26 de jun de 2015

Otimismo, só ela têm…

 photo _aamandioca.jpg
• Em recado ao mercado, governo reduz para 6% teto da meta de inflação de 2017. Limite da margem de tolerância passou de 2 para 1,5 ponto porcentual da meta prevista para o ano. Contas públicas têm, até maio, o menor superávit desde 1998. 
• Supremo aceita acordo de delação de executivo da UTC na operação Lava Jato. Nas negociações, Ricardo Pessoa disse que deu R$ 7,5 mi à campanha de Dilma. Defesa do presidente da Odebrecht entra com pedido de habeas corpus. 
• BNDES não poderá conceder mais empréstimos à Petrobras. Segundo equipe econômica, novas operações só serão liberadas após banco se enquadrar em normas comuns a todas as instituições no Brasil. 
• O líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE), disse agora no plenário da Câmara que a conduta do senador do DEM Ronaldo Caiado (GO) tem de ser repudiada. Caiado divulgou pelo Twitter que um habeas corpus preventivo em nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi protocolado no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) e disse apenas ter dado publicidade ao documento. Esse tipo de inverdade não pode prevalecer. O nosso repúdio, como vice-presidente do PT, ao líder do DEM que semeou essa mentira e terminou contaminando as redes sociais, disse Guimarães. 
• Autor de habeas corpus para Lula diz ver ameaça de prisão. Consultor de Campinas entrou com pedido preventivo em nome do ex-presidente. Justiça afirma que não há investigação contra Lula. Desembargador rejeita habeas corpus em nome de Lula. 
• Aumento de 150% é um retrocesso inaceitável, diz Skaf. Governo impõe aumento cavalar de impostos à indústria. 
• IBGE: renda do trabalhador caiu 5% além da inflação em 12 meses. Rendimento em seis regiões metropolitanas registrou em maio o quarto recuo seguido. 
• Enquanto o Brasil sangra e chora, Dilma ria pela mandioca! Então é isso que temos para jantar: mandioca e uma presidente sorridente alheia ao sangramento do país que ela prometeu defender. 
• Dilma volta a atormentar diplomatas cortando recursos. Embaixadas do brasil sem dinheiro para pagar aluguel, água, luz... 
• Para base e oposição, Temer segura o país. Políticos da base e oposição estão certos de que a presidente Dilma perdeu o controle do país. 
• Renan quer controle extra sobre política fiscal do governo. Senador apresentou PEC para criar Autoridade Fiscal Independente, colegiado sem caráter normativo ou deliberativo. Ele discursou na tribuna e voltou a atacar ajuste fiscal de Dilma. 
• Senado estuda alterar a reforma política votada na Câmara. Senadores estudam derrubar o fim da reeleição e a fixação do mandato de cinco anos para todos os cargos eletivos, duas das medidas aprovadas pela reforma política. O presidente do Senado, Renan Calheiros, afirmou que quer evitar que haja reforma de uma Casa contra outra
• Comportamento da Odebrecht reforça motivos para prisão, diz Moro. Para o juiz, o anúncio publicado em veículos de comunicação pela empreiteira, em que reitera a sua indignação com a prisão de executivos, mostrou que a Odebrecht não quer reconhecer sua responsabilidade pelos fatos. 
• Preso, presidente da Odebrecht determinou destruição de e-mail, diz Polícia Federal informando que apreendeu, na última segunda-feira, bilhete no qual Marcelo Odebrecht escreveu a frase destruir e-mail sondas. Segundo policiais, destinatário era executivo da petroquímica Braskem. 
• Lula reconhece para petistas que se excedeu nas críticas ao partido. Mea-culpa do ex-presidente foi relatado por Rui Falcão durante reunião da cúpula da sigla. 
• Polícia Federal faz busca em antigo escritório de Fernando Pimentel, governador de Minas Gerais. Ação faz parte da Operação Acrônimo, que também tem como suspeita a primeira-dama, Carolina de Oliveira Pereira. A Polícia Federal já fez busca e apreensão na casa de Carolina e também prendeu Bené, que prestou serviços à campanha de Pimentel. 
• STJ autoriza inquérito para investigar Pimentel. Governador de MG e sua mulher negam irregularidades em contratos. Já a Revista Época diz que mulher de Pimentel admitiu receber repasses de empresas como serviço de comunicação. 
• Supremo valida delação de presidente de clube vip. Em depoimento à PF, Ricardo Pessoa, dono da UTC, cita o envolvimento de políticos como Jucá e Lobão.
• Petrobras tentará suspender ação coletiva nos EUA. Advogados da Petrobras participaram de uma audiência em Nova York ontem, onde disseram que a estatal também é vítima da corrupção. 
• Ao todo, 17 integrantes do governo em 2014 terão de dar explicações ao TCU, entre eles Mantega e Augustin. Mantega culpa ex-secretário do Tesouro por pedaladas fiscais. O ex-ministro da Fazenda Guido Mantega diz que Arno Augustin era o responsável por cumprir as obrigações do governo junto aos bancos públicos. 
• Campanha Põe no Rótulo lançada em 2014. Rótulos terão que trazer alerta para consumidores alérgicos. Medida foi aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa. 
• Obama deve cobrar postura firme do Brasil para lidar com crise na Venezuela. Durante a visita de Dilma a Washington, Obama deve buscar uma posição em comum com o Brasil frente à repressão de opositores na Venezuela. 
• Brasil perdeu 11 mil super-ricos entre 2013 e 2014. Relatório considera como super-ricos aqueles que têm US$ 1 milhão em ativos investíveis. Riqueza total dos brasileiros super-ricos diminuiu 1,4%. 
• Credores dão ultimato à Grécia para refazer sua proposta. Atenas tem até a próxima terça para pagar uma dívida de € 1,6 bilhão com o FMI. Números da crise e da austeridade na Grécia: dados mostram o impacto da deterioração econômica sobre a vida dos gregos; ainda não há acordo entre Atenas e seus credores internacionais.

Dilma pendurada no pincel, sem escada.
. Esta semana as bancadas do PT no Senado, primeiro, e na Câmara, depois, solidarizam-se formalmente com as críticas do Lula ao governo e ao próprio partido. Esse posicionamento não deixa dúvidas, pois acopla-se ao sentimento da imensa maioria das bases petistas. Traduzindo: a presidente Dilma está num mato sem cachorro. Sozinha, à exceção de alguns ministros palacianos, ainda que nem todos.
. Madame só tem uma saída: penitenciar-se, mudar o rumo de sua administração e aguardar que o antecessor venha a Brasília ou a convoque a São Paulo para assinar a capitulação.
. Parece evidente que o Lula manobra para voltar a enquadrar o PT. Jamais perdeu sua liderança, mas andava escanteado pelo grupo reunido em torno da sucessora. Talvez por ela mesmo, logo depois da reeleição. Não há outra explicação para o governo ter assumido explicitamente o modelo neoliberal de cortes orçamentários em setores essenciais como educação e saúde, redução de direitos trabalhistas, compressão de salários e aposentadorias e aumento de juros. Tudo aquilo que o PT rejeitava historicamente.
. Foi quando o primeiro companheiro aproveitou a oportunidade para ressurgir e empalmar outra vez o comando absoluto. Indaga-se da hipótese de Dilma oferecer resistência, mas se tentar, mesmo dispondo da caneta e do Diário Oficial, mais ficará pendurada no pincel, sem escada. Talvez demore para retificar as linhas base de seu governo, bem como as pessoas que gravitam ao seu redor. Mas sabe ser inevitável a mudança. A sombra de um improvável impeachment anda longe, mas pode ser mais visualizada hoje do que ontem. Para afastá-la por inteiro, só o Lula... (Carlos Chagas)

Nenhum comentário: