13 de jun de 2015

Marola ou onda, eis a questão...

Ponto de vista não do povo - A presidente afirmou ao Programa do Jô, que, embora necessite de um ajuste fiscal para equilibrar as contas públicas, o Brasil não está estruturalmente doente; o país passa momentaneamente por problemas e dificuldades, e o ajuste é necessário para uma rápida retomada do crescimento econômico; se disse bastante agoniada com a inflação e afirmou que se sente triste com as críticas que recebe, mas disse que aprendeu a conviver com a situação; É todo dia. Tem horas que exageram um pouco. Pegam pesado. Mas é da atividade pública, disse. 
O desastre: Dilma pede ao PT que apoie o governo e o ajuste econômico. Lula diz que há dez anos tentam matar o partido, mas ele está vivo
• Morre no Rio, aos 86 anos, José Messias, jurado de programas de tvs. 
Ó duvida cruel - Itamaraty inicia manobra para blindar Lula de investigação. Ministério quer manter em sigilo documentos de livre acesso que relacionam Lula com a Odebrecht, uma das empreiteiras envolvidas na Operação Lava-Jato. E a CPI da Petrobras convoca presidente do Instituto Lula. Comissão também aprovou quebra dos sigilo fiscal, bancário e telefônico do ex-ministro José Dirceu. 
• Cunha quer urgência para projeto da cristofobia. Projeto que transforma ultraje a culto em crime hediondo recebe amplo apoio de lideranças partidárias. Intenção é votar proposta ainda em junho, avisa autor do texto, deputado Rogério Rosso, que tem o aval do presidente da Câmara. 
• A CNBB e o uso de imagens religiosas na Parada Gay, na política e nos jornais são claras manifestações de desrespeito e depende de quem está se manifestando. 
• Câmara reduz idade mínima para quem quer ser deputado federal. O texto aprovado nesta quinta-feira modifica o artigo 14 da Constituição Federal e autoriza que jovens de 18 anos possam se candidatar. Atualmente, a idade mínima para ser parlamentar é de 21 anos. 
• Senado aprova projeto que torna crime hediondo o homicídio de policiais. O agravamento da pena previsto no texto alcança o crime praticado contra o cônjuge, companheiro ou parente até 3º grau do agente público de segurança, quando o ilícito for motivado pela ligação familiar. Em todos esses casos, a pena será de reclusão de 12 a 30 anos. 
• Câmara reduz idade mínima para quem quer se eleger governador e senador. Atualmente, para ser governador e vice-governador de Estado e do Distrito Federal é preciso ter 30 anos e, para se eleger senador é preciso ter 35 anos. A proposta da câmara é reduzir idade mínima para 29 anos. 
O FBI ficará omisso? Dos 12 estádios da Copa, 8 tiveram prejuízo em 2014. Um ano após início do Mundial, deficit superou R$ 126 milhões.  
• Ao invés de cuidar das excessivas emissões monetárias, o Banco Central vê com ressalvas o uso indiscriminado dos cartões de crédito. Pode? Segundo o Relatório de Vigilância do Sistema de Pagamentos Brasileiro 2014, divulgado ontem, os cartões de crédito deveriam ser usados preferencialmente para compras parceladas a prazo - mas o que se vê é que a maioria dos portadores usa o cartão para compras a vista. Na opinião do BC, para essa finalidade os cartões de débito são mais apropriados, uma vez que os de crédito embutem riscos maiores para as instituições financeiras e taxas maiores do que as cobradas no débito para os estabelecimentos.
• Ex-diretor do BB na mira do FBI. Um dos presos pela PF na Operação Porto Victoria nessa quinta, o ex-vice-presidente do BB Allan Toledo está numa enrascada.
• Para atrair mais investimentos, governo elogia reformas de FHC. Site diz que a liberalização de setores-chave trouxe estabilidade financeira.
• Itália volta a suspender extradição de Henrique Pizzolato ao Brasil.
• Prisão é maior vacina contra corrupção, diz juiz que julgará Petrobras nos EUA. Em entrevista à BBC Brasil, Jed Rakoff - que não comentou ação contra estatal - diz que multar empresas por fraudes não previne crimes.
• Mers causa três novas mortes na Coreia do Sul; afinal, que vírus é esse? A Coreia do Sul contabilizou, nesta sexta-feira, três novas mortes em decorrência da doença respiratória que causou pânico no país. Mas autoridades afirmam que o pior parece ter passado: o número de novos casos tem decaído, e a população foi orientada a retomar sua rotina. No total, 13 pessoas morreram e 126 foram infectadas pela Mers (síndrome respiratória por coronavírus do Oriente Médio, na sigla em inglês) na Coreia do Sul desde que foi identificada, há pouco mais de três semanas. De acordo com a OMS, a síndrome está sendo transmitida pelo contato entre as pessoas. A organização deve realizar uma reunião emergencial sobre o tema. Atualmente, 3,6 mil pessoas estão em quarentena no país, contra 3,8 mil há poucos dias.
 
A lição. 
. Um rato, olhando pelo buraco na parede, vê o fazendeiro e sua esposa abrindo um pacote. Pensou logo no tipo de comida que haveria ali. Ao descobrir que era ratoeira ficou aterrorizado.
. Correu ao pátio da fazenda advertindo a todos: - Há ratoeira na casa, ratoeira na casa!
. A galinha: - Desculpe-me Sr. Rato, eu entendo que isso seja um grande problema para o senhor, mas não me prejudica em nada, não me incomoda.
. O rato foi até o porco e: - Há ratoeira na casa, ratoeira!
. - Desculpe-me Sr. Rato, mas não há nada que eu possa fazer, a não ser orar. Fique tranqüilo que o Sr. será lembrado nas minhas orações.
. O rato dirigiu-se à vaca e: - Há ratoeira na casa.
. - O que ? Ratoeira? Por acaso estou em perigo? Acho que não!
. Então o rato voltou para casa abatido, para encarar a ratoeira.
. Naquela noite, ouviu-se um barulho, como o da ratoeira pegando sua vítima. A mulher do fazendeiro correu para ver o que havia pego. No escuro, ela não percebeu que a ratoeira havia pego a cauda de uma cobra venenosa. E a cobra picou a mulher... O fazendeiro a levou imediatamente ao hospital. Ela voltou com febre. 
. Todo mundo sabe que para alimentar alguém com febre, nada melhor que uma canja de galinha. O fazendeiro pegou seu cutelo e foi providenciar o ingrediente principal. Como a doença da mulher continuava, os amigos e vizinhos vieram visitá-la.
. Para alimentá-los, o fazendeiro matou o porco. A mulher não melhorou e acabou morrendo. Muita gente veio para o funeral. O fazendeiro então sacrificou a vaca, para alimentar todo aquele povo.
. Moral paradoxal: Na próxima vez que você ouvir dizer que alguém está diante de um problema e acreditar que o problema não lhe diz respeito, lembre-se que quando há uma ratoeira na casa, toda fazenda corre risco. O problema de um irmão é problema de todos! Nós aprendemos a voar como os pássaros, a nadar como os peixes, mas ainda não aprendemos a conviver como irmãos

1º aniversário da Copa das Copas: o legado. 
Mentiras de todos os tipos - Se os governos Lula e Dilma tivessem se dedicado apenas a contar mentiras de todos os tipos e sabores, tanto para a população brasileira quanto para o resto do mundo, ainda que isto já fosse o suficiente para deixarem de ser respeitados, as más atitudes petistas não pararam por aí. 
 Retrato fiel - Como hoje, 12 de junho de 2015, faz exatamente um ano que a Copa do Mundo de Futebol começou no nosso pobre país, além da possibilidade que esse primeiro aniversário nos dá para comprovar as centenas (ou milhares) de mentiras que foram ditas e repetidas, desde a data da escolha do Brasil como sede do Mundial, temos também um legado (retrato fiel) de irresponsabilidade e incompetência deixado pelos governantes petistas. Um horror!
Obras prometidas e as entregas - Hoje é possível comprovar que das 167 obras prometidas para o Mundial, apenas 88 foram entregues a tempo. Mais: em todas as cidades-sedes da Copa há obras paradas, abandonadas e/ou ainda sendo executadas de forma muito lenta. Isto sem contar que 11 obras prometidas simplesmente foram descartadas pelo governo.
Derrota - Como o Brasil é considerado o País do Futebol (não se sabe bem qual a razão para tanto), o que mais os brasileiros lembram do Mundial é a acachapante derrota da nossa Seleção para a Alemanha, pelo elástico placar de 7 x 1. Ainda que aquele jogo nunca seja esquecido, o que deveria ser lamentado, de fato, pelo pobre povo brasileiro, é o monumental desperdício de dinheiro público que a Copa das Copas proporcionou. Isto sem falar no peso da corrupção, que parece não ter fim no nosso país.
Mais do mesmo - Como bem lembra José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores, a data de hoje serve para provar o tamanho da ineficiência da gestão pública. O Brasil da Copa das Copas perdeu a oportunidade de gerir tamanho esforço e mobilização de recursos com mais eficiência. O que se vê, infelizmente, é só mais do mesmo: uma gestão convencionalista, burocrática, quando não corrupta. Falta de planejamento, gerenciamento precário e desperdícios volumosos foram e continuam sendo presenças marcantes nessas obras paradas. Este é o legítimo e triste legado e não o placar de 7 X 1. 
Excesso - Aliás, a bem da verdade o governo só pecou por excesso em uma área: a tributária, ao abdicar de algumas centenas de milhões por haver dado isenção tributária à FIFA, na sua Copa mais lucrativa de todos os tempos. São recursos que o Ministro Levy quer vir buscar agora com a criação de algum tributo para fechar suas contas. (GSPires

O velho Lula de guerra - Com uma ponta de sarcasmo, Lula fez troça dos jornalistas e dos meios de comunicação no discurso de abertura do Congresso Nacional do PT, em Salvador. Proporcionalmente ao seu tamanho reduzido, o setor que mais desemprega hoje no Brasil é a imprensa, disse. Ouviram-se aplausos da militância. Só neste ano, tivemos 50 demissões de jornalistas na Folha de S.Paulo, prosseguiu Lula, arrancando mais palmas da plateia. Foram 120 demissões no Globo, 100 demissões no Estadão, 50 na Band e 120 na Editora Abril. Nesse ponto, o plenário do congresso petista entoou um coro: O povo não é bobo, abaixo a Rede Globo. (Josias de Souza)

Quanto mais aduladores o vil precisa, mais mentira ele acumula em seu legado, mais tiranias comete, mais injustiça distribui.

Nenhum comentário: