sífilis congênita. 
• Metas climáticas não devem impedir que aumento da temperatura global supere os 2ºC. Cientistas afirmam que as propostas anunciadas por China, EUA e Brasil não serão suficientes para limitar o aumento do aquecimento global ao número acordado.
. A farsa do Aquecimento Global. ..Os ambientalistas falam tanto em aquecimento global, derretimento das calotas polares, da camada de ozônio, CO2 etc. etc.
. O Prof. Dr. Ricardo Felício, climatologista, doutor e prof. da USP, desfaz esses mitos todos em uma palestra dada ao IPCO - Instituto Plinio Corrêa de Oliveira, no Club Homs, em São Paulo. 
 photo _ainferno.jpgSe não existisse o Inferno, a Terra se transformaria num Inferno.

. Vivemos numa época de ateísmo teórico e prático que se alterna com uma religiosidade dulçurosa e sentimental, e as vezes ambos se confundem. Tanto o ateísmo como a religiosidade sentimental contribuem para a queda da moralidade e a caotização da sociedade.
. Isso porque, para o ateísmo, não existe Deus e para a religiosidade sentimental, Ele não castiga. Portanto para ambos não existe um Juiz Supremo de nossas ações, que premia ou castiga, conforme nossas boas ou más ações.
. Ora, sem que haja uma punição pela transgressão da lei - em relação a moral a lei de Deus, conhecida pela revelação ou pela lei natural impressa em nossos corações, esta perde seu sentido impositivo.
. Mas, uma lei que não implica numa punição, caso seja transgredida, não é verdadeira lei; é apenas uma indicação, uma orientação, que podemos seguir ou não, a nosso bel prazer. A conseqüência disso é que a lei moral deixa de ter sentido, caindo por terra a própria noção de moralidade.
. Daí a necessidade de um castigo, para que a lei moral obrigue de tal forma que mantenha vivo o senso moral, sem o qual a vida em sociedade se torna inviável.
. Por outro lado, ao se transgredir a lei, ofende-se seu autor; no caso, o próprio Deus, e nisto consiste o pecado.
. Embora o pecado já traga consigo uma punição aqui nesta terra, esse castigo tem um caráter medicinal, é uma forma despertar no homem o senso do bem e de abrir sua alma para a graça. Trata-se de um castigo misericordioso.
. Uma vez, entretanto, chegado o momento derradeiro, em que a morte corta a possibilidade de uma volta atrás, se o homem rejeitar a derradeira graça e expirar no estado de revolta contra Deus, ele sela seu destino eterno. A misericórdia cede então o lugar à justiça divina, a qual aplaca a Majestade divina ofendida condenando o pecador impenitente ao inferno para sempre.
. Estas verdades, que são confirmadas pelas Escrituras,[1] são de difícil compreensão para o homem moderno, que perdeu quase por completo a noção da justiça.
. Se Deus não fosse justo, ele não seria perfeito e, portanto, não seria Deus. Por isso o profeta David exclama: O Senhor é justo e ama a justiça (Salmo 10:7). Por isso Ele não pode deixar que a ofensa feita à sua Divina Majestade fique impune.
. Mas, pode-se objetar, Deus não é misericordioso, não deseja que o pecador se converta e se salve? (cf. Ezequiel 33:11).
. Sim, e foi por isso que Nosso Senhor Jesus Cristo sofreu sua paixão e morte dolorosíssima; foi por isso que Ele fundou a sua Igreja e instituiu os sacramentos para nos comunicar sua graça e, em especial a Confissão, para perdoar nossos pecados arrependidos com o propósito de emenda.
. Por sua misericórdia também Deus é paciente à espera de nossa conversão: Senhor é compassivo e misericordioso: paciente e cheio de misericórdia (Psalm 103:8).
. Não se pode conceber, entretanto, a misericórdia como se ela aniquilasse a justiça como se Deus não se importasse com as ofensas, como um Buda insensível a nossas obras: Dizer que Deus não pode sofrer é uma coisa, dizer que Deus é indiferente ao mal, é outra. A resposta de Deus face ao mal não é o sofrimento, mas a cólera, isto é, sua oposição ao mal.[2]
. Essa cólera divina, que não é separável de seu e misericórdia - por mais terrível que seja o castigo do inferno, ele ainda deveria ser maior - era bem compreendida nos tempos em que havia fé viva.
. Por exemplo, o poeta Dante Alighiere (+ 1321), em sua imortal obra A Divina Comédia pôs os seguintes dizeres na porta do Inferno:
. Por mim se entra no reino das dores;
. por mim se chega ao padecer eterno;
. por mim se vai à condenada gente.
. por amor à justiça, criou-me o Poder que tudo pode;
. pois que sou obra da Suma Sabedoria e do Amor. (Cant. III)
. Eliminada, no entanto, a ideia de um castigo eterno, da existência do Inferno, como foi dito, se destrói a reverência pela lei divina, caindo-se no completo amoralismo. E o resultado é que os homens se transformam em feras, dando vazão a todos os seus caprichos, ambições e cóleras.
. A vida em sociedade se degrada e, dessa forma, a frase absurda do filósofo existencialista francês Jean-Paul Sartre, de que o inferno são os outros, toma sentido, pois o mundo se transforma num verdadeiro Inferno. (Luiz Sérgio Solimeo, IPCO)

[1] Cf. por exemplo, Isaias 66:24; Mat. 25:46; 26:24; Marc. 9:43, 45, 47; João 3:36; Romanos 9:22; 1 Corinthians 6:10; Gálatas 5:21: Apocalipse 14:11; 19:3; 20:10 etc./ 
[2] Dieu est-il impassible?, retrieved 5/2/15.

Nenhum comentário: